Ações Coletivas e Consciência Política no Mundo do Trabalho - Dilemas Subjetivos da Participação nos Processos de Privatização

Márcia Prezotti Palassi

Versão impressa

de R$ 94,70*
por R$ 80,50em 3x de R$ 26,83Adicionar ao carrinho

Versão digital

Disponível para:AndroidiOS
de R$ 67,70*
por R$ 57,55em 2x de R$ 28,77Adicionar ao carrinho

* Desconto não cumulativo com outras promoções, incluindo P.A.P. e Cliente Fiel

Ficha técnica

Autor(es): Márcia Prezotti Palassi

ISBN v. impressa: 978853623563-9

ISBN v. digital: 978853627505-5

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 308

Publicado em: 21/11/2011

Área(s): Psicologia - Organizacional e do Trabalho

Versão Digital (e-Book)

Para leitura em aplicativo exclusivo da Juruá Editora para Smartphones e Tablets rodando iOS e Android. Não compatível KINDLE, LEV, KOBO e outros e-Readers.

Disponível para as plataformas:

  • AndroidAndroid 4 ou posterior
  • iOSiOS 7 ou posterior

Em computadores a leitura é apenas online e sem recursos de favoritos e anotações;
Não permite a impressão e cópia do conteúdo.

Compra apenas via site da Juruá Editora.

Sinopse

A obra analisa o impacto do movimento (anti)privatização do Banespa na consciência política e na predisposição dos trabalhadores à participação em ações coletivas. Utiliza a pesquisa qualitativa, adotando a entrevista com 17 sindicalistas e 28 trabalhadores, como método de coleta de dados, em 2001. Na interpretação dos dados, emprega a análise de conteúdo e o modelo analítico para estudos da consciência política de Sandoval (2001). Esse modelo é composto de sete dimensões distintas que se articulam de forma dinâmica, cujo jogo de reflexões busca explicar os motivos que levam as pessoas a optar pela ação individual ou coletiva. A partir da observação participante e de documentos do movimento antiprivatização, faz uma caracterização do marco teórico desse movimento e da desmobilização no início do processo de reestruturação pós-privatização. Nos relatos dos entrevistados, identifica a presença de uma consciência coletivista (sindicalistas) e de uma consciência individualista (trabalhadores), que permiti visualizar: a construção do movimento, a absorção de partes dos relatos dos sindicalistas pelos trabalhadores durante a luta contra a privatização e as metas que os (des)unem. Conclui que a participação no movimento antiprivatização fortaleceu o sentimento de identidade coletiva dos banespianos durante a luta contra a privatização favorecendo a mobilização dos trabalhadores. A derrota do movimento antiprivatização minimizou expectativas sobre a eficácia política do movimento sindical e o processo de reestruturação pós-privatização fragmentou a identidade coletiva favorecendo a desmobilização e enfraquecendo a participação sindical. A participação política e a participação em ações coletivas se mantiveram inalteradas devido a crenças, expectativas e valores relativos à transformação da situação político-econômica e social do Brasil.

A análise que a Marcia Prezotti Palassi faz do movimento antiprivatização do Banespa recupera uma discussão, ainda atual, dos trabalhadores banespianos e do movimento dos sindicalistas, por ocasião do processo de privatização ocorrido no governo Fernando Henrique Cardoso. A partir da análise de entrevistas realizadas com esses atores, identifica que a participação, nesse movimento, fortaleceu a identidade coletiva dos banespianos e favoreceu sua mobilização, ocasionando um impacto na sua consciência política e uma predisposição para participar das ações coletivas em defesa de seus interesses. Contudo, esses interesses não são da mesma ordem para os trabalhadores em geral e para os sindicalistas, em particular, pois enquanto os trabalhadores possuem uma consciência individualista, os sindicalistas, ao contrário, revelam uma postura coletiva, o que se manifesta na condução da luta contra a privatização. A autora traz uma contribuição relevante para o debate, pois mostra que apesar do movimento preconizar um objetivo comum, a posição dos sindicalistas e dos trabalhadores serem diversa, há uma identidade coletiva diante dessa luta que faz com que melhore a sensação de autoestima, que permite que o movimento desconstrua a imagem de vilões, que se atribui, geralmente, ao funcionário público e, no caso, ao bancário. Isso fez com que fossem identificadas ações que caracterizam e valorizam a trajetória dos bancários banespianos, como a aprovação em concurso para admissão no banco, dedicação e paixão pelo trabalho e pelo banco. Esse debate é atual e a análise de Palassi lança luz para o entendimento de outras situações semelhantes que ocorrem na gestão pública estatal. Apesar da contribuição da antiprivatização para construir uma identidade coletiva dos bancários, a autora também revela que a privatização do Banespa fragilizou esse sentimento de identidade coletiva o que fez com que os trabalhadores passassem a duvidar da eficácia da ação sindical, promovendo a crença da falta de poder dos sindicatos. A privatização do Banespa além de ser uma derrota do movimento antiprivatização, não só minimizou as expectativas de eficácia política do movimento sindical, como, na pós-privatização, fragmentou a identidade coletiva e favoreceu a desmobilização, enfraquecendo a participação sindical. Este estudo do caso Banespa, apesar de ser datado, contribui para o entendimento do que pode ter ocorrido em outras organizações privatizadas, iluminando o papel do sindicato neste processo.

Luciano A. Prates Junqueira
Professor Titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Professor Assistente Doutor da Universidade Católica de Santos

Autor(es)

Márcia Prezotti Palassi é Doutora em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP (2004). É Professora do Departamento de Administração da Universidade Federal do Espírito Santo. Tem experiência na área de Administração, Psicologia Social do Trabalho e Psicologia Política, atuando principalmente nos temas comportamento organizacional, consciência política, subjetividades, trabalho, privatização, participação nos setores público, privado e terceiro setor, gestão com pessoas e relações de trabalho. É uma das cofundadoras da Associação Brasileira de Psicologia Política – ABPP e da Revista Psicologia Política mantida pela ABPP. Em 2002 foi professora visitante do Departamento de Psicologia Social da Universidade Autonoma de Barcelona/Espanha – UAB, na linha de pesquisa sobre Psicologia Social do Trabalho, durante o doutorado-sanduiche. Em 2003 recebeu o Prêmio Ser Humano da Associação Brasileira de Recursos Humanos – ES e em 2010 obteve o Prêmio de Melhor Trabalho na Divisão Acadêmica de Estudos Organizacionais do EnANPAD 2010. Atualmente está iniciando uma pesquisa sobre participação em ações coletivas e mudanças sociais, um estudo comparativo entre o Brasil e a Espanha, que será desenvolvido na Universidad Complutense de Madrid em 2012, durante a realização de pós-doutorado em psicologia social.

Sumário

INTRODUÇÃO, p. 19

Capítulo 1 - GLOBALIZAÇÃO, FLEXIBILIDADE E MOVIMENTO (ANTI) PRIVATIZAÇÃO: O CONTEXTO DA "DESTERRITORIALIZAÇÃO" DO MUNDO DO TRABALHO, p. 23

O Movimento Privatizador: um Movimento de Múltiplas Dimensões, p. 34

O Movimento Antiprivatização: Uma Luta do Movimento "Antiglobalização" ou Movimento para a Justiça Global, p. 64

Capítulo 2 - OS IMPACTOS PSICOSSOCIAIS DO MOVIMENTO PRIVATIZADOR NOS TRABALHADORES, p. 83

Os Impactos Pós-Privatização Sobre os Trabalhadores no Exterior, p. 84

A Organização e os Trabalhadores Antes da Privatização no Brasil, p. 90

A Organização e os Trabalhadores Durante a Privatização no Brasil, p. 92

A Organização e os Trabalhadores Após a Privatização no Brasil, p. 102

Capítulo 3 - CONSCIÊNCIA POLÍTICA E PREDISPOSIÇÃO À PARTICIPAÇÃO EM AÇÕES COLETIVAS: UMA REVISÃO DE LITERATURA, p. 109

Contextualizando o Tema, p. 109

Abordagens do Estudo da Predisposição à Participação em Ações Coletivas: Duas Perspectivas Antagônicas, p. 119

O Modelo Analítico de Consciência Política para a Compreensão da Participação em Ações Coletivas, p. 135

Capítulo 4 - OUVINDO A VOZ DOS TRABALHADORES DO BANESPA: ASPECTOS METODO-LÓGICOS DA PESQUISA, p. 143

O Contexto Imediato da Pesquisa: A Privatização do Sistema Financeiro no Exterior e no Brasil, p. 143

Por Quê Realizar a Pesquisa Neste Cenário?: O Critério de Esco-lha do Banespa, p. 146

O Quê Pesquisar Nesse Cenário? Os Objetivos Desta Escuta, p. 147

Como Investigar? Os Critérios de Escolha dos Banespianos Remanescentes, p. 148

O Roteiro das Entrevistas com os Banespianos Remanescentes, p. 149

Os Procedimentos de Contato com os Entrevistados, p. 150

A Análise dos Dados Obtidos, p. 150

Capítulo 5 - PRIVATIZAÇÃO! SOLUÇÃO OU PROBLEMA? A ÓTICA DO TRABALHADOR, p. 153

O Caso Banespa - Banco do Estado de São Paulo - Brasil, p. 153

O Banespa Antes da Crise: História de Desenvolvimento de São Paulo, p. 154

A Crise do Banespa: Inibição da Atuação do Banco, Intervenção do Banco Central e Federalização do Banespa, p. 154

"A Luta Contra a Privatização: A ‘Solução’ Que é Problema!", p. 157

O Dia do Leilão (20.11.2000): Vence o Banco Santander Central Hispano (BSCH), p. 160

A Mudança de Identidade: A Luta Pela Continuidade da Marca Banespa, p. 161

Capítulo 6 - A (DES)MOBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES NO INÍCIO DO PROCESSO DE REESTRUTURAÇÃO PÓS-PRIVATIZAÇÃO, p. 165

O Clima na Agência Piloto: Novembro de 2000, p. 165

O Clima na Agência Fora do Estado de São Paulo no Início do Processo de Reestruturação: 28 de Dezembro de 2000 a 8 de Janeiro de 2001, p. 166

O Clima nas Organizações Representativas: Dezembro/2000 a Outubro/2001, p. 168

O Clima em uma Agência de Fácil e Difícil Mobilização: Janeiro a Abril de 2001, p. 170

O Clima nas Agências do Estado de São Paulo a Partir de Março de 2001, p. 171

Capítulo 7 - CONSCIÊNCIA POLÍTICA E PARTICIPAÇÃO NO MOVIMENTO ANTIPRIVATIZAÇÃO: A INTENSIFICAÇÃO DO SENTIMENTO DE IDENTIDADE COLETIVA, p. 175

A Política e os Objetivos do Movimento Privatizador, p. 178

As Justificativas do Movimento Privatizador, p. 179

A Regulação e as Alternativas de Mudança Sem Ser a Privatização, p. 182

As Estratégias do Movimento Privatizador, p. 186

A Mecânica de um Processo de Privatização, p. 187

Os Métodos de Valoração e Venda: Interesses Antagônicos e Adversários, p. 199

A Vivência do Leilão, p. 201

O Resultado do Leilão, p. 204

Os Conflitos, p. 206

Capítulo 8 - CONSCIÊNCIA POLÍTICA E PARTICIPAÇÃO APÓS A PRIVATIZAÇÃO: A INTENSIFICAÇÃO DO SENTIMENTO DE INJUSTIÇA, p. 223

Os Impactos Econômicos, p. 223

Os Impactos Políticos, p. 228

O Impacto Social: o Quadro Brasileiro, p. 241

A Proteção Social ao Brasileiro Desempregado e as Propostas de Apoio dos Trabalhadores no Contexto da Privatização, p. 243

A Predisposição à Participação no Terceiro Setor ou em Ações Coletivas na Sociedade, p. 249

A Indisposição à Participação no Terceiro Setor ou em Ações Coletivas na Sociedade, p. 251

Capítulo 9 - PRIVATIZAÇÃO: UMA SOLUÇÃO PROBLEMÁTICA! CONSIDERAÇÕES FINAIS, p. 255

REFERÊNCIAS, p. 265

APÊNDICES, p. 273

Apêndice A, p. 275

Apêndice B, p. 280

Apêndice C, p. 286

Apêndice D - Roteiro de Entrevista Estruturada, p. 295

POSTFACIO, p. 299

Índice alfabético

A

  • A (des)mobilização dos trabalhadores no início do processo de reestruturação pós-privatização, p. 165
  • "A luta contra a privatização: a ‘solução’ que é problema!", p. 157
  • Abordagens do estudo da predisposição à participação em ações coletivas: duas perspectivas antagônicas, p. 119
  • Ação coletiva. Abordagens do estudo da predisposição à participação em ações coletivas: duas perspectivas antagônicas, p. 119
  • Ação coletiva. Consciência política e predisposição à participação em ações coletivas: uma revisão de literatura, p. 109
  • Ação coletiva. Indisposição à participação no terceiro setor ou em ações coletivas na sociedade, p. 251
  • Ação coletiva. Modelo analítico de consciência política para a compreensão da participação em ações coletivas, p. 135
  • Ação coletiva. Predisposição à participação no terceiro setor ou em ações coletivas na sociedade, p. 249
  • Agência piloto. Clima na Agência Piloto: novembro de 2000, p. 165
  • Análise dos dados obtidos, p. 150
  • Apêndice A, p. 275
  • Apêndice B, p. 280
  • Apêndice C, p. 286
  • Apêndice D. Roteiro de Entrevista Estruturada, p. 295
  • Apêndices, p. 273

B

  • Banespa antes da crise: história de desenvolvimento de São Paulo, p. 154

C

  • Caso Banespa. Banco do Estado de São Paulo - Brasil, p. 153
  • Clima em uma agência de fácil e difícil mobilização: janeiro a abril de 2001, p. 170
  • Clima na Agência Piloto: novembro de 2000, p. 165
  • Clima na agência fora do Estado de São Paulo no início do processo de reestruturação: 28 de dezembro de 2000 a 8 de janeiro de 2001, p. 166
  • Clima nas agências do Estado de São Paulo a partir de março de 2001, p. 171
  • Clima nas organizações representativas: dezembro/2000 a outubro/2001, p. 168
  • Como investigar? Os critérios de escolha dos banespianos remanescentes, p. 148
  • Conflitos, p. 206
  • Consciência política e participação após a privatização. Impacto social: o quadro brasileiro, p. 241
  • Consciência política e participação após a privatização: a intensificação do sentimento de injustiça, p. 223
  • Consciência política e participação no movimento antiprivatização: a intensificação do sentimento de identidade coletiva, p. 175
  • Consciência política e predisposição à participação em ações coletivas: uma revisão de literatura, p. 109
  • Consciência política. Modelo analítico de consciência política para a compreensão da participação em ações coletivas, p. 135
  • Consciência política e participação após a privatização. Impactos econômicos, p. 223
  • Consciência política e participação após a privatização. Impactos políticos, p. 228
  • Considerações finais. Privatização: uma solução problemática!, p. 255
  • Contexto imediato da pesquisa: a privatização do sistema financeiro no exterior e no Brasil, p. 143
  • Crise do Banespa: inibição da atuação do banco, intervenção do Banco Central e federalização do Banespa, p. 154

D

  • Desemprego. Proteção social ao brasileiro desempregado e as propostas de apoio dos trabalhadores no contexto da privatização, p. 243
  • "Desterritorialização" do mundo do trabalho. Globalização, flexibilidade e movimento (anti) privatização: o contexto da "desterritorialização" do mundo do trabalho, p. 23
  • Dia do leilão (20.11.2000): vence o Banco Santander Central Hispano (BSCH), p. 160

E

  • Entrevista. Procedimentos de contato com os entrevistados, p. 150
  • Entrevista. Roteiro das entrevistas com os banespianos remanescentes, p. 149
  • Estratégias do movimento privatizador, p. 186

F

  • Flexibilidade. Globalização, flexibilidade e movimento (anti) privatização: o contexto da "desterritorialização" do mundo do trabalho, p. 23

G

  • Globalização, flexibilidade e movimento (anti) privatização: o contexto da "desterritorialização" do mundo do trabalho, p. 23
  • Globalização. Movimento antiprivatização: uma luta do movimento "antiglobalização" ou movimento para a justiça global, p. 64

I

  • Identidade coletiva. Consciência política e participação no movimento antiprivatização: a intensificação do sentimento de identidade coletiva, p. 175
  • Identidade. Mudança de identidade: A luta pela continuidade da marca Banespa, p. 161
  • Impacto social: o quadro brasileiro. Consciência política e participação após a privatização, p. 241
  • Impactos econômicos. Consciência política e participação após a privatização, p. 223
  • Impactos políticos. Consciência política e participação após a privatização, p. 228
  • Impactos pós-privatização sobre os trabalhadores no exterior, p. 84
  • Impactos psicossociais do movimento privatizador nos trabalhadores, p. 83
  • Indisposição à participação no terceiro setor ou em ações coletivas na sociedade, p. 251
  • Intervenção. Crise do Banespa: inibição da atuação do banco, intervenção do Banco Central e federalização do Banespa, p. 154
  • Introdução, p. 19
  • Investigação. Como investigar? Os critérios de escolha dos banespianos remanescentes, p. 148

J

  • Justiça global. Movimento antiprivatização: uma luta do movimento "antiglobalização" ou movimento para a justiça global, p. 64
  • Justiça. Consciência política e participação após a privatização: a intensificação do sentimento de injustiça, p. 223
  • Justificativas do movimento privatizador, p. 179

L

  • Leilão. Resultado do leilão, p. 204
  • Leilão. Vivência do leilão, p. 201
  • Literatura. Consciência política e predisposição à participação em ações coletivas: uma revisão de literatura, p. 109

M

  • Mecânica de um processo de privatização, p. 187
  • Metodologia. Ouvindo a voz dos trabalhadores do Banespa: aspectos metodológicos da pesquisa, p. 143
  • Métodos de valoração e venda: interesses antagônicos e adversários, p. 199
  • Mobilização de trabalhadores. A (des)mobilização dos trabalhadores no início do processo de reestruturação pós-privatização, p. 165
  • Modelo analítico de consciência política para a compreensão da participação em ações coletivas, p. 135
  • Movimento antiprivatização. Consciência política e participação no movimento antiprivatização: a intensificação do sentimento de identidade coletiva, p. 175
  • Movimento antiprivatização: uma luta do movimento "antiglobalização" ou movimento para a justiça global, p. 64
  • Movimento privatizador. Estratégias do movimento privatizador, p. 186
  • Movimento privatizador. Justificativas do movimento privatizador, p. 179
  • Movimento privatizador. Política e os objetivos do movimento privatizador, p. 178
  • Movimento privatizador: um movimento de múltiplas dimensões, p. 34
  • Mudança de identidade: A luta pela continuidade da marca Banespa, p. 161
  • Múltiplas dimensões. Movimento privatizador: um movimento de múltiplas dimensões, p. 34

O

  • Organização e os trabalhadores antes da privatização no Brasil, p. 90
  • Organização e os trabalhadores após a privatização no Brasil, p. 102
  • Organização e os trabalhadores durante a privatização no Brasil, p. 92
  • Ouvindo a voz dos trabalhadores do Banespa: aspectos metodológicos da pesquisa, p. 143

P

  • Participação. Modelo analítico de consciência política para a compreensão da participação em ações coletivas, p. 135
  • Pesquisa. Análise dos dados obtidos, p. 150
  • Pesquisa. Caso Banespa. Banco do Estado de São Paulo - Brasil, p. 153
  • Pesquisa. Como investigar? Os critérios de escolha dos banespianos remanescentes, p. 148
  • Pesquisa. O quê pesquisar nesse cenário? Os objetivos desta escuta, p. 147
  • Pesquisa. Ouvindo a voz dos trabalhadores do Banespa: aspectos metodológicos da pesquisa, p. 143
  • Pesquisa. Por quê realizar a pesquisa neste cenário?: o critério de escolha do Banespa, p. 146
  • Pesquisa. Roteiro das entrevistas com os banespianos remanescentes, p. 149
  • Política e os objetivos do movimento privatizador, p. 178
  • Política. Consciência política e participação após a privatização: a intensificação do sentimento de injustiça, p. 223
  • Política. Consciência política e participação no movimento antiprivatização: a intensificação do sentimento de identidade coletiva, p. 175
  • Política. Consciência política e predisposição à participação em ações coletivas: uma revisão de literatura, p. 109
  • Política. Modelo analítico de consciência política para a compreensão da participação em ações coletivas, p. 135
  • Por quê realizar a pesquisa neste cenário?: o critério de escolha do Banespa, p. 146
  • Pós-privatização. A (des)mobilização dos trabalhadores no início do processo de reestruturação pós-privatização, p. 165
  • Pós-privatização. Impactos pós-privatização sobre os trabalhadores no exterior, p. 84
  • Posfácio, p. 299
  • Predisposição à participação. Abordagens do estudo da predisposição à participação em ações coletivas: duas perspectivas antagônicas, p. 119
  • Predisposição à participação no terceiro setor ou em ações coletivas na sociedade, p. 249
  • Privatização! Solução ou problema? A ótica do trabalhador, p. 153
  • Privatização. A (des)mobilização dos trabalhadores no início do processo de reestruturação pós-privatização, p. 165
  • Privatização. Clima em uma agência de fácil e difícil mobilização: janeiro a abril de 2001, p. 170
  • Privatização. Clima na agência fora do Estado de São Paulo no início do processo de reestruturação: 28 de dezembro de 2000 a 8 de janeiro de 2001, p. 166
  • Privatização. Clima nas agências do Estado de São Paulo a partir de março de 2001, p. 171
  • Privatização. Clima nas organizações representativas: dezembro/2000 a outubro/2001, p. 168
  • Privatização. Consciência política e participação após a privatização: a intensificação do sentimento de injustiça, p. 223
  • Privatização. Consciência política e participação no movimento antiprivatização: a intensificação do sentimento de identidade coletiva, p. 175
  • Privatização. Contexto imediato da pesquisa: a privatização do sistema financeiro no exterior e no Brasil, p. 143
  • Privatização. Dia do leilão (20.11.2000): vence o Banco Santander Central Hispano (BSCH), p. 160
  • Privatização. Globalização, flexibilidade e movimento (anti) privatização: o contexto da "desterritorialização" do mundo do trabalho, p. 23
  • Privatização. Impactos psicossociais do movimento privatizador nos trabalhadores, p. 83
  • Privatização. Mecânica de um processo de privatização, p. 187
  • Privatização. Movimento antiprivatização: uma luta do movimento "antiglobalização" ou movimento para a justiça global, p. 64
  • Privatização. Movimento privatizador: um movimento de múltiplas dimensões, p. 34
  • Privatização. Mudança de identidade: A luta pela continuidade da marca Banespa, p. 161
  • Privatização. Organização e os trabalhadores antes da privatização no Brasil, p. 90
  • Privatização. Organização e os trabalhadores durante a privatização no Brasil, p. 92
  • Privatização. "A luta contra a privatização: a ‘solução’ que é problema!", p. 157
  • Privatização. Por quê realizar a pesquisa neste cenário?: o critério de escolha do Banespa, p. 146
  • Privatização. Proteção social ao brasileiro desempregado e as propostas de apoio dos trabalhadores no contexto da privatização, p. 243
  • Privatização. Regulação e as alternativas de mudança sem ser a privatização, p. 182
  • Privatização: uma solução problemática! Considerações finais, p. 255
  • Procedimentos de contato com os entrevistados, p. 150
  • Proteção social ao brasileiro desempregado e as propostas de apoio dos trabalhadores no contexto da privatização, p. 243
  • Psicossocial. Impactos psicossociais do movimento privatizador nos trabalhadores, p. 83

R

  • Referências, p. 265
  • Regulação e as alternativas de mudança sem ser a privatização, p. 182
  • Resultado do leilão, p. 204
  • Revisão de literatura. Consciência política e predisposição à participação em ações coletivas: uma revisão de literatura, p. 109
  • Revisão de literatura. Contextualizando o tema, p. 109
  • Roteiro de Entrevista Estruturada. Apêndice D, p. 295
  • Roteiro das entrevistas com os banespianos remanescentes, p. 149

S

  • Sistema financeiro. Contexto imediato da pesquisa: a privatização do sistema financeiro no exterior e no Brasil, p. 143
  • Sociedade. Indisposição à participação no terceiro setor ou em ações coletivas na sociedade, p. 251
  • Sociedade. Predisposição à participação no terceiro setor ou em ações coletivas na sociedade, p. 249

T

  • Terceiro setor. Indisposição à participação no terceiro setor ou em ações coletivas na sociedade, p. 251
  • Terceiro setor. Predisposição à participação no terceiro setor ou em ações coletivas na sociedade, p. 249
  • Trabalhador no exterior. Impactos pós-privatização sobre os trabalhadores no exterior, p. 84
  • Trabalhador. Impactos psicossociais do movimento privatizador nos trabalhadores, p. 83
  • Trabalhador. Organização e os trabalhadores antes da privatização no Brasil, p. 90
  • Trabalhador. Organização e os trabalhadores durante a privatização no Brasil, p. 92
  • Trabalhador. Ouvindo a voz dos trabalhadores do Banespa: aspectos metodológicos da pesquisa, p. 143
  • Trabalhador. Privatização! Solução ou problema? A ótica do trabalhador, p. 153
  • Trabalhador. Proteção social ao brasileiro desempregado e as propostas de apoio dos trabalhadores no contexto da privatização, p. 243
  • Trabalho. Globalização, flexibilidade e movimento (anti) privatização: o contexto da "desterritorialização" do mundo do trabalho, p. 23

V

  • Valoração. Métodos de valoração e venda: interesses antagônicos e adversários, p. 199
  • Venda. Métodos de valoração e venda: interesses antagônicos e adversários, p. 199
  • Vivência do leilão, p. 201

Recomendações

Capa do livro: Ergonomia Cognitiva e Representação Mental, Gilbert Cardoso Bouyer

Ergonomia Cognitiva e Representação Mental

 Gilbert Cardoso BouyerISBN: 978853627674-8Páginas: 176Publicado em: 21/02/2018

Versão impressa

de R$ 67,70* porR$ 57,55em 2x de R$ 28,77Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 49,90* porR$ 42,42 Adicionar e-Book
ao carrinho
Capa do livro: Acidentes de Trabalho e Práticas Discursivas, Fábio de Oliveira

Acidentes de Trabalho e Práticas Discursivas

 Fábio de OliveiraISBN: 978853629148-2Páginas: 144Publicado em: 07/10/2019

Versão impressa

de R$ 59,90* porR$ 50,92em 2x de R$ 25,46Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 40,90* porR$ 34,77 Adicionar e-Book
ao carrinho
Capa do livro: Clínica Psicodinâmica do Trabalho – O Sujeito em Ação, Ana Magnólia Mendes/Luciane Kozicz Reis Araujo

Clínica Psicodinâmica do Trabalho – O Sujeito em Ação

 Ana Magnólia Mendes/Luciane Kozicz Reis AraujoISBN: 978853623829-6Páginas: 156Publicado em: 04/07/2012

Versão impressa

de R$ 47,70* porR$ 40,55 Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 34,70* porR$ 29,50 Adicionar e-Book
ao carrinho
Capa do livro: Trabalho & Emancipação, Organizadoras: Rosângela Dutra de Moraes e Ana Cláudia Leal Vasconcelos

Trabalho & Emancipação

 Organizadoras: Rosângela Dutra de Moraes e Ana Cláudia Leal VasconcelosISBN: 978853625418-0Páginas: 218Publicado em: 08/10/2015

Versão impressa

de R$ 64,70* porR$ 55,00em 2x de R$ 27,50Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 47,70* porR$ 40,55 Adicionar e-Book
ao carrinho