Adoção por Homossexuais - A Família Homoparental sob o Olhar da Psicologia Jurídica

Mariana de Oliveira Farias e Ana Cláudia Bortolozzi

Parcele em até 6x sem juros no cartão.
Parcela mínima de R$ 20,00

Versão impressa

Ficha técnica

Autor(es): Mariana de Oliveira Farias e Ana Cláudia Bortolozzi

ISBN: 978853622318-6

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 248

Publicado em: 04/05/2009

Área(s): Literatura e Cultura - Adoção; Psicologia - Jurídica

Sinopse

As relações afetivas e sexuais entre pessoas do mesmo sexo são questões polêmicas em diversos países, inclusive no Brasil. Ainda mais polêmico e controverso é o tema da adoção por homossexuais, não só porque envolve a paternidade/maternidade homossexual, mas também porque a própria adoção tem uma história de estigmatização. Os estudos sobre este tema são poucos e para aprofundar o conhecimento apresentamos neste livro uma pesquisa que retrata o relato de psicólogos judiciários que trabalham em processos de adoção sobre seus critérios e procedimentos na avaliação psicológica e suas concepções sobre a homossexualidade e a adoção por homossexuais. Apresentamos também dados de estudos nacionais e internacionais sobre o tema. Esperamos com esta obra contribuir para diversos profissionais e estudiosos na área as Ciências Humanas em geral, e abranger o olhar de quem deseja a adoção, de familiares, de leigos e demais interessados nesta temática. 

Autor(es)

Mariana de Oliveira Farias é Psicóloga (Unesp). Mestra em Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem pela Unesp. Pesquisadora junto ao Grupo de Estudos e Pesquisa Sexualidade, Educação e Cultura (GEPESEC/Unesp-Bauru), cadastrado no CNPq. Atualmente é docente na Instituição Toledo de Ensino (ITE) na área de Metodologia Científica, Recursos Humanos e Psicologia Jurídica. Também atua em psicologia clínica e consultoria na área educacional.

Ana Cláudia Bortolozzi Maia é Psicóloga. Doutora em Educação pela UNESP - Marília. Docente lotada no Departamento de Psicologia da Faculdade de Ciências - UNESP , campus de Bauru, ministrando aulas junto ao curso de “Formação de Psicólogos” e ao programa de pós-graduação em “Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem”. Atua como membro integrante do Núcleo de Estudos em Sexualidade (NUSEX/ UNESP - Araraquara) onde desenvolve atividades de pós-doutorado e é líder do Grupo de Estudos e Pesquisa Sexualidade, Educação e Cultura (GEPESEC/UNESP - Bauru), ambos cadastrados no CNPq.

 

Sumário

I CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS: O QUE NOS DIZ A LITERATURA

Considerações preliminares: a escolha dos termos utilizados

1 Relações entre pessoas do mesmo sexo: o histórico

1.1 Algumas civilizações antigas

1.2 Grécia

1.3 Roma

1.4 Algumas concepções religiosas e a homossexualidade

1.5 A homossexualidade: do racionalismo à atualidade

2 Concepção de família

2.1 Famílias compostas por pares homossexuais

3 Reflexões sobre a homoparentalidade

3.1 Desfazendo mitos

3.2 O desenvolvimento psicossocial de filhos de pais/mães homossexuais

4 Adoção por homossexuais

4.1 Conceito de adoção e os procedimentos legais no Brasil

4.2 Breve histórico sobre a psicologia judiciária no Estado de São Paulo e o papel do psicólogo

4.3 Adoção por homossexuais: panorama internacional e brasileiro

II A REALIDADE VIVENCIADA: O QUE NOS DIZEM OS PSICÓLOGOS JUDICIÁRIOS ENTREVISTADOS

Preliminares da pesquisa

a) Contato com os participantes

b) Procedimentos éticos

c) Aplicação da entrevista

d) Resultados

1 Procedimentos utilizados pelos psicólogos na avaliação psicológica no processo de adoção

1.1 Uso de entrevistas

1.2 Uso de testes

1.3 Uso de observação

2 Critérios utilizados pelos psicólogos na avaliação psicológica no processo de adoção

2.1 Variáveis identificadas pelos psicólogos como adequadas ou não para favorecer o requerente à adoção em casos gerais

a) A motivação para a adoção: por que se quer adotar?

b) Condições psicológicas pessoais do requerente

c) Qualidade da relação afetiva entre os membros que já existem na família e diante do novo membro que se pretende aderir à família

d) Dificuldades psicossociais identificadas no processo de adoção

2.2 Variáveis adicionais identificadas pelos psicólogos como adequadas ou não para favorecer o requerente à adoção homossexual

a) Vida afetiva e sexual do requerente homossexual

b) O requerente homossexual e a sociedade

c) Papéis parentais entre homossexuais

3 Concepções dos psicólogos sobre a homossexualidade e as pessoas homossexuais

3.1 Concepção da homossexualidade como uma expressão do ser humano

3.2 Concepção da homossexualidade como um fenômeno que ainda não tem explicação científica sobre a sua determinação

3.3 Concepção da homossexualidade como um fenômeno que depende da influência de diferentes fatores para a sua determinação: sociais, biológicos e ou espirituais

3.4 Concepção de que a homossexualidade é definida em períodos determinados do desenvolvimento humano: a infância e a idade adulta

3.5 Concepção da homossexualidade como uma opção pessoal

3.6 Concepção de que haveria alguns atributos específicos relacionados às pessoas homossexuais

4 Opiniões dos psicólogos judiciários sobre a adoção por homossexuais

4.1 Percepção de que no caso de homossexuais é preciso investigar questões específicas relacionadas à identidade homossexual do requerente e questões sociais (preconceito, figuras parentais e motivações para a adoção)

4.2 Percepção sobre dificuldades na atuação profissional: o trabalho formal e a falta de esclarecimento sobre o assunto

4.3 Percepção de que a adoção por homossexuais é uma questão polêmica no cenário judiciário e a importância do papel do psicólogo

5 Percepção sobre o desenvolvimento de crianças criadas por homossexuais

5.1 Percepção de que as possíveis dificuldades no desenvolvimento da criança independem da orientação sexual dos pais

5.2 Percepção da relação entre a homossexualidade dos pais e a sexualidade dos filhos

a) A orientação sexual dos pais/mães não determina nem influencia a dos filhos

b) A orientação sexual e os papéis sexuais devem ser declarados e esclarecidos à criança

c) A orientação sexual dos pais pode contribuir para que as crianças tenham mais maturidade e sejam mais tolerantes com a diversidade sexual e social

5.3 Percepção sobre questões do preconceito que cerca o tema da adoção por homossexuais

6 Depoimentos dos psicólogos sobre a experiência da avaliação psicológica de requerentes homossexuais

6.1 Avaliação de que a experiência da adoção por homossexuais foi favorável ao adotante

6.2 Avaliação de que quando o processo de adoção é por homossexuais há interferências e cobranças sobre a postura do psicólogo

6.3 Avaliação da experiência sobre a relação entre psicólogo e requerentes homossexuais

6.4 Avaliação de que a adoção favorável por homossexuais foi possível por contingências específicas do caso, como não haver outra opção melhor para a criança ou por já haver vínculo estabelecido entre requerente e criança

7 Formação profissional

7.1 Relatos sobre a formação acadêmica

7.2 Relatos sobre a formação continuada

7.3 Relatos sobre o referencial teórico adotado

III ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA

1 Dos procedimentos e critérios relatados pelos psicólogos na avaliação psicológica

2 Das concepções sobre a homossexualidade, a adoção por homossexuais e o desenvolvimento de crianças criadas por homossexuais

3 Da formação acadêmica e continuada

4 Dos depoimentos de psicólogos que participaram do processo de adoção por pessoas homossexuais

IV CONSIDERAÇÕES FINAIS

REFERÊNCIAS

Índice alfabético

A

  • Adoção favorável por homossexuais. Avaliações. Contingências específicas do caso. Inexistência de opção melhor para a criança ou por já haver vínculo estabelecido entre requerente e criança.
  • Adoção por homossexuais
  • Adoção por homossexuais: panoramainternacional e brasileiro.
  • Adoção. Avaliação da experiência sobre a relação entre psicólogo e requerentes homossexuais
  • Adoção. Avaliação psicológica. Uso de observação.
  • Adoção. Avaliação psicológica. Uso de testes.
  • Adoção. Conceito de adoção e os procedimentos legais no Brasil
  • Adoção. Condições psicológicaspessoais do requerente
  • Adoção. Critérios utilizados pelos psicólogos na avaliação psicológica no processo de adoção
  • Adoção. Depoimentos de psicólogos que participaram do processo de adoção por pessoas homossexuais
  • Adoção. Dificuldades psicossociais identificadas no processo de adoção.
  • Adoção. Entre a teoria e a prática
  • Adoção. Entrevista. Uso de entrevistas.
  • Adoção. Homossexuais. Opiniões dos psicólogos judiciários sobre a adoção por homossexuais
  • Adoção. Motivação para a adoção:por que se quer adotar?.
  • Adoção. Percepção. Homossexualidade. Investigação de questões específicas relacionadas à identidade homossexual do requerente e questões sociais (preconceito, figuras parentais e motivações)
  • Adoção. Percepção de que a adoção por homossexuais é uma questão polêmica no cenário judiciário e a importância do papel do psicólogo
  • Adoção. Procedimentos utilizados pelos psicólogos na avaliação psicológica no processo de adoção
  • Adoção homossexual. Variáveis adicionais identificadas pelos psicólogos como adequadas ou não para favorecer o requerente à adoção homossexual.
  • Adoção homossexual. Vida afetiva e sexual do requerente homossexual
  • Adoção por homossexuais. Avaliação deque quando o processo de adoção é por homossexuais há interferências e cobranças sobre a postura do psicólogo
  • Adoção por homossexuais. Percepção sobre questões do preconceito que cerca o tema da adoção por homossexuais
  • Adoção por homossexual. Avaliação deque a experiência da adoção por homossexuais foi favorável ao adotante
  • Adotado. Qualidade da relação afetiva entre os membros que já existem na família e diante do novo membro quese pretende aderir à família
  • Adotante. Avaliação de que a experiência da adoção por homossexuais foi favorável ao adotante.
  • Afetividade. Vida afetiva e sexual do requerente homossexual.
  • Algumas concepções religiosas e a homossexualidade
  • Atributos específicos. Concepção de que haveria alguns atributos específicos relacionados às pessoas homossexuais
  • Atualidade. Homossexualidade: do racionalismo à atualidade.
  • Avaliação. Adoção favorável por homossexuais. Contingências específicas do caso. Inexistência de opção melhor para a criança ou por já haver vínculo estabelecido entre requerente e criança.
  • Avaliação da experiência sobre a relação entre psicólogo e requerentes homossexuais.
  • Avaliação de que a experiência da adoção por homossexuais foi favorável ao adotante.
  • Avaliação de que quando o processo de adoção é por homossexuais há interferências e cobranças sobre a postura do psicólogo.
  • Avaliação psicológica. Critérios utilizados pelos psicólogos na avaliação psicológica no processo de adoção.
  • Avaliação psicológica. Depoimentos dos psicólogos sobre a experiência da avaliação psicológica de requerentes homossexuais.
  • Avaliação psicológica. Procedimentos utilizados pelos psicólogos na avaliação psicológica no processo de adoção.

B

  • Breve histórico sobre a psicologia judiciária no Estado de São Paulo e o papel do psicólogo.

C

  • Cenário jurídico. Percepção de que a adoção por homossexuais é uma questão polêmica no cenário judiciário e a importância do papel do psicólogo
  • Ciência. Concepção da homossexualidade como um fenômeno que ainda não tem explicação científica sobre a sua determinação
  • Conceito de adoção e os procedimentos legais no Brasil
  • Concepção da homossexualidade comoum fenômeno que ainda não tem explicação científica sobre asua determinação
  • Concepção da homossexualidade como um fenômeno que depende da influência de diferentes fatores para a sua determinação: sociais, biológicos e ou espirituais.
  • Concepção da homossexualidade como uma expressão do ser humano.
  • Concepção da homossexualidade como uma opção pessoal.
  • Concepção de família
  • Concepção de que a homossexualidade é definida em períodos determinados do desenvolvimento humano: a infância e a idade adulta.
  • Concepção de que haveria alguns atributos específicos relacionados às pessoas homossexuais.
  • Concepções dos psicólogos sobre a homossexualidade e as pessoas homossexuais
  • Condições psicológicas pessoais do requerente.
  • Considerações finais
  • Contribuições teóricas: o que nos diz a literatura
  • Crença. Algumas concepções religiosas e a homossexualidade
  • Criança. Adoção favorável por homossexuais. Avaliações. Contingências específicas do caso. Inexistência de opção melhor para a criança ou por já haver vínculo estabelecido entrerequerente e criança.
  • Criança. Orientação sexual dos pais podecontribuir para que as crianças tenham mais maturidade e sejam mais tolerantes com a diversidade sexual e social
  • Criança. Orientação sexual e os papéissexuais devem ser declarados e esclarecidos à criança
  • Crianças. Percepção sobre o desenvolvimento de crianças criadas por homossexuais
  • Critérios utilizados pelos psicólogos na avaliação psicológica no processo de adoção.

D

  • Depoimentos de psicólogos que participaram do processo de adoção por pessoas homossexuais.
  • Depoimentos dos psicólogos sobre a experiência da avaliação psicológica de requerentes homossexuais
  • Desenvolvimento. Concepções sobre a homossexualidade, a adoção por homossexuais e o desenvolvimento de crianças criadas por homossexuais
  • Desenvolvimento humano. Concepçãode que a homossexualidade é definida em períodos determinados do desenvolvimento humano: a infância e a idade adulta
  • Desenvolvimento infantil. Percepção sobre o desenvolvimento de crianças criadas por homossexuais
  • Desenvolvimento psicossocial de filhos de pais/mães homossexuais
  • Determinação. Concepção da homossexualidade como um fenômeno que depende da influência de diferentes fatores para a sua determinação: sociais, biológicos e ou espirituais.
  • Dificuldades psicossociais identificadas no processo de adoção.
  • Diversidade sexual. Orientação sexual dos pais pode contribuir para que as crianças tenham mais maturidade e sejam mais tolerantes com a diversidade sexual e social.
  • Diversidade social. Orientação sexual dos pais pode contribuir para que as crianças tenham mais maturidade e sejam mais tolerantes com a diversidade sexual e social.

E

  • Entre a teoria e a prática
  • Entrevista. Aplicação daentrevista. Ética.
  • Entrevista. Realidade vicenciada. Psicólogo judiciário. Contato com os participantes
  • Entrevista. Realidade vivenciada: o que nos dizem os psicólogos judiciários entrevistados
  • Entrevista. Uso de entrevistas. Adoção.
  • Ética. Entrevista. Aplicação da entrevista.
  • Ética. Pesquisa. Procedimentos éticos
  • Explicação científica. Concepção dahomossexualidade como um fenômeno que ainda não tem explicação científica sobre a sua determinação

F

  • Família. Concepçãode família
  • Família. Qualidade da relação afetiva entre os membros que já existem na família e diante do novo membro que se pretende aderir à família
  • Famílias compostas porpares homossexuais.
  • Fator biológico. Concepção da homossexualidade como um fenômeno que depende da influência de diferentes fatores para a sua determinação: sociais, biológicos e ou espirituais
  • Fator espiritual. Concepção da homossexualidade como um fenômeno que depende da influência de diferentes fatores para a sua determinação: sociais, biológicos e ou espirituais
  • Fator social. Concepção da homossexualidade como um fenômeno que depende da influência de diferentes fatores para a sua determinação: sociais, biológicos e ou espirituais.
  • Figura parental. Percepção. Homossexualidade. Investigação de questões específicas. Identidade homossexual do requerente e questões sociais (preconceito, figuras parentais e motivações para a adoção)
  • Filho. Percepção da relação entre a homossexualidade dos pais e a sexualidade dos filhos.
  • Filhos. Desenvolvimento psicossocial de filhos de pais/mães homossexuais.
  • Formação profissional

H

  • Histórico. Breve histórico sobre a psicologia judiciária no Estado de São Paulo e o papel do psicólogo
  • Histórico. Relações entre pessoas do mesmo sexo: o histórico
  • Homoparentalidade. Desfazendo mitos
  • Homoparentalidade. Reflexões sobre a homoparentalidade
  • Homossexuais. Adoção. Opiniões dos psicólogos judiciários sobre a adoção por homossexuais
  • Homossexuais. Concepções dos psicólogos sobre a homossexualidade e as pessoas homossexuais.
  • Homossexualidade. Adoção por homossexuais.
  • Homossexualidade. Adoção por homossexuais: panorama internacional e brasileiro
  • Homossexualidade. Algumas civilizações antigas.
  • Homossexualidade. Algumas concepções religiosas e a homossexualidade
  • Homossexualidade. Concepção da homossexualidade como um fenômeno que ainda não tem explicação científica sobre a sua determinação
  • Homossexualidade. Concepção da homossexualidade como um fenômeno que depende da influência de diferentes fatores para a sua determinação: sociais, biológicos e ou espirituais
  • Homossexualidade. Concepção da homossexualidade como uma expressão do ser humano.
  • Homossexualidade. Concepção de quea homossexualidade é definida em períodos determinados do desenvolvimento humano: a infância e a idade adulta
  • Homossexualidade. Concepção de que haveria alguns atributos específicos relacionados às pessoas homossexuais
  • Homossexualidade. Concepções dos psicólogos sobre a homossexualidade e as pessoas homossexuais
  • Homossexualidade. Concepções sobre a homossexualidade, a adoção por homossexuais e o desenvolvimento de crianças criadas por homossexuais
  • Homossexualidade. Desenvolvimento psicossocial de filhos de pais/mães homossexuais.
  • Homossexualidade. Famílias compostas por pares homossexuais.
  • Homossexualidade. Grécia. Algumas civilizações antigas
  • Homossexualidade. Papéis parentais entre homossexuais.
  • Homossexualidade. Percepção da relação entre a homossexualidade dos pais e a sexualidade dos filhos
  • Homossexualidade. Percepção sobre o desenvolvimento de crianças criadas por homossexuais
  • Homossexualidade. Relações entre pessoas do mesmo sexo: o histórico.
  • Homossexualidade. Roma. Algumas civilizações antigas
  • Homossexualidade. Vida afetiva e sexual do requerente homossexual
  • Homossexualidade: do racionalismo à atualidade

I

  • Idade adulta. Concepção de que a homossexualidade é definida em períodos determinados do desenvolvimento humano: a infância e a idade adulta
  • Infância. Concepção de que a homossexualidade é definida em períodos determinados do desenvolvimento humano: a infância e a idade adulta

L

  • Literatura. Contribuições teóricas: o que nos diz a literatura.

M

  • Maturidade. Orientação sexual dos pais pode contribuir para que as crianças tenham mais maturidade e sejam mais tolerantes com a diversidade sexual e social.
  • Membros existentes na família. Qualidade da relação afetiva entre os membros que já existem na família e diante do novo membro que se pretende aderir à família
  • Motivação para a adoção: por que se quer adotar?
  • Mãe. Desenvolvimento psicossocial de filhos de pais/mães homossexuais

N

  • Novo membro na família. Qualidade da relação afetiva entre os membros que já existem na família e diante do novo membro que se pretende aderir à família.

O

  • Opiniões dos psicólogos judiciáriossobre a adoção por homossexuais
  • Orientação sexual dos pais pode contribuir para que as crianças tenham mais maturidade e sejam mais tolerantes com a diversidade sexual e social
  • Orientação sexual dos pais/mães não determina nem influencia a dos filhos.
  • Orientação sexual e os papéis sexuais devem ser declarados e esclarecidos à criança.
  • Orientação sexual. Contribuições teóricas: o que nos diz a literatura.

P

  • Pai. Desenvolvimento psicossocial de filhos de pais/mães homossexuais
  • Pai. Percepção da relação entre a homossexualidade dos pais e a sexualidade dos filhos
  • Panorama brasileiro. Adoção por homossexuais: panorama internacional e brasileiro
  • Panorama internacional. Adoção por homossexuais: panorama internacional e brasileiro
  • Papéis parentais entre homossexuais
  • Parentalidade. Papéis parentais entre homossexuais.
  • Parentalidade. Percepção. Homossexualidade. Investigação de questões específicas. Identidade homossexual do requerente e questões sociais (preconceito, figuras parentais e motivações para a adoção).
  • Pares homossexuais. Famílias compostas por pares homossexuais.
  • Percepção. Homossexualidade. Investigação de questões específicas relacionadas à identidade homossexual do requerente e questões sociais (preconceito, figuras parentais e motivações para a adoção).
  • Percepção da relação entre a homossexualidade dos pais e a sexualidade dos filhos.
  • Percepção de que a adoção por homossexuais é uma questão polêmica no cenário judiciário e a importância do papel do psicólogo
  • Percepção de que as possíveis dificuldades no desenvolvimento da criança independem da orientação sexual dos pais
  • Percepção sobre dificuldades na atuação profissional: o trabalho formal e a falta de esclarecimento sobre o assunto.
  • Percepção sobre o desenvolvimento decrianças criadas por homossexuais.
  • Percepção sobre questões do preconceito que cerca o tema da adoção por homossexuais.
  • Pesquisa. Procedimentos éticos
  • Pesquisa. Psicologia judiciária. Resultados
  • Pesquisa. Realidade vicenciada. Psicólogo judiciário. Contato com os participantes.
  • Pesquisa. Realidade vivenciada. Psicólogos judiciários. Preliminares da pesquisa.
  • Pessoas do mesmo sexo. Relações entrepessoas do mesmo sexo: o histórico
  • Preconceito. Percepção sobre questões do preconceito que cerca o tema da adoção por homossexuais
  • Preconceito. Percepção. Homossexualidade. Investigação de questões específicas. Identidade homossexual do requerente e questões sociais (preconceito, figuras parentais e motivações para a adoção).
  • Procedimento legal. Conceito de adoçãoe os procedimentos legais no Brasil.
  • Procedimentos e critérios relatados pelospsicólogos na avaliação psicológica
  • Procedimentos utilizados pelos psicólogos na avaliação psicológica no processo de adoção
  • Profissional. Depoimentos de psicólogos que participaram do processo de adoção por pessoas homossexuais
  • Profissão. Formação acadêmica e continuada.
  • Profissão. Formaçãoprofissional.
  • Profissão. Percepção sobre dificuldades na atuação profissional: o trabalho formal e a falta de esclarecimento sobre o assunto.
  • Profissão. Relatos sobre aformação continuada.
  • Psicologia judiciária. Breve histórico sobre a psicologia judiciária no Estado de São Paulo e o papel do psicólogo.
  • Psicólogo. Avaliação da experiência sobre a relação entre psicólogo e requerentes homossexuais
  • Psicólogo. Avaliação de que quando o processo de adoção é por homossexuais há interferências e cobrançassobre a postura do psicólogo
  • Psicólogo. Breve histórico sobre a psicologia judiciária no Estado de São Paulo e o papel do psicólogo
  • Psicólogo. Concepções dos psicólogos sobre a homossexualidade e as pessoas homossexuais.
  • Psicólogo. Depoimentos dos psicólogos sobre a experiência da avaliação psicológica de requerentes homossexuais
  • Psicólogo. Percepção de que a adoção por homossexuais é uma questão polêmica no cenário judiciário e a importância do papel do psicólogo
  • Psicólogo. Procedimentos utilizados pelos psicólogos na avaliação psicológica no processo de adoção.
  • Psicólogo. Variáveis adicionais identificadas pelos psicólogos como adequadas ou não para favorecer o requerente à adoção homossexual.
  • Psicólogo judiciário. Opiniões dos psicólogos judiciários sobre a adoção por homossexuais.
  • Psicólogo judiciário. Realidade vivenciada: o que nos dizem os psicólogos judiciários entrevistados
  • Psicólogos. Depoimentos de psicólogos que participaram do processo de adoção por pessoas homossexuais.
  • Psicossocialidade. Desenvolvimento psicossocial de filhos de pais/mães homossexuais.
  • Psicossocialidade. Dificuldades psicossociais identificadas no processo de adoção.

Q

  • Qualidade da relação afetiva entre os membros que já existem na família e diante do novo membro que se pretende aderir à família

R

  • Racionalismo. Homossexualidade: do racionalismo à atualidade
  • Realidade vivenciada: o que nos dizem os psicólogos judiciários entrevistados.
  • Referencial teórico. Relatos sobre o referencial teórico adotado.
  • Referências
  • Reflexões sobre a homoparentalidade
  • Relações entre pessoas domesmo sexo: o histórico
  • Relação afetiva. Qualidade da relaçãoafetiva entre os membros que já existem na família e diante do novo membroque se pretende aderir à família.
  • Relatos sobre a formação acadêmica
  • Relatos sobre o referencial teórico adotado
  • Religiosidade. Algumas concepções religiosas e a homossexualidade.
  • Requerente. Adoção favorável por homossexuais. Avaliações. Contingências específicas do caso. Inexistência de opção melhor para a criança ou por já haver vínculo entre requerente e criança
  • Requerente da adoção. Condições psicológicas pessoais do requerente.
  • Requerente homossexual. Avaliação daexperiência sobre a relação entre psicólogo e requerentes homossexuais.
  • Requerente homossexual. Depoimentos dos psicólogos sobre a experiência da avaliação psicológica de requerentes homossexuais.
  • Requerente homossexual e a sociedade

S

  • Ser humano. Concepção da homossexualidade como uma expressão do ser humano
  • Sexualidade. Concepção da homossexualidade como um fenômeno que ainda não tem explicação científica sobre a sua determinação.
  • Sexualidade. Orientação sexual e os papéis sexuais devem ser declarados e esclarecidos à criança
  • Sexualidade. Percepção da relação entre a homossexualidade dos pais e a sexualidade dos filhos.
  • Sexualidade. Relações entre pessoas do mesmo sexo: o histórico.
  • Sexualidade. Vida afetiva e sexual do requerente homossexual.
  • Sociedade. Requerente homossexual e a sociedade.

T

  • Teoria. Contribuições teóricas: o que nos diz a literatura.
  • Terminologia. Considerações preliminares a escolha dos termos utilizados
  • Trabalho formal. Percepção sobre dificuldades na atuação profissional: o trabalho formal e a falta de esclarecimento sobre o assunto

V

  • Variáveis adicionais identificadas pelos psicólogos como adequadas ou não para favorecer o requerente à adoção homossexual.
  • Variáveis identificadas pelos psicólogos como adequadas ou não para favorecer o requerente à adoção em casos gerais.
  • Vida afetiva e sexual do requerente homossexual
  • Vínculo afetivo. Adoção favorável por homossexuais. Avaliações. Contingências específicas do caso. Inexistência de opção melhor para a criança ou por já haver vínculo entre requerente e criança

Recomendações

Capa do livro: Psicologia Jurídica - Temas de Aplicação I, Organizadoras: Maria Cristina Neiva de Carvalho e Vera Regina Miranda

Psicologia Jurídica - Temas de Aplicação I

 Organizadoras: Maria Cristina Neiva de Carvalho e Vera Regina MirandaISBN: 978853621561-7Páginas: 288Publicado em: 26/04/2007

Versão impressa

R$ 87,70Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Psicologia Jurídica - Tema de Aplicação II, Maria Cristina Neiva de Carvalho, Telma Fontoura e Vera Regina Miranda

Psicologia Jurídica - Tema de Aplicação II

 Maria Cristina Neiva de Carvalho, Telma Fontoura e Vera Regina MirandaISBN: 978853622486-2Páginas: 210Publicado em: 09/06/2009

Versão impressa

R$ 59,90Adicionar ao
carrinho