Memórias Jurídicas e Democráticas

Egberto Maia Luz

Leia na Biblioteca Virtual
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Egberto Maia Luz
ISBN: 978853621773-4
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 106
Publicado em: 31/10/2007
Área(s): Direito - Teoria Geral do Direito; Direito - Outros
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

“A leitura de Memórias Jurídicas e Democráticas despertou-me a lembrança de um diálogo ouvido numa das audiências de instrução e julgamento de que participei por dever de ofício. Diante de uma grave revelação da testemunha, o advogado de defesa perguntou:
– O depoente tem prova disso?
A resposta da testemunha foi segura e pronta:
– Eu sou a prova. Eu vi.
Não é difícil compreender a razão que me leva a associar o episódio com a leitura deste livro. A obra de Egberto Maia Luz é uma valiosa contribuição para a História, pois nasce do testemunho pessoal de quem viveu cada momento da narrativa. A idoneidade de seu depoimento é, por si só, a prova dos fatos.
Sempre admirei o trabalho penoso e paciente dos pesquisadores que se dedicam às escavações arqueológicas ou a quaisquer outras formas de procura cuidadosa e persistente de objetos perdidos que possam ter algum valor informativo sobre o passado. Sempre me pareceu excitante decifrar os antigos documentos e de livros arcaicos escondidos em velhas bibliotecas, na tentativa, nem sempre bem-sucedida, de desvendar fatos históricos sepultados pelo tempo...
O autor não deixa de emitir sua opinião pessoal a respeito de questões polêmicas. Quando necessário, não hesita em tomar partido, defendendo abertamente suas convicções. Essa sinceridade não compromete a isenção de espírito e o respeito à verdade dos fatos. Pelo contrário, contribui de modo importante para revelar as idéias e discussões características de determinadas épocas, além de dar mais sabor e tempero ao texto.
Aliás, é isso que se espera de um relato histórico: não apenas o registro da cronologia dos fatos, mas também, a revelação das alegrias, dos ideais, das frustrações, dos desencontros e das aflições de um povo. E isso Egberto Maia Luz conseguiu fazer com maestria."

Joaquim Macedo Bittencourt Netto

AUTOR(ES)

Egberto Maia Luz – Formado: pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, turma de 1946. E, também, pela ADESG, em 1969.

Cursos: Especialização em Direito Penal e Criminologia; Direito Administrativo (1984, por professores italianos – FGV)

Magistério: Direito Constitucional, Direito Administrativo e Direito Público, na FGV, durante 27 anos consecutivos. Ética na FAAP; Direito Penal e Penal Militar, na Academia Militar do Barro Branco; Direito Constitucional na Universidade de Sorocaba (pós-graduação). Leciona Direito Administrativo Disciplinar na Academia de Polícia Civil para Delegados de polícia e outros integrantes de várias carreiras policiais.

Cargos exercidos: Promotor Público, efetivo, por concurso, iniciando a carreira em Sorocaba. Foi Vice-Presidente e Presidente do Conselho Estadual de Telecomunicações; Presidente da União dos Escoteiros, na região de São Paulo; chefiou Gabinetes de vários Secretários de Estado e, no governo Garcez, respondeu pela Secretaria da Agricultura. Presidiu várias Comissões Processantes Permanentes e Especiais. Chefiou a Consultoria Jurídica da Secretaria de Segurança Pública e foi Corregedor Administrativo da Prefeitura de São Paulo, Capital, no ano de 2000.

Conferências: em Cuernavaca (México); em Lisboa e na capital e interior de São Paulo. Estas últimas, a convite da OAB.

Capitão: R/2 da arma de infantaria, desde 1045.

Livros publicados: Cinco de Direito e quatro de contos. Em Curitiba: “Direito Administrativo Contemporâneo” e, na capital, para 4ª edição, “Direito Administrativo Disciplinar”. “Berço, altar e esquife” e “O Farol e outros contos”, “Cartas para uma menina linda”, ed. Plêiade, São Paulo, 2001. “Direito Constitucional, seus fundamentos” – “Sinhazinha” ed. Plêiade, 2006 – São Paulo – No prelo. Memórias Jurídicas e Democráticas.

Elogios: Possui vários individuais e alguns coletivos, na vida militar. Entre os primeiros, os conferidos pelos generais Mascarenhas de Morais; Euclydes Zenobio da Costa; Florêncio José Carneiro Monteiro e, também coronéis com os quais serviu em São Paulo.

SUMÁRIO

ETIOLOGIA DESTE LIVRO

PROLEGÔMENOS

DÉCADA DE 20

DÉCADA DE 30

DÉCADA DE 40

DÉCADA DE 50

DÉCADA DE 60

DÉCADA DE 70

DÉCADA DE 80

DÉCADA DE 90

BIBLIOGRAFIA DO AUTOR

INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: