Nem que a Morte os Separe - Trajetória de Mães de Filhos Assassinados e Representação Social de Justiça

Rebeca Valadão Bussinger

FICHA TÉCNICA
Autor(es): Rebeca Valadão Bussinger
ISBN: 978853622199-1
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 120
Publicado em: 22/11/2010
Área(s): Psicologia - Social
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

Na Bahia, tem sido comum enterros de jovens negros assassinados por policiais somente com a presença de mulheres. Para evitar que os homens da família resolvam vingar seus mortos, os homicidas vigiam o velório e executam posteriormente um a um. Uma violência racial assimilada e reproduzida automaticamente. À frente do cortejo só mulheres. Parecem saídas da música de Jorge Mautner: “Lágrimas negras caem, saem, doem”.
Mulheres baianas vigiadas até em velórios. Elas são tão parecidas com as mães da Praça de Maio a incomodar a ditadura militar argentina, as brasileiras que denunciaram as torturas, mortes e desaparecimento de seus filhos num regime de exceção. E pensar que em plena democracia parece que ainda não saímos dele. Não nas periferias. Como num passado presente a violência policial, as execuções, os corpos desaparecidos - como o de Elísio Rezende, 20 anos, “roubado” no DML de Vitória, em 2002, caso tratado no livro - e a ausência de investigações transformam a luta diária dessas mulheres em busca de justiça algo tão ameaçador como aquelas que as antecederam.

O assassinato é o ponto de partida. Depois da perda, vem a compreensão de que será preciso lutar contra a “amnésia organizada”, que transforma mortes em números e naturaliza a violência. É a resposta coletiva à opressão e à ausência de democracia que leva à ação política e apropriação do conceito de cidadania. Uma situação particular que as fazem perceber que não são casos episódicos e isolados. “Nem que a morte os separe” mostra como se dá esse processo e a percepção dessas mães sobre a lógica da violência e da omissão da justiça. E morte vira o seu reverso, a motivação para o sentimento de pertencimento da vida e do horizonte coletivo: “na frente do cortejo, o meu beijo, forte como aço, meu abraço. São poços de petróleo, a luz negra dos seus olhos”.

Maria Elena da Luz Azevedo - Jornalista com Especialização em Segurança Pública e Justiça Criminal pela Universidade Federal Fluminense

AUTOR(ES)

Rebeca Valadão Bussinger é Mestra em Psicologia pelo programa de pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal do Espírito Santo (2005); graduada em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (2002); Coordenadora do Programa Família Acolhedora vinculado à Secretaria Municipal de Assistência Social da Prefeitura de Vitória, onde também vem atuando como Assessora de programas de Acolhimento Institucional desde março de 2005. Atua na área de Políticas Públicas para Infância e Adolescência e tem experiência na área de Psicologia, com atuação em saúde mental. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Espírito Santo (2009).

INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: