A Cabana do Pai Tomás - A Vida Entre os Humildes

Harriet Beecher Stowe - Tradução de Nélia Maria Pinheiro Padilha von Tempski-Silka

Parcele em até 6x sem juros no cartão.
Parcela mínima de R$ 20,00

Versão impressa

Ficha técnica

Autor(es): Harriet Beecher Stowe - Tradução de Nélia Maria Pinheiro Padilha von Tempski-Silka

ISBN: 978853623400-7

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 474

Publicado em: 20/12/2011

Área(s): Literatura e Cultura - Diversos

Sinopse

A CABANA DO PAI TOMÁS
A Vida Entre os Humildes

A autora tem sido com frequência inquirida – por correspondentes de diversas partes do país – sobre se esta narrativa é real. A essas perguntas, ela costuma dar uma resposta geral. Os incidentes que compõem a narrativa, tomados separadamente, são autênticos em grande extensão; ocorrendo muitos deles seja por observação direta dela, ou da parte de amigos pessoais. Ela e seus amigos observaram pessoas, que são como quase todos os personagens que são apresentados; e muitas de suas afirmações, são palavra por palavra o que foi ouvido pela própria autora, ou assim lhe foi relatado. A autora justificava assim o conteúdo de sua obra, dando o testemunho da veracidade dos eventos relatados no conjunto da história. O sistema escravagista oprime o servo e igualmente o senhor. Por este motivo, este livro, que influenciou consciências no século XIX nos Estados Unidos da América marcou época, e o seu libelo permanece atual, pois que se faz em defesa do sentimento mais precioso à sociedade humana: a liberdade.

Autor(es)

Harriet Beecher (Stowe) nasceu a 14 de Junho de 1811, em Litchfield Connecticut, Estados Unidos. Filha de Lyman Beecher (1775-1863) e de sua primeira esposa, Roxana Foote Beecher (1775-1816), que faleceu quando Harriet tinha apenas 5 anos de idade. Sua irmã mais velha, Catherine, foi o exemplo feminino em sua vida, influenciando Stowe em sua vida pessoal e literária. O pai, Lyman Beecher, conhecido ministro Congregacionista, e fundador da American Bible Society, tornou-se igualmente um ativista defendendo o gradualismo da campanha antiescravagista. Ao invés de seguir a carreira do ministério religioso, ela preferiu fazer o proselitismo pela transmissão da Palavra, através de contos, romances e outras formas de literatura. Leitora voraz, já escrevia poesia e ensaios aos 12 anos de idade, obtendo o primeiro prêmio na Litchfield Academy pelo ensaio A Imortalidade da Alma pode ser provada pela Luz da Natureza”. Apesar disso, sua irmã Catherine a desencorajava a escrever, tarefa que considerava uma “desprezível inutilidade”. Mesmo assim, Harriet foi muito bem educada em línguas e filosofia, sob os cuidados desta irmã fundadora do Hartford Female Seminary, o que não era comum para as mulheres do século XIX. Mudando-se para Cincinnati, Ohio, onde o pai se tornara presidente do Seminário Teológico Lane, veio a conhecer seu futuro marido, Calvin Stowe. A partir deste momento, Harriet recebeu toda a assistência e encorajamento que a levaram a se tornar uma das maiores influências literárias americanas do século XIX. Além de escritora, foi uma esposa dedicada e deu à luz 7 filhos, dos quais um, Samuel, morreu durante a epidemia de cólera de 1849. Escreveu em parceria com a irmã Catherine um livro de textos de Geografia, artigos sobre gramática e pontuação, contos, além de ensinar em escola religiosa. Foi em Ohio que Harriet tornou-se familiarizada com a instituição da escravatura. Criada em ambiente que atacava abertamente a escravatura, esta visão mais aproximada da escravidão ofendia sua sensibilidade de cristã. Assistiu progressivamente à repressão exercida sobre os estudantes em protesto, na Lane Theological, assim como os levantes sangrentos entre as facções escravagistas e antiescravagistas locais. Foi levada a esconder fugitivos perseguidos, ensinou ex-escravos a ler e escrever. Em 1845, escreveu o panfleto intitulado Immediate Emancipation. Foi a seguir que ela iniciou uma das carreiras literárias mais prolíficas do século XIX, publicando 44 livros sobre educação infantil, questões religiosas e do calvinismo, contos e novelas, de 1843 a 1878. Influenciada por uma inspiração após um serviço religioso, Harriet Beecher Stowe começou a escrever “A Cabana do Pai Tomás ou A Vida entre os Humildes”, a princípio como 3 ou 4 contos que detalhavam os males da escravatura. Aumentado para 40 capítulos publicados pela National Era de 1851 a 1852, em seguida sendo publicados em forma de livro em março de 1852. Já vendera 3 milhões de cópias antes do fim do século XIX. Foi traduzido para 22 línguas, tornando-se o segundo livro mais vendido depois da Bíblia. Acusada de falsidade ideológica pelos defensores da escravatura, escreveu 500 páginas de resposta em 1853, publicada como “Uma Chave para A Cabana do Pai Tomás: apresentando os fatos originais e documentos que fundamentavam a história”. Considerada pela crítica de sempre como o alicerce da literatura abolicionista americana, esta obra se baseia especialmente em diversas narrativas de ex-escravos e escritos semelhantes de época. Os antagonismos provocados pela escravidão entre brancos e negros, nortistas e sulistas, homens, mulheres e crianças aí são ressaltados. Apesar de tudo, a aceitação maior desta obra se deu no século XIX. No século XX, a comunidade negra passou a repudiar “A Cabana do Pai Tomás”, como um retrato da subserviência do descendente de africanos, com detalhamento sobre uma pretensa languidez, e sentimentos diferentes das outras raças; ou seja, seria esta uma obra de certa forma racista. A polêmica continua a existir sobre o romance de Harriet Beecher Stowe no século XXI. Mas é inegável a sua defesa dos princípios éticos e morais universais aí exposta, a despeito do estilo por vezes derramado, o que justificaria a crítica dos americanos descendentes de africanos. Além disso, em benefício da integridade humana da autora, ela também é considerada uma potente voz pela emancipação das mulheres, em sociedades machistas. Em 1º de julho de 1896, Harriet Beecher Stowe morreu em Hartford, Connecticut, deixando uma obra que muitos caracterizaram como a de uma mulher renascentista.

Sumário

INTRODUÇÃO

Capítulo I - No qual o leitor é apresentado a "uma pessoa muito humana"

Capítulo II - A mãe

Capítulo III - Marido e pai

Capítulo IV - Uma noite na cabana do Pai Tomás

Capítulo V - Mostrando os sentimentos da "propriedade vivente", quando muda de proprietário

Capítulo VI - A descoberta

Capítulo VII - A luta da mãe

Capítulo VIII - A fuga de Eliza

Capítulo IX - No qual aparece que um senador é apenas um homem

Capítulo X - A propriedade é arrematada

Capítulo XI - No qual a ‘propriedade’ adquire um estado de consciência inapropriado

Capítulo XII - Incidente exclusivo no comércio legal

Capítulo XIII - O povoado quaker

Capítulo XIV -Evangelina

Capítulo XV - A respeito do novo dono de Tomás e várias outras questões

Capítulo XVI - A patroa deTomás e suas opiniões

Capítulo XVII - A defesa do homem livre

Capítulo XVIII - As experiênciase opiniões da Srta. Ofélia

Capítulo XIX - As experiências e opiniões da Srta. Ofélia continuaram

Capítulo XX -Topsy

Capítulo XXI - Kentucky

Capítulo XXII - "O capim secou - a flor feneceu"

Capítulo XXIII -Henrique

Capítulo XXIV -Presságios

Capítulo XXV - A pequena evangelista

Capítulo XXVI - Morte

Capítulo XXVII - Este éo fim, na terra

Capítulo XXVIII - Reunião

Capítulo XXIX - Osdesprotegidos

Capítulo XXX - O depósito de escravos

Capítulo XXXI - A passagem do meio

Capítulo XXXII - Lugares sombrios - as trevas

Capítulo XXXIII - Cassy

Capítulo XXXIV - A história do "quadroon"

Capítulo XXXV - Os indícios

Capítulo XXXVI - Emmeline e Cassy

Capítulo XXXVII - Liberdade

Capítulo XXXVIII - A vitória

Capítulo XXXIX - Oestratagema

Capítulo XL -O mártir

Capítulo XLI - O jovem amo

Capítulo XLII - Uma autêntica história de fantasmas

Capítulo XLIII - Resultados

Capítulo XLIV -O libertador

Capítulo XLV - Últimas observações

Recomendações

Capa do livro: Introdução à Mobilidade Urbana, Fábio Duarte - Rafaela Libardi - Karina Sánchez

Introdução à Mobilidade Urbana

 Fábio Duarte - Rafaela Libardi - Karina SánchezISBN: 978853621673-7Páginas: 108Publicado em: 07/08/2007

Versão impressa

R$ 34,70Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Lenda do Guerreiro do Sol, A - A Jornada pela Honra e os Invasores da Cidade Sagrada, Fabiano Franco

Lenda do Guerreiro do Sol, A - A Jornada pela Honra e os Invasores da Cidade Sagrada

 Fabiano FrancoISBN: 978853624918-6Páginas: 216Publicado em: 26/11/2014

Versão impressa

R$ 59,90Adicionar ao
carrinho
Versão impressa
+ eBook grátis

Na compra da versão impressa, a versão digital é brinde!


Versão digital

R$ 40,90Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Maias, Os, Eça de Queirós

Maias, Os

 Eça de QueirósISBN: 857394777-2Páginas: 504Publicado em: 02/03/2001

Versão impressa

R$ 99,70Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Assassinato em Jaguara - Semeando Livros, Paulo Fernando Silveira

Assassinato em Jaguara - Semeando Livros

2ª EdiçãoPaulo Fernando SilveiraISBN: 978853624080-0Páginas: 386Publicado em: 24/01/2013

Versão impressa

R$ 89,90Adicionar ao
carrinho