Tropeirismo - Platino-Peruano & Platino-Brasileiro

Francisco Filipak

Versão impressa

por R$ 59,90em 2x de R$ 29,95Adicionar ao carrinho

Versão digital

Disponível para:AndroidiOS

Ficha técnica

Autor(es): Francisco Filipak

ISBN v. impressa: 978853621961-5

ISBN v. digital: 978853626916-0

Acabamento: Brochura

Formato: 15,0x21,0 cm

Peso: 129grs.

Número de páginas: 176

Publicado em: 10/04/2008

Área(s): Literatura e Cultura - Política, História e Filosofia; Literatura e Cultura - Diversos

Versão Digital (eBook)

Para leitura em aplicativo exclusivo da Juruá Editora para Smartphones e Tablets rodando iOS e Android. Não compatível KINDLE, LEV, KOBO e outros e-Readers.

Disponível para as plataformas:

  • AndroidAndroid 4 ou posterior
  • iOSiOS 7 ou posterior

Em computadores a leitura é apenas online e sem recursos de favoritos e anotações;
Não permite a impressão e cópia do conteúdo.

Compra apenas via site da Juruá Editora.

Sinopse

O papel do tropeirismo na vida colonial brasileira foi extremamente significativo, e até essencial, seja pelos seus aspectos de integração territorial na fundação de vilas e cidades, seja pelo seu aspecto cultural. Podemos, também, destacar o seu papel como um sistema de transporte e escoamento de produção eficaz, inclusive em relação ao abastecimento, que viabilizou os ciclos econômicos, mais especificamente o do ouro em Minas Gerais.O Professor e Pesquisador Francisco Filipak, membro da Academia Paranaense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná, nos traz um preciso e precioso estudo sobre a revolução que o tropeirismo proporcionou no desenvolvimento econômico do Brasil, e vai buscar as suas raízes platinas. Antes, decifra o modo de vida do tropeiro, seus usos e costumes. Mostra-nos a evolução da linguagem tropeira, seus topônimos e vocábulos característicos. Explica-nos sobre muares, onagros, asnos, burros, jumentos, lhamas, alpacas, vicunhas... Apresenta-nos os grandes tropeiros platino-peruanos e platino-brasileiros e sua importância histórica. Fala-nos sobre biribas, sobre a prata do Potosi, sobre eldorados e paiquerês e muito mais.Obra entusiasmante e de leitura agradável e acessível. Este livro estabelece uma nova perspectiva no olhar sobre o tropeirismo e sua relevância histórica e sociológica na formação da identidade sul-brasileira. Trabalho metodologicamente correto, representa uma confiável fonte de pesquisa para todos que quiserem estudar sobre o tropeirismo. Imprescindível.

Anthony Leahy
Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná
e da Academia de Cultura de Curitiba

Autor(es)

Francisco Filipak é Professor titular de Lingüística pelos Pareceres 3.840/1976 e 5.283/1978 do Conselho Federal de Educação.Filho de Antônio e Maria Filipak, nasceu em Araucária, Paraná a 7 de agosto de 1924. Formado em Letras pela Pontif ícia Universidade Católica do Paraná, Mestre em Letras pela mesma Universidade.Formado em Filoso?a Pura pela Unisinos de São Leopoldo, RS. Possui Curso de Especialização em Língua e Cultura Polonesa pela Universidade Federal do Paraná, em convênio com a Universidade Jaguelônica de Cracóvia, Polônia, concluído em 1997. Professor de Português, concursado no magistério público do Paraná; Professor de Teoria da Literatura na Fundação Estadual de Filoso?a, Ciências e Letras de União da Vitória/PR, na Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Irati/PR e na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Tuiuti, em Curitiba. Professor de Técnica de Comunicação na Faculdade de Ciências Econômicas, Contábeis e Administração “Professor De Plácido e Silva” , em Curitiba. Professor de Língua e Literatura Latinas nos cursos de Letras das Faculdades Tuiuti e Irati. Diretor da Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de União da Vitória/PR, no quadriênio de 1968-1972.

Sumário

PARTE I TROPEIRISMO PLATINO-PERUANO, p. 25

1 OS MITOS DO ELDORADO E DO PAIQUERÊ, p. 27

Referências, p. 31

2 O ELDORADO DOS ESPANHÓIS E PORTUGUESES, p. 33

3 MINAS DE PRATA DE POTOSI, p. 35

4 O CICLO DA PRATA E O ESPLENDOR DE POTOSI, p. 37

5 O TROPEIRISMO PLATINO-PERUANO E PLATINO-BRASILEIRO, p. 39

6 POTOSI E LLAMERAJE (TROPEIRISMO DE LHAMAS), p. 41

7 OS AUQUÊNIDOS (OS CAMELÍDEOS ANDINOS), p. 43

1. LHAMA, p. 43

2. ALPACA, p. 45

3. GUANACO, p. 46

4. VICUNHA, p. 46

8 EL LLAMERO (O LHAMEIRO), p. 49

9 POTOSI E ARRIERAJE OU ARRIERIA (TROPEIRISMO DE MULAS), p. 51

1. A MULA, p. 51

10 A GRANDE CRISE DO SÉCULO XVII, p. 57

11 MINA DE PRATA DO CERRO DE PASCO, p. 59

12 OS GRANDES TROPEIROS (ARRIEROS) PLATINO-PERUANOS, p. 63

1. PADRE CRISTÓVÃO DE MENDOZA Y ORELLANA, p. 64

2. HERNANDO ARIAS DE SAAVEDRA, p. 65

3. DON FRANCISCO ANTÔNIO DE CANDIOTI, p. 65

4. FRANCISCO DE PAULA OTERO, p. 66

5. DOMINGO DE OLAVEGOYA, p. 67

13 LÉXICO HISPANO - LUSO-QUICHURUNA, p. 71

REFERÊNCIAS (I), p. 85

PARTE II TROPEIRISMO PLATINOBRASILEIRO, p. 87

1 OS ONAGROS - ASNOS E JUMENTOS, p. 89

1. ASNO ONAGRO (ASINUS ONAGER), p. 89

2. ASNO DA ÁFRICA ( ASINUS AFRICANUS), p. 90

3. ASNO DOMÉSTICO (ASINUS VULGARIS), p. 90

4. O JUMENTO E A JUMENTA, p. 91

2 OS BIRIBAS, p. 93

1. ETIMOLOGIA, p. 93

2. ORIGEM HISTÓRICA DO BIRIBA, p. 93

3. MISCELÂNEA DE ANTONOMÁSIAS, p. 94

4. A POLISSEMIA DO SIGNIFICANTE BIRIVA, p. 95

3 OS BIRIBAS DO PARANÁ, p. 97

4 O POUSO DO IAPÓ (1680-1771), p. 103

1, p. 103

2. FREGUESIA DE SANT´ANA DO IAPÓ (1771-1789), p. 104

3. VILA NOVA DE CASTRO (1789-1857), p. 104

4. CIDADE DE CASTRO (1857), p. 105

5 QUEM ERAM OS PAULISTAS CORITIBANOS, p. 107

1, p. 107

2. O POVOAMENTO, p. 107

6 QUEM ERA O TROPEIRO?, p. 111

1. TROPEIROS DE ALUGUEL, p. 113

7 O TROPEIRISMO MERIDIONAL, p. 115

1. PRIMEIRO PERÍODO: CORITIBANO-PAULISTA (1680-1731), p. 116

2. O SEGUNDO PERÍODO: PAULISTA-CORITIBANO (1731-1816), p. 117

3. TERCEIRO PERÍODO: MIGRAÇÃO DOS BIRIBAS DE CASTRO AO ELDORADO DAS MISSÕES/RS (1816-1826), p. 118

4. QUARTO PERÍODO: O TROPEIRISMO DOS CAMPOS GERAIS, p. 119

4.1 Os Vaus do Pontão e do Gôio-En, p. 119

4.2 Os Caminhos das Missões, p. 120

4.3 Castro, Capital dos Campos Gerais, p. 121

4.4 Campos Gerais, País dos Tropeiros, p. 121

4.5 Lapa, no ´ País dos Tropeiros´, p. 121

8 O TROPEIRISMO DOS BARÕES PARANAENSES (1816-1897), p. 125

1. JOÃO DA SILVA MACHADO (1782-1875), p. 126

2. DAVI DOS SANTOS PACHECO (1810-1893), p. 128

3. BONIFÁCIO JOSÉ BATISTA (1827-1897), p. 129

4. JOSÉ CAETANO DE OLIVEIRA (1794-1853), p. 131

5. DOMINGOS FERREIRA PINTO (1820-1891), p. 132

6. LUCIANO CARNEIRO LOBO, p. 132

7. FRANCISCO DE PAULA E SILVA GOMES, p. 133

8. CORONEL CRISTÓVÃO PEREIRA DE ABREU, p. 135

9 REGISTRO DE CORITIBA, p. 137

10 REGISTRO DE RIO NEGRO, p. 139

11 TOPONOMÁSTICA TROPEIRISTA SUL-BRASILEIRA, p. 141

1. TOPONOMÁSTICA TROPEIRISTA SUL-BRASILEIRA, p. 142

1.1 Passo da Galinha, p. 145

1.2 Passo do Gôio-En, p. 146

1.3 Passo do Iguaçu, p. 146

1.4 Passo do Pontão, p. 147

1.5 Passo de Santa Vitória, p. 147

1.6 Quatro Irmãos, p. 147

1.7 Rua das Tropas, p. 151

REFERÊNCIAS, p. 151

12 SOCIOLINGÜÍSTICA SUL-BRASILEIRA, p. 153

1. O TROPEIRISMO E SEU LEGADO SOCIOLINGÜÍSTICO, p. 155

13 CORREDORES CULTURAIS PLATINO-PERUANO E PLATINOBRASILEIRO, p. 161

1. CORREDOR CULTURAL PLATINO-PERUANO, p. 161

2. CORREDOR CULTURAL PLATINO-BRASILEIRO, p. 163

REFERÊNCIAS (II), p. 167

Índice alfabético

A

  • África. Asno da África (asinus africanus), p. 90
  • Alpaca, p. 45
  • Aluguel. Tropeiros de aluguel, p. 113
  • Andino. Auquênidos (os camelídeos andinos), p. 43
  • Antonomásia. Miscelâneade antonomásias, p. 94
  • Arrieraje. Potosi e arrieraje ou arrieria (tropeirismo de mulas), p. 51
  • Arrieria. Potosi e arrieraje ou arrieria (tropeirismo de mulas), p. 51
  • Arriero. Grandes tropeiros (arrieros) platino-peruanos, p. 63
  • Asinus africanus. Asno da África (asinus africanus), p. 90
  • Asno. Onagros, asnos e jumentos, p. 89
  • Asno da África (asinus africanus), p. 90
  • Asno doméstico (asinus vulgaris), p. 90
  • Asno onagro (asinus onager), p. 89
  • Auquênidos (os camelídeos andinos), p. 43

B

  • Barões paranaenses. Tropeirismo dos barões paranaenses (1816-1897), p. 125
  • Barões paranaenses. Tropeirismo dos barões paranaenses. Bonifácio José Baptista, Barão do Monte Carmelo, p. 129
  • Barões paranaenses. Tropeirismo dos barões paranaenses. Davi dos Santos Pacheco, Barão dos Campos Gerais, p. 128
  • Barões paranaenses. Tropeirismo dos barões paranaenses. Domingos Ferreira Pinto, Barão de Guaraúna, p. 132
  • Barões paranaenses. Tropeirismo dos barões paranaenses. José Caetano de Oliveira, Barão do Tibagi, p. 131
  • Barões paranaenses. Tropeirismo dos barões paranaenses. João da Silva Machado, Barão de Antonina, p. 126
  • Biriba. Etimologia, p. 93
  • Biriba. Origem histórica do Biriba, p. 93
  • Biribas, p. 93
  • Biribas do Paraná, p. 97
  • Biriva. Polissemia do significante biriva, p. 95
  • Bonifácio José Baptista. Barão do Monte Carmelo. Barões paranaenses, p. 129

C

  • Camelídeos. Auquênidos (os camelídeos andinos), p. 43
  • Candioti. Don Francisco Antônio de Candioti, p. 65
  • Castro. Cidade de Castro (1857), p. 105
  • Cerro de Pasco. Mina de prata do Cerro de Pasco, p. 59
  • Ciclo da Prata e o Esplendor de Potosi, p. 37
  • Cidade de Castro (1857), p. 105
  • Coritiba. Registro de Coritiba, p. 137
  • Coronel Cristóvão Pereira de Abreu, p. 135
  • Corredor cultural platino-brasileiro, p. 163
  • Corredor platino-peruano, p. 161
  • Corredor platino-peruano. Considerações, p. 161
  • Crise. Grande crise do século XVII, p. 57
  • Cultura. Corredor cultural platino-brasileiro, p. 163

D

  • Davi dos Santos Pacheco. Barões paranaenses. Tropeirismo dos barões paranaenses, p. 128
  • Domingo de Olavegoya, p. 67
  • Domingos Ferreira Pinto. Barão de Guaraúna. Tropeirismo dos barões paranaenses, p. 132
  • Don Francisco Antônio de Candioti, p. 65

E

  • El Llamero (o lhameiro), p. 49
  • Eldorado. Mitos do Eldorado e do Paiquerê, p. 27
  • Eldorado das Missões/RS, p. 118
  • Eldorado dos espanhóis e portugueses, p. 33
  • Espanhóis. Eldorado dos espanhóis e portugueses, p. 33
  • Esplendor. Ciclo da Prata eo Esplendor de Potosi, p. 37
  • Etimologia. Biriba, p. 93

F

  • Francisco de Paula Otero, p. 66
  • Francisco de Paula e Silva Gomes, p. 133
  • Freguesia de Sant’Ana do Iapó (1771-1789), p. 104

G

  • Grande crise do século XVII, p. 57
  • Grandes tropeiros (arrieros) platino-peruanos, p. 63
  • Guanaco, p. 46

H

  • Hernando Arias de Saavedra, p. 65
  • História. Biriba. Origem histórica do Biriba, p. 93

I

  • Iapó. Freguesia de Sant’Ana do Iapó (1771-1789), p. 104
  • Iapó. Pouso do Iapó (1680-1771), p. 103

J

  • José Caetano de Oliveira. Barões paranaenses. Barão do Tibagi. Tropeirismo dos barões paranaenses, p. 131
  • João da Silva Machado. Barões paranaenses. Barão de Antonina. Tropeirismo dos barões paranaenses, p. 126
  • Jumento. Onagros, asnos e jumentos, p. 89
  • Jumento e jumenta, p. 91

L

  • Legado sociolingüístico. Tropeirismoe seu legado sociolingüístico, p. 155
  • Léxico hispano. Luso-quichuruna, p. 71
  • Lhama, p. 43
  • Lingüística. Sociolingüística sul-brasileira, p. 153
  • Llamas. Potosi e Llameraje(Tropeirismo de Lhamas), p. 41
  • Llameraje. Potosi e Llameraje (Tropeirismo de Lhamas), p. 41
  • Llamero. El Llamero (o lhameiro), p. 49
  • Luciano Carneiro Lobo, p. 132
  • Luso-quichuruna. Léxico hispano, p. 71

M

  • Manoel Gonçalves Guimarães, p. 105
  • Mina de prata do Cerro de Pasco, p. 59
  • Minas de Prata de Potosi, p. 35
  • Ministro Martinho de Mello e Castro, p. 104
  • Miscelânea de antonomásias, p. 94
  • Mitos do Eldorado e do Paiquerê, p. 27
  • Mitos do Eldorado e do Paiquerê. Referências, p. 31
  • Mula, p. 51
  • Mula. Potosi e arrieraje ou arrieria (tropeirismo de mulas), p. 51

O

  • Olavegoya. Domingo de Olavegoya, p. 67
  • Onagros, asnos e jumentos, p. 89
  • Orellana. Padre Cristóvão de Mendoza y Orellana, p. 64
  • Otero. Francisco de Paula Otero, p. 66

P

  • Padre Cristóvão de Mendoza y Orellana, p. 64
  • Paiquerê. Mitos do Eldorado e do Paiquerê, p. 27
  • Paraná. Biribas do Paraná, p. 97
  • Passo da Galinha, p. 145
  • Passo de Santa Vitória, p. 147
  • Passo do Gôio-En, p. 146
  • Passo do Iguaçú, p. 147
  • Passo do Pontão, p. 147
  • Paulista-coritibano. Quem eramos paulistas-coritibanos, p. 107
  • Peru. Tropeirismo platino-peruano, p. 25
  • Peruano-platino. Corredor platino-peruano, p. 161
  • Platino-brasileiro. Corredor cultural platino-brasileiro, p. 163
  • Platino-brasileiro. Tropeirismo platino-brasileiro, p. 87
  • Platino-peruano. Grandes tropeiros (arrieros) platino-peruanos, p. 63
  • Platino-peruano e platino-brasileiro. Tropeirismo, p. 39
  • Polissemia do significante biriva, p. 95
  • Portugueses. Eldorado dos espanhóis e portugueses, p. 33
  • Potosi. Ciclo da Prata eo Esplendor de Potosi, p. 37
  • Potosi. Minas de Prata de Potosi, p. 35
  • Potosi e Llameraje (Tropeirismo de Lhamas), p. 41
  • Potosi e arrieraje ou arrieria (tropeirismo de mulas), p. 51
  • Pouso do Iapó (1680-1771), p. 103
  • Povoamento, p. 107
  • Prata. Ciclo da Prata e o Esplendor de Potosi, p. 37
  • Prata. Minas de Prata de Potosi, p. 35

Q

  • Quatro-Irmãos, p. 147
  • Quem era o tropeiro?, p. 111
  • Quem eram os paulistas-coritibanos, p. 107

R

  • Referências. Mitos do Eldorado e do Paiquerê, p. 31
  • Referências. Tropeirismo Platino-Brasileiro, p. 167
  • Referências. Tropeirismo Platino-Peruano, p. 85
  • Registro de Coritiba, p. 137
  • Registro de Rio Negro, p. 139
  • Rio Negro. Registro de Rio Negro, p. 139
  • Rua das Tropas, p. 151

S

  • Saavedra. Hernando Arias de Saavedra, p. 65
  • Século XVII. Grande crise do século XVII, p. 57
  • Sociolingüística sul-brasileira, p. 153

T

  • Toponomástica tropeirista sul-brasileira, p. 141
  • Toponomástica tropeirista sul-brasileira. Considerações, p. 142
  • Toponomástica tropeirista sul-brasileira. Referências, p. 151
  • Tropa. Rua das Tropas, p. 151
  • Tropeirismo Platino-Brasileiro. Referências, p. 167
  • Tropeirismo. Potosi e arrieraje ou arrieria (tropeirismo de mulas), p. 51
  • Tropeirismo dos barões paranaenses (1816-1897), p. 125
  • Tropeirismo e seu legado sociolingüístico, p. 155
  • Tropeirismo meridional, p. 115
  • Tropeirismo meridional. Campos Gerais. Caminhos das Missões, p. 120
  • Tropeirismo meridional. Campos Gerais. Campos Gerais, país dos tropeiros, p. 121
  • Tropeirismo meridional. Campos Gerais. Castro, Capital dos Campos Gerais, p. 121
  • Tropeirismo meridional. Campos Gerais. Lapa, no ´país dos tropeiros´, p. 121
  • Tropeirismo meridional. Campos Gerais. Vaus do Pontão e do Gôio-En, p. 119
  • Tropeirismo meridional. Primeiro período: coritibano-paulista (16801731), p. 116
  • Tropeirismo meridional. Quarto período: o tropeirismo dos Campos Gerais, p. 119
  • Tropeirismo meridional. Segundo período: paulista-coritibano (17311816), p. 117
  • Tropeirismo meridional. Terceiro período: migração dos biribas de Castro ao Eldorado das Missões/RS (1816/1826), p. 118
  • Tropeirismo platino-brasileiro, p. 87
  • Tropeirismo platino-peruano, p. 25
  • Tropeirismo platino-peruano. Referências, p. 85
  • Tropeirismo platino-peruano e platino-brasileiro, p. 39
  • Tropeirismo sul-brasileiro. Toponomástica tropeirista sul-brasileira, p. 141
  • Tropeiro. Grandes tropeiros (arrieros) platino-peruanos, p. 63
  • Tropeiro. Quem era o tropeiro?, p. 111
  • Tropeiros de aluguel, p. 113

V

  • Vicunha, p. 46
  • Vila Nova de Castro (1789-1857), p. 104

Recomendações

Capa do livro: Publicidade Abusiva Dirigida à Criança, Isabella Vieira Machado Henriques

Publicidade Abusiva Dirigida à Criança

 Isabella Vieira Machado HenriquesISBN: 853621324-8Páginas: 238Publicado em: 24/07/2006

Versão impressa

R$ 89,90em 3x de R$ 29,97Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Cárcere, O, Fabiano Bley Franco

Cárcere, O

 Fabiano Bley FrancoISBN: 978853623515-8Páginas: 62Publicado em: 07/10/2011

Versão impressa

R$ 29,90 Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Marca do Dragão, A, J. L. Loureiro-Lima

Marca do Dragão, A

 J. L. Loureiro-LimaISBN: 853620320-XPáginas: 150Publicado em: 02/04/2003

Versão impressa

R$ 57,90em 2x de R$ 28,95Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Pobreza, Caridade e Poder, Bruno Miranda Zétola

Pobreza, Caridade e Poder

 Bruno Miranda ZétolaISBN: 978853622737-5Páginas: 110Publicado em: 30/11/2009

Versão impressa

R$ 39,90 Adicionar ao
carrinho