Contabilidade Superior e Consultoria Empresarial

Rodrigo Antonio Chaves da Silva

Versão impressa

por R$ 299,90em 6x de R$ 49,98Adicionar ao carrinho

Ficha técnica

Autor(es): Rodrigo Antonio Chaves da Silva

ISBN: 978853627483-6

Acabamento: Capa Dura

Número de páginas: 888

Publicado em: 12/12/2017

Área(s): Contabilidade - Contabilidade Geral Aplicada

Sinopse

A presente obra realmente é um manual de contabilidade em afinada teoria e prática, com um caráter doutrinário e avançado de raro em­preendimento nos dias de hoje, alcançando o nível das maiores obras de contabilidade brasileiras e internacionais, no estilo dos maiores cientistas de nossa nação como D`auria, Herrmann Júnior, Franco e Lopes de Sá.

O texto é escrito de modo simples e didático, todavia, também técnico, traçando os principais pontos da visão avançada contábil aplicada nas empresas, por predileção nos comércios, pois nestes temos a visão da empresa tradicional como mais evidente.

É dividida em três partes. Na primeira apresenta-se uma introdução, des­de o início da história da contabilidade empresarial e comercial até os conceitos, as bases científicas e técnicas desta ciência. Na segunda, todo o panorama de levantamento, com lançamentos simples e complexos, a tradução de fenômenos patrimoniais específicos a serem registrados, para compor a demonstração contábil. E por fim o setor da análise con­tábil e consultoria com temas especiais e imprescindíveis, além dos cál­culos tradicionais financeiros e lucrativos, estudos sobre os ciclos, apre­sentação de análises de participações e investimentos, capacidade de endividamento, liquidez dinâmica, projeções e análise de orçamentos entre outros.

É mais uma obra prima do autor, professor Rodrigo Antonio Chaves da Silva, que se aproxima das maiores obras do mundo, aquelas que mar­cam a literatura como verdadeiras enciclopédias; por tal representa um trabalho muito singular na literatura existente até então da contabili­dade, chegando nas visões dos grandes mestres.

Obra fundamental para contadores, administradores, economistas, advogados, para profissionais de outros setores correlatos, para inves­tigadores e pesquisadores, e para todos os empresários que queiram conhecer a contabilidade e consultoria empresarial superior.

Autor(es)

RODRIGO ANTONIO CHAVES DA SILVA

Especialista em Gestão Econômica. Bacharel em Contabilidade. Profissional de Análise e Consultoria, exercendo o cargo de Perito desde a sua formatura, cadastrado ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Ganhador de prêmios internacionais e nacionais de contabilidade. Participou de importantes Congressos Internacionais, como o Simpósio Internacional das Fronteiras do Conhecimento Contábil (Peru) e o Congresso dos Técnicos Oficiais de Contas em Lisboa (2015), com artigos aceitos nos Congressos Mundiais de História da Contabilidade Ballarat, Austrália; de Contabilidade Pública em Setúbal, Portugal; e Congresso Ibero-Americano de Contabilidade em Valência, na Espanha. Membro da Associação Científica Internacional Neopatrimonialista – ACIN. Membro do clube de Balanced Scorecard da Argentina. Imortal da Academia de Ciências, Letras e Artes de Manhuaçu/MG e Academia Mineira de Ciências Contábeis.

Sumário

INTRODUÇÃO E ADVERTÊNCIA, p. 29

Parte I - INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DO PATRIMÔNIO E À CONTABILIDADE COMERCIAL-EMPRESARIAL, p. 33

Capítulo 1 - A HISTÓRIA DO COMÉRCIO, p. 35

1.1 A Primeira Grande Metrópole Comercial, p. 36

1.2 A Moeda e a Comercialização (Desenvolvimento), p. 38

1.3 Idade Média, Moderna, os Livros Comerciais Contabilísticos, e a Prática Comercial, p. 40

1.4 A Contabilidade Comercial no Brasil, p. 42

1.5 A Contabilidade Comercial e Empresarial na Atualidade, p. 44

Capítulo 2 - O QUE É O COMÉRCIO, p. 47

2.1 Os Fenômenos no Comércio, p. 48

2.2 As Ações ou Atividades Comerciais, p. 50

2.3 O Contrato e a Formação Jurídica de um Comércio, p. 52

2.4 Sociedade, Azienda, Organização Comercial, p. 60

Capítulo 3 - O PATRIMÔNIO GERAL - CONCEITOS E PRINCIPAIS OBSERVAÇÕES, p. 63

3.1 O Patrimônio como Conjunto, p. 66

3.2 A Divisão do Patrimônio: Ativo e Atividade, Passivo e Passividade, Aplicações e Origens de Recursos, p. 68

3.3 O Patrimônio no Aspecto Qualitativo, p. 70

3.4 O Patrimônio no Aspecto Quantitativo, p. 71

3.5 Os Grupos do Patrimônio, p. 73

3.6 Visão Global do Patrimônio, p. 76

3.7 Capital e Patrimônio (Principais Diferenças), p. 77

3.8 As Ciências que Estudam o Patrimônio, p. 78

3.9 Por Que a Contabilidade Estuda o Patrimônio?, p. 81

Capítulo 4 - O PATRIMÔNIO E A CONTABILIDADE EMPRESARIAL, p. 83

4.1 O Comércio em Geral e o Desenvolvimento da Contabilidade, p. 83

4.2 O Patrimônio de um Comércio, p. 85

4.3 A Característica Patrimonial de um Comércio, p. 86

4.4 Aplicabilidades da Contabilidade Comercial-Empresarial, p. 88

4.5 Principais Objetivos e Interesses da Contabilidade Empresarial-Comercial e o Profissional Contábil, p. 90

Capítulo 5 - OS GRUPOS PATRIMONIAIS, p. 93

5.1 Breve Premissa, p. 93

5.2 O Ativo Circulante: Suas Características e Principais Aspectos, p. 94

5.3 O Ativo Permanente ou Imobilizado da Empresa, p. 95

5.4 O Passivo Circulante e Seus Principais Elementos, p. 98

5.5 O Patrimônio Líquido, Situação Líquida ou Capital Próprio, p. 100

5.6 O Patrimônio é um Complexo, p. 101

Capítulo 6 - OS FENÔMENOS EMPRESARIAIS, p. 103

6.1 Os Recebimentos, Pagamentos, Entradas e Saídas Financeiras, p. 105

6.2 O Crediário e o Lastro dos Prazos a Serem Recebidos, p. 107

6.3 As Imobilizações Comerciais ou Financeiras, p. 110

6.4 A Estrutura do Endividamento, p. 113

6.5 A Capitalização e o Patrimônio Líquido, p. 114

6.6 Vendas, e Mercadilização das Mercadorias, p. 115

6.7 Os Custos, Despesas, e Eficiência Geral, p. 117

6.8 O Lucros, Resultados e Formas de Distribuição, p. 118

6.9 Outra Representação Patrimonial: a Fenomenológica, p. 119

Capítulo 7 - A ESTRUTURA PATRIMONIAL EMPRESARIAL, p. 121

7.1 A Estrutura Estática Média de um Comércio, p. 122

7.2 A Estática Patrimonial das Empresas Mercantis Segundo as Pesquisas, p. 123

7.3 Qual é a Estática Ideal?, p. 128

Capítulo 8 - A ESTRUTURA DINÂMICA DE UMA EMPRESA, p. 131

8.1 O Coração da Empresa no Seu Caixa, e a Sua Energia no Capital Próprio, p. 132

8.2 A Variação Circulatória do Patrimônio, p. 134

8.3 As Origens e Aplicações dos Investimentos e Financiamentos, Estrutura Dinâmica do Ativo e Passivo, p. 138

8.4 A Variação Reditual do Patrimônio: Estrutura de Recuperações e Investimentos Técnicos, p. 140

8.5 A Variação Dinâmica Geral e Sua Estrutura, p. 143

8.6 Visão Superficial e Relevativa, p. 143

Parte II - RELEVAÇÃO, LEVANTAMENTO E CONTABILIDADE EMPRESARIAL, p. 145

Capítulo 1 - A ESCRITURAÇÃO E O PATRIMÔNIO, p. 147

1.1 Para Que Serve a Escrituração?, p. 148

1.2 O Conceito de Alguns Autores Sobre a Escrituração, p. 149

1.3 Escrituração como Instrumento, p. 154

1.4 Escrituração e Poder Probante, p. 155

1.5 Escrita Fiscal, p. 155

1.6 O Patrimônio e a Escrita, p. 156

1.7 Escrituração e Explicação Patrimonial, p. 157

Capítulo 2 - A CONTA, p. 159

Capítulo 3 - O DÉBITO E O CRÉDITO, p. 163

3.1 O Raciocínio do Débito e do Crédito, p. 164

3.2 O Débito e Crédito e a Modernidade, p. 167

3.3 Fórmulas de Lançamentos, p. 168

3.4 Visão Gráfica do Débito, do Crédito, e Patrimônio, p. 168

Capítulo 4 - CONTABILIDADE E TÉCNICA DE ESCRITURAÇÃO, p. 171

4.1 A Escrituração, p. 172

4.2 Normas e Técnicas de Escrituração, p. 173

4.3 A Classificação dos Fenômenos, p. 174

4.4 Prática de Escrituração, p. 177

Capítulo 5 - QUALIDADE TÉCNICA E VALOR JURÍDICO DA ESCRITA CONTÁBIL, p. 181

5.1 O Caráter Jurídico da Escrita Comercial ou Contábil para os Clientes como uma Prestação de Serviços, p. 182

5.2 O Caráter de Valor Jurídico do Trabalho Informativo do Contabilista, p. 184

5.3 A Obrigatoriedade da Escrita Comercial e do Uso de Livros Contábeis pelo Direito, p. 186

5.4 A Escrita Comercial como Atestado de Liquidação de Dívida para com o Estado, p. 188

5.5 A Escrituração como Prova Pericial Contábil, p. 189

5.6 Penalidades para a Ausência de Escrituração Contábil e Comercial Verídica, e Fraudes da Informação, p. 190

5.7 O Valor da Escrituração Segundo os Princípios de Contabilidade e Normas Técnicas, p. 192

Capítulo 6 - O SENTIDO DE BALANÇO, E AS DEMONSTRAÇÕES PRINCIPAIS, p. 195

6.1 A Terminologia ´Balanço´, p. 196

6.2 Conceito de Balanço, p. 197

6.3 Os Balanços, p. 198

6.4 As Formas Científicas e Essenciais de Demonstração do Balanço, p. 200

6.4.1 O balanço financeiro, p. 201

6.4.2 O balanço funcional, p. 201

6.4.3 O balanço no ângulo de produtividade, p. 203

6.4.4 Critérios mistos, p. 204

6.5 O Balanço Brasileiro, p. 204

6.6 Exemplo de Balanço Brasileiro (em Resumo), p. 211

6.7 O Balanço Reditual, p. 212

6.8 Os Balanços Complementares (ou Demonstrações Auxiliares) em Simples Apresentação, p. 213

6.9 Prévias para Se Ter o Balanço, p. 219

Capítulo 7 - O PLANO DE CONTAS E A DISPOSIÇÃO DO BALANÇO COMERCIAL-EMPRESARIAL, p. 221

7.1 Premissa Básica, p. 221

7.2 O Conceito de Plano de Contas, p. 222

7.3 Divisão Básica do Plano de Contas, p. 223

7.4 A Estrutura do Plano de Contas e do Balanço, p. 224

7.5 O Esboço do Planejamento de Contas, p. 230

7.6 Função das Contas de uma Empresa Comercial, p. 232

7.7 Funcionamento das Contas de uma Empresa Comercial, p. 242

7.8 Raciocínio do Esboço do Plano de Contas, p. 252

Capítulo 8 - OS REGISTROS DOS FENÔMENOS COMERCIAIS E PATRIMONIAIS, p. 253

8.1 Problema e Sua Colocação, p. 253

8.2 Os Fenômenos Comerciais, Patrimoniais e o Seu Registro, p. 254

8.3 O Registro das Operações, p. 255

Capítulo 9 - A PRIMEIRA OPERAÇÃO: A FORMAÇÃO DO CAPITAL SOCIAL, DO ATIVO E A ABERTURA DA EMPRESA, p. 259

9.1 O Capital Social e a Abertura de Empresa, p. 259

9.2 Do que Pode Ser Formado o Capital Social, p. 259

9.3 Formas de Contabilização, p. 260

9.4 Uma Forma mais Completa e Complexa, p. 262

9.5 Uma Outra Forma Simplíssima, p. 264

9.6 Visualização Patrimonial do Capital de Funcionamento em Instalação, p. 264

9.7 Casos de Distratos Sociais, p. 266

9.8 Variedade da Conta Capital, p. 267

Capítulo 10 - COMPRA E VENDA DE MERCADORIAS - PRINCIPAIS OPERAÇÕES COMERCIAIS, p. 269

10.1 Compra de Mercadorias e Seus Principais Aspectos, p. 269

10.1.1 Lançamentos assimiláveis das compras, p. 269

10.2 Vendas de Mercadorias, p. 270

10.2.1 Registros das vendas de mercadorias, p. 271

Capítulo 11 - OS RECEBIMENTOS E PAGAMENTOS E A OPERAÇÃO FINANCEIRA, p. 273

11.1 Os Recebimentos e Pagamentos, p. 273

11.2 O Registro dos Recebimentos, p. 274

11.3 O Registro dos Pagamentos, p. 274

Capítulo 12 - OPERAÇÕES COM DISPONIBILIDADES, p. 277

12.1 A Estrutura Qualitativa dos Disponíveis, p. 277

12.2 Raciocínio para o Lançamento dos Disponíveis, p. 277

12.3 Registros com Bancos, p. 278

12.4 Registros com Aplicações, p. 279

12.5 Operações com Outros Bens Disponíveis, p. 281

Capítulo 13 - DESCONTOS E JUROS, p. 283

13.1 Introdução Sobre o Desconto, p. 283

13.1.1 Os descontos obtidos, p. 284

13.1.2 Descontos concedidos, p. 285

13.2 As Operações que Envolvem Juros Ativos e Passivos, ou Receitas e Despesas de Juros, p. 287

13.2.1 Juros passivos, p. 288

13.2.2 Juros ativos, p. 289

Capítulo 14 - AQUISIÇÕES PATRIMONIAIS, p. 291

14.1 Premissa, p. 291

14.2 Registros das Aquisições ou Investimentos Permanentes, p. 292

Capítulo 15 - PAGAMENTO DE DESPESAS E OUTRAS OBRIGAÇÕES, p. 297

15.1 Conceito de Despesa, Obrigação e Pagamento, p. 297

15.2 Tipos de Despesas e Dívidas, p. 298

Capítulo 16 - O CUSTO DAS MERCADORIAS COMERCIAIS, p. 301

16.1 Fórmula do Custo das Mercadorias Vendidas (CMV), p. 302

16.1.1 Lançamentos do custo pela conta mista (mercadorias), p. 303

16.1.2 Lançamento do custo de mercadorias pela conta desdobrada, p. 304

Capítulo 17 - O RESULTADO DA CONTA MERCADORIAS, p. 309

17.1 Introdução e Noções Sobre o Resultado da Conta Mercadorias, p. 309

17.2 Uso do Resultado da Conta Mercadorias (RCM) no Processo Misto, p. 310

17.3 A Apuração do Resultado da Conta Mercadorias com o Uso do Sistema Desdobrado, p. 311

17.4 O Uso do RCM em Casos de Prejuízo, p. 314

17.5 Considerações Finais Sobre o RCM, p. 315

Capítulo 18 - A APURAÇÃO DO ICMS, OU IMPOSTOS DERIVADOS DAS NEGOCIAÇÕES DE COMPRA E VENDA, p. 317

18.1 Capítulo Introdutório Prévio, p. 317

18.2 Outros Aspectos dos Impostos Não Cumulativos ou ICMS, p. 318

18.3 Apuração do Imposto Não Cumulativo pela Conta ´ICMS a Recuperar´, p. 318

18.3.1 Destinação do ICMS para pagamento, recuperação ou compensação tributária, p. 321

18.4 Apuração do Imposto Não Cumulativo pela Conta ´ICMS a Recolher´, p. 322

18.5 Usando a Teoria Dualista, em Contas Diferentes, ou Contas Próprias de Apuração do Imposto Não Cumulativo, p. 324

18.6 Considerações Finais Sobre a Apuração do ICMS ou Imposto Não Cumulativo, p. 326

Capítulo 19 - OPERAÇÕES COM DESCONTOS DE DUPLICATAS, p. 329

19.1 Premissa Básica, p. 329

19.2 O Desconto de Títulos, p. 330

19.3 Casos de Não Recebimento dos Títulos Endossados, p. 332

19.4 Interpretações Sobre o Comportamento dos Descontos de Títulos, p. 335

Capítulo 20 - AS OPERAÇÕES COM TÍTULOS CAUCIONADOS, p. 337

20.1 Introdução aos Títulos Caucionados, p. 337

20.2 Tratamento Contabilístico dos Títulos Caucionados, p. 338

Capítulo 21 - OPERAÇÕES COM TÍTULOS EM COBRANÇA, p. 343

21.1 Tratamento e Contabilização, p. 344

21.2 Efeitos da Cobrança dos Títulos nas Vendas, p. 348

Capítulo 22 - DEVOLUÇÃO DE VENDAS E COMPRAS, p. 349

22.1 Premissas Brevíssimas Sobre a Devolução de Vendas, p. 349

22.2 Contabilização dos Abatimentos, p. 349

22.3 Casos de Reconhecimento das Vendas e Possíveis Abatimentos, p. 350

22.4 Explicações Sobre o Reconhecimento do Abatimento, ou das Vendas, p. 351

22.5 Devolução de Compras e Compras Anuladas ou Canceladas, p. 352

22.6 Reconhecimento das Compras, p. 353

Capítulo 23 - CONTRATOS DE COMPRAS E VENDAS, p. 355

Capítulo 24 - REGISTROS DE DESPESAS A SEREM CONTABILIZADAS PELA COMPETÊNCIA DOS FATOS, p. 359

24.1 O Que é o Princípio da Competência, p. 359

24.2 A Contabilização da Competência dos Exercícios, p. 360

24.3 Explicações Sobre o Princípio da Competência, p. 363

Capítulo 25 - A CONTABILIZAÇÃO POR COMPETÊNCIA DOS TRIBUTOS RELATIVOS À RECEITA DE VENDAS, p. 365

25.1 Incidências dos Tributos Relativos à Receita Obtida, p. 366

25.2 Lançamentos e Registros desses Tributos, p. 367

Capítulo 26 - OS REGISTROS DAS FOLHAS DE PAGAMENTOS OU DOS SALÁRIOS E ORDENADOS A SEREM MENSURADOS E EXTRAÍDOS COMO ELEMENTOS DO PASSIVO, p. 369

26.1 Premissas Básicas, p. 369

26.2 O Empregado Registrado, p. 370

26.3 O FGTS e o INSS, p. 370

26.4 O Décimo Terceiro e as Férias, p. 371

26.5 Lançamentos Gerais Sobre a Folha de Pagamento, p. 372

26.5.1 As regras práticas de registro, p. 373

26.6 Outros Fatores Importantes para a Concepção de Dívidas com os Salários, p. 375

26.6.1 A rescisão contratual, p. 375

26.6.2 Adicional noturno, p. 377

26.6.3 As horas-extras, p. 378

26.6.4 O aviso prévio, p. 378

26.6.5 O adicional insalubridade, p. 379

26.6.6 O adicional periculosidade, p. 379

26.7 Folha de Pagamento Provento, e Contabilização dos Gastos, p. 380

Capítulo 27 - LANÇAMENTOS DOS FENÔMENOS DE DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO E EXAUSTÃO, p. 381

27.1 Premissa e Introdução, p. 381

27.2 Os Métodos de Cálculo, p. 381

27.3 Formas para os Critérios de Depreciação, Amortização, e Exaustão, p. 382

27.4 Quotas para o Uso na Depreciação, p. 383

27.5 Uso de Cálculos para Exaustão e Amortização, p. 384

27.6 O Gerenciamento e Produção de Fundos na Mecânica Contabilística, p. 384

Capítulo 28 - AS CONTABILIZAÇÕES DAS PROVISÕES, p. 387

28.1 A Natureza das Provisões, p. 387

28.2 As Provisões como Deduções do Capital Realizável: Créditos de Funcionamento, p. 388

28.3 Provisão para os Estoques, p. 389

28.4 O Provisionamento com os Investimentos e Outros Bens (Numerários), p. 390

28.5 Tratamento para Contabilização em Contas do Passivo, p. 391

28.6 Outras Provisões, p. 394

Capítulo 29 - A CONTABILIZAÇÃO DAS RESERVAS, p. 395

29.1 A Contabilização de Reservas, p. 395

29.2 As Reservas de Reavaliação, p. 396

29.3 O Problema dos Ajustes de Avaliação, p. 397

29.4 O Destino das Reservas, p. 398

Capítulo 30 - CONTABILIZAÇÃO DE SEGUROS, PRÊMIOS, E OUTRAS DESPESAS ANTECIPADAS, p. 399

30.1 Breve Introdução, p. 399

30.2 O Tratamento e Contabilização, p. 399

Capítulo 31 - OS PROBLEMAS LIGADOS ÀS ANTECIPAÇÕES DE RECEITAS E DESPESAS, p. 401

31.1 Os Adiantamentos e as Antecipações em Breves Premissas, p. 401

31.2 A Contabilização dos Adiantamentos e Antecipações, p. 402

31.3 Conclusões das Antecipações e dos Adiantamentos, p. 403

Capítulo 32 - ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO E A APURAÇÃO DO RESULTADO, p. 405

32.1 O Que é Apuração do Resultado, p. 405

32.2 A Apuração do Resultado, p. 405

32.3 Fechamento das Contas de Despesas e Custos, p. 406

32.4 Fechamento das Contas de Receita, p. 408

32.5 O Resultado do Exercício, p. 409

Capítulo 33 - O BALANCETE DE VERIFICAÇÃO, p. 413

33.1 O Balancete de Verificação, p. 413

33.2 Escrituração Comercial, e o Transporte nos Razonetes ou Razões Simplificados, p. 414

33.3 Um Outro Balancete Mais Simples, p. 418

Capítulo 34 - CONCLUSÃO SOBRE OS REGISTROS DAS OPERAÇÕES FENOMÊNICAS, p. 423

Parte III - ANÁLISE CONTÁBIL E CONSULTORIA EMPRESARIAL, p. 427

Capítulo 1 - O ESTUDO PATRIMONIAL DOS BALANÇOS, p. 429

1.1 Peças de Contabilidade e Limites da Informação, p. 429

1.2 A Análise e Sua Essência, p. 430

1.3 As Essências Fenomenológicas a Serem Estudadas, p. 431

1.4 As Informações, a Análise Comercial-Empresarial, e a Sua Aplicação, p. 432

1.5 As Demonstrações a Serem Utilizadas, p. 434

Capítulo 2 - MÉTODOS DE ANÁLISE DA CONTABILIDADE, p. 441

2.1 Premissa Sobre Métodos e Análise Contábil, p. 441

2.2 Coeficiente, p. 443

2.3 Números - Índices, p. 444

2.4 Quocientes, p. 446

2.5 Identidades, p. 447

2.6 O Uso de Matrizes, p. 448

Capítulo 3 - A ESTRUTURA PATRIMONIAL DA EMPRESA, p. 451

3.1 A Estrutura Proporcional do Ativo Circulante, p. 453

3.2 A Estrutura do Ativo Permanente, p. 454

3.3 A Estrutura do Passivo Circulante, p. 456

3.4 A Estrutura do Patrimônio Líquido, p. 457

3.5 A Estrutura Geral do Ativo e Passivo Total, p. 459

3.6 Comparação das Estruturas, p. 461

3.7 Resumo dos Coeficientes, p. 462

3.8 Conclusões Sobre os Coeficientes Patrimoniais, p. 464

Capítulo 4 - A ESTRUTURA OPERACIONAL OU REDITUAL, p. 465

4.1 Os Coeficientes da Estrutura Reditual, p. 466

4.2 Comparação dos Coeficientes Durante os Exercícios, p. 469

4.3 Os Coeficientes de Abatimentos e Deduções, p. 470

4.4 As Despesas Operacionais, p. 471

4.5 As Provisões e Participações, p. 473

4.6 A Proporção e Estrutura do CMV, p. 475

4.7 Conclusões Sobre os Coeficientes Redituais, p. 476

Capítulo 5 - A EVOLUÇÃO DA ESTRUTURA PATRIMONIAL NO TEMPO, p. 479

5.1 Premissa e Discurso Introdutório Elementar, p. 479

5.2 Índices de Grupos do Conjunto Patrimonial, p. 480

5.3 A Evolução da Estrutura Patrimonial em Base Móvel, p. 483

5.4 Resumo da Evolução Patrimonial em Base Fixa e Móvel, p. 486

5.5 Conclusões Sobre os Índices Patrimoniais de Base Fixa e Móvel, p. 489

Capítulo 6 - EVOLUÇÃO DA ESTRUTURA REDITUAL NO TEMPO, p. 491

6.1 Evolução Reditual com Índices de Base Fixa, p. 492

6.2 Evolução Reditual dos Índices em Base Móvel, p. 495

Capítulo 7 - EVOLUÇÃO DOS COEFICIENTES PATRIMONIAIS E REDITUAIS, p. 499

7.1 Premissa Sobre a Evolução dos Coeficientes, p. 499

7.2 Índices dos Coeficientes Redituais, p. 500

7.3 Uso dos Índices em Coeficientes Patrimoniais, p. 502

7.4 Comparação Geral dos Grupos da Estrutura Patrimonial, p. 504

7.5 Índices dos Coeficientes Patrimoniais Gerais, p. 505

7.6 Conclusões dos Coeficientes e Índices Redituais e Patrimoniais, p. 509

Capítulo 8 - ANÁLISE DAS FINANÇAS ESTÁTICAS E LIQUIDEZ COMUM NA EMPRESA, p. 513

8.1 O Que é a Liquidez, p. 513

8.2 Premissa Básica Sobre a Característica da Estática Financeira, p. 514

8.3 Verificação da Estrutura Financeira do Patrimônio, p. 515

8.4 A Razão para o Cálculo, p. 516

8.5 A Liquidez Geral e Comum, e Premissas Sobre a Importância dos Quocientes, p. 518

8.6 A Liquidez Comum, p. 519

8.7 A Liquidez Seca, p. 520

8.8 A Liquidez Imediata, p. 521

8.9 A Liquidez Geral, p. 521

8.10 Um Diagnóstico Estático-Financeiro Conveniente, p. 522

8.11 Uma Liquidez Deficiente, p. 525

Capítulo 9 - ESTUDO E ANÁLISE DAS IMOBILIZAÇÕES EMPRESARIAIS, p. 527

9.1 O Sentido das Imobilizações nas Aziendas Comerciais, p. 527

9.2 A Importância da Imobilização no Comércio e o Sentido para Imobilizar, p. 528

9.3 As Características do Imobilizado, p. 530

9.4 Meios de Análise, p. 530

9.5 A Proporção do Imobilizado, a Sua Natureza Operacional e Extraoperacional, p. 531

9.5.1 O ativo operacional e o extraoperacional, p. 534

9.6 A Imobilização dos Bens e Créditos Realizáveis, p. 536

9.7 As Imobilizações e o Endividamento, p. 538

9.8 A Imobilização do Capital Próprio, p. 541

9.9 A Imobilização das Vendas, p. 543

9.10 Conclusões Sobre as Imobilizações, p. 545

Capítulo 10 - OS QUOCIENTES DE GIRO OU RENOVAÇÃO DOS ELEMENTOS, p. 549

10.1 O Giro dos Estoques, p. 552

10.2 O Giro dos Créditos, p. 558

10.3 O Giro do Caixa ou dos Disponíveis, p. 562

10.4 O Giro dos Fornecedores, p. 566

10.5 O Giro dos Empréstimos, p. 570

10.6 O Giro das Demais Contas a Pagar, p. 572

10.7 Giro do Imobilizado, p. 577

10.8 Giro do Capital Próprio, p. 578

10.9 Giro Total do Ativo em Relação ao Giro Total do Passivo, p. 580

10.10 Conclusões Sobre o Cálculo de Giro ou Renovação dos Elementos, p. 584

Capítulo 11 - O CICLO DA ATIVIDADE FINANCEIRA, E CICLO DO CAPITAL DURÁVEL, p. 589

11.1 Premissa Básica, p. 589

11.2 Ciclo da Atividade Financeira e Liquidez Dinâmica, p. 590

11.3 Fórmula do Ciclo da Atividade Financeira, p. 591

11.4 Aplicação da Fórmula do Ciclo de Atividade Financeira Considerando no Ciclo de Pagamento Apenas os Fornecedores, p. 592

11.5 Aplicação da Fórmula do Ciclo de Atividade Financeira Considerando no Ciclo de Pagamento os Prazos dos Fornecedores e Empréstimos, p. 594

11.6 Aplicação da Fórmula do Ciclo de Atividade Financeira Considerando no Ciclo de Pagamento Todas as Dívidas, p. 598

11.7 O Ciclo do Capital Durável, p. 601

11.8 Conclusão Sobre o Ciclo da Atividade Financeira, e do Capital Durável, p. 607

Capítulo 12 - A PARTICIPAÇÃO DOS INVESTIMENTOS DA ESTRUTURA DO PATRIMÔNIO, p. 611

12.1 O Que é Participação, p. 611

12.2 Os Quocientes de Participação, p. 611

12.3 A Participação do Ativo Circulante nas Imobilizações, p. 612

12.4 A Participação do Realizável nas Imobilizações, p. 613

12.5 Análise da Participação do Realizável a Longo Prazo no Ativo Circulante, p. 615

12.6 Conclusões Importantes Sobre a Participação do Ativo, p. 617

Capítulo 13 - ANÁLISE DOS INVESTIMENTOS CREDITÍCIOS E SUA CORRELAÇÃO COM O PASSIVO DE CRÉDITO, p. 619

13.1 Premissa Sobre os Investimentos Creditícios, p. 619

13.2 Quociente de Análise do Investimento Creditício e Considerações, p. 620

13.3 A Correlação Creditícia, p. 623

13.4 Quocientes de Correlação Creditícia, p. 623

13.5 Aplicação dos Quocientes de Correlação Creditícia, p. 625

13.6 Conclusões Sobre a Condição e Correlação Creditícia, p. 630

Capítulo 14 - A ANÁLISE DO ENDIVIDAMENTO, p. 633

14.1 O Endividamento, p. 633

14.2 Quocientes de Análise do Endividamento, p. 634

14.3 A Estrutura Proporcional e Participação do Endividamento no Passivo, p. 635

14.4 A Participação do Passivo Circulante, p. 636

14.5 A Participação do Exigível a Longo Prazo, p. 637

14.6 O Perfil do Endividamento, p. 639

14.7 O Endividamento do Ativo Total (Absorção da Solvência), p. 641

14.8 O Endividamento das Vendas, p. 642

14.9 Conclusões Sobre o Endividamento nas Empresas, p. 645

Capítulo 15 - A RENTABILIDADE EMPRESARIAL, p. 649

15.1 Premissa Comum, p. 649

15.2 A Rentabilidade do Capital Próprio, p. 650

15.3 A Rentabilidade dos Disponíveis, p. 653

15.4 A Rentabilidade do Crédito, p. 657

15.5 A Rentabilidade dos Estoques, p. 660

15.6 A Rentabilidade dos Realizáveis a Longo Prazo, p. 661

15.7 A Rentabilidade do Imobilizado, p. 664

15.8 A Rentabilidade das Dívidas, p. 667

15.9 Conclusões e Opções de Comparação da Rentabilidade, p. 671

Capítulo 16 - ANÁLISE DA LUCRATIVIDADE EMPRESARIAL, p. 675

16.1 Os Quocientes de Análise da Lucratividade, p. 677

16.2 A Lucratividade das Vendas, p. 678

16.3 A Lucratividade dos Custos Técnicos de um Comércio ou CMV, p. 679

16.4 A Lucratividade das Despesas Operacionais, p. 680

16.5 A Lucratividade de Outras Receitas, p. 681

16.6 Comparação e Considerações Conclusivas Sobre a Lucratividade, p. 682

Capítulo 17 - O PREÇO DE VENDA, ESTUDOS, E SUA FORMAÇÃO NA EMPRESA, p. 687

17.1 Premissa Sobre o Preço, p. 687

17.2 Os Elementos do Preço, p. 688

17.3 O Método Tradicional de Se Fazer o Preço, p. 691

17.4 O Método Real de Colocação do Preço, p. 693

17.5 Estratégias e Táticas para Conseguir Rendas nos Preços e Produtividade, p. 694

17.5.1 Outras opções a serem escolhidas, p. 699

Capítulo 18 - O RESULTADO DA CONTA MERCADORIAS E O OVERHEAD, p. 701

18.1 Recapitulação Sobre o Resultado da Conta Mercadorias e Exposição do Overhead Comercial-Empresarial, p. 701

18.2 Uma Outra Forma de Observar o Overhead, p. 702

18.3 Uma Rentabilidade na Conta Mercadorias, p. 704

Capítulo 19 - O PONTO DE EQUILÍBRIO EMPRESARIAL EM VALORES MONETÁRIOS, p. 709

19.1 Premissas e Noções Básicas, p. 709

19.2 As Básicas Razões para a Fórmula e o Conhecimento dos Seus Elementos, p. 710

19.3 Aplicação da Fórmula Geral do Ponto-de-Equilíbrio, p. 711

19.3.1 Orçamento do ponto-de-equilíbrio, p. 714

19.3.2 Orçamento de regulação dos elementos analíticos do ponto-de-equilíbrio, p. 716

19.4 O Ponto-de-Equilíbrio de Acordo com o Resultado da Conta Mercadorias (Demonstração), p. 717

19.5 Outros Pontos-de-Equilíbrio Monetários, p. 719

19.5.1 O PE do fluxo de caixa, p. 720

19.5.2 O PE das dívidas ou saídas financeiras compulsórias, p. 722

19.5.3 O PE do reflexo econômico, p. 723

19.5.4 O PE relacionado aos lastros e à ineficiência, p. 724

19.5.5 O PE de desembolsos não financeiros, p. 725

19.5.6 O PE lucrativo, p. 727

19.6 Raciocínio da Fórmula e Orçamentos, p. 728

Capítulo 20 - O PONTO DE EQUILÍBRIO ANALÍTICO EM UNIDADES, E VENDAS PELA MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO, p. 733

20.1 Premissa Útil, p. 733

20.2 O Custo Variável por Unidade, p. 734

20.3 O Custo Fixo e Ponto de Equilíbrio por Unidade, p. 739

20.4 O PE em Unidades de Diversos Produtos (pela Sobra dos Estoques), p. 743

20.5 O PE em Unidades pela MC Geral, p. 744

20.6 O PE Geral Dedutivo Induzido pelos Elementos Singulares do Balanço, p. 745

20.7 O PE pela Margem Média, p. 746

20.8 O Tempo de Consumo da Margem de Contribuição, p. 749

20.9 Diversos Pontos-de-Equilíbrio pela Margem de Contribuição, p. 751

20.9.1 O PE em unidades financeiro e lucrativo, p. 751

20.9.2 O PE pelos preços gerais dos produtos, p. 753

20.9.3 O PE pelas margens dos preços, p. 754

20.9.4 O PE em unidades pela soma da MC de vários produtos, p. 755

20.9.5 O PE pelas compras, p. 756

20.9.6 O PE pelas existências em mercadorias, p. 757

20.9.7 O PE pelas vendas, p. 759

20.9.8 O PE pelos metros quadrados, p. 759

20.9.9 A diversidade de critérios, p. 760

20.10 Conclusões e Orientações para Atingir o PE em Unidades com Mais Facilidade, p. 761

Capítulo 21 - O CREDIÁRIO SUA GESTÃO E CONTROLE DE COMPORTAMENTO, p. 765

21.1 Premissa Básica, p. 765

21.2 Crediário Longo e Curto, p. 766

21.3 A Carteira de Clientes e Sua Análise, p. 766

21.4 Análise do Crediário Longo, p. 769

21.5 Considerações e Comparações do Crédito Curto e Longo, p. 771

21.6 O Crediário e o Crédito Obtido com Fornecedores, p. 773

21.7 As Conclusões e Opções para o Comportamento do Crediário, p. 775

Capítulo 22 - ASPECTOS SUPERIORES DO FENÔMENO DE DESCONTO, p. 777

22.1 Premissa, p. 777

22.2 A Taxa do Desconto Comercial ou por Fora em Relação Àquela por Dentro, p. 778

22.3 O Valor do Desconto por Fora ou Comercial, p. 779

22.4 A Taxa de Desconto Real em Relação ao Tempo e ao Capital, p. 780

22.5 A Descontagem Geral do Patrimônio e Regulação para as Vendas, p. 781

22.6 O Ganho pelo Desconto por Fora Considerando a Taxa de Desconto por Dentro, p. 783

22.7 Comparações para a Análise de Desconto, p. 784

Capítulo 23 - OS EMPRÉSTIMOS E OS FINANCIAMENTOS BANCÁRIOS A SEREM ESTUDADOS PELA CONTABILIDADE NA EMPRESA, p. 787

23.1 Termos de Análise dos Empréstimos, p. 788

23.2 A Fórmula de Empréstimos, e Sua Condição na Liquidez Estática da Empresa, p. 789

23.2.1 Outro caso de empréstimo (segunda hipótese, sugestão ou possibilidade), p. 790

23.3 O Total de Empréstimo por uma Obtenção de Participação, p. 792

23.4 Conclusão dos Empréstimos, p. 793

Capítulo 24 - ANÁLISE DE INVESTIMENTOS, p. 797

24.1 Cálculos Empresariais de Matemática Contábil para a Análise dos Investimentos, p. 798

24.2 Opções Ligadas ao Disponível, p. 798

24.3 Opções para Estoques e Vendas a Prazo, p. 799

24.4 Opções de Investimentos com Relação aos Bens de Rédito, p. 802

24.5 Casos de Leasing ou Aluguel, p. 803

24.6 Opções de Imobilizações, p. 803

24.7 Opções e Escolha de Investimentos, p. 805

Capítulo 25 - A GESTÃO E O COMPORTAMENTO DOS ESTOQUES, p. 807

25.1 O Controle dos Estoques, p. 807

25.2 O Comportamento Proporcional dos Estoques, p. 809

25.3 A Capacidade Reditual e Variativa dos Estoques, p. 812

25.4 O Retorno do Investimento em Estoque no Contexto de Ativo Circulante, p. 815

25.5 Medidas para a Regulação dos Estoques, p. 824

25.5.1 Quanto estocar, p. 825

25.5.2 Quanto comprar, p. 830

25.5.3 Quanto vender, p. 832

25.6 Conclusão e Resumo Sobre a Análise, Controle, e Comportamentalização dos Estoques, p. 835

Capítulo 26 - ANÁLISE DA LIQUIDEZ DINÂMICA E REALIDADE FINANCEIRA, p. 837

26.1 Premissa Histórica, p. 837

26.2 A Análise Financeira Dinâmica, p. 839

26.3 A Fórmula de Liquidez Dinâmica, p. 841

26.4 Aplicação da Fórmula, p. 842

26.4.1 Uso simples da fórmula, p. 844

26.4.2 Aplicação da fórmula considerando mais giros de dívidas, p. 846

26.4.3 Alteração da fórmula para melhoramento de observações em relação às dívidas, p. 848

26.5 Comentários e Relatividade da Fórmula, p. 850

26.6 Gerenciamento da Liquidez Dinâmica e Conclusão, p. 851

Capítulo 27 - ORÇAMENTOLOGIA DA ANÁLISE EMPRESARIAL E FIXAÇÃO DO COMPORTAMENTO PATRIMONIAL, p. 853

27.1 Premissa Básica, p. 853

27.2 Fórmula de Projeção da Demonstração dos Resultados, p. 854

27.3 A Demonstração do Resultado Projetada (Baseada na Estrutura Percentual Passada), p. 854

27.4 O Balanço Patrimonial Projetado, p. 856

27.5 A Análise do Projetado e Efetivo, ou do Orçamento, p. 858

27.6 Efeitos na Consultoria e Gestão, p. 861

27.7 Orçamento e Fim da Consultoria?, p. 862

Capítulo 28 - CONCLUSÃO, p. 863

REFERÊNCIAS, p. 865

Lista de Figuras, p. 63

Figura 1 - O Patrimônio como Conjunto e a Sua Situação no Capital Próprio, p. 63

Figura 2 - A Relação da Liquidez: Raciocínio Geral do Cálculo, p. 517

Figura 3 - A Rotação ou Giro do Ativo Circulante na Empresa Comercial, p. 550

Figura 4 - Os Tipos de Lucratividade e as Relações que Possuem Entre Si, p. 675

Figura 5 - O Ponto de Equilíbrio, p. 709

Lista de Tabelas, p. 69

Tabela 1 ? Visão do Patrimônio no Seu Corpo Geral, p. 69

Tabela 2 ? Visão Qualitativa do Patrimônio, p. 70

Tabela 3 ? O Patrimônio no Aspecto Quantitativo, p. 72

Tabela 4 ? Grupos Patrimoniais Qualitativos e Seus Elementos, p. 73

Tabela 5 ? Grupos Patrimoniais no Aspecto Quantitativo, p. 74

Tabela 6 ? Visão do Patrimônio Qualitativo-Quantitativo, p. 76

Tabela 7 ? O Patrimônio de um Comércio, p. 85

Tabela 8 - Demonstração Fenomenológica, p. 119

Tabela 9 - Estrutura Estática Média da Empresa Comercial Segundo Pesquisas, p. 123

Tabela 10 - Estrutura Média da Empresa Comercial Segundo a Teoria do Equilíbrio de Sá, p. 124

Tabela 11 - Posição Estática Patrimonial dos Comércios Segundo a Pesquisa de Ceccherelli, p. 125

Tabela 12 - Médias Estáticas de Comércios com Perdas Segundo a Pesquisa de Ceccherelli, p. 126

Tabela 13 - Estrutura da Empresa Comercial Segundo a Pesquisa ou Teoria do Equilíbrio, p. 126

Tabela 14 - A Anatomia Patrimonial: o Coração e a Energia da Empresa, p. 133

Tabela 15 ? Balanço: na Sua Parte do Ativo e Passivo Circulatório, p. 135

Tabela 15 A ? Sequência do Balanço: na Sua Parte do Ativo e Passivo Circulatório, p. 136

Tabela 16 - Movimentação Financeira dos Grupos Circulatórios: Variação Circulatória Geral, p. 136

Tabela 17 - Movimentação Financeira dos Grupos Circulatórios: Variação Circulatória Analítica (das Disponibilidades Ordinárias e Imediatas), p. 137

Tabela 18 - Origens e Aplicações de Riquezas, ou Variações do Ativo e Passivo, p. 138

Tabela 19 - Estrutura Dinâmica Reditual, p. 141

Tabela 20 - Figuração de Ativo e Custo com a Natureza Devedora, e Passivo e Receita com a Natureza Credora, p. 168

Tabela 21 - Balanço aos Moldes da Antiga Lei 6.404/1976, p. 204

Tabela 22 - Balanço de Acordo com a Lei 11.638/2007, p. 207

Tabela 23 - Balanço Antes da Medida Provisória 449/2008 e Depois da Lei 11.638/2007, p. 211

Tabela 24 - Balanço Depois da Medida Provisória 449/2008, p. 211

Tabela 25 - O Balanço Reditual: Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), p. 212

Tabela 26 - Demonstração do Fluxo de Caixa, p. 214

Tabela 27 - Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos, p. 215

Tabela 28 - Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido, p. 217

Tabela 29 - A Demonstração dos Lucros e Prejuízos Acumulados, p. 218

Tabela 30 - Demonstração do Valor Adicionado, p. 218

Tabela 31 - Esquema de um Planeamento de Contas, p. 231

Tabela 32 - Plano Geral de Contas, p. 231

Tabela 33 - Raciocínio Geral de Funcionamento e Função das Contas, p. 252

Tabela 34 - O Capital ao Início, na Visão Patrimonial e o Capital Social, p. 260

Tabela 35 - O Patrimônio na Primeira Forma de Escrita (Capital a Realizar a Capital Social), p. 265

Tabela 36 - O Patrimônio na Segunda Forma de Escrita (Capital Subscrito), p. 265

Tabela 37 - O Patrimônio na Terceira Forma de Escrita (Capital Social), p. 265

Tabela 38 - Tributos do Faturamento, p. 366

Tabela 39 - Percentuais Relativos à Tributação do Faturamento, p. 367

Tabela 40 - Alíquotas de FGTS, p. 370

Tabela 41 - Alíquotas de INSS, p. 371

Tabela 42 - Controle e Marcação para Estabelecer a Hora Noturna e o Adicional, p. 377

Tabela 43 - O Balanço de uma Empresa Comercial, p. 414

Tabela 44 - O Equilíbrio Estático Médio nas Empresas Lucrativas Segundo Pesquisa de Ceccherelli, p. 452

Tabela A: Análise Percentual no Primeiro Ano, p. 454

Tabela A1: Estrutura Percentual do Ativo Permanente, p. 456

Tabela A2: A Estrutura do Passivo Circulante, p. 457

Tabela A3: A Estrutura Percentual do Patrimônio Líquido, p. 458

Tabela A4: A Estrutura Geral do Patrimônio, p. 460

Tabela A5: Comparação da Estrutura Geral do Patrimônio, p. 461

Tabela A6: Resumo dos Coeficientes da Empresa Alfa, p. 462

Tabela A7: Resumo dos Coeficientes dos Elementos do Passivo, p. 463

Tabela B: Representação da Estrutura Reditual, p. 468

Tabela B1: O Desempenho Reditual da Empresa Alfa pelos Percentuais, p. 469

Tabela B2: A Proporção Percentual dos Abatimentos e Descontos, p. 471

Tabela B3: A Proporção das Despesas Operacionais, p. 473

Tabela B4: A Proporção dos Elementos Que Compõem o CMV, p. 476

Tabela C: Valores no Tempo da Estrutura Circulante, p. 480

Tabela C1: Evolução em Base Fixa dos Valores do Ativo Circulante, p. 481

Tabela C2: Evolução Quantitativa do Ativo Permanente, p. 481

Tabela C3: Evolução no Passivo Circulante, p. 482

Tabela C4: Evolução Quantitativa do Patrimônio Líquido, p. 483

Tabela C5: A Evolução Móvel dos Bens, p. 484

Tabela C6: A Evolução Móvel do Permanente, p. 484

Tabela C7: Evolução Móvel do Passivo Circulante, p. 485

Tabela C8: Evolução do Patrimônio Líquido em Base Móvel, p. 485

Tabela C9: Resumo dos Índices em Base Fixa do Ativo, p. 486

Tabela C10: Resumo dos Índices em Base Fixa do Passivo, p. 487

Tabela C11: Resumo dos Índices em Base Móvel do Ativo, p. 487

Tabela C12: Resumo dos Índices em Base Móvel do Passivo, p. 488

Tabela D: Evolução em Base Fixa dos Elementos Redituais, p. 494

Tabela D1: Evolução Quantitativa Móvel dos Valores Redituais, p. 496

Tabela E: Coeficiente dos Valores Gerais dos Grupos Redituais, p. 500

Tabela E1: A Evolução dos Coeficientes Redituais, p. 501

Tabela E2: Coeficientes do Ativo Circulante, p. 502

Tabela E3: A Evolução dos Coeficientes no Ativo Circulante, p. 503

Tabela A6: Comparação da Estrutura Geral do Patrimônio, p. 504

Tabela E4: Evolução dos Coeficientes dos Grupos Patrimoniais, p. 504

Tabela A7: Resumo dos Coeficientes da Empresa Alfa, p. 505

Tabela E5: Índices dos Coeficientes Gerais Patrimoniais, p. 506

Tabela A8: Resumo dos Coeficientes dos Elementos do Passivo, p. 507

Tabela E6: Os Índices dos Coeficientes do Passivo, p. 508

Tabela F: Estrutura Percentual Estática das Finanças da Empresa Sigma, p. 516

Tabela F1: Estrutura Percentual Estática das Finanças da Empresa Ômega, p. 516

Tabela F2: Observação da Liquidez, p. 520

Tabela F3: Comparação das Origens de Dinheiro, e Liquidez Imediata, p. 523

Tabela F4: Comparação do Coeficiente dos Fornecedores com a Liquidez Seca, p. 523

Tabela F5: Comparação Geral para um Diagnóstico Financeiro-Estático, p. 524

Tabela G: Comparação para Averiguação do Comportamento do Imobilizado na Empresa Ômega, p. 532

Tabela G1: Comparação Financeira e de Comportamento Patrimonial com as Imobilizações na Empresa Sigma, p. 533

Tabela G2: Comparação das Imobilizações com a Liquidez Estática do Capital - Empresa Ômega, p. 538

Tabela G3: O Endividamento do Imobilizado e Seu Diagnóstico, p. 540

Tabela G4: Relação dos Quocientes Percentuais de Imobilização, p. 546

Tabela G5: Relação dos Quocientes em Unidades Decimais das Imobilizações, p. 546

Tabela G6: Evolução Financeira e Reditual do Imobilizado, Comparação com Índices, Quocientes Percentuais e em Unidades Decimais, p. 546

Tabela G7: Avaliação Geral da Fenomenologia de Imobilizações - Caso da Empresa Sigma, p. 547

Tabela H: Comparação da Liquidez Seca, Giro dos Estoques, Vendas e Lucros da Empresa Sigma, p. 554

Tabela H1: Comparação da Liquidez Seca, Giro dos Estoques, Vendas e Lucros da Empresa Alfa, p. 554

Tabela H2: Comparação da Evolução Reditual e Giro dos Estoques, p. 555

Tabela H3: Comparação da Evolução da Massa Circulante Ativa e Passiva, e Giro dos Estoques (Empresa Alfa), p. 555

Tabela H4: O Tempo de Giro dos Estoques das Empresas Observadas e Analisadas, p. 557

Tabela H5: Observação do Tempo de Recebimento, Vendas e Disponível, p. 561

Tabela H6: Comparação do Tempo do Recebimento, Liquidez e Disponível, com Coeficiente de Dívidas, p. 562

Tabela H7: Evolução do Prazo de Renovação dos Meios Circulante da Empresa Ômega, p. 564

Tabela H8: Comparação do Tempo dos Disponíveis com Índices do Endividamento e Capital Próprio, p. 564

Tabela H9: Comparação da Liquidez Proporção, Tempo de Giro, Coeficiente do Endividamento e Vendas, p. 565

Tabela H10: Comparação da Eficácia do Giro dos Fornecedores, p. 569

Tabela H11: Avaliação dos Quocientes de Rotação, Fornecedores e Compras, p. 570

Tabela H12: Comparação da Evolução do Tempo dos Créditos, Empréstimos e Seus Respectivos Volumes, p. 571

Tabela H13: Averiguação da Renovação do Capital Próprio, p. 579

Tabela H14: Comparação dos Giros do Ativo e Passivo, Juntamente com os Índices de Lucros e Endividamento, p. 583

Tabela H15: Posição Financeira da Empresa Sigma pela Avaliação dos Giros, p. 584

Tabela H16: Observação do Fenômeno de Imobilização com o Giro, e Liquidez na Empresa Sigma, p. 586

Tabela H17: Imobilizações Excessivas, e Mau Tempo de Recebimento, Causa de Apertos Financeiros e Queda dos Lucros, p. 587

Tabela I: Observação do Ciclo de Atividade Financeira com a Liquidez Comum e Índice de Vendas e Lucros, p. 593

Tabela I1: Relação dos Tempos, e do CO e CP dos Bens Realizáveis e Dívidas da Ômega, p. 598

Tabela J: Comparação da Participação com Outros Quocientes e Índices, p. 613

Tabela J1: A Evolução da Participação do Realizável na Imobilização e Comparações, p. 615

Tabela J2: Observação do Quociente de Participação do Realizável a Longo Prazo no Ativo Circulante e Cálculos Temporais Correlativos, p. 616

Tabela K: Comparações de Avaliação dos Investimentos Crediticios na Empresa Sigma, p. 621

Tabela K1: Avaliação do Investimento Creditício da Empresa Ômega, p. 622

Tabela K2: Comparação da Correlação dos Créditos com Fornecedores, p. 626

Tabela K3: Observação da Correlação dos Créditos com Empréstimos, p. 627

Tabela K4: Comparação dos Tempos de Recebimento e Pagamento para a Avaliação da Correlação Creditícia a Curto Prazo, p. 628

Tabela K5: Avaliação da Correlação Creditícia a Longo Prazo, p. 629

Tabela K6: Comparação dos Quocientes de Correlação Creditícia Relativa, a Longo Prazo, e a Curto Prazo, p. 630

Tabela L: Comparação de Índices de Vendas e Lucros, com Quocientes de Liquidez, p. 635

Tabela L1: Observação do Quociente de Participação do Passivo Circulante e Outros Indicadores, p. 637

Tabela L2: Considerações Sobre a Participação Passiva do Endividamento e do Ativo, p. 638

Tabela L3: Considerações Sobre o Perfil de Endividamento na Empresa Alfa, p. 640

Tabela L4: Comparação em Índices com Relação ao Endividamento, p. 644

Tabela L5: Observação do Endividamento das Vendas com a Estrutura de Endividamento, p. 645

Tabela L6: Comparação dos Quocientes de Endividamento, p. 647

Tabela M: Movimentos a Serem Observados com a Rentabilidade do Capital Próprio, p. 652

Tabela M1: Avaliação da Rentabilidade dos Disponíveis, Juntamente com o Giro e Velocidade das Vendas, p. 654

Tabela M2: Avaliação das Disponibilidades e Rentabilidade dos Disponíveis, p. 656

Tabela M3: Comportamento do Crédito e Sua Rentabilidade, p. 658

Tabela M4: Caso Patológico de Anti-Rentabilidade dos Créditos, p. 659

Tabela M5: Avaliação da Eficácia dos Estoques pela Rentabilidade, p. 661

Tabela M6: Avaliação da Rentabilidade dos Realizáveis a Longo Prazo, p. 663

Tabela M7: Avaliação da Rentabilidade da Imobilização do Capital, p. 666

Tabela M8: Quadro-Resumo da Rentabilidade do Endividamento, p. 670

Tabela M9: O Rendimento do Capital Circulatório, p. 672

Tabela M10: A Rentabilidade das Dívidas (Caso Patológico), p. 672

Tabela M11: O Excesso de Imobilizado Extraoperacional e a Rentabilidade, p. 673

Tabela M12: O Imobilizado Subinvestido e Problemas de Rentabilidade, p. 673

Tabela N: Avaliação do Comportamento da Lucratividade, p. 678

Tabela N1: Observação dos Elementos Redituais, e Ciclo da Atividade Financeira, p. 683

Tabela N2: Observação da Lucratividade dos Custos em Relação à Circulação do Ativo e Passivo, p. 683

Tabela N3: O Comportamento das Despesas Operacionais e a Participação do Passivo e Endividamento, p. 684

Tabela N4: O Rendimento de Outras Receitas com os Investimentos Patrimoniais, p. 684

Tabela O: Percentuais de Aplicação no Preço de Venda Comercial, p. 689

Tabela O1: Elementos de um Preço a Ser Colocado, p. 692

Tabela O2: Prova de Resultado no Preço Formado, p. 692

Tabela O3: Prova de Resultado no Preço Formado, p. 693

Tabela O4: Comparação dos Preços de Mercado, Valor da Mercadoria e Custos, p. 694

Tabela O5: Redução das Margens e Aumento da Produtividade dos Estoques, p. 695

Tabela O6: O Nível de Saída dos Produtos com a Antiga Margem, p. 695

Tabela O7: O Nível de Saída dos Produtos com a Nova Margem Reduzida, p. 696

Tabela O8: Alteração Diversificada das Margens, p. 696

Tabela O9: Novo Resultado com Alterações do Preço Diversificadas, p. 697

Tabela O10: Simulação da Margem Diferenciada na Produtividade de 60%, p. 697

Tabela O11: Simulação das Margens Diferenciadas com uma Produtividade de 50% dos Estoques, p. 697

Tabela P: Exposição do Overhead Sintética, p. 701

Tabela P1: Outra Demonstração do Overhead, p. 703

Tabela P2: A Margem do RCM e a Evolução dos Valores Redituais, p. 705

Tabela Q: Orçamento Sintético do Ponto-de-Equilíbrio para a Empresa Sigma, p. 715

Tabela Q1: Orçamento Sintético do Ponto-de-Equilíbrio para a Empresa Ômega, p. 715

Tabela Q2: Orçamento para e Empresa Alfa Ter o Seu Ponto-de-Equilíbrio, p. 720

Tabela Q3: Orçamento no PE do Fluxo de Caixa, p. 721

Tabela Q4: Orçamento do PE das Necessidades de Saídas Financeiras, p. 722

Tabela Q5: O Orçamento do PE do Reflexo Econômico, p. 724

Tabela Q6: O Orçamento do PE do Lastro de Ineficiência, p. 725

Tabela Q7: O Orçamento do PE do Desembolso Não Financeiro Já Ocorrido, p. 726

Tabela Q8: O Orçamento do PE do Desembolso Não Financeiro Potencial, p. 726

Tabela Q9: O Orçamento do PE do Desembolso Não Financeiro Potencial, p. 728

Tabela Q10: Os Pontos de Equilíbrios Calculados (Empresa Alfa), p. 729

Tabela Q11: Escolha de Duas Opções, ou Alternativas Gerais do PE, p. 730

Tabela R: A Determinação do Custo Variável Unitário e Sua Comissão (Caso 1 - Empresa Alfa), p. 734

Tabela R1: A Determinação do Custo Variável Unitário e Sua Comissão (Caso 2 - Empresa Ômega), p. 735

Tabela R2: Reconhecimento dos Salários como Custos Variáveis (Caso 2), p. 735

Tabela R3: As Margens de Contribuição Unitárias, p. 736

Tabela R4: Procura do Custo Variável pela Proporção Geral, p. 737

Tabela R5: A Seleção dos Custos Fixos para Cada Tipo de Produto, p. 741

Tabela R6: O Custo Fixo Geral e as Margens de Contribuição de Cada uma das Mercadorias (Consulte a Tabela R3), p. 741

Tabela R7: O PE em Unidades e as Marcações de Venda para as Empresas, p. 742

Tabela R8: Distribuição do Custo Fixo pela Sobra em Estoques, p. 743

Tabela R9: Os Nivelamentos em Unidades Médias, p. 746

Tabela R10: Verificação do Lucro pela Produtividade dos Estoques, p. 747

Tabela R11: O Preço Adequado com as Unidades na MC do PE, p. 747

Tabela R12: Comparação com o Preço de Venda do Concorrente no PE em Unidades, p. 748

Tabela R13: O Ganho da Alfa Numa Estratégia de Aumentar os Seus Preços, p. 748

Tabela R14: Sobra em Unidades e Estocagem Depois do PE, p. 756

Tabela R15: As Reminiscências em Estoques, p. 758

Tabela R16: Resumo dos PE em Unidades nos Critérios Diversos Utilizados, p. 760

Tabela R17: Os Valores Médios, Maiores, e Menores do PE em Unidade, p. 760

Tabela S: A Carteira de Clientes da Empresa Ômega, p. 767

Tabela S1: Análise do Crediário ou Carteira de Clientes, p. 768

Tabela S2: A Carteira e a Análise do Prazo Longo, p. 769

Tabela S3: Distribuição Nova de Percentuais para Comportamentos Mais Favoráveis, p. 771

Tabela S4: O Reforço Financeiro pela Soma dos Dois Créditos Longo e Curto, p. 772

Tabela S5: Carteira de Fornecedores ou de Compras, p. 773

Tabela S6: Comparação do Crédito Cedido e Obtido na Empresa, p. 774

Tabela T: Resumo da Condição Proporcional, Giratória, e Reditual dos Estoques, p. 810

Tabela T1: Caso de Superinvestimento em Estoques, Diagnóstico de Excessos na Estrutura que Não Contribuem para os Resultados e para as Finanças, p. 811

Tabela T2: Caso de Subinvestimento ou Carência de Proporção de Estoques, p. 811

Tabela T3: Resumo da Capacidade Variativa e Reditual, p. 814

Tabela T4: Caso Patológico de Variação Reditual da Proporção dos Estoques, p. 814

Tabela U: Os Giros dos Elementos da Empresa Alfa, p. 842

Tabela U1: Os Giros dos Elementos da Empresa Sigma, p. 843

Tabela U2: Os Giros dos Elementos da Empresa Ômega, p. 843

Tabela U3: A Liquidez Comum das Empresas, p. 843

Tabela U4: Avaliação da Liquidez Dinâmica e Real da Empresa, p. 845

Tabela U5: Resumo da Liquidez Dinâmica-Real, Comum, e Percentagem da Improdutividade, p. 848

Tabela V: Quadro Demonstrativo da Empresa Alfa em Percentuais Gerais, p. 855

Tabela V1: Quadro Demonstrativo da Empresa Alfa em Percentuais Gerais, p. 856

Tabela V2: Balanço Patrimonial em Estrutura Percentual, p. 857

Tabela V3: O Balanço Patrimonial Projetado, p. 857

Tabela V4: Demonstração de Resultado do Acontecido, p. 858

Tabela V5: O Balanço Acontecido, p. 860

Lista de Gráficos, p. 593

Gráfico 1 - Ciclo da Atividade Financeira, p. 593

Gráfico 2 - Desenho do Ciclo Operacional e Financeiro, p. 594

Gráfico 3 - Comparação do CAF, CO, e CP, p. 597

Gráfico 4 - Comparação em Dias do CAF, CO, e CP, p. 597

Gráfico 5 - CO, CAF, e CP da Empresa Ômega, p. 599

Gráfico 6 - Demonstração Gráfica do CO, CP, e CAF, p. 600

Gráfico 7 - A Variação do CO, CAF, e CP por Índices, p. 600

Gráfico 8 - Comparação do PMI, PMCP com o CP, p. 603

Gráfico 9 - Comparação do PMI, PMCP, e Imobilização do Capital Próprio, p. 604

Gráfico 10 - Comparação do CCD, CAF, e CO, p. 605

Gráfico 11 - Observação Gráfica em Barra do CO, CP, CCD e Imobilização do Capital, p. 606

Gráfico 12 - Uma Outra Comparação com os Itens do Gráfico 11, p. 607

Índice alfabético

A

  • Ações ou atividades comerciais, p. 50
  • Adiantamentos e as antecipações em breves premissas, p. 401
  • Advertência. Introdução e advertência, p. 29
  • Amortização. Lançamentos dos fenômenos de depreciação, amortização e exaustão, p. 381
  • Amortização. Uso de cálculos para exaustão e amortização, p. 384
  • Análise contábil e consultoria empresarial, p. 427
  • Análise contábil. Coeficiente, p. 443
  • Análise contábil. Identidades, p. 447
  • Análise contábil. Números - índices, p. 444
  • Análise contábil. O uso de matrizes, p. 448
  • Análise contábil. Premissa sobre métodos e análise contábil, p. 441
  • Análise contábil. Quocientes, p. 446
  • Análise da lucratividade empresarial, p. 675
  • Análise dos investimentos creditícios e sua correlação com o passivo de crédito, p. 619
  • Antecipações de receitas e despesas. Conclusões, p. 403
  • Antecipações de receitas e despesas. Problemas, p. 401
  • Apuração do ICMS, ou impostos derivados das negociações de compra e venda, p. 317
  • Aquisições patrimoniais, p. 291
  • Aquisições patrimoniais. Premissa, p. 291
  • Aquisições patrimoniais. Registros das aquisições ou investimentos permanentes, p. 292
  • Atividade comercial. Ações ou atividades comerciais, p. 50
  • Avaliação. Problema dos ajustes de avaliação, p. 397
  • Azienda. Sociedade, azienda, organização comercial, p. 60

B

  • Balancete de verificação, p. 413
  • Balancete de verificação. Considerações, p. 413
  • Balancete de verificação. Escrituração comercial, e o transporte nos razonetes ou razões simplificados, p. 414
  • Balancete de verificação. Um outro balancete mais simples, p. 418
  • Balanço brasileiro, p. 204
  • Balanço financeiro, p. 201
  • Balanço funcional, p. 201
  • Balanço no ângulo de produtividade, p. 203
  • Balanço reditual, p. 212
  • Balanço. A terminologia "balanço", p. 196
  • Balanço. As formas científicas e essenciais de demonstração do balanço, p. 200
  • Balanço. Conceito de balanço, p. 197
  • Balanço. Critérios mistos, p. 204
  • Balanço. Estudo patrimonial dos balanços, p. 429
  • Balanço. Estudo patrimonial. A análise e sua essência, p. 430
  • Balanço. Estudo patrimonial. As demonstrações a serem utilizadas, p. 434
  • Balanço. Estudo patrimonial. As essências fenomenológicas a serem estudadas, p. 431
  • Balanço. Estudo patrimonial. As informações, a análise comercial-empresarial, e a sua aplicação, p. 432
  • Balanço. Estudo patrimonial. Peças de contabilidade e limites da informação, p. 429
  • Balanço. Exemplo de balanço brasileiro (em resumo), p. 211
  • Balanço. Os balanços, p. 198
  • Balanço. Prévias para se ter o balanço, p. 219
  • Balanço. Sentido de balanço, e as demonstrações principais, p. 195
  • Balanços complementares (ou demonstrações auxiliares) em simples apresentação, p. 213

C

  • Capital social e a abertura de empresa, p. 259
  • Capital social. Casos de distratos sociais, p. 266
  • Capital social. Do que pode ser formado o capital social, p. 259
  • Capital social. Formas de contabilização, p. 260
  • Capital social. Uma forma mais completa e complexa, p. 262
  • Capital social. Uma outra forma simplíssima, p. 264
  • Capital social. Variedade da conta capital, p. 267
  • Capital social. Visualização patrimonial do capital de funcionamento em instalação, p. 264
  • Ciclo da atividade financeira e liquidez dinâmica, p. 590
  • Ciclo da atividade financeira, e ciclo do capital durável, p. 589
  • Ciclo da atividade financeira. Aplicação da fórmula do ciclo de atividade financeira considerando no ciclo de pagamento apenas os fornecedores, p. 592
  • Ciclo da atividade financeira. Aplicação da fórmula do ciclo de atividade financeira considerando no ciclo de pagamento os prazos dos fornecedores e empréstimos, p. 594
  • Ciclo da atividade financeira. Aplicação da fórmula do ciclo de atividade financeira considerando no ciclo de pagamento todas as dívidas, p. 598
  • Ciclo da atividade financeira. Conclusão sobre o ciclo da atividade financeira, e do capital durável, p. 607
  • Ciclo da atividade financeira. Fórmula do ciclo da atividade financeira, p. 591
  • Ciclo da atividade financeira. Premissa básica, p. 589
  • Ciclo do capital durável, p. 601
  • Ciência do patrimônio. Introdução à ciência do patrimônio e à contabilidade comercial-empresarial, p. 33
  • Coeficiente reditual. Comparação geral dos grupos da estrutura patrimonial, p. 504
  • Coeficiente reditual. Conclusões dos coeficientes e índices redituais e patrimoniais, p. 509
  • Coeficiente reditual. Índices dos coeficientes patrimoniais gerais, p. 505
  • Coeficiente reditual. Índices dos coeficientes redituais, p. 500
  • Coeficiente reditual. Uso dos índices em coeficientes patrimoniais, p. 502
  • Coeficiente. Premissa sobre a evolução dos coeficientes, p. 499
  • Coeficientes da estrutura reditual, p. 466
  • Coeficientes da estrutura reditual. A proporção e estrutura do CMV, p. 475
  • Coeficientes da estrutura reditual. As despesas operacionais, p. 471
  • Coeficientes da estrutura reditual. As provisões e participações, p. 473
  • Coeficientes da estrutura reditual. Comparação dos coeficientes durante os exercícios, p. 469
  • Coeficientes da estrutura reditual. Conclusões sobre os coeficientes redituais, p. 476
  • Coeficientes da estrutura reditual. Os coeficientes de abatimentos e deduções, p. 470
  • Comercialização. Moeda e a comercialização (desenvolvimento), p. 38
  • Comércio em geral e o desenvolvimento da contabilidade, p. 83
  • Comércio. Aplicabilidades da contabilidade comercial-empresarial, p. 88
  • Comércio. Característica patrimonial de um comércio, p. 86
  • Comércio. Contrato e a formação jurídica de um comércio, p. 52
  • Comércio. História do comércio, p. 35
  • Comércio. O que é o comércio, p. 47
  • Comércio. Principais objetivos e interesses da contabilidade empresarial-comercial e o profissional contábil, p. 90
  • Competência. A contabilização da competência dos exercícios, p. 360
  • Competência. Explicações sobre o princípio da competência, p. 363
  • Competência. O que é o princípio da competência, p. 359
  • Competência. Registros de despesas a serem contabilizadas pela competência dos fatos, p. 359
  • Compra de mercadorias e seus principais aspectos, p. 269
  • Compra e venda de mercadorias. Principais operações comerciais, p. 269
  • Compra e venda. Contratos de compras e vendas, p. 355
  • Compra e venda. Lançamentos assimiláveis das compras, p. 269
  • Conclusão, p. 863
  • Consultoria empresarial. Análise contábil e consultoria empresarial, p. 427
  • Conta, p. 159
  • Contabilidade comercial e empresarial na atualidade, p. 44
  • Contabilidade comercial no Brasil, p. 42
  • Contabilidade comercial-empresarial. Introdução à ciência do patrimônio e à contabilidade comercial-empresarial, p. 33
  • Contabilidade e técnica de escrituração, p. 171
  • Contabilidade empresarial. Patrimônio e a contabilidade empresarial, p. 83
  • Contabilidade empresarial. Relevação, levantamento, e contabilidade empresarial, p. 145
  • Contabilização das reservas, p. 395
  • Contabilização de reservas. Considerações, p. 395
  • Contabilização de seguros, prêmios, e outras despesas antecipadas, p. 399
  • Contabilização de seguros, prêmios, e outras despesas antecipadas. Breve introdução, p. 399
  • Contabilização dos adiantamentos e antecipações, p. 402
  • Contabilização por competência dos tributos relativos à receita de vendas, p. 365
  • Contabilizações das provisões, p. 387
  • Contrato e a formação jurídica de um comércio, p. 52
  • Contratos de compras e vendas, p. 355
  • Controle de comportamento. Crediário sua gestão e controle de comportamento, p. 765
  • Crediário longo e curto, p. 766
  • Crediário sua gestão e controle de comportamento, p. 765
  • Crediário sua gestão e controle de comportamento. Premissa básica, p. 765
  • Crediário. A carteira de clientes e sua análise, p. 766
  • Crediário. Análise do crediário longo, p. 769
  • Crediário. As conclusões e opções para o comportamento do crediário, p. 775
  • Crediário. Considerações e comparações do crédito curto e longo, p. 771
  • Crediário. O crediário e o crédito obtido com fornecedores, p. 773
  • Crédito. Débito e crédito e a modernidade, p. 167
  • Crédito. Débito e o crédito, p. 163
  • Crédito. Raciocínio do débito e do crédito, p. 164
  • Crédito. Visão gráfica do débito, do crédito, e patrimônio, p. 168
  • Custo das mercadorias comerciais, p. 301

D

  • Débito e crédito e a modernidade, p. 167
  • Débito e o crédito, p. 163
  • Débito. Raciocínio do débito e do crédito, p. 164
  • Débito. Visão gráfica do débito, do crédito, e patrimônio, p. 168
  • Depreciação. Lançamentos dos fenômenos de depreciação, amortização e exaustão, p. 381
  • Depreciação. Quotas para o uso na depreciação, p. 383
  • Desconto. A descontagem geral do patrimônio e regulação para as vendas, p. 781
  • Desconto. A taxa de desconto real em relação ao tempo e ao capital, p. 780
  • Desconto. A taxa do desconto comercial ou por fora em relação àquela por dentro, p. 778
  • Desconto. Aspectos superiores do fenômeno de desconto, p. 777
  • Desconto. Aspectos superiores do fenômeno de desconto. Premissa, p. 777
  • Desconto. Comparações para a análise de desconto, p. 784
  • Desconto. Introdução sobre o desconto, p. 283
  • Desconto. O ganho pelo desconto por fora considerando a taxa de desconto por dentro, p. 783
  • Desconto. O valor do desconto por fora ou comercial, p. 779
  • Desconto. Operações que envolvem juros ativos e passivos, ou receitas e despesas de juros, p. 287
  • Descontos concedidos, p. 285
  • Descontos e juros, p. 283
  • Descontos obtidos, p. 284
  • Desenvolvimento da contabilidade. Comércio em geral e o desenvolvimento da contabilidade, p. 83
  • Desenvolvimento. Moeda e a comercialização (desenvolvimento), p. 38
  • Despesa. Conceito de despesa, obrigação e pagamento, p. 297
  • Despesa. Pagamento de despesas e outras obrigações, p. 297
  • Despesa. Tipos de despesas e dívidas, p. 298
  • Destino das reservas, p. 398
  • Devolução de vendas e compras, p. 349
  • Devolução de vendas e compras. Casos de reconhecimento das vendas e possíveis abatimentos, p. 350
  • Devolução de vendas e compras. Contabilização dos abatimentos, p. 349
  • Devolução de vendas e compras. Devolução de compras e compras anuladas ou canceladas, p. 352
  • Devolução de vendas e compras. Explicações sobre o reconhecimento do abatimento, ou das vendas, p. 351
  • Devolução de vendas e compras. Premissas brevíssimas sobre a devolução de vendas, p. 349
  • Devolução de vendas e compras. Reconhecimento das compras, p. 353
  • Disponibilidade. Estrutura qualitativa dos disponíveis, p. 277
  • Disponibilidade. Operações com disponibilidades, p. 277
  • Disponibilidade. Operações com outros bens disponíveis, p. 281
  • Disponibilidade. Raciocínio para o lançamento dos disponíveis, p. 277
  • Disponibilidade. Registros com aplicações, p. 279
  • Disponibilidade. Registros com bancos, p. 278
  • Duplicata. Casos de não recebimento dos títulos endossados, p. 332
  • Duplicata. Interpretações sobre o comportamento dos descontos de títulos, p. 335
  • Duplicata. O desconto de títulos, p. 330
  • Duplicata. Operações com descontos de duplicatas, p. 329
  • Duplicata. Premissa básica, p. 329

E

  • Empregado registrado, p. 370
  • Empregado registrado. A rescisão contratual, p. 375
  • Empregado registrado. As regras práticas de registro, p. 373
  • Empregado registrado. Adicional noturno, p. 377
  • Empregado registrado. As horas-extras, p. 378
  • Empregado registrado. Décimo terceiro e as férias, p. 371
  • Empregado registrado. FGTS e o INSS, p. 370
  • Empregado registrado. Folha de pagamento provento, e contabilização dos gastos, p. 380
  • Empregado registrado. Lançamentos gerais sobre a folha de pagamento, p. 372
  • Empregado registrado. O adicional insalubridade, p. 379
  • Empregado registrado. O adicional periculosidade, p. 379
  • Empregado registrado. O aviso prévio, p. 378
  • Empregado registrado. Outros fatores importantes para a concepção de dívidas com os salarios, p. 375
  • Empréstimos e os financiamentos bancários a serem estudados pela contabilidade na empresa, p. 787
  • Empréstimos. A fórmula de empréstimos, e sua condição na liquidez estática da empresa, p. 789
  • Empréstimos. Conclusão dos empréstimos, p. 793
  • Empréstimos. O total de empréstimo por uma obtenção de participação, p. 792
  • Empréstimos. Outro caso de empréstimo (segunda hipótese, sugestão ou possibilidade), p. 790
  • Empréstimos. Termos de análise dos empréstimos, p. 788
  • Encerramento do exercício e a apuração do resultado, p. 405
  • Endividamento, p. 633
  • Endividamento. A estrutura proporcional e participação do endividamento no passivo, p. 635
  • Endividamento. A participação do exigível a longo prazo, p. 637
  • Endividamento. A participação do passivo circulante, p. 636
  • Endividamento. Análise do endividamento, p. 633
  • Endividamento. Conclusões sobre o endividamento nas empresas, p. 645
  • Endividamento. O endividamento das vendas, p. 642
  • Endividamento. O endividamento do ativo total (absorção da solvência), p. 641
  • Endividamento. O perfil do endividamento, p. 639
  • Endividamento. Quocientes de análise do endividamento, p. 634
  • Escrita comercial como atestado de liquidação de dívida para com o Estado, p. 188
  • Escrita comercial. A escrituração como prova pericial contábil, p. 189
  • Escrita comercial. A obrigatoriedade da escrita comercial e do uso de livros contábeis pelo direito, p. 186
  • Escrita comercial. Caráter jurídico da escrita comercial ou contábil para os clientes como uma prestação de serviços, p. 182
  • Escrita comercial. O caráter de valor jurídico do trabalho informativo do contabilista, p. 184
  • Escrita comercial. O valor da escrituração segundo os princípios de contabilidade e normas técnicas, p. 192
  • Escrita comercial. Penalidades para a ausência de escrituração contábil e comercial verídica, e fraudes da informação, p. 190
  • Escrita contábil. Qualidade técnica e valor jurídico da escrita contábil, p. 181
  • Escrita fiscal, p. 155
  • Escrituração, p. 172
  • Escrituração como instrumento, p. 154
  • Escrituração e explicação patrimonial, p. 157
  • Escrituração e o patrimônio, p. 147
  • Escrituração e poder probante, p. 155
  • Escrituração. Classificação dos fenômenos, p. 174
  • Escrituração. Contabilidade e técnica de escrituração, p. 171
  • Escrituração. Normas e técnicas de escrituração, p. 173
  • Escrituração. O conceito de alguns autores sobre a escrituração, p. 149
  • Escrituração. Para que serve a escrituração?, p. 148
  • Escrituração. Patrimônio e a escrita, p. 156
  • Escrituração. Prática de escrituração, p. 177
  • Estoque. A capacidade reditual e variativa dos estoques, p. 812
  • Estoque. Conclusão e resumo sobre a análise, controle, e comportamentalização dos estoques, p. 835
  • Estoque. Gestão e o comportamento dos estoques, p. 807
  • Estoque. Medidas para a regulação dos estoques, p. 824
  • Estoque. O comportamento proporcional dos estoques, p. 809
  • Estoque. O controle dos estoques, p. 807
  • Estoque. O retorno do investimento em estoque no contexto de ativo circulante, p. 815
  • Estoque. Quanto comprar, p. 830
  • Estoque. Quanto estocar, p. 825
  • Estoque. Quanto vender, p. 832
  • Estrutura dinâmica de uma empresa, p. 131
  • Estrutura dinâmica. A variação circulatória do patrimônio, p. 134
  • Estrutura dinâmica. A variação dinâmica geral e sua estrutura, p. 143
  • Estrutura dinâmica. A variação reditual do patrimônio: estrutura de recuperações e investimentos técnicos, p. 140
  • Estrutura dinâmica. As origens e aplicações dos investimentos e financiamentos, estrutura dinâmica do ativo e passivo, p. 138
  • Estrutura dinâmica. O coração da empresa no seu caixa, e a sua energia no capital próprio, p. 132
  • Estrutura dinâmica. Visão superficial e relevativa, p. 143
  • Estrutura do ativo permanente, p. 454
  • Estrutura do passivo circulante, p. 456
  • Estrutura do patrimônio líquido, p. 457
  • Estrutura estática média de um comércio, p. 122
  • Estrutura estática. A estática patrimonial das empresas mercantis segundo as pesquisas, p. 123
  • Estrutura estática. Qual é a estática ideal?, p. 128
  • Estrutura geral do ativo e passivo total, p. 459
  • Estrutura operacional ou reditual, p. 465
  • Estrutura patrimonial da empresa, p. 451
  • Estrutura patrimonial empresarial, p. 121
  • Estrutura patrimonial no tempo. A evolução da estrutura patrimonial em base móvel, p. 483
  • Estrutura patrimonial no tempo. Conclusões sobre os índices patrimoniais de base fixa e móvel, p. 489
  • Estrutura patrimonial no tempo. Evolução, p. 479
  • Estrutura patrimonial no tempo. Índices de grupos do conjunto patrimonial, p. 480
  • Estrutura patrimonial no tempo. Premissa e discurso introdutório elementar, p. 479
  • Estrutura patrimonial no tempo. Resumo da evolução patrimonial em base fixa e móvel, p. 486
  • Estrutura patrimonial. Comparação das estruturas, p. 461
  • Estrutura patrimonial. Conclusões sobre os coeficientes patrimoniais, p. 464
  • Estrutura patrimonial. Resumo dos coeficientes, p. 462
  • Estrutura proporcional do ativo circulante, p. 453
  • Estudo e análise das imobilizações empresariais, p. 527
  • Estudo patrimonial dos balanços, p. 429
  • Evolução da estrutura patrimonial no tempo, p. 479
  • Evolução dos coeficientes patrimoniais e redituais, p. 499
  • Exaustão. Lançamentos dos fenômenos de depreciação, amortização e exaustão, p. 381

F

  • Fenômenos comerciais. O registro das operações, p. 255
  • Fenômenos comerciais. Os fenômenos comerciais, patrimoniais e o seu registro, p. 254
  • Fenômenos comerciais. Problema e sua colocação, p. 253
  • Fenômenos comerciais. Registros dos fenômenos comerciais e patrimoniais, p. 253
  • Fenômenos empresariais, p. 103
  • Fenômenos empresariais. Capitalização e o patrimônio líquido, p. 114
  • Fenômenos empresariais. Crediário e o lastro dos prazos a serem recebidos, p. 107
  • Fenômenos empresariais. Custos, despesas, e eficiência geral, p. 117
  • Fenômenos empresariais. Estrutura do endividamento, p. 113
  • Fenômenos empresariais. Imobilizações comerciais ou financeiras, p. 110
  • Fenômenos empresariais. Lucros, resultados e formas de distribuição, p. 118
  • Fenômenos empresariais. Outra representação patrimonial: a fenomenológica, p. 119
  • Fenômenos empresariais. Recebimentos, pagamentos, entradas e saídas financeiras, p. 105
  • Fenômenos empresariais. Vendas, e mercadilização das mercadorias, p. 115
  • Fenômenos no comércio, p. 48
  • Folha de pagamento. Registros das folhas de pagamentos ou dos salários e ordenados a serem mensurados e extraídos como elementos do passivo. Premissas básicas, p. 369
  • Fórmula do Custo das Mercadorias Vendidas (CMV), p. 302
  • Fórmulas de lançamentos, p. 168

G

  • Gerenciamento e produção de fundos na mecânica contabilística, p. 384
  • Gestão. Crediário sua gestão e controle de comportamento, p. 765
  • Giro das demais contas a pagar, p. 572
  • Giro do caixa ou dos disponíveis, p. 562
  • Giro do capital próprio, p. 578
  • Giro do imobilizado, p. 577
  • Giro dos créditos, p. 558
  • Giro dos empréstimos, p. 570
  • Giro dos estoques, p. 552
  • Giro dos fornecedores, p. 566
  • Giro total do ativo em relação ao giro total do passivo, p. 580
  • Giro. Conclusões sobre o cálculo de giro ou renovação dos elementos, p. 584
  • Giro. Quocientes de giro ou renovação dos elementos, p. 549
  • Grupos patrimoniais, p. 93
  • Grupos patrimoniais. Ativo circulante: suas características e principais aspectos, p. 94
  • Grupos patrimoniais. Ativo permanente ou imobilizado da empresa, p. 95
  • Grupos patrimoniais. Breve premissa, p. 93
  • Grupos patrimoniais. Passivo circulante e seus principais elementos, p. 98
  • Grupos patrimoniais. Patrimônio é um complexo, p. 101
  • Grupos patrimoniais. Patrimônio líquido, situação líquida ou capital próprio, p. 100

H

  • História do comércio, p. 35

I

  • ICMS. Apuração do ICMS, ou impostos derivados das negociações de compra e venda, p. 317
  • ICMS. Apuração do imposto não cumulativo pela conta "ICMS a Recolher", p. 322
  • ICMS. Apuração do imposto não cumulativo pela conta "ICMS a Recuperar", p. 318
  • ICMS. Capítulo introdutório prévio, p. 317
  • ICMS. Considerações finais sobre a apuração do ICMS ou imposto não cumulativo, p. 326
  • ICMS. Destinação do ICMS para pagamento, recuperação ou compensação tributária, p. 321
  • ICMS. Outros aspectos dos impostos não cumulativos ou ICMS, p. 318
  • ICMS. Usando a teoria dualista, em contas diferentes, ou contas próprias de apuração do imposto não cumulativo, p. 324
  • Idade média, moderna, os livros comerciais contabilísticos, e a prática comercial, p. 40
  • Imobilização empresarial. Estudo e análise das imobilizações empresariais, p. 527
  • Imobilização empresarial. Estudo e análise. A imobilização das vendas, p. 543
  • Imobilização empresarial. Estudo e análise. A imobilização do capital próprio, p. 541
  • Imobilização empresarial. Estudo e análise. A imobilização dos bens e créditos realizáveis, p. 536
  • Imobilização empresarial. Estudo e análise. A importância da imobilização no comércio e o sentido para imobilizar, p. 528
  • Imobilização empresarial. Estudo e análise. A proporção do imobilizado, a sua natureza operacional e extraoperacional, p. 531
  • Imobilização empresarial. Estudo e análise. As características do imobilizado, p. 530
  • Imobilização empresarial. Estudo e análise. As imobilizações e o endividamento, p. 538
  • Imobilização empresarial. Estudo e análise. Conclusões sobre as imobilizações, p. 545
  • Imobilização empresarial. Estudo e análise. Meios de análise, p. 530
  • Imobilização empresarial. Estudo e análise. O ativo operacional e o extraoperacional, p. 534
  • Imobilização empresarial. Estudo e análise. O sentido das imobilizações nas aziendas comerciais, p. 527
  • Incidências dos tributos relativos à receita obtida, p. 366
  • Introdução à ciência do patrimônio e à contabilidade comercial-empresarial, p. 33
  • Introdução e advertência, p. 29
  • Investimento creditício. A correlação creditícia, p. 623
  • Investimento creditício. Análise dos investimentos creditícios e sua correlação com o passivo de crédito, p. 619
  • Investimento creditício. Aplicação dos quocientes de correlação creditícia, p. 625
  • Investimento creditício. Conclusões sobre a condição e correlação creditícia, p. 630
  • Investimento creditício. Premissa sobre os investimentos creditícios, p. 619
  • Investimento creditício. Quociente de análise do investimento creditício e considerações, p. 620
  • Investimento creditício. Quocientes de correlação creditícia, p. 623
  • Investimento. Análise de investimentos, p. 797
  • Investimento. Cálculos empresariais de matemática contábil para a análise dos investimentos, p. 798
  • Investimento. Casos de leasing ou aluguel, p. 803
  • Investimento. Opções de imobilizações, p. 803
  • Investimento. Opções de investimentos com relação aos bens de rédito, p. 802
  • Investimento. Opções e escolha de investimentos, p. 805
  • Investimento. Opções ligadas ao disponível, p. 798
  • Investimento. Opções para estoques e vendas a prazo, p. 799

J

  • Juros ativos, p. 289
  • Juros passivos, p. 288
  • Juros. Descontos e juros, p. 283

L

  • Lançamento do custo de mercadorias pela conta desdobrada, p. 304
  • Lançamentos do custo pela conta mista (mercadorias), p. 303
  • Lançamentos dos fenômenos de depreciação, amortização e exaustão, p. 381
  • Lançamentos e registros desses tributos, p. 367
  • Levantamento. Relevação, levantamento, e contabilidade empresarial, p. 145
  • Liquidez comum, p. 519
  • Liquidez dinâmica. A análise financeira dinâmica, p. 839
  • Liquidez dinâmica. A fórmula de liquidez dinâmica, p. 841
  • Liquidez dinâmica. Alteração da fórmula para melhoramento de observações em relação às dívidas, p. 848
  • Liquidez dinâmica. Análise da liquidez dinâmica e realidade financeira, p. 837
  • Liquidez dinâmica. Aplicação da fórmula, p. 842
  • Liquidez dinâmica. Aplicação da fórmula considerando mais giros de dívidas, p. 846
  • Liquidez dinâmica. Comentários e relatividade da fórmula, p. 850
  • Liquidez dinâmica. Gerenciamento da liquidez dinâmica e conclusão, p. 851
  • Liquidez dinâmica. Premissa histórica, p. 837
  • Liquidez dinâmica. Uso simples da fórmula, p. 844
  • Liquidez geral, p. 521
  • Liquidez imediata, p. 521
  • Liquidez seca, p. 520
  • Liquidez. A liquidez geral e comum, e premissas sobre a importância dos quocientes, p. 518
  • Liquidez. A razão para o cálculo, p. 516
  • Liquidez. Análise das finanças estáticas e liquidez comum na empresa, p. 513
  • Liquidez. O que é a liquidez, p. 513
  • Liquidez. Premissa básica sobre a característica da estática financeira, p. 514
  • Liquidez. Um diagnóstico estático-financeiro conveniente, p. 522
  • Liquidez. Uma liquidez deficiente, p. 525
  • Liquidez. Verificação da estrutura financeira do patrimônio, p. 515
  • Livros comerciais contabilísticos. Idade média, moderna, os livros comerciais contabilísticos, e a prática comercial, p. 40
  • Lucratividade empresarial. A lucratividade das despesas operacionais, p. 680
  • Lucratividade empresarial. A lucratividade das vendas, p. 678
  • Lucratividade empresarial. A lucratividade de outras receitas, p. 681
  • Lucratividade empresarial. A lucratividade dos custos técnicos de um comércio ou CMV, p. 679
  • Lucratividade empresarial. Análise da lucratividade empresarial, p. 675
  • Lucratividade empresarial. Comparação e considerações conclusivas sobre a lucratividade, p. 682
  • Lucratividade empresarial. Os quocientes de análise da lucratividade, p. 677

M

  • Métodos de análise da contabilidade, p. 441
  • Metrópole comercial. Primeira grande metrópole comercial, p. 36
  • Moeda e a comercialização (desenvolvimento), p. 38

O

  • Operações com descontos de duplicatas, p. 329
  • Operações com disponibilidades, p. 277
  • Operações com títulos caucionados, p. 337
  • Operações com títulos em cobrança, p. 343
  • Operações comerciais. Compra e venda de mercadorias. Principais operações comerciais, p. 269
  • Operações fenomênicas. Conclusão sobre os registros das operações fenomênicas, p. 423
  • Orçamento e fim da consultoria?, p. 862
  • Orçamento. A análise do projetado e efetivo, ou do orçamento, p. 858
  • Orçamento. A demonstração do resultado projetada (baseada na estrutura percentual passada), p. 854
  • Orçamento. Efeitos na consultoria e gestão, p. 861
  • Orçamento. Fórmula de projeção da demonstração dos resultados, p. 854
  • Orçamento. O balanço patrimonial projetado, p. 856
  • Orçamentologia da análise empresarial e fixação do comportamento patrimonial, p. 853
  • Orçamentologia da análise empresarial e fixação do comportamento patrimonial. Premissa básica, p. 853
  • Organização comercial. Sociedade, azienda, organização comercial, p. 60
  • Overhead. Recapitulação sobre o resultado da conta mercadorias e exposição do overhead comercial-empresarial, p. 701
  • Overhead. Resultado da conta mercadorias e o overhead, p. 701
  • Overhead. Uma outra forma de observar o overhead, p. 702
  • Overhead. Uma rentabilidade na conta mercadorias, p. 704

P

  • Participação do ativo circulante nas imobilizações, p. 612
  • Participação do realizável nas imobilizações, p. 613
  • Participação dos investimentos da estrutura do patrimônio, p. 611
  • Participação. Análise da participação do realizável a longo prazo no ativo circulante, p. 615
  • Participação. Conclusões importantes sobre a participação do ativo, p. 617
  • Participação. O que é participação, p. 611
  • Participação. Os quocientes de participação, p. 611
  • Patrimônio como conjunto, p. 66
  • Patrimônio de um comércio, p. 85
  • Patrimônio e a contabilidade empresarial, p. 83
  • Patrimônio geral. Conceitos e principais observações, p. 63
  • Patrimônio no aspecto qualitativo, p. 70
  • Patrimônio no aspecto quantitativo, p. 71
  • Patrimônio. Capital e patrimônio (principais diferenças), p. 77
  • Patrimônio. Ciências que estudam o patrimônio, p. 78
  • Patrimônio. Divisão do patrimônio: ativo e atividade, passivo e passividade, aplicações e origens de recursos, p. 68
  • Patrimônio. Grupos do patrimônio, p. 73
  • Patrimônio. Por que a contabilidade estuda o patrimônio?, p. 81
  • Patrimônio. Visão global do patrimônio, p. 76
  • Patrimônio. Visão gráfica do débito, do crédito, e patrimônio, p. 168
  • Plano de contas e a disposição do balanço comercial-empresarial, p. 221
  • Plano de contas. A estrutura do plano de contas e do balanço, p. 224
  • Plano de contas. Conceito de plano de contas, p. 222
  • Plano de contas. Divisão básica do plano de contas, p. 223
  • Plano de contas. Função das contas de uma empresa comercial, p. 232
  • Plano de contas. Funcionamento das contas de uma empresa comercial, p. 242
  • Plano de contas. O esboço do planejamento de contas, p. 230
  • Plano de contas. Premissa básica, p. 221
  • Plano de contas. Raciocínio do esboço do plano de contas, p. 252
  • Ponto de equilíbrio analítico em unidades, e vendas pela margem de contribuição, p. 733
  • Ponto de equilíbrio analítico. A diversidade de critérios, p. 760
  • Ponto de equilíbrio analítico. Conclusões e orientações para atingir o PE em unidades com mais facilidade, p. 761
  • Ponto de equilíbrio analítico. Diversos pontos-de-equilíbrio pela margem de contribuição, p. 751
  • Ponto de equilíbrio analítico. O custo fixo e ponto de equilíbrio por unidade, p. 739
  • Ponto de equilíbrio analítico. O custo variável por unidade, p. 734
  • Ponto de equilíbrio analítico. O PE em unidades de diversos produtos (pela sobra dos estoques), p. 743
  • Ponto de equilíbrio analítico. O PE em unidades financeiro e lucrativo, p. 751
  • Ponto de equilíbrio analítico. O PE em unidades pela MC geral, p. 744
  • Ponto de equilíbrio analítico. O PE em unidades pela soma da MC de vários produtos, p. 755
  • Ponto de equilíbrio analítico. O PE geral dedutivo induzido pelos elementos singulares do balanço, p. 745
  • Ponto de equilíbrio analítico. O PE pela margem média, p. 746
  • Ponto de equilíbrio analítico. O PE pelas compras, p. 756
  • Ponto de equilíbrio analítico. O PE pelas existências em mercadorias, p. 757
  • Ponto de equilíbrio analítico. O PE pelas margens dos preços, p. 754
  • Ponto de equilíbrio analítico. O PE pelas vendas, p. 759
  • Ponto de equilíbrio analítico. O PE pelos metros quadrados, p. 759
  • Ponto de equilíbrio analítico. O PE pelos preços gerais dos produtos, p. 753
  • Ponto de equilíbrio analítico. O tempo de consumo da margem de contribuição, p. 749
  • Ponto de equilíbrio analítico. Premissa útil, p. 733
  • Ponto de equilíbrio empresarial em valores monetários, p. 709
  • Ponto de equilíbrio. Aplicação da fórmula geral do ponto-de-equilíbrio, p. 711
  • Ponto de equilíbrio. As básicas razões para a fórmula e o conhecimento dos seus elementos, p. 710
  • Ponto de equilíbrio. O PE das dívidas ou saídas financeiras compulsórias, p. 722
  • Ponto de equilíbrio. O PE de desembolsos não financeiros, p. 725
  • Ponto de equilíbrio. O PE do fluxo de caixa, p. 720
  • Ponto de equilíbrio. O PE do reflexo econômico, p. 723
  • Ponto de equilíbrio. O PE lucrativo, p. 727
  • Ponto de equilíbrio. O PE relacionado aos lastros e à ineficiência, p. 724
  • Ponto de equilíbrio. O ponto-de-equilíbrio de acordo com o resultado da conta mercadorias (demonstração), p. 717
  • Ponto de equilíbrio. Orçamento de regulação dos elementos analíticos do ponto-de-equilíbrio, p. 716
  • Ponto de equilíbrio. Orçamento do ponto-de-equilíbrio, p. 714
  • Ponto de equilíbrio. Outros pontos-de-equilíbrio monetários, p. 719
  • Ponto de equilíbrio. Premissas e noções básicas, p. 709
  • Ponto de equilíbrio. Raciocínio da fórmula e orçamentos, p. 728
  • Prática comercial. Idade média, moderna, os livros comerciais contabilísticos, e a prática comercial, p. 40
  • Preço de venda, estudos, e sua formação na empresa, p. 687
  • Preço de venda. Estratégias e táticas para conseguir rendas nos preços e produtividade, p. 694
  • Preço de venda. O método real de colocação do preço, p. 693
  • Preço de venda. O método tradicional de se fazer o preço, p. 691
  • Preço de venda. Os elementos do preço, p. 688
  • Preço de venda. Outras opções a serem escolhidas, p. 699
  • Preço de venda. Premissa sobre o preço, p. 687
  • Prêmios. Contabilização de seguros, prêmios, e outras despesas antecipadas, p. 399
  • Premissa sobre a evolução dos coeficientes, p. 499
  • Primeira grande metrópole comercial, p. 36
  • Primeira operação: a formação do capital social, do ativo e a abertura da empresa, p. 259
  • Problemas ligados às antecipações de receitas e despesas, p. 401
  • Provisão para os estoques, p. 389
  • Provisionamento com os investimentos e outros bens (numerários), p. 390
  • Provisões como deduções do capital realizável: créditos de funcionamento, p. 388
  • Provisões. Contabilizações das provisões, p. 387
  • Provisões. Natureza das provisões, p. 387
  • Provisões. Outras provisões, p. 394
  • Provisões. Tratamento para contabilização em contas do passivo, p. 391

Q

  • Qualidade técnica e valor jurídico da escrita contábil, p. 181
  • Quocientes de giro ou renovação dos elementos, p. 549

R

  • Raciocínio do débito e do crédito, p. 164
  • Recebimentos e pagamentos, p. 273
  • Recebimentos e pagamentos e a operação financeira, p. 273
  • Rédito. Evolução da estrutura reditual no tempo, p. 491
  • Rédito. Evolução reditual com índices de base fixa, p. 492
  • Rédito. Evolução reditual dos índices em base móvel, p. 495
  • Referências, p. 865
  • Registro dos pagamentos, p. 274
  • Registro dos recebimentos, p. 274
  • Registros das folhas de pagamentos ou dos salários e ordenados a serem mensurados e extraídos como elementos do passivo, p. 369
  • Registros de despesas a serem contabilizadas pela competência dos fatos, p. 359
  • Registros dos fenômenos comerciais e patrimoniais, p. 253
  • Relevação, levantamento, e contabilidade empresarial, p. 145
  • Rentabilidade das dívidas, p. 667
  • Rentabilidade do capital próprio, p. 650
  • Rentabilidade do crédito, p. 657
  • Rentabilidade do imobilizado, p. 664
  • Rentabilidade dos disponíveis, p. 653
  • Rentabilidade dos estoques, p. 660
  • Rentabilidade dos realizáveis a longo prazo, p. 661
  • Rentabilidade empresarial, p. 649
  • Rentabilidade empresarial. Conclusões e opções de comparação da rentabilidade, p. 671
  • Rentabilidade empresarial. Premissa comum, p. 649
  • Reservas de reavaliação, p. 396
  • Reservas. Contabilização das reservas, p. 395
  • Reservas. Destino das reservas, p. 398
  • Resultado da conta mercadorias, p. 309
  • Resultado da conta mercadorias. A apuração do resultado da conta mercadorias com o uso do sistema desdobrado, p. 311
  • Resultado da conta mercadorias. Considerações finais sobre o RCM, p. 315
  • Resultado da conta mercadorias. Introdução e noções sobre o resultado da conta mercadorias, p. 309
  • Resultado da conta mercadorias. O uso do RCM em casos de prejuízo, p. 314
  • Resultado da conta mercadorias. Uso do Resultado da Conta Mercadorias (RCM) no processo misto, p. 310
  • Resultado do exercício, p. 409
  • Resultado. Apuração do resultado, p. 405
  • Resultado. Fechamento das contas de despesas e custos, p. 406
  • Resultado. Fechamento das contas de receita, p. 408
  • Resultado. O que é apuração do resultado, p. 405

S

  • Seguro. Contabilização de seguros, prêmios, e outras despesas antecipadas, p. 399
  • Sociedade, azienda, organização comercial, p. 60

T

  • Título caucionado. Introdução aos títulos caucionados, p. 337
  • Título caucionado. Operações com títulos caucionados, p. 337
  • Título caucionado. Tratamento contabilístico dos títulos caucionados, p. 338
  • Título em cobrança. Efeitos da cobrança dos títulos nas vendas, p. 348
  • Título em cobrança. Operações com títulos em cobrança, p. 343
  • Título em cobrança. Tratamento e contabilização, p. 344
  • Tratamento e contabilização, p. 399

V

  • Venda. Registros das vendas de mercadorias, p. 271
  • Vendas de mercadorias, p. 270

Recomendações

Capa do livro: Manual de Contabilidade, Wilson Alberto Zappa Hoog

Manual de Contabilidade

5ª Edição - Revista e AtualizadaWilson Alberto Zappa HoogISBN: 978853626679-4Páginas: 644Publicado em: 17/03/2017

Versão impressa

R$ 189,90em 6x de R$ 31,65Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Técnicas para a Gestão & Análise Empresarial, Rodrigo Antonio Chaves da Silva

Técnicas para a Gestão & Análise Empresarial

 Rodrigo Antonio Chaves da SilvaISBN: 978853624646-8Páginas: 278Publicado em: 06/05/2014

Versão impressa

R$ 84,70em 3x de R$ 28,23Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Auditoria, Planejamento & Gestão Tributária, Everson Luiz Breda Carlin

Auditoria, Planejamento & Gestão Tributária

3ª Edição – Revista e AtualizadaEverson Luiz Breda CarlinISBN: 978853624850-9Páginas: 168Publicado em: 09/10/2014

Versão impressa

R$ 49,90 Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Valuation - Manual de Avaliação - Teoria e Prática, Wilson Alberto Zappa Hoog e Everson Luiz Breda Carlin

Valuation - Manual de Avaliação - Teoria e Prática

2ª Edição - Revista e AtualizadaWilson Alberto Zappa Hoog e Everson Luiz Breda CarlinISBN: 978853627102-6Páginas: 336Publicado em: 03/08/2017

Versão impressa

R$ 114,70em 4x de R$ 28,68Adicionar ao
carrinho