Homem Medíocre, O - Pequeno Ensaio de Moral e Ética Dirigido aos Jovens

José Ingenieros

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): José Ingenieros
ISBN: 853620172-X
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 164
Publicado em: 20/12/2002
Área(s): Literatura e Cultura - Clássicos; Literatura e Cultura - Diversos
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

Obras existem que, não obstante o seu valor instrínseco, "saem da moda". O que apresentamos ao público leitor é uma criação inspirada, que, apesar de quase secular, torna-se precisamente atual, nessa época de grandes transformações sociais, políticas, históricas e - por que não dizer -holísticas. O autor trata do idealismo, enfocando sobretudo a abordagem às concepções do humanismo atemporal e mais ainda, universal, do homem/mulher de gênio em sua antevisão e criação do futuro, apoiando-se sobretudo na impossibilidade de desenvolvimento harmônico de uma sociedade que não se baseia na moral autêntica fundamentada na inteligência de conceitos éticos. Ser medíocre, para Ingenieros, e ser conformista, incapaz de recriar a realidade; e o visionário não e o homem alienado, e sim, aquele que enxerga uma realidade melhor e possível, no exercício da virtude e da dignidade. Os jovens na idade devem ser instigados a inspirar-se nesses exemplos, e os jovens de espíritos, a recobrar e/ou perseverar no dinamismo que contraria a rotina das mediocracias.

AUTOR(ES)

José Ingenieros - Palermo, 24 de abril de 1877 – Buenos Aires, 31 de outubro de 1925
F
oi médico, psiquiatra, psicólogo, farmacêutico, escritor, professor universitário, filósofo e sociólogo ítalo-argentino. Para uns, é visto como o pensador que sedimentou o positivismo e o socialismo na Argentina; para outros o filósofo moral que influenciou a juventude sul-americana. Mas mais do que um homem polimorfo, Ingenieros teve sua vida marcada pela inquietude intelectual; diz-se que lia incansavelmente e isso reflete-se na grande produção literária, na qual encontramos desde trabalhos técnicos nas áreas da medicina e da criminologia, como escritos sociológicos que, no entanto, transitam pela esfera da filosofia, como percebemos em O homem medíocre (livro com tradução em português por esta editora) e livros sobre filosofia moral, como é este que chega aos leitores de língua portuguesa.

Seu pensamento é marcadamente influenciado pelo positivismo e não é por outro motivo que disserta, num estilo a um só tempo lhano e cativante, sobre uma filosofia prática, que foi aquela forjada pelas primeiras gerações de pensadores norte-americanos, como foi o caso de Emerson, estudado neste livro, cujos traços biográficos vão naturalmente surgindo enquanto Ingenieros perscruta o ambiente moral (incialmente puritano), que prima por alguns valores estruturais hoje presentes naquele povo.

Dentre suas obras mais conhecidas estão O homem medíocre, As forças morais, Evolução das idéias argentinas, Os novos tempos e Para uma moral sem dogmas.

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

A Moral dos Idealistas

I A emoção do ideal

II Sobre um idealismo fundado na experiência.

III Os caracteres idealistas.

IV O idealismo romântico

CAPÍTULO I O Homem Medíocre

I "Aurea Mediocritas"?

II Os homens sem personalidade.

III A respeito do homem medíocre

IV Conceito social da mediocridade

V O espírito conservador

VI Perigos sociais da mediocridade

VII A vulgaridade

CAPÍTULO II A Mediocridade Intelectual

I O homem rotineiro

II Os estigmas da mediocridade intelectual

III A Maledicência: uma alegoria de Botticelli.

IV O caminho da glória

CAPÍTULO III Os Valores Morais

I A moral de Tartufo

II O homem honesto

III Os desertores da honestidade.

IV Função social da virtude

V A pequena virtude e o talento moral

VI O gênio moral: a santidade

CAPÍTULO IV Os Caracteres Medíocres

I Homens e sombras

II A domesticação dos medíocres

III A vaidade

IV A dignidade

CAPÍTULO V A Inveja

I A paixão dos medíocres

II Psicologia dos invejosos

III Os roedores da glória.

IV Uma cena dantesca: seu castigo

CAPÍTULO VI A Velhice Niveladora

I As cãs

II Etapas de decadência

III A decadência dos talentos

IV Psicologia da velhice.

V A virtude da impotência

CAPÍTULO VII A Mediocracia

I O clima da mediocridade

II A pátria

III A política das multidões

IV Os arquétipos da mediocracia

V A aristocracia do mérito

CAPÍTULO VIII Os Forjadores de Ideais

I O clima do gênio

II Sarmento

III Ameghino.

IV A moral do gênio

INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: