Memórias de um Ser-tão Brasileiro - Tempo, História e Memória em Os Sertões de Euclides da Cunha

Marçal de Menezes Paredes

Leia na Biblioteca Virtual
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Marçal de Menezes Paredes
ISBN: 853620089-8
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 128
Publicado em: 09/12/2002
Área(s): Literatura e Cultura - Diversos
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

O trabalho realiza uma releitura da obra Os Sertões através de uma perspectiva que tem como pano de fundo a formação das identidades nacionais. O livro de Euclides da Cunha é entendido como uma resposta peculiar à questão sobre quem é o brasileiro, que ultrapassa os limites entre História, Sociologia, Jornalismo, Antropologia e Literatura. Utilizando os conceitos de identidade, memória e tempo, este trabalho mostra que as dualidades tradição/modernidade e objetividade/subjetividade não estão dissociadas na construção do discurso acerca da nacionalidade brasileira. A compreensão de Euclides da Cunha do sertanejo, em particular, e da nacionalidade brasileira, em geral, sofreu alterações na medida em que o autor aproximava-se do sertão. No decorrer da viagem a Canudos, gradativamente, a experiência vivenciada derruba-lhe as certezas iniciais sobre o sertanejo, e é, paradoxalmente, a base de uma admiração inconfessa pelo jagunço. A pesquisa evidencia a perspectiva de Euclides da Cunha como expressão da tensão da inadaptação da racionalidade moderna ao sertão e, através dela, amplia o escopo de análise, focalizando a construção de discursos sobre a memória coletiva e sua relação com as identidades nacionais para recolocar a questão sobre quem é o brasileiro.

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

CAPÍTULO 1 OS OLHARES SOBRE UM OLHAR: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DE "OS SERTÕES"

1.1 A crítica do tempo

1.2 Os Sertões como expressão de subjetividade

1.3 Olhares que apontam ambigüidades na obra

1.4 A complexidade de Os Sertões

CAPÍTULO 2 EUCLIDES DA CUNHA E O SERTÃO: TRAJETÓRIA E COMPREENSÃO

2.1 "A Nossa Vendéia"

2.2 As reportagens do "enviado especial"

2.3 Incorporação e compreensão do sertanejo

CAPÍTULO 3 OS SERTÕES , DE EUCLIDES DA CUNHA: AS TENSÕES DAS IDÉIAS DE UMA ÉPOCA

3.1 A identidade nacional e a mestiçagem em Os Sertões

3.2 Identidade e politização da memória

CONSIDERAÇÕES FINAIS

INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: