Relações Internacionais Estudos de Introdução - 2ª Edição Revista e Atualizada

Odete Maria de Oliveira

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Odete Maria de Oliveira
ISBN: 853620672-1
Edição/Tiragem: 2ª Edição Revista e Atualizada
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 280
Publicado em: 19/03/2004
Área(s): Direito Internacional
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE
O final do século XX, com suas singulares mutações, traz um registro de transcendental preocupação às relações internacionais e que ultrapassam os clássicos parâmetros de interpretações realistas e neo-realista. O centro das atenções volta-se aos reais problemas da sociedade internacional que, perdendo característica do passado, foi adquirindo outros desenhos, de marcas da conteporaneidade globalizada, adequando resposta às demandas hoje planetárias e que atingem os indivíduos de todos os continentes, concentrando-se no desenvolvimento desigual entre os Estados, portadores de privações as mais essenciais, como o da opressão à fome, saúde e educação; do entendimento entre os homens à solução de tão fundamentais problemas; da nova forma de pensar e de viver e, enfim, da intensificação do modelo de cooperação entre os povos em todos os âmbitos.
A presente obra, um compêndio de Introdução ao Estudo das Relações Internacionais, centra sua atenção na problemática do desenvolvimento dessa matéria como disciplina autônoma, que delimita seu objeto de conhecimento tanto da natureza mesma do Estado e de suas relações de poder como no âmbito da sociedade internacional, complexa “rede” de distintas unidades e de diversificados atores estatais e não-estatais. A investigação se faz anteceder de um estudo de antecedentes. Os mais remotos se perdem nas indagações dos e aqueles não tem antigos culminaram na emancipação deste saber como disciplina emergente e independente. Além da discussão conceitual, em nível epistemológico, o livro abarca ainda e temática dos paradigmas que, estreitando o espaço entre a teoria e a empíria, orientaram um corpo determinante de teorias parciais, na tentativa de consolidar uma Teoria Geral às relações internacionais.
SUMÁRIO

NOTAS DA AUTORA

INTRODUÇÃO

CAPÍTULO I A DISCIPLINA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

1.1 Antecedentes e Evolução

1.1.1 Direito Internacional

1.1.2 História dos Tratados

1.1.3 História da Diplomacia

1.1.4 Diplomacia

1.2 Surgimento e Consolidação

1.2.1 Fatores Decisivos

1.2.2 Perspectivas Acadêmicas

1.2.3 Perspectivas Científicas

1.2.4 Considerações Terminológicas

1.3 Diversificado Desenvolvimento

1.3.1 Estados Unidos e Reino Unido

1.3.2 Continente Europeu e outros Continentes

1.3.3. América Latina

1.3.4 Ex-União Soviética e demais Países Socialistas

1.4 Aporte Teórico-Conceitual

1.4.1 Objeto Material

1.4.2 Objeto Formal

1.4.3 Abordagem Metodológica

1.4.4 Discussão Conceitual

a) Critério Tradicional

b) Critério dos Atores

c) Critério de Internacionalidade

d) Critério de Fronteiras ou da Localização

e) Critério de Sociedade Internacional

CAPÍTULO II O PROBLEMA DOS PARADIGMAS

2.1 Modelo Idealista

2.1.1 Localização do Movimento

2.1.2 Objetivos de Paz

2.1.3 Precedentes do Modelo

2.2 Modelo Realista

2.2.1 Realismo Político

a) Inspiradores do Movimento

b) Poder como Essência da Política

c) CaracterísticasPrincipais

2.2.2 Neo-Realismo

a) Realismo versus Behaviorismo

b) Teoria de Kenneth Waltz

2.3 Modelo Dependente

2.3.1 Critérios de Classificação

2.3.2 Aporte Conceitual e Características

a) Questão Conceitual

b) Características Principais

2.3.3 Aporte da Teoria da Dependência

a) Noção de Desenvolvimento

b) Noção de Subdesenvolvimento

c) Noções de Centro e Periferia

d) Noção de Dependência

2.3.4 Aporte Teórico-Estruturalista

a) Comissão Econômica para a América Latina e Caribe

b) Teoria Alternativa de Raúl Prebisch

2.3.5 Aporte Teórico Marxista

a) Impacto da Teoria Marxista

b) Capitalismo nas Nações Atrasadas

2.4 Modelo Interdependente

2.4.1 Aporte Conceitual

2.4.2 Mecanismo Retórico

2.4.3 Conceito Analítico

2.4.4 Interdependência Complexa

2.4.5 Características Principais

CAPÍTULO III A SOCIEDADE INTERNACIONAL

3.1 Antecedentes e Evolução

3.1.1 Comunidade e Sociedade

3.1.2 Sistema de Estados Europeu

a) Unidade na Diversidade

b) Tratados de Westfália e suas Mudanças

3.1.3 Potências Internacionais

a) Grandes Potências e Potências Mundiais

b) Superpotências

c) Médias Potências

3.1.4 Sociedade de Estados

3.2 Aporte Teórico-Estrutural

3.2.1 Discussão Conceitual

3.2.2 Poder Estrutural

3.2.3 Características Principais

3.3 Estrutura Internacional

3.3.1 Elementos Principais

a) Extensão Espacial

b) Diversificação Estrutural

c) Estratificação

d) Polarização

e) Homogeneidade e Heterogeneidade

f) Institucionalização

3.3.2 Modelos Teóricos Principais

A) Modelo Estático

B) Modelo Dinâmico

a) Teoria dos Conflitos

b) Teorias da Integração

c) Teoria das Comunicações

C) Modelo Global

CAPÍTULO IV OS ATORES INTERNACIONAIS

4.1 Aporte Teórico-Conceitual

4.2 Critérios de Classificação

4.2.1 Natureza Territorial e Funcional

4.2.2 Grau de Importância

4.2.3 Grau de Autonomia

4.3 Abrangência Tipológica

4.3.1 Abordagem Clássica

4.3.2 Abordagem Transnacional

4.4 Características Principais

4.4.1 Estados

A) Elementos Políticos

B) Elementos Territoriais e Populacionais

C) Elementos Econômicos e Sociais

D) Elementos Militares

4.4.2 Organismos Internacionais

A) Antecedentes e Evolução

B) Organismos de Cooperação Permanente

C) Aporte Teórico-Estrutural

a) Discussão Conceitual

b) Características Principais

D) Critérios de Classificação

a) Em Razão dos Fins

b) Em Razão da Composição

c) Em Razão da Competência

4.4.3 Organizações Não-Governamentais

A) Antecedentes e Evolução

a) Considerações Terminológicas

b) Precedentes do Movimento

B) Aporte Teórico-Estrutural

a) Critérios de Classificação

b) Movimento Greenpeace

c) Movimento Anistia Internacional

d) Movimento Médicos Sem Fronteiras

C) Discussão Conceitual

D) Características Principais

E) Dificuldades Principais

4.4.4 Empresas Transnacionais

A) Antecedentes e Evolução

a) Considerações Terminológicas

b) Precedentes Históricos

B) Aporte Teórico-Estrutural

a) Características Principais

b) Tentativa Conceitual

C) Diversificadas Funções

a) Desenvolvimento de Produção Internacionalizada

b) Maximização do Lucro e Minimização do Custo

c) Planos Gerais e Planos Internacionalizados

d) Hierarquia Orgânica e Unidade de Direção

e) Tratamento Jurídico Inadequado

D) Perspectivas Atuais

CONCLUSÕES

REFERÊNCIAS

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • Abordagem metodológica. Relações internacionais.
  • Academia. Perspectivas acadêmicas
  • América Latina.
  • Analítico. Conceito analítico. Interdependência
  • Aporte conceitual e características. Modelo dependente.
  • Aporte da teoria da dependência
  • Aporte teórico marxista. Marxismo
  • Aporte teórico-conceitual das relações internacionais
  • Aporte teórico-estrutural.Relação internacional.
  • Ator internacional. Abordagem clássica
  • Ator internacional. Abordagem transnacional.
  • Ator internacional. Aporteteórico-conceitual.
  • Ator internacional. Características principais
  • Ator internacional. Critérios de classificação.
  • Ator internacional. Grau de autonomia
  • Ator internacional. Grau de importância.
  • Ator internacional.Terminologia.
  • Ator internacional. Tipologia. Abrangência tipológica.
  • Autora. Notas da autora.

B

  • Behaviorismo. Neo-realismo. Realismo «versus» behaviorismo.
  • Bibliografia

C

  • Capitalismo nas nações atrasadas.
  • Características principais. Modelo dependente.
  • Características principais. Sociedade internacional
  • Ciência. Perspectivas científicas.
  • Comissão econômica para América Latina e Caribe
  • Comunidade. Antecedentes e evolução
  • Comunidade e sociedade
  • Conceito. Aporte conceitual. Interdependência
  • Conceito. Aporte conceitual e características. Modelo dependente.
  • Conceito. Aporte teórico-conceitual. Relação internacional.
  • Conceito. Discussão conceitual. Relação internacional.
  • Conceito. Discussão conceitual.Sociedade internacional
  • Conceito. Tentativa conceitual.Empresas transnacionais
  • Considerações terminológicas. Terminologia.
  • Consolidação. Surgimento e consolidação
  • Continente europeu eoutros continentes
  • Critérios de classificação. Modelo dependente.
  • Critérios de classificação. Organizações não-governamentais
  • Custo. Maximização do lucro e minimização do custo. Empresas transnacionais

D

  • Desenvolvimento. Diversificado desenvolvimento. Relação internacional.
  • Desenvolvimento. Noção de desenvolvimento. Teoria da dependência
  • Diplomacia.
  • Diplomacia. História da diplomacia
  • Direito internacional
  • Disciplina. A disciplina derelações internacionais.
  • Discussão conceitual. Organizações não-governamentais
  • Discussão conceitual. Relação internacional
  • Discussão conceitual. Sociedade internacional.
  • Diversificação estrutural. Sociedade internacional
  • Diversificado desenvolvimento. Relação internacional.

E

  • Elementos principais. Sociedade internacional.
  • Empresas transnacionais
  • Empresas transnacionais. Antecedentes e evolução.
  • Empresas transnacionais. Aporte teórico-estrutural
  • Empresas transnacionais. Características principais
  • Empresas transnacionais. Considerações terminológicas.
  • Empresas transnacionais. Desenvolvimento de produção internacionalizada
  • Empresas transnacionais. Diversificadas funções
  • Empresas transnacionais. Hierarquia orgânica e unidade de direção
  • Empresas transnacionais. Maximização do lucro e minimização do custo
  • Empresas transnacionais. Perspectivas atuais
  • Empresas transnacionais. Planos gerais e planos internacionalizados
  • Empresas transnacionais. Precedentes históricos.
  • Empresas transnacionais. Tentativa conceitual
  • Estado. Elementos econômicos e sociais
  • Estado. Elementosmilitares
  • Estado. Elementos políticos
  • Estado. Elementos territoriais e populacionais.
  • Estado. Sociedadede Estados
  • Estados. Relaçõesinternacionais.
  • Estados Unidos e Reino Unido.
  • Estratificação. Sociedade internacional.
  • Estrutura. Aporte teórico-estruturalista
  • Estrutura internacional. Sociedade internacional
  • Europa. Sistema de Estados Europeu.
  • Evolução. Antecedentes e evolução
  • Evolução. Antecedentes e evolução. Relação internacional.
  • Ex-União Soviética e demais países socialistas
  • Extensão espacial. Sociedade internacional

G

  • Grandes potências e potências mundiais

H

  • Heterogeneidade. Homogeneidade e heterogeneidade. Sociedade internacional
  • História. A disciplina de relações internacionais
  • História. Precedentes históricos.Empresas transnacionais.
  • História dadiplomacia
  • História dostratados
  • Homogeneidade e heterogeneidade. Sociedade internacional

I

  • Idealismo. Modelo idealista.
  • Idealismo. Precedentes do modelo.
  • Institucionalização. Sociedade internacional
  • Interdependência. Aporte conceitual
  • Interdependência. Conceito analítico.
  • Interdependênciacomplexa
  • Internacional. Direito internacional
  • Introdução.

K

  • Kenneth Waltz. Neo-realismo. Teoria de Kenneth Waltz.

L

  • Lucro. Maximização do lucro e minimização do custo. Empresas transnacionais

M

  • Marxismo. Aporte teórico marxista
  • Marxismo. Impacto da teoria marxista
  • Mecanismo retórico. Interdependência.
  • Médias potências
  • Metodologia. Abordagem metodológica.
  • Modelo. Precedentes do modelo. Idealismo
  • Modelo dependente. Critérios de classificação.
  • Modelo dependente. Relação internacional
  • Modelo dinâmico. Relações internacionais.
  • Modelo estático. Relações internacionais
  • Modelo global. Relações internacionais.
  • Modelo idealismo. Relação internacional
  • Modelo interdependente. Paradigma.
  • Modelo realista. Realismo.
  • Modelos teóricos principais.Relações internacionais.

N

  • Natureza territorial e funcional. Ator internacional
  • Neo-realismo. Realismo «versus» behaviorismo
  • Neo-realismo. Relações internacionais
  • Neo-realismo. Teoriade Kenneth Waltz.
  • Noção de centro e periferia.Teoria da dependência
  • Noção de desenvolvimento. Teoria da dependência
  • Noção de subdesenvolvimento.Teoria da dependência.
  • Notas da autora.

O

  • Objetivos de paz. Paradigma.
  • Objeto formal da disciplina de relações internacionais.
  • Objeto material da disciplina de relações internacionais.
  • Organismos de cooperação permanente
  • Organismos internacionais
  • Organismos internacionais. Antecedentes e evolução.
  • Organizações internacionais. Aporte teórico-estrutural
  • Organizações internacionais. Critérios de classificação.
  • Organizações não-governamentais.
  • Organizações não-governamentais.Antecedentes e evolução
  • Organizações não-governamentais. Aporte teórico-estrutural
  • Organizações não-governamentais. Características principais.
  • Organizações não-governamentais. Conceito. Discussão conceitual
  • Organizações não-governamentais.Considerações terminológicas
  • Organizações não-governamentais.Critérios de classificação.
  • Organizações não-governamentais.Dificuldades principais.
  • Organizações não-governamentais.Precedentes do movimento

P

  • Paradigma. Características principais
  • Paradigma. O problema dos paradigmas.
  • Periferia. Noção de centro e periferia
  • Perspectivas científicas.Relação internacional
  • Poder estrutural. Estados internacionais
  • Polarização. Hierarquia internacional.
  • Potência. Grandes potênciase potências mundiais.
  • Potência. Médiaspotências.
  • Potência. Superpotências
  • Potências internacionais. Sociedade internacional.

Q

  • Questão conceitual. Modelo dependente. Relações internacionais.

R

  • Raúl Prebisch. Teoria alternativa de Raúl Prebisch
  • Realismo. Modelo realista
  • Realismopolítico
  • Realismo político. Características principais
  • Realismo político. Inspiradores do movimento
  • Realismo político. Poder como essência da política
  • Referências bibliográficas.
  • Reino Unido. Estados Unidos e Reino Unido.
  • Relação internacional. A disciplinade relações internacionais
  • Relação internacional. A sociedade internacional
  • Relação internacional. Antecedentes e evolução
  • Relação internacional. Localização do movimento
  • Relação internacional. O problema dos paradigmas
  • Relação internacional. Perspectivas acadêmicas.
  • Relação internacional. Surgimento e consolidação.
  • Relação internacional como disciplina. Fatores decisivos
  • Relações internacionais. Conclusões.
  • Retórica. Mecanismo retórico. Interdependência.

S

  • Sistema de Estados Europeu
  • Socialismo. Ex-União Soviética edemais países socialistas.
  • Sociedade. A sociedade internacional.
  • Sociedade. Antecedentes e evolução.
  • Sociedade. Unidade na diversidade.
  • Sociedade deEstados
  • Subdesenvolvimento. Noção de subdesenvolvimento

T

  • Teoria. Aporte da teoria da dependência.
  • Teoria. Impacto da teoria marxista.
  • Teoria. Modelos teóricos principais
  • Teoria alternativa deRaúl Prebisch
  • Teoria da dependência. Noção de dependência.
  • Teoria da integração. Sociedades internacionais.
  • Teoria das comunicações. Relações internacionais.
  • Teoria dos conflitos. Conflitos internacionais.
  • Terminologia. Considerações terminológicas
  • Terminologia. Considerações terminológicas. Empresas transnacionais
  • Terminologia. Considerações terminológicas. Organizações não-governamentais.
  • Tipologia. Ator internacional.Abrangência tipológica.
  • Transnacional. Empresas transnacionais.
  • Tratado. Históriados tratados
  • Tratados de Westfáliae suas mudanças
  • Tratamento jurídico inadequado. Empresas transnacionais
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: