Instruções À Cortázar - Homenagem de Cronópios, Famas e Esperanças

Coordenador: Carlyle Popp

Leia na Biblioteca Virtual
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Coordenador: Carlyle Popp
ISBN: 978853624628-4
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 94
Publicado em: 25/04/2014
Área(s): Literatura e Cultura - Personalidades; Juruá Internacional
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

A literatura de Julio Cortázar privilegia o cotidiano. Discute o fantástico através da simplicidade, das situações do dia a dia. Faz uma junção entre o surreal (fantástico), o realismo (cotidiano) e o existencialismo (as agruras da existência).

Instruções à Cortázar tem como mote uma obra menos afamada, embora singular: Histórias de Cronópios e de Famas. Aqui Cortázar vê o mundo com soberba ironia. Quer recuperar o sentido do humano, o amor pela travessura e pelo cotidiano. Descreve as pessoas em três grandes grupos: cronópios, famas e esperanças.

Os cronópios são os artistas, os poetas, aqueles que estão alheios aos compromissos do cotidiano e às agruras da vida. São distraídos, atrapalhados e esquecidos. Viajam em seus pensamentos. Os famas representam a vida prática. São os gestores, executivos, gerentes de banco. Os esperanças são aqueles que passam em branco pela vida, são omissos, vivem a alegria do meio-termo e o drama das opiniões.

Cortázar nunca se quedou omisso diante das circunstâncias políticas do mundo. Nunca foi um esperança. Era senhor de sua história, protagonista de sua existência.

Instruções para ler este livro - Por João Anzanello Carrascoza

Por ser uma obra-homenagem a Julio Cortázar, comece pela história-instrução que você quiser, assim como no Jogo da Amarelinha.

Preste bem atenção no prefácio de Carlyle Popp e no posfácio de Antônio Torres.

Faça seu próprio roteiro de leitura: Instruções para Picar uma Cebola, por exemplo, não está perto de Instruções para Fritar Ovo, mas você pode ir de uma a outra pulando páginas. Aprecie tanto as instruções de velhos cronópios literários, como Antonio Carlos Viana e eu, quanto as de esperanças que estão estreando, como Giovanna Lima e Mayra Corrêa e Castro, entre outros.

Experimente trocar o título das histórias e veja no que vai dar. Por exemplo: transforme Instruções para Lavar Lençol em Instruções para Dizer Adeus.

Não se fixe nos autores e suas instruções. No fundo, são todos um só autor, em diálogo com o fascinante universo de Cortázar. Não compare o tamanho das histórias. Algumas são longas e outras curtas - igual a nossa vida e a dos famas.

Depois de ler este livro, corra para reler Cortázar. Vai ser uma nova e instrutiva aventura para você.

Antonio Carlos Viana

Há escritores que podemos ler uma, duas, vinte, mil vezes, e sempre temos a impressão de estar lendo-os pela primeira vez. Assim são Clarice Lispector, Guimarães Rosa, Mário de Andrade. E assim também é Cortázar. Dois de seus livros sempre estão ao alcance de minha mão: um é Bestiario; o outro, Histórias de Cronópios e de Famas. Quando estou sem "inspiração", paro e vou ler suas instruções como quem lê atentamente o manual que acompanha um brinquedo difícil de armar. Sinto então o termômetro de cada palavra, a arquitetura do texto, e, ao final, sempre me pergunto: como ele conseguiu fazer isso? O que aprendemos sobretudo com Cortázar é que a literatura é o espaço da liberdade absoluta do pensamento. E foi esse espírito que animou o desafio lançado a cada escritor presente nesta coletânea que homenageia o grande cronópio belga-argentino. Uma bela homenagem que o torna redivivo trinta anos depois de sua morte.

Antônio Torres

"(...) um conto tem que chegar ao fim como chega ao fim uma grande improvisação de jazz ou uma sinfonia de Mozart. E assim o contista vencerá o leitor por nocaute".

AUTOR(ES)

COORDENADOR

Carlyle Popp
Doutor em Direito Civil pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP. Mestre em Direito Público pela Universidade Federal do Paraná - UFPR. Membro do Instituto dos Advogados do Paraná, da Academia Paranaense de Letras Jurídicas, do Conselho Editorial da Juruá Editora e do Instituto de Direito Privado. Foi professor dos cursos de graduação e pós-graduação (mestrado) do Centro Universitário Curitiba - Unicuritiba até 2012. Advogado sócio do escritório Popp & Nalin Sociedade de Advogados. Professor licenciado da Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR. É escritor e

pesquisador das relações entre Direito e Literatura.

 

AUTORES

Andressa Barichello

Antonio Carlos Viana

Antônio Torres

Carlyle Popp

Eduardo Bettega

Gabriel Marins

Giovanna Lima

Isabel Furini

Izabela Loures

João Anzanello Carrascoza

José Tucón

Lindsay Gracia Colle

Majeda Popp

Marina Carraro

Mayra Corrêa e Castro

Monica Kukulka

Nando São Luiz

Otto Leopoldo Winck

SUMÁRIO

Apresentação - Carlyle Popp

Instruções para picar uma cebola - Andressa Barichello

Instruções para morar em Curitiba - Antonio Carlos Viana

Penalty: instruções ao goleiro - Eduardo Bettega

Instruções para ter boas lembranças da vida - Eduardo Bettega

Instruções para fritar ovo - Gabriel Marins

Instruções para esquecer um grande amor - Giovanna Lima

Instruções para sonhar - Isabel Furini

Instruções para lavar lençol - Izabela Loures

Instruções para observar humanos - João Anzanello Carrascoza

www.instruçõesparavenderlivros.com.br - José Tucón

Instruções para receita de falaz plumitivo - Lindsay Gracia Colle

Instruções para visitar recém-nascido - Majeda Popp

Instruções para dizer adeus - Marina Carraro

Instruções para ganhar um melhor amigo - Mayra Corrêa e Castro

Instruções para lavar as mãos - Monica Kukulka

Instruções sobre horas - Nando São Luiz

Instruções para a última madrugada antes do fim do mundo - Otto Leopoldo Winck

Posfácio: Blues para Cortázar - Antônio Torres

INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: