Histórias da Gestalt-Terapia no Brasil - Um estudo Historiográfico

Danilo Suassuna e Adriano Holanda

Leia na Biblioteca Virtual
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Danilo Suassuna e Adriano Holanda
ISBN: 978853622627-9
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 98
Publicado em: 15/09/2009
Área(s): Psicologia - Gestalt-Terapia
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

A Gestalt-terapia é uma das mais importantes abordagens psicológicas da contemporaneidade. Construída sob um rico solo de teorias e filosofias em meados do século passado, chega ao Brasil por caminhos que ainda precisam ser descortinados.
A proposta desse livro é traçar um panorama preliminar dessa história, por meio de um trabalho inédito de pesquisa historiográfica, onde os autores – em um diálogo dinâmico com alguns dos seus “primeiros atores” – desvelam situações, personalidades, sentidos e significados que nos remetem, de um olhar inicial da Gestalt-erapia nascente a múltiplos futuros para a abordagem.

“Contar histórias faz parte da própria humanidade, desde que a palavra se constituiu. Conhecê-la é também uma necessidade, visto que nos coloca diante do conjunto dos caminhos percorridos, e nos aponta, no momento presente, para o lugar em que estamos” (Introdução).
 

AUTOR(ES)

Danilo Suassuna é Mestre em Psicologia pela Universidade Católica de Goiás (2008), graduado em Psicologia pela mesma instituição. Professor da Faculdade Latino-Americana e do Curso Introdutório do ITGT/GO. É membro do Conselho Editorial da Revista da Abordagem Gestáltica. Graduando em Filosofia pela UCG. Auxiliar da Coordenação da Universidade Aberta à Terceira Idade UNATI/UCG/PROEX/ETG. Tem experiência na área de Psicologia clínica, atuando principalmente nos seguintes temas: gestalt-terapia, fenomenologia, filosofia, psicologia clínica e Gerontologia.
Adriano Holanda é Doutor em Psicologia pela PUC-Campinas (2002); Mestre em Psicologia Clínica pela Universidade de Brasília (1993); graduado em Psicologia pelo Centro de Ensino Unificado de Brasília (1987). Atualmente é Professor adjunto da Universidade Federal do Paraná. Membro fundador do Instituto de Gestalt-Terapia de Brasília, Editor da Revista da Abordagem Gestáltica e membro do Círculo Latino-Americano de Fenomenologia. Atualmente coordena o Núcleo de Desenvolvimento Humano (Nedhu), no Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Clínica e Epistemologia da Psicologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Fenomenologia, Gestalt-Terapia e Abordagem Centrada na Pessoa, Psicologia da Religião, História da Psicologia e Pesquisa Fenomenológica.
 

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

CAPÍTULO I - HISTORIOGRAFIA: MÉTODO E PESQUISA

1.1 A importância da história

1.2 O que é o método historiográfico

1.3 Historiografia e fenomenologia

CAPÍTULO II - CONTEXTUALIZAÇÃO HISTÓRICA

2.1 Histórico da Gestalt-terapia

2.2 A Gestalt-terapia no Brasil: uma revisão da literatura

CAPÍTULO III - A PESQUISA

3.1 Momento empírico

3.1.1 Participantes

3.1.2 Instrumento: a entrevista

3.1.3 Sujeitos: os entrevistados

3.2 A Gestalt-terapia no Brasil: o olhar dos "primeiros atores"

3.2.1 Como chega

3.2.2 Com quem chega - "Figuras" dos Primórdios da Gestalt-Terapia no Brasil

3.2.2.1 Madre Cristina Sodré

3.2.2.2 Therese Amelie Tellegen

3.2.2.3 Paulo Eliezer Ferri de Barros

3.2.2.4 As primeiras contribuições de terapeutas americanos

3.2.3 Como se desenvolve

CONSIDERAÇÕES FINAIS

REFERÊNCIAS

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • Atores. Gestalt-terapia no Brasil: o olhar dos "primeiros atores"
  • Autor. Sobre os autores.

B

  • Bibliografia. Gestalt-terapia noBrasil: uma revisão da literatura
  • Bibliografia. Referências
  • Brasil. Com quem chega - "Figuras" dos Primórdios da Gestalt-Terapia no Brasil.
  • Brasil. Gestalt-terapia no Brasil:o olhar dos "primeiros atores"
  • Brasil. Gestalt-terapia no Brasil: uma revisão da literatura.

C

  • Chegada. Gestalt-terapia no Brasil.
  • Com quem chega - "Figuras" dos Primórdios da Gestalt-Terapia no Brasil
  • Como chega. Gestalt-terapia no Brasil.
  • Como se desenvolve.Gestalt-terapia
  • Considerações finais
  • Contextualizaçãohistórica
  • Contextualização histórica. Gestalt-terapia.
  • Currículo dos autores

D

  • Desenvolvimento. Gestalt-terapia

E

  • Entrevista.Pesquisa
  • Entrevistados. Sujeitos. Pesquisa

F

  • Fenomenologia e historiografia
  • Figuras dos Primórdios da Gestalt-Terapia no Brasil. Com quem chega

G

  • Gestalt-terapia no Brasil: o olhar dos "primeiros atores".
  • Gestalt-terapia no Brasil: umarevisão da literatura.
  • Gestalt-terapia no Brasil. Como chega
  • Gestalt-terapia. Com quem chega - "Figuras" dos Primórdios da Gestalt-Terapia no Brasil
  • Gestalt-terapia. Como se desenvolve.
  • Gestalt-terapia. Contextualização histórica
  • Gestalt-terapia. Histórico.
  • Gestalt-terapia. Madre Cristina Sodré
  • Gestalt-terapia. Paulo Eliezer Ferri de Barros
  • Gestalt-terapia. Primeiras contribuições de terapeutas americanos
  • Gestalt-terapia. Therese Amelie Tellegen.

H

  • História. Contextualização histórica
  • História. Importância
  • Histórico da Gestalt-terapia
  • Historiografia e fenomenologia
  • Historiografia: método e pesquisa
  • Historiografia. Importância da história.
  • Historiografia. O que é o método historiográfico
  • História. Historiografia: método e pesquisa.

I

  • Importância da história
  • Instrumento: a entrevista. Pesquisa.
  • Introdução.

L

  • Literatura. Gestalt-terapia no Brasil: uma revisão da literatura

M

  • Madre Cristina Sodré. Gestalt-terapia.
  • Método e pesquisa.Historiografia
  • Método historiográfico. O que é
  • Momento empírico. Pesquisa.

O

  • O que é o método historiográfico.
  • Olhar dos "primeiros atores". Gestalt-terapia no Brasil

P

  • Participantes. Pesquisa
  • Paulo Eliezer Ferri de Barros. Gestalt-terapia.
  • Pesquisa e método.Historiografia.
  • Pesquisa
  • Pesquisa. Instrumento: a entrevista
  • Pesquisa. Momento empírico.
  • Pesquisa. Participantes
  • Pesquisa. Sujeitos:os entrevistados
  • Primeiras contribuições deterapeutas americanos.
  • Primeiros atores. Gestalt-terapia no Brasil.
  • Primórdios da Gestalt-Terapia no Brasil. Figuras. Com quem chega

R

  • Referências.
  • Revisão literária. Gestalt-terapia no Brasil: uma revisão da literatura
  • Revisão literária. Gestalt-terapia no Brasil

S

  • Sobre os autores
  • Sujeitos: os entrevistados. Pesquisa

T

  • Terapeutas americanos. Primeiras contribuições
  • Therese Amelie Tellegen. Gestalt-terapia.
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: