Vozes Poéticas do Mundo do Trabalho

Juarez Poletto

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Juarez Poletto
ISBN: 978853623502-8
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 202
Publicado em: 28/09/2011
Área(s): Literatura e Cultura - Diversos
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

A trajetória da poesia sobre o trabalho, entre 1922 e 1964 faz um percurso de gradativo envolvimento dos poetas. Nos anos 20, o poder constituído precisava que todos trabalhassem, afinal não há muito se saíra do regime escravocrata e trabalhar representava algo pejorativo. Nesse contexto da República do Café-com-leite Mário de Andrade construiu seu painel sobre a cidade de São Paulo e sua vida burguesa, onde o trabalho aparece como algo entranhado no cotidiano da cidade, porém sem nenhum destaque.
Diferentemente ocorreu nos 15 anos do governo Vargas, pois este colocou o trabalho como enobrecedor, em contrapartida controlou os sindicatos. Drummond desenvolveu nessa época uma poesia marcadamente social, em que critica a maquinização do homem no trabalho burocrático das repartições e extenuante das fábricas, como se cada indivíduo fosse um pedaço de engrenagem numa estrutura fria e sem sentido.
O Pós-Guerra veio marcado pelos movimentos sociais, pela redemocratização do país, pela liberdade sindical, mas também pelo desenvolvimentismo de Kubistchek. A poesia de Vinícius de Moraes descobre o operário e o vê adquirindo consciência, Mário Chamie ressalta o trabalho do campo, cuja organização foi influenciada pelos movimentos sociais da Igreja Católica e do comunismo, Cassiano Ricardo percebe os primórdios da era do computador e imagina a máquina substituindo o homem, e até Haroldo de Campos destaca a fragmentação do homem, como se triturado por esse novo tempo. Enfim, a obra mostra relações entre poesia e trabalho: esta, necessidade de sobrevivência num mundo de produção capitalista; aquela, emoção e reflexão sobre as condições da vida.

AUTOR(ES)

Juarez Poletto é Doutor e Mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal do Paraná; graduado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Atualmente é Professor do Ensino Tecnológico da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Atuou por 15 anos na área de Letras na PUCPR. Participa de grupo de pesquisa; Discursos luso-brasileiros e identidades nacionais. Desenvolve pesquisa na área de poesia com ênfase nas relações com história e sociedade, priorizando motivos como trabalho, tecnologia e identidade. É escritor com vários livros publicados na área de poesia e ficção.

SUMÁRIO

LISTA DE ABREVIATURAS

1 MÁRIO DE ANDRADE: O TRABALHO ENTRELAÇADO À VIDA

1.1 Mário de Andrade e a criação poética

1.2 O trabalho e suas múltiplas faces

1.3 O trabalho na manhã de sol

1.4 O poeta e o homem que trabalha

2 O POETA, A GRANDE MÁQUINA E O TRABALHO

2.1 O trabalho com as palavras

2.2 O trabalho ainda coadjuvante

2.3 A construção da grande máquina

2.4 E agora, José?

3 QUATRO OLHARES SOBRE O TRABALHO

3.1 O olhar concreto

3.2 Lavra lavra: o sulco da palavra

3.3 A utopia do operário

3.4 A máquina e o trabalho humano

CONSIDERAÇÕES FINAIS

INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: