Fundamentos da Contabilidade Geral - Introdução ao Conhecimento Prático e Doutrinário da Ciência Contábil Moderna - Com Referências Relativas à Reforma das Sociedades por Ações - Lei 11.638/07 e Lei 11.941/09

4ª Edição - Revista e Atualizada Antônio Lopes de Sá – Atualizado pelo Professor Wilson Alberto Zappa Hoog

Parcele em até 6x sem juros no cartão.
Parcela mínima de R$ 20,00

Versão impressa

Ficha técnica

Autor(es): Antônio Lopes de Sá – Atualizado pelo Professor Wilson Alberto Zappa Hoog

ISBN: 978853623867-8

Edição/Tiragem: 4ª Edição - Revista e Atualizada

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 392

Publicado em: 23/08/2012

Área(s): Contabilidade Geral Aplicada

Sinopse

Obra dedicada a uma introdução ao conhecimento contábil, obedecendo a uma sequência lógica que conduz o leitor a entender as bases sobre a matéria. Livro feito para os que realmente desejam saber de que trata a Contabilidade, todavia, partindo de fundamentos rigorosamente científicos, embora ao alcance de todos. Neste livro, o leitor encontrará referências desde a gênese da Contabilidade até os mais modernos processos adotados em nossos dias. Faz uma nítida separação entre o que é a informação contábil e a explicação desta, ou seja, evidencia o quanto é importante não só conhecer o que acontece, mas, especialmente, saber por que acontecem as transformações da riqueza das empresas e das instituições. Oferece os elementos essenciais para que se tenha uma visão ampla sobre o assunto, com enfoques que ensejam o entendimento das doutrinas superiores da disciplina, partindo do que existe de elementar. Está dedicada, exatamente, a possibilitar ao leitor uma ideia sobre todos os pontos elementares, desde os conceitos, princípios e métodos até referências a tecnologias como as da perícia, auditoria e outras. Apresenta modelos e orientações práticas, inclusive um plano de contas e demonstrações.

 

Autor(es)

Antônio Lopes de Sá – Doutor em Ciências Contábeis pela Universidade do Brasil; Doutor em Letras, H.C., pela Samuel Benjamin Thomas University, de Londres, Inglaterra. Foi Administrador, Economista e Professor universitário. Publicou 176 livros no Brasil e no exterior, bem como mais de 13.000 artigos. Foi Vice-Presidente da Academia Nacional de Economia e ex-Presidente da Academia Brasileira de Ciências Contábeis. Tinha a maior titulação contábil que se atribui a um profissional, oficialmente, no Brasil, a Medalha de Ouro João Lyra, conferida pelo órgão governamental de fiscalização do exercício da profissão, Conselho Federal de Contabilidade. Foi líder da Corrente Científica do Neopatrimonialismo Contábil. Era detentor de diversos prêmios nacionais e internacionais de mérito profissional e literatura científica.

Atualizador - Wilson Alberto Zappa Hoog
E-mail: wilson@zappahoog.com.br
www.zappahoog.com.br
Mestre em Ciência Jurídica, Perito-Contador, Auditor, Consultor Empresarial, Palestrante, Especialista em Avaliação de Sociedades Empresárias; Sócio-Fundador e Administrador da Zappa Hoog e Cia SS; Escritor e Pesquisador de matéria contábil, Professor-doutrinador de Perícia Contábil, Direito Contábil e de Empresas em cursos de Pós-graduação de várias instituições de ensino, Bacharel em Ciências Contábeis; Membro ACIN - Associação Científica Internacional Neopatrimonialista. Mentor intelectual do Método Zappa de Avaliação da Carteira de Clientes e do Método Holístico de Avaliação do Fundo Empresarial, antigo fundo de comércio, e do Método de Amortização a Juros Simples- MAJS.

Autor dos livros:
- Balanço Especial para Apuração de Haveres e Reembolso de Ações - 2ª ed., 2011;
- Código Civil - Especial para Contadores - Livro II - Do Direito da Empresa - 6ª ed., 2012;
- Contabilidade um Instrumento de Gestão - Com uma Abordagem Transdisciplinar - 2ª ed., 2011;
- Demonstrações Contábeis e Financeiras - Aspectos Essenciais - 2011;
- Dicionário de Direito Empresarial, Relativo ao Livro II do Código Civil/2002 - 4ª ed., 2010;
- Escrituração Contábil - Aspectos Essenciais à sua Validação - 2011;
- Fundo de Comércio Goodwill em: Apuração de Haveres; Balanço Patrimonial; Dano Emergente; Lucro Cessante; Locação Não Residencial - 3ª ed., 2011;
- Introdução à Perícia, Auditoria e Consultoria Contábil - 3ª ed., 2010;
- Lei das Sociedades Anônimas - Interpretada e Anotada em seus Principais Aspectos - 4ª ed., 2012;
- Manual de Contabilidade - Plano de Contas, Escrituração e as Demonstrações Financeiras de acordo com as IFRS - 2011;
- Moderno Dicionário Contábil - Da Retaguarda à Vanguarda - 7ª ed., 2012;
- Perdas, Danos e Lucros Cessantes em Perícias Judiciais - 3ª ed., 2012;
- Perícia Contábil - em uma Abordagem Racional Científica - 2011;
- Perícia Contábil - Normas Brasileiras Interpretadas - 5ª ed., 2012;
- Perícia Contábil em Ação de Prestação de Contas - 2011;
- Plano de Contas - IFRS - 2011;
- Prova Pericial Contábil - 9ª ed., 2011;
- Resolução de Sociedade & Avaliação do Patrimônio na Apuração de Haveres - 4ª ed., 2010;
- Sociedade Limitada - Aspectos Administrativos, Jurídicos e Contábeis, Pós-Código Civil/ 2002 - 3ª ed., 2011;
- Teoria Pura da Contabilidade - Ciência e Filosofia - 2ª ed., 2011.

Coautor das obras:
- Corrupção, Fraude e Contabilidade - Coautoria com o Prof. Antônio Lopes de Sá - 4ª ed., 2012;
- Normas Nacionais e Internacionais de Contabilidade
- Coautoria com o Prof. Everson Luiz Breda Carlin - 2ª ed., 2010;
- Manual de Auditoria das Sociedades Empresárias - Coautoria com o Prof. Everson Luiz Breda Carlin - 4ª ed., 2011.

Sumário

Parte I INTRODUÇÃO

1 GÊNESE E ANTIGUIDADE DO CONHECIMENTO CONTÁBIL

1.1 Manifestações primitivas do conhecimento contábil

1.2 Contas: essência e forma

1.3 Conquistas da escrita contábil na antiguidade

1.4 A escrita contábil na Suméria

1.5 A escrita contábil no Egito

1.6 A contabilidade na Roma Antiga

2 EVOLUÇÃO SISTEMÁTICA DA ESCRITA E AS PARTIDAS DOBRADAS

2.1 Origem da partida dobrada

2.2 Princípio dapartida dobrada

2.3 Lógica da partida dobrada

3 LITERATURA DA CONTABILIDADE

3.1 Antigos tratados de contabilidade

3.2 Imprensa e progresso da literatura contábil

4 A CONTABILIDADE COMO CIÊNCIA

4.1 O aparecimento da ciência contábil

4.2 Razões científicasda contabilidade

4.3 Doutrinas científicas da contabilidade

4.4 A moderna doutrina científica do neopatrimonialismo

4.5 Conceito moderno de contabilidade

4.6 Importância social e humana da contabilidade

4.7 Relevância da continuidade e prosperidade das empresas

5 PATRIMÔNIO DAS CÉLULAS SOCIAIS COMO OBJETO CIENTÍFICO DA CONTABILIDADE

5.1 Conceito contábil de patrimônio

5.2 Fenômenos patrimoniais e a azienda

5.3 Função eficaz universal do patrimônio

6 METODOLOGIA EM CONTABILIDADE

6.1 Método em contabilidade

6.2 Metodologia da pesquisa em contabilidade

7 APLICAÇÃO DO CONHECIMENTO DA CONTABILIDADE

7.1 Finalidade da contabilidade

7.2 Utilidade do conhecimento contábil

7.3 O mundo moderno da contabilidade

7.4 Futuro do conhecimento contábil

7.5 Normas e ciência contábil

7.6 Perfil do contador moderno

8 FILOSOFIA DA CONTABILIDADE

8.1 Filosofia científicae contabilidade

8.2 Níveis de conhecimentose filosofia científica

8.3 Objetivos na filosofia da contabilidade

8.4 Empirismo e filosofia da contabilidade

8.5 Fundamentos filosóficos contábeis relativos à essência do conhecimento

8.6 Fundamentos filosóficos contábeis e fatores de julgamento sobre a realidade objetiva

8.7 Filosofia do conceito em contabilidade

8.8 Filosofia das definições em contabilidade

8.9 Proposições lógicas e teorias contábeis

8.10 Valor do conteúdo nas proposições lógicas contábeis

Parte II ESCRITURAÇÃO E FATO CONTÁBIL

1 EMPRESA E A ÓTICA NA OBSE RVAÇÃO DE SEUS FENÔMENOS PATRIMONIAIS

1.1 Autonomia da empresa

1.2 Características das aziendas

1.3 Aspecto particular da observação do fenômeno patrimonial aziendal

2 CAPITAL, LUCRO, RÉDITO E FENÔMENO PATRIMONIAL

2.1 Patrimônio e capital como conceitos distintos

2.2 Doutrinas do lucro

2.3 Rédito e lucro

2.4 Modelos contábeis do lucro

2.5 Campos de observação para a construção de modelos de resultabilidade

2.6 Efeitos externos e internos a serem considerados na análise da capacidade lucrativa

2.7 Temporalidade operacional e lucratividade

2.8 Espaços operacionais e rédito

2.9 Quantidade dos meios patrimoniais e margem de resultados dos empreendimentos

2.10 Qualidade como fator de lucratividade

2.11 Ambiente endógeno e eficácia do lucro

2.12 Ambiente exógeno e defesa do rédito

2.13 O teorema da proporcionalidade como base na construção da estrutura de modelos contábeis

2.14 Modelos contábeis e futuro do lucro

3 RELAÇÕES LÓGICAS DO FENÔMENO PATRIMONIAL

3.1 Fenômenos e relações patrimoniais

3.2 Relações lógicas essenciais do patrimônio

4 OS SISTEMAS DE FUNÇÕES DA RIQUEZA PATRIMONIAL

4.1 Funções do patrimônio

4.2 Capacidades e funções requeridas de um patrimônio

4.3 Estrutura dos sistemas de funções patrimoniais

4.4 Temporalidade nos sistemas patrimoniais

4.5 Interação sistemática de funções

5 ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL E PLANOS DE CONTAS

5.1 Escrita contábil como agregado de procedimentos

5.2 Identificação dos fatos patrimoniais

5.3 Classificação contábil e plano de contas

5.4 Elementos de um plano de contas

6 COMPOSIÇÃO DO PLANO DE CONTAS

6.1 Registro dos fatos patrimoniais: diário e razão

6.2 Demonstrações contábeis

7 LEGISLAÇÃO E ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL

7.1 Legislação e registros contábeis

7.2 Lei das sociedades e contabilidade

8 LIVROS CONTÁBEIS

8.1 Exigências na escrituração de livros principais

8.2 Exigências na escrituração de livros contábeis

9 LIVROS AUXILIARES E INFORMÁTICA

9.1 Força probante dos livros de contabilidade

9.2 Informática e registros contábeis

10 BALANÇO E PATRIMÔNIO

10.1 Conceito de balanço: genérico e específico

10.2 Composição do balanço patrimonial

10.3 Balanço qualitativo

10.4 Balanço quantitativo

11 PRINCÍPIO DA ESSÊNCIA SOBRE A FORMA

11.1 Essência sobre a forma e sua importância

11.2 Conceitos e essencialidade: método e princípio

11.3 Limitações ao conceito

12 PRINCÍPIOS DE CONTABILIDADE

12.1 Princípios da informação como macrorregras

12.2 Princípios de contabilidade consagrados no Brasil

12.3 Princípio da entidade

12.4 Princípio da continuidade

12.5 Princípio da oportunidade

12.6 Princípio do registropelo valor original

12.7 Princípio da competência

12.8 Princípio da prudência

12.9 Princípio para a informação e princípio científico

13 NORMALIZAÇÃO CONTÁBIL

13.1 Atividade normativa

13.2 Organismos de normalização contábil

13.3 Ciência e prática em face das normas

13.4 Normas brasileiras de contabilidade

13.5 Normas, valor justo e princípio contábil da prudência

14 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

14.1 Conceito de demonstrações contábeis

14.2 Requisitos básicos das demonstrações contábeis

14.3 Natureza das demonstrações contábeis

14.4 Objetos das demonstrações contábeis obrigatórias

14.5 Análise das demonstrações contábeis

14.6 Análise e elementos ocultos nas demonstrações

15 FLUXOS EM CONTABILIDADE

15.1 Conceito e utilidade dos fluxos em contabilidade

15.2 Fluxo e temporalidade

15.3 Exemplo de uma demonstração de fluxo de caixa

16 AVALIAÇÃO PATRIMONIAL

16.1 Conceito de valor em contabilidade

16.2 Avaliação contábil

16.3 Avaliação inadequada

16.4 Avaliação nos balanços, perante a lei

16.5 Avaliação do disponível

16.6 Avaliação dos créditos

16.7 Avaliação dos bens para venda (estoques)

16.8 Avaliação dos bens de rendimento

16.9 Avaliação das imobilizações técnicas materiais

16.10 Avaliação das imobilizações imateriais

16.11 Avaliação do diferido

16.12 Avaliação do passivo

16.13 Valor de patrimônio líquido

16.14 Valor justo

16.15 Teoria do valor em contabilidade

16.16 Justiça de valor e valor justo

Parte III O CAPITAL NAS EMPRESAS

1 ESTRUTURA DOS CAPITAIS E LEGISLAÇÃO COMERCIAL

1.1 Atividades e diferenças de estruturas de capitais

1.2 Capital circulante

1.3 Capital fixo

1.4 Capital próprio

1.5 Capital de terceiros

1.6 A expressão "não circulante"

1.7 Variações do capital próprio e a prosperidade das empresas

1.8 Prosperidade e definhamento

1.9 Variação e constância da eficácia

1.10 Teoria do equilíbrio e variação do capital

1.11 Metodologias e capital próprio

1.12 As variações no conceito de D’Áuria

1.13 A essência da visão neopatrimonialista sobre a variação do capital próprio

2 POTENCIALIDADE PATRIMONIAL

2.1 Probabilidade de ocorrência de fatos

2.2 Classes de potencialidades patrimoniais

2.3 Registro contábil das potencialidades

Parte IV CONTABILIDADE DOS RESULTADOS

1 APURAÇÃO E DESTINO DOS RESULTADOS DAS ATIVIDADES

1.1 Resultado como conceito

1.2 Sistema dos resultados

1.3 Apuração do resultado bruto

1.4 Apuração do resultado líquido

1.5 Elementos adicionais da apuração de resultados

1.6 Destino do resultado

1.7 Resultado potencial

2 CUSTOS

2.1 Relações lógicas no fenômeno dos custos

2.2 Custos diretos

2.3 Custos indiretos de produção

2.4 Custos fixos

2.5 Custos variáveis

2.6 Custos extraordinários

2.7 Custos figurativos

2.8 Custos desnecessários

2.9 Custos efetivos e teóricos

2.10 Escrita contábil de custos

3 DESPESAS

3.1 Custos complementares ou despesas gerais

3.2 Despesas administrativas

3.3 Despesas promocionais de vendas

3.4 Despesas financeiras

3.5 Despesas tributárias

3.6 Despesas sociais

3.7 Despesas extraordinárias ou eventuais

3.8 Fatores diferenciais entre despesas e perdas

4 RECEITAS

4.1 Conceito de receitas

4.2 Receitas técnicas ou operacionais

4.3 Receitas extraordinárias ou não operacionais

5 LUCROS

5.1 Conceito de lucro

5.2 Exercício e lucro

5.3 Prosperidade e definhamento

5.4 Lucro e taxa de retorno do investimento

5.5 Capitalização do lucro e reservas para dividendos

5.6 Lucro e inflação

5.7 Especulação e lucro

Parte V O BALANÇO PATRIMONIAL

1 BALANÇO DE ABERTURA DE ESCRITA CONTÁBIL

1.1 Protótipo originário de um balanço

1.2 Balanço de abertura de empresa em atividade

2 BALANÇO DE EXERCÍCIO

2.1 Exercício e rotina do balanço

2.2 Forma legal de apresentação do balanço patrimonial

2.3 Grave omissão da lei quanto a fatos potenciais

2.4 Balanços parciais e especiais dentro do exercício

2.5 Balanço e demonstrações consolidadas ou de grupo

3 AUDITORIA NAS EMPRESAS

3.1 Auditoria de balanço

3.2 Pré-auditoria

3.3 Plano de trabalho do auditor

3.4 Execução da auditoria ou trabalho de campo

3.5 Método de verificação por amostragem

3.6 Normas de auditoria

3.7 Auditoria interna

3.8 Auditoria externa ou independente

3.9 Auditoria operacional

3.10 Normas de auditoria

Parte VI PERÍCIA CONTÁBIL

1 CONCEITOS BÁSICOS EM PERÍCIA CONTÁBIL E PERFIL DO PERITO

1.1 Conceito de perícia contábil

1.2 Finalidades das perícias

1.3 Capacidades profissionais

1.4 Habilitação legal do perito em contabilidade

1.5 Cultura técnica e geral

1.6 Ética em perícia contábil

1.7 Experiência profissional

1.8 Perícia e as ditas normas internacionais de contabilidade

1.9 História da perícia contábil no Brasil na primeira metade do século XX

2 QUESITOS PERICIAIS

2.1 Conceito de quesito em períciacontábil

2.2 A lógica dos quesitos

2.3 Conduta do perito na resposta aos quesitos

2.4 Resistências ao trabalho de resposta aos quesitos

3 LAUDOS E PARECERES EM PERÍCIA CONTÁBIL

3.1 Conceito de laudo pericial contábil - supremacia do espírito da perícia

3.2 Laudos e pareceres

3.3 Concordâncias e discordâncias nos laudos

3.4 Prólogos nos laudos

3.5 Requisitos técnicos de um laudo pericial contábil

3.6 Requisitos técnicos dos anexos

3.7 Laudos coletivos

Parte VII ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL E PRÁTICA PROFISSIONAL

1 ROTINA DOS REGISTROS CONTÁBEIS

1.1 Documento ou fato identificável - início dos procedimentos

2 CLASSIFICAÇÃO DOS FATOS PATRIMONIAIS - INÍCIO DA FORMA CONTÁBIL DE REGISTROS

2.1 Registro dos fatos e SPED

2.2 Conta e função de conta

3 CLASSIFICAÇÃO DE ALGUNS FATOS PATRIMONIAIS EM CONTAS

3.1 Fatos usuais e frequentes

3.2 Fórmulas de registros

4 AVALIAÇÃO PATRIMONIAL

4.1 Valor nos registros

4.2 Critérios consagrados de avaliação

5 PLANO GERAL DE CONTAS DE EMPRESA COMERCIAL

5.1 A generalidade e os modelos de planos de contas

6 PLANO PADRÃO DE CONTAS DE UMA EMPRESA COMERCIAL DE MENOR DIMENSÃO

6.1 Elenco das contas

6.1.1 Ativo (Investimentos)

6.1.2 Passivo (Financiamentos)

6.1.3 Sistema dos resultados

6.1.4 Sistema auxiliar

6.2 Os planos de contas das grandes empresas

6.3 Sumário de um elenco de contas

7 FUNÇÕES DAS CONTAS DO PLANO

7.1 Funções das contas

7.2 Funções dos grupos de contas

7.3 Alterações dos planos

7.4 Estruturas em planos de contas

7.5 Exemplo de uma estrutura para balanço patrimonial

7.6 Exemplo de uma demonstração de resultados

7.7 Exemplo de uma demonstração de fluxo de caixa

7.8 Exemplo de demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados

7.9 Exemplo de demonstração do valor adicionado

8 CONTABILIDADE NÃO FINANCEIRA E ESTRATÉGIA DE GESTÃO

8.1 Tradição e realidade do regime "financeiro"

8.2 O "financeiro" e as informações não financeiras

8.3 Dados não financeiros e os modelos para decisões

8.4 Estratégia e contabilidade

8.5 Estratégia administrativa e modelos contábeis

9 PEQUENO GLOSSÁRIO DE CONTABILIDADE

REFERÊNCIAS

Índice alfabético

A

  • Ambiente endógeno e eficácia do lucro
  • Ambiente exógeno e defesa do rédito
  • Amostragem. Método de verificação por amostragem
  • Análise e elementos ocultos nas demonstrações
  • Antiguidade e gênese do conhecimento contábil
  • Aparecimento da ciência contábil
  • Aplicação do conhecimento da contabilidade
  • Apuração do resultado bruto
  • Apuração do resultado líquido
  • Apuração e destino dos resultados das atividades
  • Aspecto particular da observaçãodo fenômeno patrimonial aziendal
  • Atividade normativa
  • Atividade. Apuração e destino dos resultados das atividades
  • Atividades e diferenças deestruturas de capitais
  • Auditoria debalanço
  • Auditoria externa ou independente
  • Auditoria interna
  • Auditoria nasempresas
  • Auditoria operacional
  • Auditoria. Execução da auditoria ou trabalho de campo
  • Auditoria. Método de verificação por amostragem
  • Auditoria.Normas
  • Auditoria.Normas
  • Auditoria. Plano de trabalho do auditor
  • Auditoria. Pré-auditoria
  • Autonomia da empresa
  • Avaliação contábilinadequada
  • Avaliação contábil
  • Avaliação das imobilizações imateriais
  • Avaliação das imobilizaçõestécnicas materiais
  • Avaliação dodiferido
  • Avaliação do disponível
  • Avaliação dopassivo
  • Avaliação dos bensde rendimento
  • Avaliação dos bens para venda (estoques)
  • Avaliação doscréditos
  • Avaliação nos balanços perante a lei
  • Avaliação patrimonial
  • Avaliação patrimonial
  • Avaliação patrimonial. Critériosconsagrados de avaliação
  • Azienda. Aspecto particular da observação do fenômeno patrimonial aziendal
  • Azienda. Características das aziendas
  • Azienda. Fenômenos patrimoniais e a azienda

B

  • Balanço de abertura deempresa em atividade
  • Balanço de abertura de escrita contábil
  • Balanço de exercício
  • Balanço e demonstração consolidada ou de grupo
  • Balanço e patrimônio
  • Balanço patrimonial
  • Balanço patrimonial. Composição
  • Balanço patrimonial. Forma legal de apresentação do balanço patrimonial
  • Balanço patrimonial. Grave omissão da lei quanto a fatos potenciais
  • Balanço qualitativo
  • Balanço quantitativo
  • Balanço. Avaliação nos balanços perante a lei
  • Balanço. Conceito de balanço: genérico e específico
  • Balanço. Exercício e rotina do balanço
  • Balanço. Protótipo originário de um balanço
  • Balanços parciais e especiais dentro do exercício
  • Bem de rendimento. Avaliaçãodos bens de rendimento

C

  • Campos de observação para a construção de modelos de resultabilidade
  • Capacidade e funções requeridas de um patrimônio
  • Capacidade profissional
  • Capital circulante
  • Capital de terceiros
  • Capital fixo
  • Capital nas empresas
  • Capital próprio
  • Capital, lucro, rédito e fenômeno patrimonial
  • Capital. Patrimônio e capitalcomo conceitos distintos
  • Capitalização do lucro e reservas para dividendos
  • Característicasdas aziendas
  • Célula social. Patrimônio das células sociais como objeto científico da contabilidade
  • Ciência contábil. Aparecimento
  • Ciência contábil. Normas
  • Ciência e prática em face das normas
  • Ciência. Contabilidade como ciência
  • Ciência. Princípio para a informação e princípiocientífico
  • Classe de potencialidade patrimonial
  • Classificação contábil eplano de contas
  • Classificação contábil. Classificação dosfatos patrimoniais. Início da forma contábil de registros
  • Classificação de alguns fatospatrimoniais em contas
  • Classificação dos fatos patrimoniais. Início da forma contábil de registros
  • Comércio. Plano padrão de contas
  • Competência. Princípioda competência
  • Composição do balanço patrimonial
  • Composição do plano de contas
  • Conceito básico em perícia c ontábil e perfil do perito
  • Conceito contábilde patrimônio
  • Conceito de balanço: genérico e específico
  • Conceito de laudo pericial contábil. Supremacia do espírito da perícia
  • Conceito de perícia contábil
  • Conceito de valor em contabilidade
  • Conceito e essencialidade.Método e princípio
  • Conceito moderno de contabilidade
  • Conceito. Demonstrações contábeis
  • Conceito. Limitações ao conceito
  • Conceito. Patrimônio e capitalcomo conceitos distintos
  • Conceito de quesito em perícia contábil
  • Concordâncias e discordância nos laudos
  • Conduta do perito na resposta aos quesitos
  • Conhecimento contábil. Futuro
  • Conhecimento contábil. Gênese e antiguidade do conhecimento contábil
  • Conhecimento contábil. Manifestações primitivas
  • Conhecimento contábil. Utilidade
  • Conquistas da escrita contábil na antiguidade
  • Conta e função da conta
  • Conta. Classificação de alguns fatos patrimoniais em contas
  • Contabilidade como ciência
  • Contabilidade dosresultados
  • Contabilidade não financeira eestratégia de gestão
  • Contabilidade. Antigos Tratados
  • Contabilidade. Aplicação do conhecimento da contabilidade
  • Contabilidade. Doutrinas científicas
  • Contabilidade.Finalidade
  • Contabilidade. Fluxos em contabilidade
  • Contabilidade. Fluxos em contabilidade. Conceito e utilidade
  • Contabilidade. Habilitação legal do perito em contabilidade
  • Contabilidade. Imprensa e progresso da literatura contábil
  • Contabilidade. Lei das sociedades e contabilidade
  • Contabilidade. Literatura da contabilidade
  • Contabilidade. Método
  • Contabilidade. Metodologia da pesquisa em contabilidade
  • Contabilidade. Metodologia em contabilidade
  • Contabilidade. Mundo moderno da contabilidade
  • Contabilidade. Normas brasileiras de contabilidade
  • Contabilidade. Patrimônio das células sociais como objeto científico da contabilidade
  • Contabilidade. Pequeno glossário de contabilidade
  • Contabilidade. Perícia e as ditas normas internacionais de contabilidade
  • Contabilidade. Plano de contas.Demonstrações contábeis
  • Contabilidade. Princípios de contabilidade consagrados no Brasil
  • Contabilidade. Princípios de contabilidade
  • Contabilidade. Razões científicas
  • Contabilidade. Utilidade doconhecimento contábil
  • Contas. Alterações dos planos
  • Contas. Essência e forma
  • Contas. Funções das contas do plano
  • Contas. Modelos e generalidadede planos de contas
  • Contas. Plano geral de contas de empresa comercial
  • Continuidade. Princípioda continuidade
  • Crédito. Avaliaçãodos créditos
  • Critérios consagrados de avaliação
  • Cultura técnica e geral
  • Custos complementares ou despesas gerais
  • Custos desnecessários
  • Custos diretos
  • Custos efetivose teóricos
  • Custos extraordinários
  • Custos figurativos
  • Custos fixos
  • Custos indiretosde produção
  • Custos variáveis
  • Custos
  • Custos. Relações lógicas no fenômeno dos custos

D

  • Dados não financeiros e osmodelos para decisões
  • Definhamento e prosperidade
  • Demonstração e balanço consolidado ou de grupo
  • Demonstrações contábeis obrigatórias. Objeto
  • Demonstrações contábeis
  • Demonstrações contábeis. Análise
  • Demonstrações contábeis. Conceito
  • Demonstrações contábeis. Natureza
  • Demonstrações contábeis.Requisitos básicos
  • Despesa. Fatores diferenciaisentre despesas e perdas
  • Despesas administrativas
  • Despesas extraordinárias ou eventuais
  • Despesas financeiras
  • Despesas promocionais de vendas
  • Despesas sociais
  • Despesas tributárias
  • Despesas
  • Despesas. Custos complementares ou despesas gerais
  • Destino e apuração dos resultados das atividades
  • Diário. Registro dos fatos patrimoniais. Diário e razão
  • Diferenças e atividades deestruturas de capitais
  • Disponível. Avaliação do disponível
  • Dividendo. Capitalização do lucroe reservas para dividendos
  • Documentos ou fato identificável. Início dos procedimentos
  • Doutrina científica. Contabilidade
  • Doutrinas do lucro

E

  • Efeitos externos e internos a serem considerados na análise da capacidade lucrativa
  • Egito. Escrita contábil no Egito
  • Elementos adicionais daapuração de resultados
  • Elementos de plano de contas
  • Elenco das contas
  • Empirismo e filosofia da contabilidade
  • Empresa comercial. Plano geral decontas de empresa comercial
  • Empresa e a ótica na observação de seus fenômenos patrimoniais
  • Empresa. Autonomia da empresa
  • Empresa. Balanço de aberturade empresa em atividade
  • Empresa. Capitalnas empresas
  • Entidade. Princípio da entidade
  • Escrita contábil como agregado de procedimentos
  • Escrita contábilde custos
  • Escrita contábil na Roma antiga
  • Escrita contábilna Suméria
  • Escrita contábil no Egito
  • Escrita contábil. Balanço de abertura de escrita contábil
  • Escrita contábil. Conquistas daescrita contábil na antiguidade
  • Escrita contábil. Evolução sistemáticada escrita e das partidas dobradas
  • Escrituração contábil eplanos de contas
  • Escrituração contábil e prática profissional
  • Escrituração e fato contábil
  • Escrituração e legislação contábil
  • Escrituração. Exigências na escrituração de livros contábeis
  • Escrituração. Exigências na escrituração de livros principais
  • Espaços operacionais e rédito
  • Especulação e lucro
  • Essência da visão neopatrimonialista sobre a variação do capital próprio
  • Essência sobre a formae sua importância
  • Essencialidade e conceito.Método e princípio
  • Estoque. Avaliação dos benspara venda (estoques)
  • Estratégia administrativae modelos contábeis
  • Estratégia e contabilidade
  • Estrutura de capitais. Diferenças e atividades de estruturas de capitais
  • Estrutura dos capitaise legislação contábil
  • Estrutura dos sistemas de funções patrimoniais
  • Estrutura em planos de contas
  • Ética em perícia contábil
  • Evolução sistemática da escrita e das partidas dobradas
  • Execução da auditoria ou trabalho de campo
  • Exemplo de demonstraçãode fluxo de caixa
  • Exemplo de demonstraçãodo valor adicionado
  • Exemplo de demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados
  • Exemplo de uma demonstração de resultados
  • Exemplo de uma estrutura para o balanço patrimonial
  • Exemplos de classificações de fatos simples em suas contas
  • Exercício e lucro
  • Exercício e rotinado balanço
  • Exigências na escrituraçãode livros contábeis
  • Exigências na escrituraçãode livros principais
  • Expressão "não circulante"

F

  • Fato contábil. Escrituração e fato contábil
  • Fato patrimonial. Classificação de alguns fatos patrimoniais em contas
  • Fato patrimonial. Classificação dos fatospatrimoniais. Início da forma contábil de registros
  • Fato patrimonial. Conta efunção da conta
  • Fato patrimonial. Fatos usuais e frequentes
  • Fato patrimonial. Identificaçãodos fatos patrimoniais
  • Fato patrimonial. Registro dos fatos e SPED
  • Fato patrimonial. Registro dos fatospatrimoniais. Diário e razão
  • Fatores diferenciais entre despesas e perdas
  • Fenômeno patrimonial. Capital, lucro, rédito e fenômeno patrimonial
  • Fenômenos e relações patrimoniais
  • Fenômenos patrimoniais e a azienda
  • Fenômeno patrimonial. Relações lógicas do fenômeno patrimonial
  • Filosofia científicae contabilidade
  • Filosofia da contabilidade
  • Filosofia da contabilidade. Objetivos
  • Filosofia das definições em contabilidade
  • Filosofia do conceito em contabilidade
  • Finalidade. Contabilidade
  • Finalidades das perícias
  • Fluxos em contabilidade
  • Fluxos em contabilidade.Conceito e utilidade
  • Fluxos em contabilidade. Fluxo de caixa. Exemplo de uma demonstração
  • Fluxos em contabilidade. Fluxo e temporalidade
  • Força probante dos livrosde contabilidade
  • Forma legal de apresentaçãodo balanço patrimonial
  • Forma. Essência sobre a forma e sua importância
  • Forma. Princípio da essência sobre a forma
  • Fórmulas de registros
  • Função eficaz universal do patrimônio
  • Função patrimonial. Estrutura dos sistemas de funções patrimoniais
  • Função patrimonial. Interação sistemáticas de funções
  • Função. Capacidade e funções requeridas de um patrimônio
  • Funções das contas do plano
  • Funções dos grupos de contas
  • Fundamentos filosóficos contábeis e fatores de julgamento sobre a realidade objetiva
  • Fundamentos filosóficos contábeis relativos à essência do conhecimento
  • Futuro do conhecimento contábil

G

  • Generalidade e modelos de planos de contas
  • Gênese e antiguidade doconhecimento contábil
  • Glossário. Pequeno glossário de contabilidade
  • Grave omissão da lei quanto a fatos potenciais

H

  • Habilitação legal do perito em contabilidade
  • História da perícia contábil no Brasil na primeira metade do século XX
  • História. Gênese e antiguidade do conhecimento contábil

I

  • Identificação dos fatos patrimoniais
  • Imobilização imaterial. Avaliação
  • Imobilização técnica material. Avaliação
  • Importância social e humana da contabilidade
  • Imprensa e progresso da literatura contábil
  • Inadequação. Avaliação contábil
  • Inflação. Lucroe inflação
  • Informação. Princípio para a informação e princípio científico
  • Informação. Princípios da informação como macrorregras
  • Informática e registros contábeis
  • Informática. Livros auxiliares e informática
  • Interação sistemáticas de funções
  • Investimento. Lucro e taxa deretorno do investimento

J

  • Justiça de valor e valor justo

L

  • Laudo e parecer emperícia contábil
  • Laudo pericial. Requisitostécnicos dos anexos
  • Laudos coletivos
  • Laudos e pareceres
  • Legislação contábil. Estrutura doscapitais e legislação contábil
  • Legislação e escrituração contábil
  • Legislação e registros contábeis
  • Lei das sociedadese contabilidade
  • Literatura da contabilidade
  • Livro auxiliar einformática
  • Livro contábil. Exigências na escrituração de livros contábeis
  • Livro de contabilidade. Força probante dos livros de contabilidade
  • Livro principal. Exigências na escrituração de livros principais
  • Livros contábeis
  • Lógica da partida dobrada
  • Lógica. Relações lógicasdo fenômeno patrimonial
  • Lógica. Relações lógicas ssenciais do patrimônio
  • Lucro e inflação
  • Lucro e rédito
  • Lucro e taxa de retorno do investimento
  • Lucro
  • Lucro. Capital, lucro, rédito e fenômeno patrimonial
  • Lucro. Capitalização do lucro e reservas para dividendos
  • Lucro. Conceito
  • Lucro. Doutrinas do lucro
  • Lucro. Especulação e lucro
  • Lucro. Exercício e lucro

M

  • Macrorregra. Princípios da informação como macrorregras
  • Manifestações primitivasdo conhecimento contábil
  • Método de verificaçãopor amostragem
  • Método. Contabilidade
  • Método. Essencialidade e conceito. Método e princípio
  • Metodologia da pesquisa em contabilidade
  • Metodologia emcontabilidade
  • Metodologias e capital próprio
  • Modelos contábeis do lucro
  • Modelos contábeis e futuro do lucro
  • Modelos e generalidade deplanos de contas
  • Moderna doutrina científicado neopatrimonialismo
  • Mundo moderno da contabilidade

N

  • "Não circulante". Expressão
  • Níveis de conhecimento efilosofia científica
  • Norma internacional. Perícia e as ditas normas internacionais de contabilidade
  • Normalização contábil
  • Normalização contábil. Atividade normativa
  • Normalização contábil. Organismos de normalização contábil
  • Normalização contábil. Prática eciência em face das normas
  • Normas brasileiras de contabilidade
  • Normas de auditoria
  • Normas e ciência contábil
  • Normas, valor justo e princípio da prudência
  • Normas. Auditoria

O

  • O financeiro e as informações não financeiras
  • Oportunidade. Princípio da oportunidade
  • Organismos de normalização contábil
  • Origem da partida dobrada
  • Ótica. Empresa e a ótica na observação de seus fenômenos patrimoniais

P

  • Parecer. Laudos e pareceresem perícia contábil
  • Partida dobrada. Evolução sistemáticada escrita e das partidas dobradas
  • Partida dobrada. Lógica
  • Partida dobrada. Origem
  • Partida dobrada. Princípio
  • Patrimônio das células sociais comoobjeto científico da contabilidade
  • Patrimônio e capital como conceitos distintos
  • Patrimônio líquido. Valor
  • Patrimônio. Aspecto particular da observação do fenômeno patrimonial aziendal
  • Patrimônio. Balanço e patrimônio
  • Patrimônio. Capacidade e funçõesrequeridas de um patrimônio
  • Patrimônio. Conceito contábil de patrimônio
  • Patrimônio. Empresa e a ótica na observação de seus fenômenos patrimoniais
  • Patrimônio. Estrutura dos sistemas de funções patrimoniais
  • Patrimônio. Fenômenos erelações patrimoniais
  • Patrimônio. Fenômenos patrimoniais e a azienda
  • Patrimônio. Funções
  • Patrimônio. Relações lógicasessenciais do patrimônio
  • Patrimônio. Sistemas de funções da riqueza patrimonial
  • Pequeno glossário de contabilidade
  • Perda. Fatores diferenciaisentre despesas e perdas
  • Perfil do contador moderno
  • Perícia contábil
  • Perícia contábil. Conceito
  • Perícia contábil. Conceito dequesito em perícia contábil
  • Perícia contábil. Conceitos básicos emperícia contábil e perfil do perito
  • Perícia contábil. Ética
  • Perícia contábil. Laudos e pareceres em perícia contábil
  • Perícia e as ditas normas internacionais de contabilidade
  • Perícia. Capacidade profissional
  • Perícia. Finalidades das perícias
  • Perícia. Habilitação legal doperito em contabilidade
  • Perícia. Quesitospericiais
  • Perito. Conceitos básicos em perícia contábil e perfil do perito
  • Perito. Cultura técnica e geral
  • Perito. Experiênciaprofissional
  • Pesquisa. Metodologia da pesquisa em contabilidade
  • Plano de contas dasgrandes empresas
  • Plano de contas. Classificaçãocontábil e plano de contas
  • Plano de contas. Composição do plano de contas
  • Plano de contas. Demonstrações contábeis
  • Plano de contas. Elementos de plano de contas
  • Plano de contas. Escrituração contábil e planos de contas
  • Plano de contas. Registro dos fatos patrimoniais. Diário e razão
  • Plano de trabalho do auditor
  • Plano geral de contas de empresa comercial
  • Plano padrão de contas. Comércio
  • Potencialidadepatrimonial
  • Potencialidade patrimonial. Classe
  • Potencialidade patrimonial. Registro contábil das potencialidades
  • Prática e ciência emface das normas
  • Princípio da competência
  • Princípio da continuidade
  • Princípio da entidade
  • Princípio da essência sobre a forma
  • Princípio da oportunidade
  • Princípio da partida dobrada
  • Princípio daprudência
  • Princípio do registropelo valor original
  • Princípio para a informação e princípio científico
  • Princípio. Essencialidade e conceito. Método e princípio
  • Princípios da informaçãocomo macrorregras
  • Princípios de contabilidadeconsagrados no Brasil
  • Princípios de contabilidade
  • Princípios de contabilidade
  • Probabilidade de ocorrência de fatos
  • Procedimento. Escrita contábil comoagregado de procedimentos
  • Profissão. Capacidade profissional
  • Profissão. Escrituração contábil e prática profissional
  • Profissão. Perito. Experiência profissional
  • Progresso. Imprensa e progresso da literatura contábil
  • Prólogo nos laudos
  • Proposições lógicas eteorias contábeis
  • Prosperidade e definhamento
  • Prosperidade e definhamento
  • Protótipo origináriode um balanço
  • Prova. Força probante doslivros de contabilidade
  • Prudência. Princípioda prudência

Q

  • Qualidade como fator de lucratividade
  • Quantidade dos meios patrimoniais e margem de resultados dos empreendimentos
  • Quesitos periciais

R

  • Razão. Registro dos fatos patrimoniais. Diário e razão
  • Razões científicasda contabilidade
  • Receita extraordináriaou não operacional
  • Receita técnica ou operacional
  • Receita
  • Receita. Conceito
  • Rédito e lucro
  • Rédito. Capital, lucro, rédito e fenômeno patrimonial
  • Referências
  • Registro contábil daspotencialidades
  • Registro contábil. Classificação dos fatos patrimoniais. Início da forma contábil de registros
  • Registro contábil. Documentos ou fato identificável. Início dos procedimentos
  • Registro contábil. Informática e registros contábeis
  • Registro contábil. Rotina dos registros contábeis
  • Registro do valor original. Princípiodo registro pelo valor original
  • Registro dos fatos e SPED
  • Registro. Legislação e registros contábeis
  • Registro. Valor dos registros
  • Relação patrimonial. Fenômenose relações patrimoniais
  • Relações lógicas dofenômeno patrimonial
  • Relações lógicas essenciais do patrimônio
  • Relações lógicas no fenômeno dos custos
  • Relevância da continuidade eprosperidade das empresas
  • Requisitos técnicos de umlaudo pericial contábil
  • Reserva. Capitalização do lucro ereservas para dividendos
  • Resistências ao trabalho de resposta aos quesitos
  • Resultado bruto. Apuraçãodo resultado bruto
  • Resultado líquido. Apuraçãodo resultado líquido
  • Resultado potencial
  • Resultado. Destinodo resultado
  • Resultado. Elementos adicionaisda apuração de resultados
  • Resultado. Sistemade resultados
  • Roma antiga. Escrita contábil na Roma antiga
  • Rotina dos registros contábeis
  • Rotina e exercíciodo balanço

S

  • Sistema de resultados
  • Sistema patrimonial. Temporalidade nos sistemas patrimoniais
  • Sistemas de funções dariqueza patrimonial
  • Sociedade. Lei das sociedades e contabilidade
  • Sumário de um elenco de contas
  • Suméria. Escrita contábil na Suméria

T

  • Taxa de retorno do investimento e lucro
  • Temporalidade nos sistemas patrimoniais
  • Temporalidade operacional e lucratividade
  • Teorema da proporcionalidade como base na construção da estrutura de modelos contábeis
  • Teoria do equilíbrio evariação do capital
  • Teoria do valor em contabilidade
  • Tradição e realidade doregime financeiro
  • Tratado. Contabilidade. Antigos Tratados

U

  • Utilidade do conhecimento contábil

V

  • Valor de patrimônio líquido
  • Valor do conteúdo nas proposições lógicas contábeis
  • Valor dos registros
  • Valor em contabilidade. Conceito
  • Valor em contabilidade. Teoria
  • Valor justo
  • Variação e constância da eficácia
  • Variações do capital próprio ea prosperidade das empresas
  • Variações do conceito de D'Áuria

Recomendações

Capa do livro: Introdução à Moderna Contabilidade Geral, Rodrigo Antonio Chaves da Silva

Introdução à Moderna Contabilidade Geral

 Rodrigo Antonio Chaves da SilvaISBN: 978853623799-2Páginas: 252Publicado em: 03/07/2012

Versão impressa

R$ 77,70Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Gestão Financeira Fácil, Anélio Berti

Gestão Financeira Fácil

 Anélio BertiISBN: 978853624486-0Páginas: 268Publicado em: 19/12/2013

Versão impressa

R$ 79,90Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Dinâmica Empresarial & Consultoria de Gestão, Rodrigo Antonio Chaves da Silva

Dinâmica Empresarial & Consultoria de Gestão

 Rodrigo Antonio Chaves da SilvaISBN: 978853624620-8Páginas: 316Publicado em: 17/04/2014

Versão impressa

R$ 94,70Adicionar ao
carrinho