Origens do Mercosul, As - A Construção da Ordem Política no Cone Sul - Coleção Para Entender - Coordenador da Coleção: Leonardo Nemer C. Brant

Oswaldo Dehon Roque Reis

Leia na Biblioteca Virtual
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Oswaldo Dehon Roque Reis
ISBN: 978853623536-3
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 140
Publicado em: 25/10/2011
Área(s):
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO:
 

Prezado Leitor,

É com grande satisfação que lhe apresentamos a Coleção Para Entender que visa analisar, de forma didática e atualizada, os principais temas ligados ao Direito Internacional e Relações Internacionais. Tal iniciativa responde à necessidade de compreensão dos desafios colocados por um cenário internacional cada vez mais dinâmico e integrado. Diante desse novo contexto, o Direito Internacional vem sendo cada vez mais utilizado como forma de regulamentação de comportamento, ou seja, tem-se assistido a um movimento de sua crescente expansão e afirmação. Essa lógica, contudo, não se desenvolve de forma uniforme: em que pese o alargamento das matérias juridicamente reguladas, têm-se, paralelamente, casos em que as normas jurídicas internacionais são negligenciadas e, até mesmo, flagrantemente violadas. É por esta razão que a Coleção Para Entender guarda toda sua atualidade. A diversidade dos temas abordados, a natureza direta da linguagem adotada, bem como a interdisciplinaridade da análise, permitem ao leitor, de maneira acessível, a melhor compreensão dos desafios da atual realidade internacional.


Leonardo Nemer C. Brant
Coordenador da Coleção Para Entender


Neste Volume:

O PROBLEMA NA DISCIPLINA E A COMPREENSÃO DAS REGIÕES NA PRODUÇÃO DE POLÍTICAS DOMÉSTICAS TEORIAS DO REGIONALISMO POLÍTICO

• Regiões e Segurança nas Relações Internacionais
• Regiões, Integração e Regionalismo nas Relações Internacionais
• Região como Nível de Análise
• As Gerações Teóricas do Regionalismo

ORDEM INTERNACIONAL, ORDEM REGIONAL E PERCEPÇÕES POLÍTICAS

• Poder, Relações Internacionais e Ordem Política
• Ordens Regionais, Sociedades Regionais e Poder
• O Papel das Percepções na Construção de Políticas e na Produção da Ordem Internacional e Regional
• Percepções no Realismo Neoclássico

LÍDERES POLÍTICOS E A CONSTRUÇÃO DA ORDEM REGIONAL NO CONE SUL

• As Origens da Rivalidade no Cone Sul: Elites Políticas no Século XIX e XX
• A Reconciliação em Marcha: o Conflito CORPUS/ITAIPU
• A Institucionalização da Ordem: Reversão Nuclear, ABACC e a Criação do Mercosul
• Conclusão: a Formação da Ordem Contemporânea no Cone Sul

AUTOR(ES)

Oswaldo Dehon Roque Reis é Doutor em Relações Internacionais; Mestre em Ciência Política; Professor do Centro Universitário UNA e do IBMEC.

 

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

1 O PROBLEMA NA DISCIPLINA E A COMPREENSÃO DAS REGIÕES NA PRODUÇÃO DE PO LÍTICAS DOMÉSTICAS

2 TEORIAS DO REGIONALISMO POLÍTICO

2.1 Regiões e Segurança nas Relações Internacionais

2.2 Regiões, Integração e Regionalismo nas relações internacionais

2.3 Região Como Nível de Análise

2.4 As Gerações Teóricas do Regionalismo

2.4.1 A Primeira Geração de Regionalismo

2.4.1.1 O sistema social e pluralista do neofuncionalismo

2.4.1.2 As críticas ao neofuncionalismo e a emergência do liberal-intergovernamentalismo

2.4.1.3 A contribuição neoinstitucionalista ao debate teórico da primeira geração do regionalismo

2.4.2 A Segunda Geração: O Novo Regionalismo

2.4.3 A Terceira Geração: Regionalismo Global

2.4.3.1 A perspectiva do interregionalismo

2.4.3.2 Os estudos comparados no regionalismo

2.4.3.3 A noção de ordem e as relações com o campo da segurança

3 ORDEM INTERNACIONAL, ORDEM REGIONAL E PERCEPÇÕES POLÍTICAS

3.1 Poder, Relações Internacionais e Ordem Política

3.2 Ordens Regionais, Sociedades Regionais e Poder

3.3 O Papel das Percepções na Construção de Políticas e na Produção da Ordem Internacional e Regional

3.4 Percepções no Realismo Neoclássico

4 LÍDERES POLÍTICOS E A CONSTRUÇÃO DA ORDEM REGIONAL NO CONE SUL

4.1 As Origens da Rivalidade no Cone Sul: Elites Políticas nos Séculos XIX e XX

4.1.1 O Distanciamento dos Estados Unidos e as Disputas na América do Sul

4.1.2 A Autonomia Argentina, a Aliança Brasil-Estados Unidos e o Retorno a Rivalidade no Cone Sul

4.1.3 A Rivalidade entre Brasil e Argentina Durante os Regimes Militares e o Uso Político dos Programas Nucleares no Cone Sul

4.1.3.1 Regimes autoritários e a construção do programa nuclear argentino

4.1.3.2 O desenvolvimento do programa nuclear brasileiro durante o regime militar (1964-1985)

4.2 A Reconciliação em Marcha: o Conflito Corpus/Itaipu

4.3 A Institucionalização da Ordem: Reversão Nuclear, Abacc e a Criação do Mercosul

4.3.1 A Transição Democrática e a Reversão Nuclear

4.4 Conclusão: a Formação da Ordem Contemporânea no Cone Sul

REFERÊNCIAS

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • Abacc. Institucionalização da ordem:reversão nuclear, Abacc e a criação do Mercosul
  • Aliança Brasil-Estados Unidos. Autonomia Argentina, a Aliança Brasil-Estados Unidos e o retorno a rivalidade no Cone Sul
  • América do Sul. Distanciamento dos Estados Unidos e as disputas na América do Sul
  • Análise. Região comonível de análise
  • Área da Bacia do Rio da Prata. Tabela 1
  • Argentina. Autonomia Argentina, a Aliança Brasil-Estados Unidos e o retorno a rivalidade no Cone Sul
  • Argentina. Rivalidade entre Brasil e Argentina durante os regimes militares e o uso político dos programasnucleares no Cone Sul
  • Autonomia Argentina, a Aliança Brasil-Estados Unidos e o retorno a rivalidade no Cone Sul
  • Autoritarismo. Regimes autoritários e a construção do programa nuclear argentino

B

  • Bacia do Prata - Paraná. Mapa 1
  • Brasil. Rivalidade entre Brasil e Argentina durante os regimes militares e o uso político dos programas nucleares no Cone Sul

C

  • Conclusão: a formação da ordem Contemporânea no Cone Sul
  • Cone Sul. Autonomia Argentina, a Aliança Brasil-Estados Unidos e o retorno a rivalidade no Cone Sul
  • Cone Sul. Conclusão: a formação daordem Contemporânea no Cone Sul
  • Cone Sul. Líderes políticos e a construção da ordem regional no Cone Sul
  • Cone Sul. Origens da rivalidade no Cone Sul: elites políticas nos séculos XIX e XX
  • Cone Sul. Rivalidade entre Brasil e Argentina durante os regimes militares e o uso político dos programas nucleares no Cone Sul
  • Conflito Corpus/Itaipu. Reconciliação em marcha: o conflito Corpus/Itaipu
  • Construção política. Papel das percepções na construção de políticas e na produção da ordem internacional e regional
  • Contribuição neoinstitucionalista ao debate teórico da primeira geração do regionalismo
  • Críticas ao neofuncionalismo e a emergência do liberal-intergovernamentalismo

D

  • Democracia. Transição democrática e a reversão nuclear
  • Desenvolvimento do programa nuclear brasileiro durante o regime militar (1964-1985)
  • Disciplina. Problema na disciplina e a compreensão das regiões na produção de políticas domésticas
  • Distanciamento dos Estados Unidos eas disputas na América do Sul

E

  • Elite política. Origens da rivalidade no Cone Sul: elites políticas nos séculos XIX e XX
  • Estados Unidos. Distanciamento dos Estados Unidos e as disputas na América do Sul
  • Estudos comparados no regionalismo

F

  • Figura 1. Modelo de poder como influência
  • Figura 2. Modelo deinteração de poder

G

  • Gerações teóricas do regionalismo

I

  • Institucionalismo supranacional e intergovernamental: distinções teóricas. Quadro 1
  • Institucionalização da ordem: reversão nuclear, Abacc e a criação do Mercosul
  • Integração. Regiões, integração e regionalismo nas relações internacionais
  • Interregionalismo. Perspectiva do interregionalismo
  • Introdução

L

  • Liberal-intergovernamentalismo. Críticas ao neofuncionalismo e a emergência do liberal-intergovernamentalismo
  • Líderes políticos e a construção daordem regional no Cone Sul

M

  • Mapa 1. Bacia doPrata - Paraná
  • Mercosul. Institucionalização da ordem: reversão nuclear, Abacc e a criação do Mercosul
  • Modelo de interação de poder. Figura 2
  • Modelo de poder como influência. Figura 1

N

  • Neofuncionalismo. Críticas ao neofuncionalismo e a emergência do liberal-intergovernamentalismo
  • Neofuncionalismo. Sistema social e pluralista do neofuncionalismo
  • Neoinstitucionalismo. Contribuição neoinstitucionalista ao debate teórico da primeira geração do regionalismo
  • Noção de ordem e as relações com o campo da segurança

O

  • Ordem contemporânea. Conclusão: a formação da ordem Contemporânea no Cone Sul
  • Ordem internacional e regional. Papel das percepções na construção de políticas e na produção da ordeminternacional e regional
  • Ordem internacional, ordem regional e percepções políticas
  • Ordem política. Poder, relações internacionais e ordem política
  • Ordem regional. Líderes políticos e a construção da ordem regional no Cone Sul
  • Ordem. Noção de ordem e as relações com o campo da segurança
  • Ordens regionais, sociedades regionais e poder
  • Origens da rivalidade no Cone Sul: elites políticas nos séculos XIX e XX

P

  • Papel das percepções na construção de políticas e na produção da ordem internacional e regional
  • Percepção política. Ordem internacional, ordem regional e percepções políticas
  • Percepção. Papel das percepções na construção de políticas e na produção da ordem internacional e regional
  • Percepções no realismo neoclássico
  • Perspectiva do interregionalismo
  • Pluralismo. Sistema social e pluralista do neofuncionalismo
  • Poder, relações internacionais e ordem política
  • Poder. Ordens regionais, sociedades regionais e poder
  • Política. Líderes políticos e a construção da ordem regional no Cone Sul
  • Política. Rivalidade entre Brasil e Argentina durante os regimes militares e o uso político dos programas nucleares no Cone Sul
  • Políticas modernas. Problema na disciplina e a compreensão das regiões na produção de políticas domésticas
  • Primeira geração de regionalismo
  • Primeira geração. Contribuição neoinstitucionalista ao debate teórico da primeira geração do regionalismo
  • Problema na disciplina e a compreensão das regiões na produção de políticas domésticas
  • Produção. Papel das percepções na construção de políticas e na produção da ordem internacional e regional
  • Programa nuclear argentino. Regimes autoritários e a construção do programa nuclear argentino

Q

  • Quadro 1. Institucionalismo supranacional e intergovernamental: distinções teóricas

R

  • Realismo neoclássico. Percepções
  • Reconciliação em marcha: oconflito Corpus/Itaipu
  • Referências
  • Regiões. Problema na disciplina e a compreensão das regiões na produção de políticas domésticas
  • Região como nível de análise
  • Regime militar. Rivalidade entre Brasil e Argentina durante os regimes militares e o uso político dos programas nucleares no Cone Sul
  • Regimes autoritários e a construçãodo programa nuclear argentino
  • Regiões e segurança nas relações internacionais
  • Regiões, integração e regionalismo nas relações internacionais
  • Regionalismo político. Teorias
  • Regionalismo. Contribuição neoinstitucionalista ao debate teórico da primeira geração do regionalismo
  • Regionalismo. Estudos comparados no regionalismo
  • Regionalismo. Gerações teóricas do regionalismo
  • Regionalismo. Primeira geração de regionalismo
  • Regionalismo. Regiões, integração eregionalismo nas relações internacionais
  • Regionalismo. Segunda geração: o novo regionalismo
  • Regionalismo. Terceira geração: regionalismo global
  • Relações internacionais.Poder, relações internacionais e ordem política
  • Relações internacionais. Regiões e segurança nas relações internacionais
  • Relações internacionais. Regiões,integração e regionalismo nas relações internacionais
  • Reversão nuclear. Institucionalizaçãoda ordem: reversão nuclear, Abacc e a criação do Mercosul
  • Reversão nuclear. Transição democrática e a reversão nuclear
  • Rivalidade entre Brasil e Argentina durante os regimes militares e o uso político dos programas nucleares no Cone Sul
  • Rivalidade. Autonomia Argentina, a Aliança Brasil-Estados Unidos e o retorno a rivalidade no Cone Sul

S

  • Segunda geração: onovo regionalismo
  • Segurança. Noção de ordem e as relações com o campo da segurança
  • Segurança. Regiões e segurançanas relações internacionais
  • Sistema social e pluralista do neofuncionalismo
  • Sociedade regional. Ordens regionais, sociedades regionais e poder

T

  • Tabela 1. Área da Bacia do Rio da Prata
  • Teorias do regionalismo político
  • Terceira geração: regionalismo global
  • Transição democrática ea reversão nuclear
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: