Direito e Literatura - O Encontro Entre Themis e Apolo

Coordenadores: André Trindade e Germano Schwartz

Versão impressa

por R$ 119,90em 4x de R$ 29,98Adicionar ao carrinho

Versão digital

Disponível para:AndroidiOS
por R$ 84,70em 3x de R$ 28,23Adicionar ao carrinho

Ficha técnica

Autor(es): Coordenadores: André Trindade e Germano Schwartz

ISBN v. impressa: 978853622182-3

ISBN v. digital: 978853627234-4

Acabamento: Brochura

Formato: 15,0x21,0 cm

Peso: 402grs.

Número de páginas: 344

Publicado em: 10/10/2008

Área(s): Direito - Diversos; Literatura e Cultura - Diversos

Versão Digital (eBook)

Para leitura em aplicativo exclusivo da Juruá Editora para Smartphones e Tablets rodando iOS e Android. Não compatível KINDLE, LEV, KOBO e outros e-Readers.

Disponível para as plataformas:

  • AndroidAndroid 4 ou posterior
  • iOSiOS 7 ou posterior

Em computadores a leitura é apenas online e sem recursos de favoritos e anotações;
Não permite a impressão e cópia do conteúdo.

Compra apenas via site da Juruá Editora.

Sinopse

A obra ora apresentada ao público tem a seguinte pretensão: demonstrar a interdependência entre Direito e Literatura, e, portanto, entre Themis e Apolo. Os artigos compartilham de um estranhamento inicial: como reconstruir essa conexão? Suas angústias se transformaram nos textos que temos o prazer de trazer a baila como resultado de uma rede de pessoas preocupadas com o futuro da ciência jurídica.

Autor(es)

COORDENADORES:

André Trindade é Mestre em Direitos Fundamentais – Ulbra; Presidente do Instituto de Teoria do Direito. Coordenador-adjunto do curso de Direito da Unopar; Advogado.

Germano Schwartz é Doutor em Direito – Unisinos; Professor do Mestrado em Direitos Fundamentais da Universidade Luterana do Brasil – Ulbra e do curso de Direito da Universidade de Passo Fundo – UPF; Professor da disciplina “Direito e Literatura” na Escola Superior da Magistratura do Rio Grande do Sul.

COLABORADORES:

Albert Noguera Fernández
Alexandre Matzenbacher
André Trindade
Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy
Augusto Jobim do Amaral
David Restrepo Amariles
Diego Quaglioni
Elaine Harzheim Macedo
Fernando Tonet
Germano Schwartz
José Alexandre Ricciardi Sbizera
Juan Antonio García Amado
Leonel Ohlweiler
Michele Carducci
Paulo Ferreira da Cunha
Paolo Carta
Renata Almeida da Costa
Ricardo Jacobsen Gloeckner
Yu Xian

Sumário

Direito e Literatura: os Pais Fundadores John Henry Wigmore, Benjamin Nathan Cardozo e Lon Fuller - Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy, p. 21

Política e Literatura no Humanismo Jurídico Italiano do Século XX - Paolo Carta, p. 51

O Direito como Arte e um de seus Expoentes: o Law And Literature Movement - Germano Schwartz, p. 79

Era uma Vez o Direito: a Linguagem Jurídico-Artística - André Trindade - José Alexandre Ricciardi Sbizera, p. 95

Direito e Literatura na Doutrina Medieval - Diego Quaglioni, p. 101

De Qual Literatura Falam os Juristas? Observações sobre Algumas Respostas ´Desilusórias´ - Michele Carducci, p. 121

A Literatura e o Direito nos Julgamentos: Uma Ponte a ser Cruzada - Elaine Harzheim Macedo, p. 129

As Regras, a Razão e a Força. Sobre ´O Senhor das Moscas´, de William Golding - Juan Antonio García Amado, p. 145

O Realismo Mágico do Estado Latino-Americano em Gabriel García Márquez David Restrepo Amariles, p. 159

Aproximações Hermenêuticas entre Direito e Literatura: a Narratividade dos Princípios Constitucionais da Administração Pública - Leonel Ohlweiler, p. 173

Individualismo e Direitos Fundamentais: Intersecções entre Direito e Literatura a Partir do Homem sem Qualidades, de Robert Musil - Ricardo Jacobsen Gloeckner, p. 199

Albert Camus e o Processo Penal: Aportes Garantistas ao Interrogatório do ´Estrangeiro´ - Renata Almeida da Costa, p. 221

Deslo(U)Cando O Processo Penal: Itinerários Kafkaescos - Augusto Jobim do Amaral, p. 237

Kafka e a Tolerância Zero: Uma Abordagem da Política Criminal a Partir da Literatura - Alexandre Matzenbacher - Fernando Tonet, p. 257

Direito, Subjetividade e Mundialização: Reflexões a Partir de o Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry - Albert Noguera Fernández, p. 281

Entre os Véus de Themis e os Paradoxos de Janus: a Razão e o Caos no Discurso Jurídico, Pela Lente de Albert Camus - Ricardo Aronne, p. 303

O Amor na Cruz: uma Prova no Dilema entre o Amor e a Justiça em A Letra Escarlate - Yu Xian, p. 321

Índice alfabético

A

  • ´A Letra Escarlate´. O Amor na Cruz: uma prova no dilema entre o Amor e a Justiça em ´A Letra Escarlate´. Yu Xian, p. 321
  • A literatura e o direito nos julgamentos: uma ponte a ser cruzada. Elaine Harzheim Macedo, p. 129
  • Administração Pública. Aproximações hermenêuticas entre Direito e Literatura: a narratividade dos princípios constitucionais da Administração Pública. Leonel Ohlweiler, p. 173
  • Albert Camums. Entre os véus de Themis e os paradoxos de Janus: a razão e o caos no discurso jurídico, pela lente de Albert Camus. Ricardo Aronne, p. 303
  • Albert Camus e o processo penal: aportes garantistas ao interrogatório do ´Estrangeiro´. Renata Almeida da Costa, p. 221
  • Albert Noguera Fernández. Direito, subjetividade e mundialização: reflexões a partir de o Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry, p. 281
  • Alexandre Matzenbacher e Fernando Tonet. Kafka e a tolerância zero: uma abordagem da política criminal a partir da literatura, p. 257
  • América-Latina. O realismo mágico do Estado latino-americano em Gabriel Garcia Márquez. David Restrepo Amariles, p. 159
  • Amor na Cruz: uma prova no dilema entre o Amor e a Justiça em ´A Letra Escarlate´. Yu Xian, p. 321
  • André Fernando dos Reis Trindade e José Alexandre Ricciardi Sbizera. Era uma vez o Direito: a linguagem jurídico-artística, p. 95
  • Antoine de Saint-Exupéry. Direito, subjetividade e mundialização: reflexões a partir de o Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry. Albert Noguera Fernández, p. 281
  • Aporte garantista. Albert Camus e o processo penal: aportes garantistas ao interrogatório do ´Estrangeiro´. Renata Almeida da Costa, p. 221
  • Aproximações hermenêuticas entre Direito e Literatura: a narratividade dos princípios constitucionais da Administração Pública. Leonel Ohlweiler, p. 173
  • Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy. Direito e literatura: os pais fundadores John Henry Wigmore, Benjamin Nathan Cardozo e Lon Fuller, p. 21
  • Arte. Era uma vez o Direito: a linguagem jurídico-artística. André Fernando dos Reis Trindade e José Alexandre Ricciardi Sbizera, p. 95
  • Arte. O Direito como arte e um de seus expoentes: o Law And Literature Movement. Germano Schwartz, p. 79
  • As regras, a razão e a força. sobre ´O Senhor das Moscas´, de William Golding. Juan Antonio García Amado, p. 145
  • Augusto Jobim do Amaral. Deslo(U)Cando o processo penal: itinerários kafkaescos, p. 237

B

  • Benjamin Nathan Cardozo. Direito e literatura: os pais fundadores John Henry Wigmore, Benjamin Nathan Cardozo e Lon Fuller. Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy, p. 21

D

  • David Restrepo Amariles. O realismo mágico do Estado latino-americano em Gabriel Garcia Márquez, p. 159
  • De qual literatura falam os juristas? Observações sobre algumas respostas desilusórias. Michele Carducci, p. 121
  • Desilusão. De qual literatura falam os juristas? Observações sobre algumas respostas desilusórias. Michele Carducci, p. 121
  • Deslo(U)Cando o processo penal: itinerários kafkaescos. Augusto Jobim do Amaral, p. 237
  • Diego Quaglioni. Direito e literatura na doutrina medieval, p. 101
  • Dilema. O Amor na Cruz: uma prova no dilema entre o Amor e a Justiça em ´A Letra Escarlat e´. Yu Xian, p. 321
  • Direito. A literatura e o direito nos julgamentos: uma ponte a ser cruzada. Elaine Harzheim Macedo, p. 129
  • Direito. Aproximações hermenêuticas entre Direito e Literatura: a narratividade dos princípios constitucionais da Administração Pública. Leonel Ohlweiler, p. 173
  • Direito. Era uma vez o Direito: a linguagem jurídico-artística. André Fernando dos Reis Trindade e José Alexandre Ricciardi Sbizera, p. 95
  • Direito. Individualismo e direitos fundamentais: intersecções entre Direito e Literatura a partir do homem sem qualidades, de Robert Musil. Ricardo Jacobsen Gloeckner, p. 199
  • Direito como arte e um de seus expoentes: o Law And Literature Movement. Germano Schwartz, p. 79
  • Direito e literatura na doutrina medieval. Diego Quaglioni, p. 101
  • Direito e literatura: os pais fundadores John Henry Wigmore, Benjamin Nathan Cardozo e Lon Fuller. Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy, p. 21
  • Direito, subjetividade e mundialização: reflexões a partir de o Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry. Albert Noguera Fernández, p. 281
  • Discurso jurídico. Entre os véus de Themis e os paradoxos de Janus: a razão e o caos no discurso jurídico, pela lente de Albert Camus. Ricardo Aronne, p. 303
  • Doutrina medieval. Direito e literatura na doutrina medieval. Diego Quaglioni, p. 101

E

  • Elaine Harzheim Macedo. A literatura e o direito nos julgamentos: uma ponte a ser cruzada, p. 129
  • Entre os véus de Themis e os paradoxos de Janus: a razão e o caos no discurso jurídico, pela lente de Albert Camus. Ricardo Aronne, p. 303
  • Era uma vez o Direito: a linguagem jurídico-artística. André Fernando dos Reis Trindade e José Alexandre Ricciardi Sbizera, p. 95
  • Estado. O realismo mágico do Estado latino-americano em Gabriel Garcia Márquez. David Restrepo Amariles, p. 159
  • ´Estrangeiro´. Albert Camus e o processo penal: aportes garantistas ao interrogatório do ´Estrangeiro´. Renata Almeida da Costa, p. 221
  • Evento jurídico. De qual literatura falam os juristas? Observações sobre algumas respostas desilusórias. Michele Carducci, p. 121

F

  • Fato literário. De qual literatura falam os juristas? Observações sobre algumas respostas desilusórias. Michele Carducci, p. 121
  • Força. As regras, a razão e a força. sobre ´O Senhor das Moscas´, de William Golding. Juan Antonio García Amado, p. 145

G

  • Gabriel Garcia Márquez. O realismo mágico do Estado latino-americano em Gabriel Garcia Márquez. David Restrepo Amariles, p. 159
  • Germano Schwartz. O Direito como arte e um de seus expoentes: o Law And Literature Movement, p. 79

H

  • Hermenêutica. Aproximações hermenêuticas entre Direito e Literatura: a narratividade dos princípios constitucionais da Administração Pública. Leonel Ohlweiler, p. 173
  • Humanismo jurídico italiano. Política e literatura no humanismo jurídico italiano do Século XX. Paolo Carta, p. 51

I

  • Individualismo e direitos fundamentais: intersecções entre Direito e Literatura a partir do homem sem qualidades, de Robert Musil. Ricardo Jacobsen Gloeckner, p. 199
  • Itinerários kafkaescos. Deslo(U)Cando o processo penal: itinerários kafkaescos. Augusto Jobim do Amaral, p. 237

J

  • John Henry Wigmore. Direito e literatura: os pais fundadores John Henry Wigmore, Benjamin Nathan Cardozo e Lon Fuller. Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy, p. 21
  • José Alexandre Ricciardi Sbizera e André Fernando dos Reis Trindade. Era uma vez o Direito: a linguagem jurídico-artística, p. 95
  • Juan Antonio García Amado. As regras, a razão e a força. sobre ´O Senhor das Moscas´, de W illiam Golding, p. 145
  • Julgamento. A literatura e o direito nos julgamentos: uma ponte a ser cruzada. Elaine Harzheim Macedo, p. 129
  • Jurista. De qual literatura falam os juristas? Observações sobre algumas respostas desilusórias. Michele Carducci, p. 121
  • Justiça. O Amor na Cruz: uma prova no dilema entre o Amor e a Justiça em ´A Letra Escarlat e´. Yu Xian, p. 321

K

  • Kafka e a tolerância zero: uma abordagem da política criminal a partir da literatura. Alexandre Matzenbacher e Fernando Tonet, p. 257
  • Kafka. Deslo(U)Cando o processo penal: itinerários kafkaescos. Augusto Jobim do Amaral, p. 237

L

  • Law And Literature Movement. O Direito como arte e um de seus expoentes: o Law And Literature Movement. Germano Schwartz, p. 79
  • Leonel Ohlweiler. Aproximações hermenêuticas entre Direito e Literatura: a narratividade dos princípios constitucionais da Administração Pública, p. 173
  • Linguagem. Era uma vez o Direito: a linguagem jurídico-artística. André Fernando dos Reis Trindade e José Alexandre Ricciardi Sbizera, p. 95
  • Literatura. Aproximações hermenêuticas entre Direito e Literatura: a narratividade dos princípios constitucionais da Administração Pública. Leonel Ohlweiler, p. 173
  • Literatura. De qual literatura falam os juristas? Observações sobre algumas respostas desilusórias. Michele Carducci, p. 121
  • Literatura. Direito e literatura na doutrina medieval. Diego Quaglioni, p. 101
  • Literatura. Direito e literatura: os pais fundadores John Henry Wigmore, Benjamin Nathan Cardozo e Lon Fuller. Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy, p. 21
  • Literatura. Individualismo e direitos fundamentais: intersecções entre Direito e Literatura a partir do homem sem qualidades, de Robert Musil. Ricardo Jacobsen Gloeckner, p. 199
  • Literatura. Kafka e a tolerância zero: uma abordagem da política criminal a partir da literatura. Alexandre Matzenbacher e Fernando Tonet, p. 257
  • Literatura. O Amor na Cruz: uma prova no dilema entre o Amor e a Justiça em ´A Letra Escarlate´. Yu Xian, p. 321
  • Literatura. Política e literatura no humanismo jurídico italiano do Século XX. Paolo Carta, p. 51
  • Literatura e o direito nos julgamentos: uma ponte a ser cruzada. Elaine Harzheim Macedo, p. 129
  • Lon Fuller. Direito e literatura: os pais fundadores John Henry Wigmore, Benjamin Nathan Cardozo e Lon Fuller. Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy, p. 21

M

  • Michele Carducci. De qual literatura falam os juristas? Observações sobre algumas respostas desilusórias, p. 121
  • Mundialização. Direito, subjetividade e mundialização: reflexões a partir de o Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry. Albert Noguera Fernández, p. 281

O

  • O Amor na Cruz: uma prova no dilema entre o Amor e a Justiça em ´A Letra Escarlate´. Yu Xian, p. 321
  • O Direito como arte e um de seus expoentes: o Law And Literature Movement. Germano Schwartz, p. 79
  • ´O Senhor das Moscas´. As regras, a razão e a força. sobre ´O Senhor das Moscas´, de William Golding. Ju an Antonio García Amado, p. 145
  • O realismo mágico do Estado latino-americano em Gabriel Garcia Márquez. David Restrepo Amariles, p. 159

P

  • Paolo Carta. Política e literatura no humanismo jurídico italiano do Século XX, p. 51
  • Paradoxo de Janus. Entre os véus de Themis e os paradoxos de Janus: a razão e o caos no discurso jurídico,pela lente de Albert Camus. Ricardo Aronne, p. 303
  • Pequeno Príncipe. Direito, subjetividade e mundialização: reflexões a partir de o Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry. Albert Noguera Fernández, p. 281
  • Política criminal. Kafka e a tolerância zero: uma abordagem da política criminal a partir da literatura. Alexandre Matzenbacher e Fernando Tonet, p. 257
  • Política e literatura no humanismo jurídico italiano do Século XX. Paolo Carta, p. 51
  • Princípio constitucional. Aproximações hermenêuticas entre Direito e Literatura: a narratividade dos princípios constitucionais da Administração Pública. Leonel Ohlweiler, p. 173
  • Processo penal. Albert Camus e o processo penal: aportes garantistas ao interrogatório do ´Estrangeiro´. Renata Almeida da Costa, p. 221
  • Processo penal. Deslo(U)Cando o processo penal: itinerários kafkaescos. Augusto Jobim do Amaral, p. 237
  • Prova. O Amor na Cruz: uma prova no dilema entre o Amor e a Justiça em ´A Letra Escarlate´. Yu Xian, p. 321

Q

  • Qualidade. Individualismo e direitos fundamentais: intersecções entre Direito e Literatura a partir do homem sem qualidades, de Robert Musil. Ricardo Jacobsen Gloeckner, p. 199

R

  • Razão. As regras, a razão e a força. sobre ´O Senhor das Moscas´, de William Golding. Juan Antonio García Amado, p. 145
  • Realismo mágico do Estado latino-americano em Gabriel Garcia Márquez. David Restrepo Amariles, p. 159
  • Regras, a razão e a força. sobre ´O Senhor das Moscas´, de William Golding. Juan Antonio García Amado, p. 145
  • Renata Almeida da Costa. Albert Camus e o processo penal: aportes garantistas ao interrogatório do ´Estrangeiro´, p. 221
  • Ricardo Aronne. Entre os véus de Themis e os paradoxos de Janus: a razão e o caos no discurso jurídico,pela lente de Albert Camus, p. 303
  • Ricardo Jacobsen Gloeckner. Individualismo e direitos fundamentais: intersecções entre Direito e Literatura a partir do homem sem qualidades, de Robert Musil, p. 199
  • Robert Musil. Individualismo e direitos fundamentais: intersecções entre Direito e Literatura a partir do homem sem qualidades, de Robert Musil. Ricardo Jacobsen Gloeckner, p. 199

S

  • Subjetividade. Direito, subjetividade e mundialização: reflexões a partir de o Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry. Albert Noguera Fernández, p. 281

T

  • Themis. Entre os véus de Themis e os paradoxos de Janus: a razão e o caos no discurso jurídico, pela lentede Albert Camus. Ricardo Aronne, p. 303
  • Tolerância zero. Kafka e a tolerância zero: uma abordagem da política criminal a partir da literatura. Alexandre Matzenbacher e Fernando Tonet, p. 257

W

  • William Golding. As regras, a razãoe a força. sobre ´O Senhor das Moscas´, de William Golding. Juan Antonio García Amado, p. 145

Y

  • Yu Xian. O Amor na Cruz: uma prova no dilema entre o Amor e a Justiça em ´A Letra Es carlate´, p. 321

Recomendações

Capa do livro: Patente Farmacêutica e Medicamento Genérico, Roberta Silva Melo Fernandes Remédio Marques
Doutrina Estrangeira

Patente Farmacêutica e Medicamento Genérico

 Roberta Silva Melo Fernandes Remédio MarquesISBN: 978853624412-9Páginas: 712Publicado em: 16/09/2013

Versão impressa

de R$ 249,90* porR$ 224,91em 6x de R$ 37,49Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 174,70* porR$ 157,23em 6x de R$ 26,21Adicionar eBook
ao carrinho
Capa do livro: Direito e Justiça - Ano III - Número IV - 1º Semestre 2017, Organizador: David Vallespín Pérez

Direito e Justiça - Ano III - Número IV - 1º Semestre 2017

 Organizador: David Vallespín PérezISBN: 978853627338-9Páginas: 424Publicado em: 03/10/2017

Versão impressa

de R$ 149,90* porR$ 134,91em 5x de R$ 26,98Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 104,70* porR$ 94,23em 3x de R$ 31,41Adicionar eBook
ao carrinho
Capa do livro: Posse e Dimensão Jurídica no Brasil - Recepção e Reelaboração de um Conceito a Partir da Segunda Metade do Século XIX ao Código de 1916, Sérgio Said Staut Júnior

Posse e Dimensão Jurídica no Brasil - Recepção e Reelaboração de um Conceito a Partir da Segunda Metade do Século XIX ao Código de 1916

 Sérgio Said Staut JúniorISBN: 978853625335-0Páginas: 208Publicado em: 19/08/2015

Versão impressa

de R$ 79,70* porR$ 71,73em 2x de R$ 35,87Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 57,70* porR$ 51,93em 2x de R$ 25,97Adicionar eBook
ao carrinho
Capa do livro: Desenvolvimento, Organizadores: Armando Albuquerque, Manoel Alexandre Cavalcante Belo, Rogério Magnus Varela Gonçalves e Romulo Rhemo Palitot Braga

Desenvolvimento

 Organizadores: Armando Albuquerque, Manoel Alexandre Cavalcante Belo, Rogério Magnus Varela Gonçalves e Romulo Rhemo Palitot BragaISBN: 978853623835-7Páginas: 224Publicado em: 26/06/2012

Versão impressa

de R$ 79,90* porR$ 71,91em 2x de R$ 35,96Adicionar ao
carrinho