Verdadeira Face do Direito Alternativo , A - 6ª Edição - Revista e Atualizada

Gilberto Callado de Oliveira

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Gilberto Callado de Oliveira
ISBN: 978853623612-4
Edição/Tiragem: 6ª Edição - Revista e Atualizada
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 162
Publicado em: 16/03/2012
Área(s): Direito - Teoria Geral do Direito
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

Neste Volume:

O CONCEITO DE DIREITO NO REALISMO JURÍDICO
• O conhecimento do justo
• O justo como direito
• O justo como objeto da justiça
• O justo estabelecido na lei
• A questão do justo natural

O DIREITO ALTERNATIVO EMERGENTE
• Direito e revolução
• A decadência multissecular do realismo jurídico
• O materialismo jurídico

A CONCEPÇÃO MARXISTA DO DIREITO ALTERNATIVO
• Marxismo e alternativismo: verso e reverso da mesma medalha
• Luta de classes: pano de fundo do direito alternativo
• Escamoteação dos alternativistas em face da horrorosa herança comunista
• Opção revolucionária islâmica para o direito alternativo
• Influência do gramscismo na ideologia alternativista
• Direito alternativo e metamorfose garantista

O PROCESSO REVOLUCIONÁRIO ALTERNATIVO
• Caráter dialético e sectário
• Primeira etapa: o aniquilamento da noção do justo
• Segunda etapa: introdução de uma nova utopia jurídica

OS ERROS DOUTRINÁRIOS DO DIREITO ALTERNATIVO
• Os falsos pressupostos
• Transposição de um obstáculo: o princípio de contradição no conceito do justo
• Ilegitimidade do direito alternativo
• Interferência do político na esfera do jurídico

AUTOR(ES)

Gilberto Callado de Oliveira é Procurador do Ministério Público do Estado de Santa Catarina, do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina e da Academia Catarinense de Letras. Professor da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) e da Escola do Ministério Público de Santa Catarina.

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

Capítulo 1 - O CONCEITO DE DIREITO NO REALISMO JURÍDICO

1.1 O conhecimento do justo

1.2 O justo como direito

1.3 O justo como objeto da justiça

1.4 O justo estabelecido na lei

1.5 A questão do justo natural

Capítulo 2 - O DIREITO ALTERNATIVO EMERGENTE

2.1 Direito e revolução

2.2 A decadência multissecular do realismo jurídico

2.3 O materialismo jurídico

Capítulo 3 - A CONCEPÇÃO MARXISTA DO DIREITO ALTERNATIVO

3.1 Marxismo e alternativismo: verso e reverso da mesma medalha

3.2 Luta de classes: pano de fundo do direito alternativo

3.3 Escamoteação dos alternativistas em face da horrorosa herança comunista

3.4 Opção revolucionária islâmica para o direito alternativo

3.5 Influência do gramscismo na ideologia alternativista

3.6 Direito alternativo e metamorfose garantista

Capítulo 4 - O PROCESSO REVOLUCIONÁRIO ALTERNATIVO

4.1 Caráter dialético e sectário

4.2 Primeira etapa: o aniquilamento da noção do justo

4.3 Segunda etapa: introdução de uma nova utopia jurídica

Capítulo 5 - OS ERROS DOUTRINÁRIOS DO DIREITO ALTERNATIVO

5.1 Os falsos pressupostos

5.2 Transposição de um obstáculo: o princípio de contradição no Conceito do justo

5.3 Ilegitimidade do direito alternativo

5.4 Interferência do político na esfera do jurídico

REFERÊNCIAS

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • Alternativismo e marxismo. Verso e reverso da mesma medalha
  • Alternativismo. Escamoteação dos alternativistas em face da horrorosa herança comunista
  • Aniquilamento da noção dojusto. Primeira etapa

C

  • Caráter dialético e sectário. Processo revolucionário alternativo
  • Comunismo. Escamoteação dos alternativistas em face da horrorosa herança comunista
  • Conceito de direito no realismo jurídico
  • Concepção marxista dodireito alternativo
  • Conhecimento do justo

D

  • Decadência multissecular dorealismo jurídico
  • Dialética. Caráter dialético e sectário. Processo revolucionário alternativo
  • Direito alternativo e metamorfose garantista
  • Direito alternativo emergente
  • Direito alternativo. Concepção marxista do direito alternativo
  • Direito alternativo. Escamoteação dos alternativistas em face da horrorosa herança comunista
  • Direito alternativo. Falso pressuposto. Erro doutrinário
  • Direito alternativo. Ilegitimidade do direito alternativo
  • Direito alternativo. Luta de classes. Pano de fundo do direito alternativo
  • Direito alternativo. Opção revolucionária islâmica para o direito alternativo
  • Direito e revolução
  • Direito. Conceito de direito no realismo jurídico
  • Direito. Justo como direito
  • Doutrina. Erros doutrináriosdo direito alternativo

E

  • Erros doutrinários dodireito alternativo
  • Escamoteação dos alternativistas em face da horrorosa herança comunista
  • Esfera jurídica. Interferência dopolítico na esfera do jurídico
  • Esfera política. Interferência do político na esfera do jurídico

F

  • Falso pressuposto. Erro doutrinário do direito alternativo

G

  • Garantismo. Direito alternativo e metamorfose garantista
  • Gramsci. Influência do gramscismo na ideologia alternativista

I

  • Ideologia alternativa. Influência do gramscismo na ideologia alternativista
  • Ilegitimidade do direito alternativo
  • Influência do gramscismo naideologia alternativista
  • Interferência do político naesfera do jurídico
  • Introdução de uma nova utopia jurídica. Segunda etapa
  • Introdução
  • Islamismo. Opção revolucionária islâmica para o direito alternativo

J

  • Jurídico. Interferência do político na esfera do jurídico
  • Justiça. Justo como objeto da justiça
  • Justiça. Segunda etapa: introdução de uma nova utopia jurídica
  • Justo como direito
  • Justo como objeto da justiça
  • Justo estabelecido na lei
  • Justo. A questão do justo natural
  • Justo. Primeira etapa: o aniquilamento da noção do justo
  • Justo. Transposição de um obstáculo: o princípio de contradição no conceito do justo

L

  • Legitimidade. Ilegitimidade do direito alternativo
  • Lei. Justo estabelecido na lei
  • Luta de classes. Pano de fundo do direito alternativo

M

  • Marx. Concepção marxista do direito alternativo
  • Marxismo e alternativismo. Verso e reverso da mesma medalha
  • Materialismo jurídico
  • Metamorfose garantista. Direito alternativo e metamorfose garantista

N

  • Noção do justo. Primeira etapa: oaniquilamento da noção do justo

O

  • Opção revolucionária islâmica para o direito alternativo

P

  • Político. Interferência do político na esfera do jurídico
  • Prefácio à 2ªEdição
  • Prefácio à 6ª edição
  • Prefácio às 3ª, 4ªe 5ª edições
  • Pressuposto. Falso pressuposto. Erro doutrinário do direito alternativo
  • Primeira etapa: o aniquilamento da noção do justo
  • Princípio de contradição no conceito do justo. Transposição de um obstáculo
  • Processo revolucionário alternativo

Q

  • Questão do justo natural

R

  • Realismo jurídico. Conceito de direito no realismo jurídico
  • Realismo jurídico. Decadência multissecular do realismo jurídico
  • Referências
  • Revolução alternativa. Processo revolucionário alternativo
  • Revolução edireito
  • Revolução. Opção revolucionária islâmica para o direito alternativo

S

  • Segunda etapa: introdução de uma nova utopia jurídica

T

  • Transposição de um obstáculo: o princípio de contradição no conceito do justo

U

  • Utopia jurídica. Segunda etapa: introdução de uma nova utopia jurídica
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: