Gestão de Caixa e Capital de Giro

Hong Yuh Ching

Parcele em até 6x sem juros no cartão.
Parcela mínima de R$ 20,00

Versão impressa

Ficha técnica

Autor(es): Hong Yuh Ching

ISBN: 978853622836-5

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 202

Publicado em: 01/04/2010

Área(s): Contabilidade Geral Aplicada

Sinopse

Vocês já se depararam com algumas das perguntas abaixo?
Elas são simples, porém difíceis de responder

• Quanto caixa meu negócio necessita para operar?
• Quanto será necessário?
• Quanto caixa meu negócio gera?
• Como devo investir minhas sobras de caixa?
• Quanto do lucro da minha empresa não se transforma em caixa?
• Como minha receita e despesas afetam minha capacidade de expandir meu negócio?

A mensagem do livro é ressaltar a importância dos gestores em gerir, de forma adequada, o caixa e capital de giro das suas empresas. No dia a dia das empresas, os dois temas se entrelaçam de tal maneira que fica difícil sua separação.

O livro foi estruturado de forma que o leitor saiba, de imediato, como elaborar o orçamento do caixa, maneiras de estimar fluxos de caixa de entrada e de saída e fazer sua gestão. Em seguida, o livro discorre sobre o ciclo operacional e o ciclo de caixa, entendimentos esses fundamentais para compreender os capítulos seguintes. Estes tratam da gestão dos três componentes do capital de giro – gestão da receita, gestão da cadeia de suprimentos e gestão dos gastos. O estudo de um caso prático ilustra a gestão desses componentes. Em seguida, o livro aborda as alternativas de financiamento de capital de giro e termina ilustrando com três trabalhos acadêmicos e dois estudos de caso.

Autor(es)

Hong Yuh Ching é Doutorado em Engenharia pela Unicamp; Mestre em Ciências Contábeis pela PUC/SP; Pós-graduado em Finanças CEAG/FGV e graduado em Administração de Empresas pela EAESP/FGV; Coordenador do curso e Chefe do Departamento de Administração do Centro Universitário da FEI, SBC e Professor de curso de MBA Executivo da BBS. Trabalhou como executivo por mais de 22 anos, tendo exercido cargos de gerência e direção na ICI Brasil (atual Syngenta), SP Alpargatas, Sabó e Editora Abril. É Sócio-Diretor de uma empresa de consultoria com foco em gestão financeira, gestão de custos, estratégia e operações.

Porque comprar

APLICAÇÃO:
Livro didático para alunos de graduação dos cursos de Administração e Ciências Contábeis e alunos de MBA e Pós-graduação e, também como livro de negócios, para executivos interessados em lidar com esses temas.
 

Sumário

INTRODUÇÃO

CAPÍTULO 1 IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DO CAIXA E DO CAPITAL DE GIRO NAS EMPRESAS

1.1 A ARTE DE GESTÃO DE CAIXA

1.2 OS PRINCÍPIOS DA GESTÃO DE CAIXA

1.3 TERMINOLOGIAS DO CAPITAL DE GIRO E ALGUNS PRINCIPAIS INDICADORES

1.3.1 Terminologias do Capital de Giro

1.3.2 Alguns Principais Indicadores: Ciclo Operacional, Ciclo de Conversão de Caixa, Dias de Capital de Giro e Efi ciência de Conversão de Caixa

1.4 OS PROCESSOS QUE COMPÕEM O CAPITAL DE GIRO

1.5 A OTIMIZAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO E SEUS BENEFÍCIOS

1.6 DIFERENÇA ENTRE LUCRO E CAIXA

1.7 CONCLUSÕES

CAPÍTULO 2 GESTÃO DO CAIXA

2.1 DEFINIÇÃO DO FLUXO DE CAIXA E AS SUAS TERMINOLOGIAS

2.2 ESTIMANDO FLUXO DE CAIXA OPERACIONAL

2.2.1 Projeção de Vendas e seu Recebimento

2.2.2 Projeção das Compras de Matéria-Prima e seu Pagamento

2.3 PROJEÇÃO DOS DEMAIS CUSTOS DE FABRICAÇÃO E DESPESAS OPERACIONAIS E SEU PAGAMENTO

2.4 CÁLCULO DO FLUXO DE CAIXA OPERACIONAL

2.5 ESTIMANDO FLUXO DE CAIXA LIVRE

2.6 IDENTIFICANDO SOBRA OU FALTA DE CAIXA

CAPÍTULO 3 ENTENDENDO O CICLO OPERACIONAL E CICLO DE CAIXA

3.1 O SIGNIFICADO DO CICLO OPERACIONAL E CICLO DE CAIXA, E CRÍTICAS

3.2 CÁLCULO DOS PRAZOS MÉDIOS - DE RECEBIMENTO, DE COMPRAS E DE ESTOQUE, E CRÍTICAS

3.2.1 Prazo Médio de Recebimento, PMR

3.2.2 Prazo Médio de Estoque, PME

3.2.3 Prazo Médio de Pagamento, PMP

3.3 EFICIÊNCIA DO CAPITAL DE GIRO

CAPÍTULO 4 GESTÃO DA RECEITA

4.1 GESTÃO DA DEMANDA

4.1.1 Métodos de Previsão de Vendas Baseados em Série Temporal

4.2 ESTABELECIMENTO DE UMA POLÍTICA DE CRÉDITO

4.3 INDICADORES DE DESEMPENHO E RELATÓRIO DE MONITORAMENTO

4.4 ESTUDO DE CASO: APLICAÇÃO PRÁTICA EM UMA INDÚSTRIA

CAPÍTULO 5 GESTÃO DOS GASTOS

5.1 DEFINIÇÃO DA ESTRATÉGIA DE SUPRIMENTO

5.2 INDICADORES DE DESEMPENHO E RELATÓRIOS DE MONITORAMENTO

5.3 CONTINUAÇÃO DO ESTUDO DE CASO

CAPÍTULO 6 GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO

6.1 INTEGRAÇÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO E O EFEITO CHICOTE

6.2 PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO

1 Carregamento

2 Sequenciamento

3 Programação

6.3 GESTÃO DE ESTOQUE

1 Quanto Pedir

2 Quando Pedir

3 Como Controlar o Sistema

6.4 CONTINUAÇÃO DO ESTUDO DE CASO - PARTE FINAL

CAPÍTULO 7 ALTERNATIVAS DE FINANCIAMENTO DO ATIVO CIRCULANTE

7.1 POLÍTICAS ALTERNATIVAS DE FINANCIAMENTO DO ATIVO CIRCULANTE

7.2 EFEITO TESOURA

7.3 ALGUMAS FONTES DE FINANCIAMENTO DE CURTO PRAZO NO BRASIL - OPERACIONAIS E FINANCEIRAS

7.4 ALGUMAS FONTES DE FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO NO BRASIL

CAPÍTULO 8 0TRABALHOS ACADÊMICOS E ESTUDOS DE CASO SOBRE CAPITAL DE GIRO

REFERÊNCIAS

Índice alfabético

A

  • Agências multilaterais de desenvolvimento.
  • Alguns principais indicadores: ciclo operacional, ciclo de conversão de caixa, dias de capital de giro e efi ciência de conversão de caixa
  • Alternativas de fi nanciamento do ativo circulante.
  • Análise da coleta de dados do questionário.
  • Aportes de capital.
  • Arte de gestão de caixa.
  • Ativo circulante. Alternativas de fi nanciamento do ativo circulante.
  • Ativo circulante. Políticas alternativas de fi nanciamento do ativo circulante.

B

  • BNDES.
  • BNDES capitalização.

C

  • Cadeia de suprimento. Gestão.
  • Cadeia de suprimento. Integração da cadeia de suprimento e o efeito chicote.
  • Caixa. Diferença entre lucro e caixa.
  • Cálculo do fl uxo de caixa operacional.
  • Cálculo dos prazos médios. De recebimento, de compras e de estoque, e críticas.
  • Capital de giro. Alguns principais indicadores: ciclo operacional, ciclo de conversão de caixa, dias de capital de giro e efi ciência de conversão de caixa.
  • Capital de giro. Efi ciência.
  • Capital de giro. Importância da gestão do caixa e do capital de giro nas empresas.
  • Capital de giro. Otimização do capital de giro e seus benefícios.
  • Capital de giro. Processos que compõem o capital de giro.
  • Capital de giro. Terminologias do capital de giro e alguns principais indicadores.
  • Capital de giro. Trabalhos acadêmicos e estudos de caso sobre capital de giro.
  • Carregamento.
  • Caso. Continuação do estudo de caso.
  • Caso. Continuação do estudo de caso. Parte fi nal.
  • Ciclo de conversão de caixa. Alguns principais indicadores: ciclo operacional, ciclo de conversão de caixa, dias de capital de giro e efi ciência de conversão de caixa.
  • Ciclo operacional. Alguns principais indicadores: ciclo operacional, ciclo de conversão de caixa, dias de capital de giro e efi ciência de conversão de caixa.
  • Ciclo operacional e ciclo de caixa. Entedimento.
  • Commercial paper.
  • Compra. Projeção das compras de matéria-prima e seu pagamento.
  • Contas a pagar diversos.
  • Contas a pagar fornecedores.
  • Controle da produção e planejamento.
  • Conversão de caixa. Alguns principais indicadores: ciclo operacional, ciclo de conversão de caixa, dias de capital de giro e efi ciência de conversão de caixa.
  • Custos. Projeção dos demais custos de fabricação e despesas operacionais e seu pagamento.

D

  • Debêntures.
  • Defi nição da estratégia de suprimento.
  • Defi nição do fl uxo de caixa e as suas terminologias.
  • Demanda. Gestão da demanda.
  • Desconto de títulos.
  • Desempenho. Indicadores de desempenho e relatório de monitoramento.
  • Despesa operacional. Projeção dos demais custos de fabricação e despesas operacionais e seu pagamento.
  • Diferença entre lucro e caixa.

E

  • Efeito chicote. Integração da cadeia de suprimento e o efeito chicote.
  • Efeito tesoura.
  • Efi ciência do capital de giro.
  • Empresas. Importância da gestão do caixa e do capital de giro nas empresas
  • Empréstimo comercial.
  • Entendendo o ciclo operacional e ciclo de caixa.
  • Estabelecimento de uma política de crédito.
  • Estimando fl uxo de caixa livre.
  • Estimando fl uxo de caixa operacional.
  • Estoque. Gestão de estoque.
  • Estoque. Quando pedir.
  • Estoque. Quanto pedir.
  • Estudo de caso. Continuação do estudo de caso.
  • Estudo de caso. Continuação do estudo de caso. Parte fi nal.
  • Estudo de caso: aplicação prática em uma indústria.

F

  • Falta de caixa. Identifi cando sobra ou falta de caixa.
  • Financiamento. Políticas alternativas de fi nanciamento do ativo circulante
  • Financiamento de curto prazo no Brasil. Operacionais e fi nanceiras. Algumas fontes.
  • Financiamento de longo prazo no Brasil. Abertura de capital. Novo mercado.
  • Financiamento de longo prazo no Brasil. Algumas fontes.
  • Financiamento de longo prazo no Brasil. Aportes de capital.
  • Financiamento de longo prazo no Brasil. BNDES capitalização.
  • Financiamento de longo prazo no Brasil. Debêntures.
  • Financiamento de longo prazo no Brasil. Empréstimo sindicalizado.
  • Financiamento de longo prazo no Brasil. Private Equity e Venture Capital
  • Financiamento de longo prazo no Brasil. Project fi nance.
  • Fluxo de caixa. Defi nição do fl uxo de caixa e as suas terminologias.
  • Fluxo de caixa livre. Estimativa.
  • Fluxo de caixa operacional. Cálculo.
  • Fluxo de caixa operacional. Estimativa.

G

  • Gastos. Gestão dos gastos.
  • Gestão da cadeia de suprimento.
  • Gestão da demanda.
  • Gestão da receita.
  • Gestão de caixa. Arte de gestão de caixa.
  • Gestão de estoque.
  • Gestão do caixa.
  • Gestão do caixa. Importância da gestão do caixa e do capital de giro nas empresas.
  • Gestão do caixa e capital de giro nas empresas. Importância. Conclusões.
  • Gestão dos gastos.

H

  • Hot money.

I

  • Identifi cando sobra ou falta de caixa.
  • Importância da gestão do caixa e do capital de giro nas empresas.
  • Indicadores. Alguns principais indicadores: ciclo operacional, ciclo de conversão de caixa, dias de capital de giro e efi ciência de conversão de caixa.
  • Indicadores. Terminologias do capital de giro e alguns principais indicadores.
  • Indicadores de desempenho e relatório de monitoramento.
  • Indicadores de desempenho e relatórios de monitoramento.
  • Indústria. Estudo de caso: aplicação prática em uma indústria.
  • Integração da cadeia de suprimento e o efeito chicote.
  • Introdução.

L

  • Lucro. Diferença entre lucro e caixa.

M

  • Matéria-prima. Projeção das compras de matéria-prima e seu pagamento.
  • Métodos de previsão de vendas baseados em série temporal.
  • Monitoramento. Indicadores de desempenho e relatório de monitoramento
  • Monitoramento. Indicadores de desempenho e relatórios de monitoramento.

O

  • O signifi cado do ciclo operacional e ciclo de caixa, e críticas.
  • Otimização do capital de giro e seus benefícios.

P

  • PME. Prazo médio de estoque, PME.
  • PMP. Prazo médio de pagamento, PMP.
  • Pagamento. Processo pedido ao seu recebimento.
  • Pagamento. Processo requisição ao atendimento do pedido.
  • Pagamento. Processo requisição ao seu pagamento.
  • Pagamento. Projeção das compras de matéria-prima e seu pagamento.
  • Pagamento. Projeção dos demais custos de fabricação e despesas operacionais e seu pagamento.
  • Planejamento e controle da produção.
  • Política de crédito. Estabelecimento.
  • Políticas alternativas de fi nanciamento do ativo circulante.
  • Prazo médio de estoque, PME.
  • Prazo médio de pagamento, PMP.
  • Prazo médio de recebimento, PMR.
  • Prazos médios. Cálculo. De recebimento, de compras e de estoque, e críticas.
  • Previsão de vendas. Métodos baseados em série temporal.
  • Princípios da gestão de caixa.
  • Private Equity e Venture Capital.
  • Processo pedido ao seu recebimento.
  • Processo requisição ao atendimento do pedido.
  • Processo requisição ao seu pagamento.
  • Processos que compõem o capital de giro.
  • Programação.
  • Projeção das compras de matéria-prima e seu pagamento.
  • Projeção de vendas e seu recebimento.
  • Projeção dos demais custos de fabricação e despesas operacionais e seu pagamento.
  • Project fi nance.
  • Providências e estratégias adotadas em contas a pagar.
  • Providências e estratégias adotadas em contas a receber.
  • Providências e estratégias adotadas em estoques.
  • Provisões.

R

  • Receita. Gestão da receita.
  • Referências.
  • Resultados obtidos com o projeto de capital de giro.

S

  • Securitização.
  • Sequenciamento.
  • Sistema. Como controlar o sistema.
  • Sobra de caixa. Identifi cando sobra ou falta de caixa.
  • Suprimento. Defi nição da estratégia de suprimento.

T

  • Terminologia. Defi nição do fl uxo de caixa e as suas terminologias.
  • Terminologias do capital de giro.
  • Terminologias do capital de giro e alguns principais indicadores.
  • Trabalhos acadêmicos e estudos de caso sobre capital de giro.