Brasil - Grande Potência no Século XXI - Lideranças e Desafios na Nova Ordem Mundial

Pedro Ricardo Dória

Versão impressa

por R$ 89,90em 3x de R$ 29,97Adicionar ao carrinho

Versão digital

Disponível para:AndroidiOS
por R$ 61,90em 2x de R$ 30,95Adicionar ao carrinho

Ficha técnica

Autor(es): Pedro Ricardo Dória

ISBN v. impressa: 978853623796-1

ISBN v. digital: 978853626852-1

Acabamento: Brochura

Formato: 15,0x21,0 cm

Peso: 407grs.

Número de páginas: 310

Publicado em: 24/05/2012

Área(s): Literatura e Cultura - Política, História e Filosofia

Versão Digital (e-Book)

Para leitura em aplicativo exclusivo da Juruá Editora para Smartphones e Tablets rodando iOS e Android. Não compatível KINDLE, LEV, KOBO e outros e-Readers.

Disponível para as plataformas:

  • AndroidAndroid 4 ou posterior
  • iOSiOS 7 ou posterior

Em computadores a leitura é apenas online e sem recursos de favoritos e anotações;
Não permite a impressão e cópia do conteúdo.

Compra apenas via site da Juruá Editora.

Sinopse

O autor, que foi jornalista de assuntos econômico-financeiros e ainda lecionou Economia, com este livro completa sua trilogia sobre liderança política - devidamente contextualizada -, conferindo ênfase à provável inserção do Brasil, enquanto grande potência, na Ordem Mundial do século XXI, em início de estruturação nesta etapa pós-Grande Recessão de 2008-09.

Essas obras do mesmo autor são edições da Juruá. (Volumes anteriores: Jaime Lerner: Liderança, autoridade e contexto político, 2002; e Getúlio, FHC e Lula: Devoção popular e a Santíssima Trindade, 2008.)

Antes desse conjunto de livros, Dória escreveu atentando para a crise econômica mundial que decorreu do primeiro choque do petróleo (1973-74), inserido no conflito árabe-israelense. O autor frisou, particularmente, aspectos políticos da problemática dessa que é a principal fonte de energia (Energia no Brasil e Dilemas do Desenvolvimento, Editora Vozes, Petrópolis/RJ, 1976).

No presente livro, continuam a ser realçadas, na sociedade nacional, as conexões e articulações entre dois de seus sistemas/subsistemas básicos: o político e o econômico. A liderança política é entendida como uma atividade exercida no Estado-nação, ente este, por sua vez, integrado no sistema interestatal planetário.

Junto com o Brasil - o lulismo com Dilma - são especialmente consideradas as duas superpotências do presente século: os Estados Unidos (Barack Obama) e a China (legado de Deng Xiaoping).

Autor(es)

Pedro Ricardo Dória é Mestre em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná - UFPR (2001); graduou-se em Filosofia e Direito pela mesma Instituição; realizou os cursos de programação e projetos econômicos da CEPAL, órgão da ONU (Curitiba, 1963), e de política e estratégia a nível da Presidência da República da Escola Superior de Guerra, vinculada ao Estado Maior Geral das Forças Armadas e ao Itamarati (Rio de Janeiro, 1976). Desde 2001 o autor tem se dedicado a abordagens do processo político, especialmente o brasileiro, mas sem descurar de sua inarredável inserção no contexto global.

Sumário

Parte I ASCENSÃO DO BRASIL A GRANDE POTÊNCIA, DEMOCRACIA (SÉCULOS XX E XXI), LULISMO COM DILMA, OS ESTADOS UNIDOS E A CHINA, NA NOVA ORDEM MUNDIAL, p. 23

Parte II BRASIL E ESTADOS UNIDOS: ENTRECRUZAMENTOS DE AMOR E ÓDIO, p. 59

Parte III BRICS (PRINCIPALMENTE A CHINA) E BRASIL, TURBULÊNCIAS E SUPERAÇÃO DA CRISE MUNDIAL, p. 91

Parte IV SÉCULO ATUAL: PROGRESSOS, AUTOCRACIAS (CHINA, RÚSSIA), CAPITALISMO DE ESTADO, APERFEIÇOAMENTOS DOS MULTILATERALISMOS E NOVA ORDEM MUNDIAL, p. 103

Parte V ANÁLISES E AVALIAÇÕES: BRASIL E MUNDO, p. 123

Parte VI EXPECTATIVAS E POSSIBILIDADES, p. 159

Parte VII CONCLUSÕES: PROCESSOS ATUAIS E O FUTURO, p. 231

REFERÊNCIAS, p. 263

ANEXOS, p. 269

LISTA DE SIGLAS, p. 285

Índice alfabético

A

  • Abertura da China (Nixon-Kissinger) à dominação do modelo chinês?, p. 121
  • Alemanha. Nova ordem mundial do século XXI e as aspirações da Alemanha, do Japão, da Índia e do Brasil, p. 108
  • América Latina. Prestígio do modelo do Brasil na América Latina e real posição do Brasil no mundo, p. 47
  • Análise crítico-realista das potências emergentes e o imperativo de exemplar cooperação multilateral pelos Estados Unidos, p. 181
  • Análise duplamente autorizada (teoria eprática): rumo ao primeiro mundo, p. 43
  • Análises e avaliações: Brasil e mundo, p. 123
  • Anexo I. Processo político Brasileiro rumo à consolidação da democracia (parte II: "Brasil e Estados Unidos: entrecruzamentos de amor e ódio"), p. 269
  • Anexo II. A dificuldade para integrar os Estados emergentes (inclusive o Brasil), p. 281
  • Anexos, p. 267
  • Apreensão abrangente, p. 41
  • Ascensão a grande potência, entraves culturais, prestígio externo e a realidade, p. 47
  • Ascensão da grande potência, dentro da mais acelerada globalização do século XXI, p. 36
  • Ascensão do Brasil a grande potência, democracia (Séculos XX e XXI), lulismo com Dilma, os Estados Unidos e a China, na nova ordem mundial, p. 23
  • Ascensão do Brasil. Democracia na ascensão do Brasil, emergência do lulismo com Dilma, Estados Unidos e China, p. 25
  • Ascensão sem os complexos degrandeza e de vira-latas, p. 259
  • Ascensão. Grande potência em uma ordem global em transformações e de ascensão do "resto do mundo", p. 35
  • Ascensão. Prestígio internacional do Brasil: indício da ascensão a grande potência, p. 41
  • Assento para o Brasil no CS da ONU: carências de racionalidade e de tática operacional, p. 207
  • Atualidade do paralelismo Brasil-EUA, p. 83
  • Autocracia. Século atual: progressos, autocracias (China, Rússia), capitalismo de Estado, aperfeiçoamentos dos multilateralismos e nova ordem mundial, p. 103
  • Autocracias (China, Rússia): compatíveis com o sucesso capitalista e uma forma diferente do capitalismo liberal?, p. 113
  • Autocracias (China, Rússia): compatíveis com o sucesso capitalista e uma forma diferente do capitalismo liberal? Grande debate, p. 113
  • Autoritarismo chinês. Partido único, questionamentos sobre o crescimento e a possível dominação do autoritarismo chinês, p. 120
  • Autoritarismo. Lideranças, autoritarismo e populismo, p. 225

B

  • BRICS (principalmente a China) e Brasil, turbulências e superação da crise mundial, p. 91
  • BRICS, China (poder nuclear), crise e cooperação multilateral, p. 93
  • BRICS. Democracia-capitalismo e o Brasil entre as potências do BRICS, p. 99
  • Brasil, a grande potência no pós-grande recessão: da política à economia, p. 137
  • Brasil e Estados Unidos: entrecruzamentos de amor e ódio, p. 59
  • Brasil, grande potência: realidades e potencialidades, p. 165
  • Brasil nas transformações da nova ordem mundial, p. 140
  • Brasil, cópia do presidencialismo e debilidades institucionais, p. 75
  • Brasil, turbulências políticas eeconômicas, crise e superação, p. 100
  • Brasil-EUA. Em 2010 e a terceira vitória do lulismo, p. 84
  • Brasil. Continente americano e modernidade: Brasil, Estados Unidos e democracias paradigmáticas, p. 73
  • Brasil. Nova ordem mundial do século XXI e as aspirações da Alemanha, do Japão, da Índiae do Brasil, p. 108
  • Brasil: lulismo com Dilma, forçado a conter a economia, diante das heranças malditas, p. 194

C

  • Capitalismo de Estado. Século atual: progressos, autocracias (China, Rússia), capitalismo de Estado, aperfeiçoamentos dos multilateralismos e nova ordem mundial, p. 103
  • "Capitalismo de Estado: o fim do mercado livre?". O capitalismo estatal no Brasil e em outras economias emergentes, p. 110
  • Capitalismo liberal. Autocracia. Argumentação, p. 115
  • Capitalismo liberal. Autocracia. Mais recente argumentação: viabilidade autoritária, p. 116
  • Capitalismo liberal. Autocracia. Posição de Deudney & Ikenberry, p. 114
  • Capitalismo liberal. Autocracias (China, Rússia): compatíveis com o sucesso capitalista e uma forma diferente do capitalismo liberal?, p. 113
  • Capitalismo. Democracia-capitalismo e o Brasil entre as potências do BRICS, p. 99
  • Cegueira do PT e de seus economistas, p. 44
  • Cenário internacional. Desafios do cenário internacional na caminhada do Brasil a grande potência, p. 31
  • Chavismo. Populismos e socialismos do lulismo e do chavismo, p. 51
  • China. Abertura da China (Nixon-Kissinger) à dominação do modelo chinês?, p. 121
  • China. Ascensão do Brasil a grande potência, democracia (Séculos XX e XXI), lulismo com Dilma, os Estados Unidos e a China, na nova ordem mundial, p. 23
  • China. Autocracias (China, Rússia): compatíveis com o sucesso capitalista e uma forma diferente do capitalismo liberal?, p. 113
  • China. BRICS (principalmente a China) e Brasil, turbulências e superação da crise mundial, p. 91
  • China. BRICS, China (poder nuclear), crise e cooperação multilateral, p. 93
  • China. Democracia na ascensão do Brasil, emergência do lulismo com Dilma, Estados Unidos e China, p. 25
  • China. Estados Unidos (Obama), China (Legado de Xiaoping) e a Nova Ordem, p. 28
  • China. Século atual: progressos, autocracias (China, Rússia), capitalismo de Estado, aperfeiçoamentos dos multilateralismos e nova ordem mundial, p. 103
  • China: desinflação reduz o crescimento, em ambiente de quedas de ditaduras, p. 193
  • China: do Estado grande ao pequenoe da sociedade pequena à grande, p. 243
  • Conclusões: processos atuais e o futuro, p. 231
  • Conhecimento. Preparação para o mundo da inovação e do conhecimento, p. 47
  • Conselho de Segurança. Reviravolta diplomática dos EUA e a entrada da China no Conselho de Segurança, p. 209
  • "Consenso de Beijing". Remodelagem da ordem mundial: reformas do sistema da ONU, multipolarização, potências emergentes e o desafiante "Consenso de Beijing", p. 119
  • Continente americano e modernidade: Brasil, Estados Unidos e democracias paradigmáticas, p. 73
  • Cooperação multilateral. Análise crítico -realista das potências emergentes e o imperativo de exemplar cooperação multilateral pelos Estados Unidos, p. 181
  • Cooperação multilateral. BRICS, China(poder nuclear), crise e cooperação multilateral, p. 93
  • Crise mundial. BRICS (principalmente a China) e Brasil, turbulências e superação da crise mundial, p. 91
  • Crise mundial. BRICS, China (poder nuclear), crise e cooperação multilateral, p. 93
  • Crise. Brasil, turbulências políticas e econômicas, crise e superação, p. 100
  • Cultura política prejudicial à democratização e influências externas, p. 76
  • Cultura política. MedidaProvisória: prova de projeto tardio e de precária cultura política, p. 83

D

  • Debate em torno de ideias e valores, p. 46
  • Debilidade institucional. Geopolítica, modelos externos, líderes e debilidades institucionais, p. 73
  • Debilidade institucional. Líderes personalistas e persistentes debilidades institucionais, p. 79
  • Deficiência cultural. Insucesso democrático, p. 61
  • Democracia na ascensão do Brasil, emergência do lulismo com Dilma, Estados Unidos e China, p. 25
  • Democracia no Brasil: da inviabilidade histórica ao desenvolvimento em curso, p. 61
  • Democracia paradigmática. Continente americano e modernidade: Brasil, Estados Unidos e democracias paradigmáticas, p. 73
  • Democracia-capitalismo e o Brasil entre as potências do BRICS, p. 99
  • Democracia. Ascensão do Brasil a grande potência, democracia (Séculos XX e XXI), lulismo com Dilma, os Estados Unidos e a China, na nova ordem mundial, p. 23
  • Democracia. Grande potência e democracia: desafios na nova ordem, p. 25
  • Democracia. Insucesso democrático. Deficiências culturais, p. 61
  • Democracia. Lulismo, marco da democracia em consolidação, p. 133
  • Democracia. Precárias raízes da incipiente democracia brasileira, p. 67
  • Democratização. Cultura política prejudicial à democratização e influências externas, p. 76
  • Desafios do cenário internacional na caminhada do Brasil a grande potência, p. 31
  • Desafios do século XXI, beneficiário dos avanços anteriores, p. 105
  • Desenvolvimento. Democracia no Brasil: da inviabilidade histórica ao desenvolvimento em curso, p. 61
  • Deudney. Capitalismo liberal. Autocracia. Posição de Deudney & Ikenberry, p. 114
  • Diferentes culturas, diferentes presidencialismos: modernidade (EUA) e atraso (Brasil), p. 63
  • Dificuldade para integrar os Estados emergentes (inclusive o Brasil): análise crítico-realista, p. 179
  • Dilma: o núcleo duro do poder, no pós Palocci, ficou de pé quebrado?, p. 149
  • Diplomacia. Reviravolta diplomática dos EUA e a entrada da China no Conselho de Segurança, p. 209
  • Ditadura. Getúlio e viciosa cultura:primeira república e ditaduras, p. 80
  • Duas guerras mundiais, comunismo, grande depressão, totalitarismos de direita, bomba atômica e ONU (1901-1945), p. 125

E

  • Economia emergente. "Capitalismo de Estado: o fim do mercado livre?". O capitalismo estatal no Brasil e em outras economias emergentes, p. 110
  • Economia internacional. Primavera/11: governo poderia parar e a economia voltar a uma recessão ainda maior, p. 214
  • Economia mundial. Somente a China entre os doze países com maior aumento do PIB, p. 191
  • Economia. Brasil, a grande potência no pós-grande recessão: da política à economia, p. 137
  • Eleição. Incerta reeleição de Obamaao binômio democracia-capitalismo, p. 247
  • Eleição. Modelo ultraconcentrador da escolha da candidata do PT pelo presidente Lula, p. 86
  • Emergência e as incertezasdo lulismo com Dilma, p. 55
  • Entrave cultural. Ascensão a grande potência, entraves culturais, prestígio externo e a realidade, p. 47
  • Esmaecimentos: esquerdismos, nacionalismos e antiamericanismos na globalização, p. 146
  • Estado emergente. Dificuldade para integrar os Estados emergentes (inclusive o Brasil): análise crítico-realista, p. 179
  • Estado. "Capitalismo de Estado: o fim do mercado livre?". O capitalismo estatal no Brasil e em outras economias emergentes, p. 110
  • Estados Unidos (Obama), China (Legado de Xiaoping) e a Nova Ordem, p. 28
  • Estados Unidos e Brasil: entrecruzamentos de amor e ódio, p. 59
  • Estados Unidos, hiperpotência ameaçada (?), e Brasil, futura grande potência (?), p. 31
  • Estados Unidos. Análise crítico-realista das potências emergentes e o imperativo de exemplar cooperação multilateral pelos Estados Unidos, p. 181
  • Estados Unidos. Ascensão do Brasila grande potência, democracia (Séculos XX e XXI), lulismo com Dilma, os Estados Unidos e a China, na nova ordem mundial, p. 23
  • Estados Unidos. Continente americano e modernidade: Brasil, Estados Unidos e democracias paradigmáticas, p. 73
  • Estados Unidos. Democracia na ascensão do Brasil, emergência do lulismo com Dilma, Estados Unidos e China, p. 25
  • Estratégia para as reformas institucionais, p. 119
  • Estruturação do sistema da ONU e o processo histórico, p. 207
  • Ética. Faxina ética, importante marca do ano I, p. 153
  • EUA-China: fricções na ordem mundial do século XXI, na qual o Brasil pretende elevar-se a grande potência, p. 250
  • EUA: cenário político aumenta asdificuldades para Obama, p. 192
  • Europa. Modesto futuro da Europa, p. 176
  • Europa. Visão panorâmica ea omissão da Europa, p. 169
  • Expectativas econômicas de longo prazo e premissas políticas, p. 183
  • Expectativas para o Brasil: relações com os EUA e mudanças do cenário mundial, p. 213
  • Expectativas quanto a potências emergentes centrais, p. 173

F

  • Faxina ética, importante marca do ano I, p. 153
  • FHC. Guinadas de FHC e de Lula, com repercussões no lulismo com Dilma, p. 89
  • FHC. Precária cultura, porém dois líderes emblemáticos: FHC e Lula, p. 87
  • Futura grande potência. Estados Unidos, hiperpotência ameaçada (?), e Brasil, futura grande potência (?), p. 31

G

  • Geopolítica, modelos externos, líderes e debilidades institucionais, p. 73
  • Geopolítica. Mundo geopolítico em processo de configuração delineia o futuro das próximas décadas, p. 161
  • Getúlio e Lula: vínculo genético-sociológico, p. 79
  • Getúlio e viciosa cultura: primeira república e ditaduras, p. 80
  • Getúlio. Lula ultrapassou Getúlio, p. 81
  • Globalização. Ascensão da grande potência, dentro da mais acelerada globalização do século XXI, p. 36
  • Globalização. Complexa agenda doBrasil, um novo ator global, p. 199
  • Globalização. Esmaecimentos: esquerdismos, nacionalismos e antiamericanismos na globalização, p. 146
  • Governança global. Porque a inclusão de potências emergentes na direção da governança global (entre elas o Brasil) poderia prejudicá-la, p. 187
  • Governança global. Segunda década doséculo XXI: inserção mundial dos Estados Unidos, da China e do Brasil, p. 191
  • Governo Dilma, novo momento político e Lula no lulismo com Dilma, p. 143
  • Governo Dilma. Antes do lulismo com Dilma, p. 226
  • Governo Dilma. Brasil: lulismo com Dilma, incertezas e provável vitória em 2014, p. 255
  • Governo Dilma. Caso do lulismo com Dilma, p. 217
  • Governo Dilma. Dilma no processo de consolidação democrática e melhoria imperativa para ascender a grande potência, p. 229
  • Governo Dilma. Expectativas e possibilidades, p. 159
  • Governo Dilma. Nova fase: "arquivamento" da política externa "terceiro-mundista", anticorrupção e mudança do estilo/face do lulismo, p. 157
  • Governo Dilma. Onda de afastamentos do alto escalão começou com o acelerado enriquecimento de Palocci, p. 155
  • Governo. Uma presidente retirada da obscuridade e as incertezas da presidência Dilma, p. 55
  • Grande potência. Ascensão a grandepotência, entraves culturais, prestígio externo e a realidade, p. 47
  • Grande potência. Ascensão da grande potência, dentro da mais acelerada globalização do século XXI, p. 36
  • Grande potência. Ascensão do Brasil a grande potência, democracia (Séculos XX e XXI), lulismo com Dilma, os Estados Unidos e a China, na nova ordem mundial, p. 23
  • Grande potência e democracia:desafios na nova ordem, p. 25
  • Grande potência em uma ordem global em transformações e de ascensão do "resto do mundo", p. 35
  • Grande recessão. Impactos daGrande Recessão de 2008-09, p. 30
  • Grandes potências emergentes e a recessão mundial no século XXI: turbulências políticas eeconômicas, p. 99
  • Guerras mundiais. Duas guerras mundiais, comunismo, grande depressão, totalitarismos de direita, bomba atômica e ONU (1901-1945), p. 125
  • Guinadas de FHC e de Lula, com repercussões no lulismo com Dilma, p. 89

H

  • Hiperpotência. Estados Unidos, hiperpotência ameaçada (?), e Brasil, futura grande potência (?), p. 31

I

  • Ideias ao poder e vice-versa, p. 234
  • Ikenberry. Capitalismo liberal. Autocracia. Posição de Deudney & Ikenberry, p. 114
  • Impactos da Grande Recessão de 2008-09, p. 30
  • Incerta reeleição de Obama ao binômio democracia-capitalismo, p. 247
  • Índia. Nova ordem mundial do século XXI e as aspirações da Alemanha, do Japão, da Índiae do Brasil, p. 108
  • Inovação. Preparação para o mundo da inovação e do conhecimento, p. 47
  • Insucesso democrático. Deficiências culturais, p. 61
  • Invalidade histórica. Democracia no Brasil: da inviabilidade histórica ao desenvolvimento em curso, p. 61
  • Isenção e competência baseada no conhecimento teórico e nas experiências, p. 233

J

  • Japão. Nova ordem mundial do século XXI e as aspirações da Alemanha, do Japão, da Índiae do Brasil, p. 108

L

  • Lições válidas parao século atual, p. 105
  • Líder emblemático. Precária cultura, porém dois líderes emblemáticos: FHC e Lula, p. 87
  • Liderança e partidos no Reino Unido e na Europa (em geral), p. 219
  • Liderança emblemática. Século XXI, três lideranças emblemáticas, Brasil e Obama, com a reeleição ameaçada, p. 129
  • Liderança. Geopolítica, modelos externos, líderes e debilidades institucionais, p. 73
  • Liderança. Líderes verdadeiros, por favor!, p. 222
  • Liderança. Novo líder da China e os EUA podem (novamente) remodelar o mundo, p. 239
  • Liderança. Para ascender a grande potência, Brasil precisa melhorar posição na América Latina, p. 225
  • Liderança. Por favor, líderes (melhores) para o Brasil e para o mundo desenvolvido!, p. 217
  • Lideranças, autoritarismo e populismo, p. 225
  • Liderença internacional. XI Jinping (filha em Harvard) e Obama (?) reeditarão Nixon-Kissiger dos anos 1970?, p. 239
  • Líderes e partidos recentes (em transformações). Avanço da nova república, p. 137
  • Líderes e presidencialismo americano moderno, p. 68
  • Lula ultrapassou Getúlio, p. 81
  • Lula. Getúlio e Lula: vínculo genético-sociológico, p. 79
  • Lula. Guinadas de FHC e de Lula, com repercussões no lulismo com Dilma, p. 89
  • Lula. Precária cultura, porém dois líderes emblemáticos: FHC e Lula, p. 87
  • Lulismo com Dilma abandona o frenesi populista, p. 57
  • Lulismo com Dilma: potencialidades e interrogações, p. 143
  • Lulismo, marco da democracia em consolidação, p. 133
  • Lulismo. Ascensão do Brasil a grande potência, democracia (Séculos XX e XXI), lulismo com Dilma, os Estados Unidos e a China, na nova ordem mundial, p. 23
  • Lulismo. Democracia na ascensão do Brasil, emergência do lulismo com Dilma, Estados Unidos e China, p. 25
  • Lulismo. Emergência e as incertezas do lulismo com Dilma, p. 55
  • Lulismo. Populismos e socialismos do lulismo e do chavismo, p. 51

M

  • Medida Provisória: provade projeto tardio e de precária cultura política, p. 83
  • Modelo externo. Geopolítica, modelos externos, líderes e debilidades institucionais, p. 73
  • Modelo ultraconcentrador da escolha da candidata do PT pelo presidente Lula, p. 86
  • Modernidade. Continente americano e modernidade: Brasil, Estados Unidos e democracias paradigmáticas, p. 73
  • Modernidade. Diferentes culturas, diferentes presidencialismos: modernidade (EUA) e atraso (Brasil), p. 63
  • Modesto futuro da Europa, p. 176
  • Multilateralismo. Século atual: progressos, autocracias (China, Rússia), capitalismo de Estado, aperfeiçoamentos dos multilateralismos e nova ordem mundial, p. 103
  • Multipolarização. Remodelagem da ordem mundial: reformas do sistema da ONU, multipolarização, potências emergentes e o desafiante "Consenso de Beijing", p. 119
  • Mundo geopolítico em processo de configuração delineia o futuro das próximas décadas, p. 161

N

  • Nova ordem internacional. Estados Unidos (Obama), China (Legado de Xiaoping) e a Nova Ordem, p. 28
  • Nova ordem internacional. Grande potência e democracia: desafios na nova ordem, p. 25
  • Nova ordem mundial do século XXI e as aspirações da Alemanha, do Japão, da Índiae do Brasil, p. 108
  • Nova ordem mundial e atuaçãoestratégica dos líderes, p. 196
  • Nova ordem mundial. Ascensão do Brasil a grande potência, democracia (Séculos XX e XXI), lulismo com Dilma, os Estados Unidos e a China, na nova ordem mundial, p. 23
  • Nova ordem mundial. Século atual: progressos, autocracias (China, Rússia), capitalismo de Estado, aperfeiçoamentos dos multilateralismos e nova ordem mundial, p. 103
  • Nova República. Líderes e partidos recentes (em transformações). Avanço da nova república, p. 137
  • Novos atores globais, dificuldades e mudanças na política externa americana, p. 179

O

  • Obama, com a reeleição ameaçada, p. 130
  • ONU. Assento para o Brasil no CS da ONU: carências de racionalidade e de tática operacional, p. 207
  • ONU. Estruturação do sistema daONU e o processo histórico, p. 207
  • ONU. Remodelagem da ordem mundial: reformas do sistema da ONU, multipolarização, potências emergentes e o desafiante "Consenso de Beijing", p. 119
  • Operacionalidade. Mais racionalidade e mais operacionalidade. Imperativos para o Brasil, p. 210
  • Ordem global. Grande potência em uma ordem global em transformações e de ascensão do "resto do mundo", p. 35
  • Ordem mundial. Avanços e potencialidades do Brasil e implicações para a declinante influência dos Estados Unidos, p. 199
  • Ordem mundial. Brasil nas transformações da nova ordem mundial, p. 140
  • Ordem mundial. Desafios do século XXI, beneficiário dos avanços anteriores, p. 105
  • Ordem mundial. Nova ordem mundial do século XXI e as aspirações da Alemanha, do Japão, da Índia e doBrasil, p. 108
  • Ordem mundial. Nova ordem mundial e atuação estratégica dos líderes, p. 196
  • Ordem mundial. Remodelagem da ordem mundial: reformas do sistema da ONU, multipolarização, potências emergentes e o desafiante "Consenso de Beijing", p. 119

P

  • Papel do Brasil numa análise de amplo espectro, p. 202
  • Paralelismo Brasil-EUA. Atualidade, p. 83
  • Partido político. Cegueira do PT e de seus economistas, p. 44
  • Partido único, questionamentos sobre o crescimento e a possível dominação do autoritarismo chinês, p. 120
  • Partidos e líderes recentes (em transformações). Avanço da nova república, p. 137
  • Poder das ideias e as ideias do poder, p. 233
  • Poder mundial no século XXI e expectativas quanto a potências emergentes centrais, p. 169
  • Poder mundial no século XXI, p. 172
  • Poder nuclear, sistema da ONU, guerra fria, comunismo na China, Tratado de Não Proliferação, revolução industrial-capitalista chinesa, desintegração da URSS, EUA única hiperpotência e bomba zero (EUA-Rússia) - 1946-2000, p. 127
  • Poder. Perda do poder brando chinês, p. 246
  • Política brasileira. Mudanças positivasno ambiente político brasileiro, p. 145
  • Política externa americana. Novos atores globais, dificuldades e mudanças na política externaamericana, p. 179
  • Política mundial. Profundas transformações na realidade política mundial, mal avaliadas no Brasil, p. 52
  • Política. Brasil, a grande potênciano pós-grande recessão: da política à economia, p. 137
  • Política. Debate em tornode ideias e valores, p. 46
  • Política. Provável nova vitória do lulismo em 2014: implicações para a democracia no Brasil, p. 255
  • Política. Séculos XX e XXI e a trajetória política do Brasil, p. 129
  • Populismo. Lideranças, autoritarismo e populismo, p. 225
  • Populismo. Lulismo com Dilma abandona o frenesi populista, p. 57
  • Populismos e socialismos do lulismo e do chavismo, p. 51
  • Porque a inclusão de potências emergentes na direção da governança global (entre elas o Brasil) poderia prejudicá-la, p. 187
  • Potência emergente. Poder mundial no século XXI e expectativas quanto a potências emergentes centrais, p. 169
  • Potência internacional. Desafios do cenário internacional na caminhada do Brasil a grande potência, p. 31
  • Potência internacional. EUA-China: fricções na ordem mundial do século XXI, na qual o Brasil pretende elevar-se a grande potência, p. 250
  • Potências emergentes. Remodelagem da ordem mundial: reformas do sistema da ONU, multipolarização, potências emergentes e o desafiante "Consenso de Beijing", p. 119
  • Potência emergente. Expectativas quanto a potências emergentes centrais, p. 173
  • Precária cultura, porém dois líderes emblemáticos: FHC e Lula, p. 87
  • Precárias raízes da incipiente democracia brasileira, p. 67
  • Premissas políticas. Expectativas econômicas de longo prazo e premissas políticas, p. 183
  • Preparação para o mundo da inovação e do conhecimento, p. 47
  • Presidencialismo moderno. Líderes e presidencialismo americano moderno, p. 68
  • Presidencialismo. Brasil, cópia do presidencialismo e debilidades institucionais, p. 75
  • Presidencialismo. Diferentes culturas, diferentes presidencialismos: modernidade (EUA) e atraso (Brasil), p. 63
  • Prestígio do modelo do Brasil na América Latina e real posição do Brasil no mundo, p. 47
  • Prestígio externo. Ascensão a grandepotência, entraves culturais, prestígio externo e a realidade, p. 47
  • Prestígio internacional do Brasil: indício da ascensão a grande potência, p. 41
  • Primavera/11: governo poderia parar e a economia voltar a uma recessão ainda maior, p. 214
  • Primeira República. Getúlio e viciosa cultura: primeira república e ditaduras, p. 80
  • Profundas transformações na realidade política mundial, mal avaliadas no Brasil, p. 52
  • PT. Cegueira do PT e de seus economistas, p. 44

R

  • Racionalidade. Mais racionalidade e mais operacionalidade. Imperativos para o Brasil, p. 210
  • Realidade. Ascensão a grande potência, entraves culturais, prestígio externo e a realidade, p. 47
  • Recessão mundial. Grandes potências emergentes e a recessão mundial no século XXI: turbulências políticas e econômicas, p. 99
  • Recessão. Brasil, a grande potênciano pós-grande recessão: da política à economia, p. 137
  • Reelieção. Obama, coma reeleição ameaçada, p. 130
  • Referências, p. 263
  • Reforma institucional. Estratégia para as reformas institucionais, p. 119
  • Relação internacional.Ótica do Br asil, p. 213
  • Remodelagem da ordem mundial: reformas do sistema da ONU, multipolarização, potências emergentes e o desafiante "Consenso de Beijing", p. 119
  • Reviravolta diplomática dos EUA e a entrada da China no Conselho de Segurança, p. 209
  • Rússia. Autocracias (China, Rússia): compatíveis com o sucesso capitalista e uma forma diferente do capitalismo liberal?, p. 113
  • Rússia. Século atual: progressos, autocracias (China, Rússia), capitalismo de Estado, aperfeiçoamentos dos multilateralismos e nova ordem mundial, p. 103

S

  • Século atual: progressos, autocracias(China, Rússia), capitalismo de Estado, aperfeiçoamentos dos multilateralismos e nova ordem mundial, p. 103
  • Século XX: análise integrada. Aspectos militar, político e econômico, p. 125
  • Século XXI, três lideranças emblemáticas, Brasil e Obama, com a reeleição ameaçada, p. 129
  • Séculos XX e XXI e a trajetória política do Brasil, p. 129
  • Seleção detemas, p. 171
  • Socialismo. Populismos e socialismos do lulismo e do chavismo, p. 51
  • Sociologia. Getúlio e Lula: vínculo genético-sociológico, p. 79
  • Superação. Brasil, turbulências políticas e econômicas, crise e superação, p. 100
  • Surpreendentes quedas de ministros no ano I de Dilma: faxina e nova face do lulismo, p. 153

T

  • Transformações. Grande potência em uma ordem global em transformações e de ascensão do "resto do mundo", p. 35
  • Três lideranças, p. 130
  • Turbulência política e econômica. Grandes potências emergentes e a recessão mundial no século XXI: turbulências políticas e econômicas, p. 99
  • Turbulências política e econômica. Brasil, turbulências políticas e econômicas, crise e superação, p. 100

V

  • Visão panorâmica e a omissão da Europa, p. 169

Recomendações

Capa do livro: Guerra dos Judeus - Livro I, Flávio Josefo - Tradução e Adaptação A. C. Godoy

Guerra dos Judeus - Livro I

 Flávio Josefo - Tradução e Adaptação A. C. GodoyISBN: 857394978-3Páginas: 140Publicado em: 17/01/2002

Versão impressa

R$ 39,90 Adicionar ao
carrinho

Versão digital

R$ 29,90 Adicionar e-Book
ao carrinho
Capa do livro: Trabalhismo de Pedro Ernesto, O, Thiago Cavaliere Mourelle

Trabalhismo de Pedro Ernesto, O

 Thiago Cavaliere MourelleISBN: 978853622976-8Páginas: 278Publicado em: 05/05/2010

Versão impressa

R$ 79,90em 3x de R$ 26,63Adicionar ao
carrinho

Versão digital

R$ 54,70em 2x de R$ 27,35Adicionar e-Book
ao carrinho
Capa do livro: Produção Florestal Empresarial e Associativa, Antonio Benedito de Siqueira

Produção Florestal Empresarial e Associativa

 Antonio Benedito de SiqueiraISBN: 978853622311-7Páginas: 128Publicado em: 17/02/2009

Versão impressa

R$ 39,90 Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Nazistas no Brasil e Extradição, Felipe Cittolin Abal

Nazistas no Brasil e Extradição

 Felipe Cittolin AbalISBN: 978853624548-5Páginas: 196Publicado em: 10/02/2014

Versão impressa

R$ 49,90 Adicionar ao
carrinho

Versão digital

R$ 34,70 Adicionar e-Book
ao carrinho