Sofrimento Psíquico - Modalidades Contemporâneas de Representação e Expressão

Marília Antunes Dantas

Parcele em até 6x sem juros no cartão.
Parcela mínima de R$ 20,00

Versão impressa

Ficha técnica

Autor(es): Marília Antunes Dantas

ISBN: 978853622206-6

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 288

Publicado em: 16/07/2009

Área(s): Psicologia - Saúde

Sinopse

Este livro visa à elaboração de uma análise crítica sobre as principais inquietações da razão e da emoção na atualidade, no intuito de cartografar alguns de seus modos de designação, a partir do surgimento de novas modalidades de representação e de expressão do sofrimento psíquico, notadamente em função do advento do contexto da saúde mental.
O ponto de partida de nossas reflexões foi a adoção de uma antropologia filosófica que afirma a condição trágica da existência humana, perspectiva que relançamos à cena contemporânea, na afirmação de ser o sofrimento um fenômeno universal tão antigo quanto a própria humanidade, mas que se expressa e se atualiza historicamente.
 

Autor(es)

Marília Antunes Dantas é Graduada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1990); Mestra em Psicologia (Psicologia Social) pela Universidade Gama Filho (1993) e Doutora em Psicologia Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2007), tendo participado de Programa de Desenvolvimento de Estágio no Exterior (PDEE-CAPES) na Université Paris 5 Sorbonne, com aperfeiçoamento em Sociologie de la Santé et du Monde Médical (EHESS) e em Sociologie des Interventions sur le Social (EHESS). Atualmente é Professora auxiliar de ensino da Universidade Estácio de Sá – Campus de Petrópolis, e Diretora do Centro de Estudos Sobre o Atual e o Cotidiano (CEAC-Petrópolis).
 

Sumário

INTRODUÇÃO

I A TRAGICIDADE DA CONDIÇÃO HUMANA E O SER EM SOFRIMENTO

1.1 Uma análise sobre o conceito de trágico e de sofrimento (pathos e phobos)

1.2 O ritmo na tragédia grega e a consciência trágica do tempo

1.3 Modernidade tragicofóbica e o advento da noção de vontade.

1.4 O "retorno do trágico nas sociedades pós-modernas" e as figuras contemporâneas do destino

II ARQUITETURA E GRAMÁTICA DO SOFRIMENTO PSÍQUICO NO PROJETO DA MODERNIDADE

2.1 A modernidade e a construção moderna da noção de sofrimento psíquico

2.1.1 O projeto civilizatório da modernidade e a constituição do espaço ‘psi’

2.1.2 O sujeito moderno: o trágico e as tonalidades afetivas modernas

2.1.3 Modernidade: Sociedade industrial, mal-estar e sofrimento psíquico

2.2 A construção moderna de indivíduo a partir das noções de propriedade privada, de propriedade social e de propriedade de si

III CONTEMPORANEIDADE: DA PÓS-MODERNIDADE AOS TEMPOS HIPERMODERNOS

3.1 Pós-modernidade e subjetividade pós-moderna

3.2 Hipermodernidade: Os tempos hipermodernos

3.2.1 Identidade, insegurança social e as tonalidades afetivas atuais

3.2.2 Sociedade de consumo, felicidade e a mediação da existência

3.2.3 A dimensão do desejo e a estética da manipulação da mercadoria

3.2.4 A banalização da linguagem ‘psi’ e o mercado contemporâneo do sofrimento psíquico

3.2.5 O mal-estar hipermoderno.

IV DA BILLIS NEGRA À PSICOFARMACOLOGIA COSMÉTICA

4.1 O sentido do sintoma nos diferentes discursos ‘psi’, as cosmovisões da corporeidade e o efeito pharmákon

4.2 Saúde Mental: uma nova perspectiva para o sofrimento psíquico?

4.2.1 Depressão: desde a billis negra à ‘fatigue d’être soi’

4.2.2 ‘Psicofarmacologia Cosmética’: Os usos sociais dos medicamentos psicotrópicos

4.2.3 Modalidades contemporâneas de representação e de expressão do sofrimento psíquico e as tonalidades afetivas atuais

4.2.4 O trágico e as novas adicções

V A NOÇÃO DE IDENTIDADE: A ‘IDENTIDADE’ DE DOENTE E A RELAÇÃO DO PACIENTE COM A ‘PATOLOGIA’

5.1 Identidade: origens e complexidade do termo

5.1.1 A ‘identidade’ de doente e a relação do paciente com a patologia a partir da construção social da noção de saúde mental

VI DISCURSOS E PRÁTICAS ’PSI’: EM BUSCA DE UMA GRAMÁTICA PARA O SOFRIMENTO PSÍQUICO

6.1 Uma análise do processo histórico de constituição do espaço psicológico

6.2 As divergências entre os diversos discursos e práticas ‘psi’ e os diferentes ‘éthos’ que sustentam as modalidades psicoterapêuticas sobre o sofrimento psíquico

6.3 A ética dos discursos e práticas ‘psi’, a questão da produção de sentido e a especificidade da demanda

VII CONSIDERAÇ ÕES FINAI S

REFERÊNCIAS

Índice alfabético

A

  • Adicção. Trágico e asnovas adicções.
  • Adiccção. Breve abordagem histórica da noção de adicção.
  • Afetividade. Identidade, insegurança social e as tonalidades afetivas atuais.
  • Afetividade. Modalidades contemporâneas de representação e de expressão do sofrimento psíquico e as tonalidades afetivas atuais.
  • Afetividade. Sujeito moderno: o trágico e as tonalidades afetivas modernas.
  • Agradecimentos.
  • Análise sobre o conceito de trágico e de sofrimento (pathos e phobos).
  • Angústia. Conceito naobra de Freud.
  • Apresentação.
  • Arquitetura e gramática do sofrimento psíquico no projeto da modernidade.

B

  • Banalização da linguagem ‘psi’ e o mercado contemporâneo do sofrimento psíquico.
  • Billis negra à ‘fatigue d'être soi’ . Depressão.
  • Billis negra à psicofarmacologia cosmética.
  • Breve abordagem históricada noção de adicção.

C

  • Categorias profanas e farmácia familiar. Medicamento.
  • Civilização. Projeto civilizatório da modernidade e a constituição do espaço ‘psi’.
  • Conceito de angústia na obra de Freud.
  • Conceito de angústia. Kierkegaard.
  • Conceito de sofrimento. Uma análise sobre o conceito de trágico e de sofrimento (pathos e phobos).
  • Conceito de trágico. Uma análise sobre o conceito de trágico e de sofrimento (pathos e phobos).
  • Condição humana. Tragicidade da condição humana e o ser em sofrimento.
  • Consciência trágica do tempo.Ritmo na tragédia grega.
  • Considerações finais.
  • Construção moderna da noção de sofrimento psíquico. Modernidade.
  • Construção moderna de indivíduo a partir das noções de propriedade privada, de propriedade social e de propriedade de si.
  • Consumo. Sociedade de consumo, felicidade e a mediação da existência.
  • Contemporaneidade: da pós-modernidadeaos tempos hipermodernos.
  • Contemporaneidade. Modalidades contemporâneas de representação e de expressão do sofrimento psíquico e as tonalidades afetivas atuais.
  • Cosmética. Psicofarmacologia cosmética.
  • Cosmovisões da corporeidade. Efeito pharmákon. Sentido do sintoma nos diferentes discursos psi.

D

  • Dabillis negra à psicofarmacologia cosmética.
  • Depressão: desde abillis negra à ‘fatigue d'être soi’ .
  • Desde abillis negra à ‘fatigue d'être soi’ . Depressão.
  • Desejo. Dimensão. Estética da manipulação da mercadoria.
  • Destino. "Retorno do trágico nas sociedades pós-modernas" e as figuras contemporâneas do destino.
  • Dimensão do desejo e a estética da manipulação da mercadoria.
  • Discursos e práticas ‘psi’ : em busca de uma gramática para o sofrimento psíquico.
  • Divergências entre os diversos discursos e práticas ‘psi’ e os diferentes ‘éthos’ que sustentam as modalidades psicoterapêuticas sobre o sofrimento psíquico.
  • Doente. Paciente. Noção de identidade: a ‘identidade’ de doente e a relação do paciente com a ‘patologia’.

E

  • Efeito pharmákon. Cosmovisões da corporeidade. Sentido do sintoma nos diferentes discursos psi.
  • Em busca de uma gramática para o sofrimento psíquico. Discursos e práticas ‘psi’ .
  • Espaço psi. Projeto civilizatório da modernidade e a constituição do espaço ‘psi’ .
  • Espaço psícológico. Processo histórico de constituição do espaço psicológico. Análise.
  • Estética da manipulação da mercadoria. Dimensão do desejo.
  • Ética dos discursos e práticas ‘psi’ , a questão da produção de sentido e a especificidade da demanda.
  • Existência. Sociedade de consumo, felicidade e a mediação da existência.
  • Expressão do sofrimento psíquico. Modalidades contemporâneas de representação e de expressão do sofrimento psíquico e as tonalidades afetivas atuais.

F

  • Felicidade. Sociedade de consumo, felicidade e a mediação da existência.
  • Figuras contemporâneas do destino.O "retorno do trágico nas sociedades pós-modernas".
  • Freud. Conceito de angústia na obra de Freud.

G

  • Gregos. Ritmo na tragédia grega e a consciência trágica do tempo.

H

  • Hipermodernidade: os tempos hipermodernos.
  • Hipermodernidade. Contemporaneidade: da pós-modernidade aos tempos hipermodernos.
  • Hipermodernidade. Mal-estar hipermoderno.
  • História. Breve abordagem histórica da noção de adicção.
  • História. Dabillis negra à psicofarmacologia cosmética.

I

  • Identidade, insegurança social e as tonalidades afetivas atuais.
  • Identidade: origens e complexidade do termo.
  • Identidade. Noção. A ‘identidade’ de doente e a relação do paciente com a ‘patologia’.
  • ‘Identidade’ de doente e a relação do paciente com a patologia a partir da construção social da noção de saúde mental.
  • Indivíduo. Construção moderna de indivíduo a partir das noções de propriedade privada, de propriedade social e de propriedade de si.
  • Indivíduo. Noção moderna de indivíduo. Razão prática e projeto de integração das partes dissociadas.
  • Insegurança social, identidade e as tonalidades afetivas atuais.
  • Introdução.

K

  • Kierkegaard e o conceito de angústia.

L

  • Linguagem psi. Banalização. Mercado contemporâneo do sofrimento psíquico.

M

  • Mal-estar hipermoderno.
  • Mal-estar. Sociedade industrial, mal-estar e sofrimento psíquico. Modernidade.
  • Manipulação da mercadoria. Dimensão do desejo e a estética da manipulação da mercadoria.
  • Mediação da existência. Sociedadede consumo, felicidade e a mediação da existência.
  • Medicamento. Adiccção. Breve abordagemhistórica da noção de adicção.
  • Medicamento. Categorias profanas e farmácia familiar.
  • Medicamento. Simbolismo dos medicamentos.
  • Medicamento. Usos sociais dos medicamentos psicotrópicos. Psicofarmacologia Cosmética.
  • Mercado contemporâneo do sofrimento psíquico. Banalização da linguagem ‘psi’.
  • Mercadoria. Dimensão do desejo e a estética da manipulação da mercadoria.
  • Modalidades contemporâneas de representação e de expressão do sofrimento psíquico e as tonalidades afetivas atuais.
  • Modalidades psicoterapûticas. Divergências entre os diversos discursos e práticas ‘psi’ e os diferentes ‘éthos’ que sustentam as modalidades psicoterapêuticas sobre o sofrimento psíquico.
  • Modernidade e a construção moderna da noção de sofrimento psíquico.
  • Modernidade tragicofóbica e o advento da noção de vontade.
  • Modernidade: Sociedade industrial, mal-estar e sofrimento psíquico.
  • Modernidade. Arquitetura e gramática do sofrimento psíquico no projeto da modernidade.
  • Modernidade. Civilização. Projeto civilizatório da modernidade e a constituição do espaço ‘psi’ .

N

  • Noção de identidade: a ‘identidade’ de doente e a relação do paciente com a ‘patologia’.
  • Noção de saúde mental. A ´identidade’ de doente e a relação do paciente com a patologia a partir da construção social da noção de saúde mental.
  • Noção de sofrimento psíquico. Modernidade.
  • Noção de vontade. Modernidade tragicofóbica.
  • Noção moderna de indivíduo. Razão prática e projeto de integração das partes dissociadas.
  • Nova perspectiva para o sofrimento psíquico? Saúde Mental.

O

  • O sentido do sintoma nos diferentes discursos ‘psi’, as cosmovisões da corporeidade e o efeito pharmákon.
  • Origens e complexidade do termo: Identidade.

P

  • Paciente. A ´identidade’ de doente ea relação do paciente com a patologia a partir da construção social da noção de saúde mental.
  • Paciente. Noção de identidade: a ‘identidade’ de doente e a relação do paciente com a ‘patologia’.
  • Pathos. Análise sobre o conceito de trágico e de sofrimento (pathos e phobos).
  • Patologia. Noção de identidade: a ‘identidade’ de doente e a relação do paciente com a ‘patologia'.
  • Phobos. Análise sobre o conceito de trágico e de sofrimento (pathos e phobos).
  • Pós-modernidade e subjetividade pós-moderna.
  • Pós-modernidade. Contemporaneidade: da pós-modernidade aos tempos hipermodernos.
  • Pós-modernidade. "Retorno do trágico nas sociedades pós-modernas" e as figuras contemporâneas do destino.
  • Processo histórico de constituição doespaço psicológico. Análise.
  • Projeto civilizatório da modernidade e a constituição do espaço‘psi’.
  • Propriedade de si. Construção moderna de indivíduo a partir das noções de propriedade privada, de propriedade social e de propriedade de si.
  • Propriedade privada. Construção moderna de indivíduo a partir das noções de propriedade privada, de propriedade social e de propriedade de si.
  • Propriedade social. Construção moderna de indivíduo a partir das noções de propriedade privada, de propriedade social e de propriedade de si.
  • Psi. Projeto civilizatório da modernidade e a constituição do espaço‘psi’.
  • Psicofarmacologiacosmética.
  • Psicofarmacologia cosmética. Da Billis negra à psicofarmacologia cosmética.
  • Psicofarmacologia Cosmética: Os usos sociais dos medicamentos psicotrópicos.
  • Psicoterapia. Divergências entre os diversos discursos e práticas ‘psi’ e os diferentes ‘éthos’ que sustentam as modalidades psicoterapêuticas sobre o sofrimento psíquico.
  • Psicotrópico. Categorias profanas efarmácia familiar. Medicamento.
  • Psicotrópico. Usos sociais dos medicamentos psicotrópicos. Psicofarmacologia Cosmética.

R

  • Razão prática e projeto de integração das partes dissociadas. Noção moderna de indivíduo.
  • Referências.
  • "Retorno do trágico nas sociedades pós-modernas" e as figuras contemporâneas do destino.
  • Ritmo na tragédia grega e a consciência trágica do tempo.

S

  • Saúde Mental: uma nova perspectiva para o sofrimento psíquico?
  • Saúde mental. A ‘identidade’ de doente e a relação do paciente com a patologia a partir da construção social da noção de saúde mental.
  • Sentido do sintoma nos diferentes discursos psi. Efeito pharmákon. Cosmovisões da corporeidade.
  • Ser em sofrimento. Tragicidade da condição humana e o ser em sofrimento.
  • Simbolismo dos medicamentos.
  • Sociedade de consumo, felicidadee a mediação da existência.
  • Sociedade industrial, mal-estar e sofrimento psíquico. Modernidade.
  • Sofrimento psíquico. Arquitetura e gramática do sofrimento psíquico no projeto da modernidade.
  • Sofrimento psíquico. Banalização da linguagem ‘psi’ e o mercado contemporâneo do sofrimento psíquico.
  • Sofrimento psíquico. Discursos e práticas ‘ psi’ : em busca de uma gramática para o sofrimento psíquico.
  • Sofrimento psíquico. Divergências entre os diversos discursos e práticas ‘psi’ e os diferentes ‘éthos’ que sustentam as modalidades psicoterapêuticas sobre o sofrimento psíquico.
  • Sofrimento psíquico. Modalidades contemporâneas de representação e de expressão do sofrimento psíquico e as tonalidades afetivas atuais.
  • Sofrimento psíquico. Modernidade e a construção moderna da noção de sofrimento psíquico.
  • Sofrimento psíquico. Saúde Mental: uma nova perspectiva para o sofrimento psíquico?
  • Sofrimento psíquico. Sociedade industrial, mal-estar e sofrimento psíquico. Modernidade.
  • Sofrimento. Conceito. Uma análise sobre o conceito de trágico e de sofrimento (pathos e phobos).
  • Sofrimento. Tragicidade da condição humana e o ser em sofrimento.
  • Subjetividade pós-moderna. Pós-modernidade.
  • Sujeito moderno: o trágico e as tonalidades afetivas modernas.

T

  • Tempo. Ritmo na tragédia grega e aconsciência trágica do tempo.
  • Tempos hipermodernos. Contemporaneidade: da pós-modernidade aos tempos hipermodernos.
  • Tempos hipermodernos. Hipermodernidade.
  • Tonalidade afetivas. Modalidades contemporâneas de representação e de expressão do sofrimento psíquico e as tonalidades afetivas atuais.
  • Tonalidades afetivas atuais. Identidade, insegurança social.
  • Tonalidades afetivas modernas. Sujeito moderno: o trágico e as tonalidades afetivas modernas.
  • Tragédia grega. Ritmo na tragédia grega e a consciência trágica do tempo.
  • Tragicidade da condição humana e o ser em sofrimento.
  • Trágico e as novas adicções.
  • Trágico e as tonalidades afetivas modernas. Sujeito moderno.
  • Trágico. Conceito. Uma análise sobre o conceito de trágico e de sofrimento (pathos e phobos).
  • Trágico. Retorno sociedades pós-modernas. Figuras contemporâneas do destino.
  • Trágico. Sujeito moderno: o trágico eas tonalidades afetivas modernas.
  • Trágicofobia. Modernidade tragicofóbica e o advento da noção de vontade.

U

  • Uma análise do processo histórico de constituição do espaço psicológico.
  • Uma análise sobre o conceito de trágico e de sofrimento (pathos e phobos).
  • Usos sociais dos medicamentos psicotrópicos. Psicofarmacologia Cosmética.

V

  • Vontade. Modernidade tragicofóbica e o advento da noção de vontade.

Recomendações

Capa do livro: Vulnerabilidade e Direitos Humanos – Prevenção e Promoção da Saúde – Livro IV - Planejar, Fazer, Avaliar, Coordenadores: Vera Paiva, Ivan França Jr. e Artur O. Kalichman

Vulnerabilidade e Direitos Humanos – Prevenção e Promoção da Saúde – Livro IV - Planejar, Fazer, Avaliar

 Coordenadores: Vera Paiva, Ivan França Jr. e Artur O. KalichmanISBN: 978853624043-5Páginas: 316Publicado em: 04/12/2012

Versão impressa

R$ 89,90Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Álcool e Trabalho - Revisitando Conceitos à Luz de Novas Descobertas, Organizadoras: Maria Elizabeth Antunes Lima e Rosângela Maria de Almeida Camarano Leal

Álcool e Trabalho - Revisitando Conceitos à Luz de Novas Descobertas

 Organizadoras: Maria Elizabeth Antunes Lima e Rosângela Maria de Almeida Camarano LealISBN: 978853625403-6Páginas: 338Publicado em: 15/09/2015

Versão impressa

R$ 99,90Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Em Pleno Corpo - Educação Somática, Movimento e Saúde, Organizadora: Débora Pereira Bolsanello

Em Pleno Corpo - Educação Somática, Movimento e Saúde

2ª EdiçãoOrganizadora: Débora Pereira BolsanelloISBN: 978853623176-1Páginas: 430Publicado em: 03/11/2010

Versão impressa

R$ 119,90Adicionar ao
carrinho