Musculação - Nova Concepção Russa de Treinamento

Victor N. Seluianov, Stéfane B. C. D. Dias e Sérgio Luiz F. Andrade

Parcele em até 6x sem juros no cartão.
Parcela mínima de R$ 20,00

Versão impressa

Ficha técnica

Autor(es): Victor N. Seluianov, Stéfane B. C. D. Dias e Sérgio Luiz F. Andrade

ISBN: 978853621918-9

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 212

Publicado em: 04/03/2008

Área(s): Literatura e Cultura - Saúde

Sinopse

A escola russa de treinamento sempre foi muito respeitada em função do alto desempenho dos seus atletas em competições internacionais. Entretanto, a escassez de obras russas publicadas em idiomas ocidentais fez com que houvesse uma grande distância entre a produção científica russa e os estudantes e profissionais de Educação Física interessados em musculação. Portanto, este livro busca contribuir para que esta aproximação ocorra de uma forma inovadora e atualizada.
A primeira parte do livro trata de conceitos fundamentais de biologia celular e fisiologia humana abordando modelos de treinamento com pesos de acordo com a visão da escola russa “tradicional” e “moderna”, baseadas em evidências científicas e aplicações práticas em atletas de elite da Rússia e Brasil. A segunda parte explica como os princípios básicos da física podem ajudar a analisar qualitativamente (sem instrumentos de medida) os exercícios de musculação, com a finalidade de se extrair destes o máximo de seu benefício. Finalmente, a terceira parte refere-se aos aspectos nutricionais que dão suporte às respostas fisiológicas obtidas pelo treinamento com pesos.
Este livro inova ainda, por demonstrar as inéditas metodologias de desenvolvimento de força e resistência muscular nas fibras musculares rápidas e oxidativas, com a utilização do método ISOTON e as principais diferenças e vantagens da periodização moderna de treinamento.

Autor(es)

Victor Nikolaevich Seluyanov é Phd em Ciências Biológicas. Especializou-se em biologia esportiva e atividade física voltada para a saúde e qualidade de vida. Desde 1972 participa dos grupos de trabalhos científicos complexos para a preparação das seleções nacionais da ex-U.R.S.S. e Rússia em biatlhon (1972-1976); corrida de média distância (1981-1985); hóquei (1984-1991); greco romana, sambo e judô (1998- até os dias de hoje) os atletas dessas seleções se tornaram campeões inúmeras vezes em jogos olímpicos, campeonatos mundiais e europeus. Teve participações em várias conferências e simpósios internacionais em diversos países, sendo ainda premiado com a medalha de ouro pelo comitê esportivo da ex-U.R.S.S. pelo melhor trabalho científico no ano de 1981 e premiado com a denominação de: “Treinador Emérito da Cultura Física da Rússia”...
Stéfane Beloni Correa Dielle Dias é licenciado em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná – Brasil. No ano de 2003 especializou-se em Exercício Físico e Saúde pela Universidade Estatal de Cultura Física, Desporto e Turismo da Rússia (UECF-Rússia) – Moscou; no período de 2002-2005 concluiu o mestrado em Esporte e Sistema de Preparação de Atletas pela UECF-Rússia – Moscou e ainda em 2005, antes de começar o Doutorado em Treinamento Desportivo pela mesma universidade, onde tem o Professor Victor Nikolaevich Seluianov (Seluyanov em inglês) como seu orientador científico, recebeu o prêmio de honra pela melhor pesquisa científica do ano de 2005 na Conferência dos Jovens Cientistas da UECF-Rússia (Prêmio conquistado pela primeira vez por um estrangeiro e disputado entre todos os mestrandos, doutorandos e alguns professores da Rússia)...
Sérgio Luiz Ferreira Andrade é Licenciado em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná – Brasil. Concluiu seu mestrado em Educação Física pela mesma Instituição em 2004, com concentração na área de exercício e esporte. Atualmente, é docente das disciplinas de anatomia humana para os cursos de Educação Física, Fisioterapia, Biomedicina e Farmácia na Unibrasil (Curitiba-PR), além de também ministrar a disciplina de cinesiologia para o curso de Educação Física nesta mesma Instituição. Como professor convidado, ministra aulas no curso de especialização em “Ciências do Treinamento Desportivo” na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR), além de outros cursos de aperfeiçoamento para profissionais de Educação Física. Atua também como consultor técnico de musculação em academias, contribuindo para a montagem de programas de treinamento e prescrição de exercícios...

Sumário

Introdução

PARTE I

Capítulo 1 -Sistemas e Órgãos Humanos (Características e Particularidades)

1.1 Célula e suas Organelas

1.2 Aparelho Neuromuscular

1.3 Bioenergética Celular

1.4 Teoria do Limiar Aeróbico e Anaeróbico

1.5 Biomecânica da Contração Muscular

1.6 Modelo Cardiovascular e da Circulação Sanguínea

1.7 Sistema Endócrino

1.8 Sistema Imunológico

1.9 Sistema Digestivo

1.10 Tecido Adiposo e Particularidades da Lipólise

Capítulo 2 -Nova Concepção Russa de Treinamento

2.1 Princípios "Tradicionais" do Treinamento de Força

2.2 Novos Métodos de Hiperplasia das Miofibrilas nas Fibras Musculares

2.3 Hiperplasia das Miofibrilas nas Fibras Musculares Glicolíticas

2.4 Hiperplasia das Miofibrilas nas Fibras Musculares Oxidativas (Isoton)

2.5 Métodos da Hiperplasia das Mitocôndrias Miofibrilares

2.6 Métodos de Treino do Músculo Cardíaco

2.7 Métodos de Direção da Atividade do Tecido Adiposo

2.8 Método de Direção Adaptativa das Glândulas do Sistema Endócrino

2.9 Métodos de Direção das Adaptações dos Órgãos Imunocompetentes

2.10 Construção de uma Sessão de Treino

2.10.1 Partes de uma Sessão de Treino

2.11 Periodização do Treinamento

2.11.1 Periodização Moderna do Treinamento

2.12 Montagem de Séries (Exemplo)

PARTE II

Capítulo 1 -Biomecânica Qualitativa Aplicada à Musculação

1.1 Conceitos Básicos: Força e Torque

1.2 Análise Qualitativa dos Exercícios de Musculação

1.3 Exercícios com Pesos Livres

1.3.1 Rosca Scott com Pesos Livres (Rosca Bíceps no Banco)

1.3.2 Rosca Tríceps no Banco (Tríceps Testa)

1.3.3 Abdução de Braços

1.4 Exercícios com Máquinas

1.4.1 Leg-Press 45º

1.4.2 Rosca Scott na Máquina com Polia Variável

1.5 Considerações Finais

PARTE III

Capítulo 1 -Nutrição no Treinamento Esportivo

1.1 Carboidratos e Atividade Física

1.2 Utilização de Carboidratos Durante a Execução de Exercícios Físicos

1.3 Ressíntese de Glicogênio

1.4 Necessidade de Proteínas no Decorrer das Sessões Esportivas

1.5 Necessidade de Gordura como Fonte de Energia

1.6 Papel das Vitaminas na Preparação Física de Atletas

1.7 Minerais como Suplementação Alimentar na Preparação de Atletas

1.8 Recursos Ergogênicos

1.8.1 Creatina

1.8.2 ,,M,,M,,B

1.8.3 Citrato de Sódio

1.8.4 Bicarbonato de Sódio

1.8.5 Coenzima-Q10

1.9 Técnicas de Ingestão de Biocorretores como Componente Necessário do Processo de Treinamento

1.9.1 Processo de Adaptação a Curto Prazo no Organismo do Atleta Durante a Utilização na Alimentação de Suplementos Alimentares Biocorretores, Antioxidantes, Ergogênios e Propriedades Alcalógenas

1.9.2 Processo de Adaptação a Longo Prazo no Organismo de Atletas Diante da Utilização de Suplementos Alimentares Biocorretores, Antioxidantes, Ergogênios e Propriedades Alcalógenas

Referências

Galeria de Fotos

Índice alfabético

A

  • Abdução de braços.
  • Adiposo. Tecido adiposo e particularidades da lipólise.
  • Aeróbico. Teoria do limiar aeróbico e anaeróbico
  • Alcalógeno. Processo de adaptação a curto prazo no organismo do atleta durante a utilização na alimentação de suplementos alimentares biocorretores, antioxidantes, ergogênios e propriedades alcalógenas
  • Alcalógeno. Processo de adaptação a longo prazo. Atleta. Organismo. Utilização de suplementos alimentares biocorretores, antioxidantes, ergogênios e propriedades alcalógenas
  • Anaeróbico. Teoria do limiar aeróbico e anaeróbico.
  • Análise qualitativa dos exercícios de musculação.
  • Antioxidante. Processo de adaptação a curto prazo no organismo do atleta durante a utilização na alimentação de suplementos alimentares biocorretores, antioxidantes, ergogênios e propriedades alcalógenas
  • Antioxidante. Processo de adaptação a longo prazo. Atleta. Organismo. Utilização de suplementos alimentares biocorretores, antioxidantes, ergogênios e propriedades alcalógenas
  • Aparelho neuromuscular.
  • Atividade. Métodos de Direção da Atividade do Tecido Adiposo
  • Atividade física. Carboidratos e atividade física
  • Atleta. Minerais como suplementação alimentar na preparação de atletas
  • Atleta. Papel das vitaminas na preparação físicade atletas
  • Atleta. Processo de adaptação a curto prazo no organismo do atleta durante a utilização na alimentação de suplementos alimentares biocorretores, antioxidantes, ergogênios e propriedades alcalógenas.
  • Atleta. Processo de adaptação a longo prazo. Atleta. Organismo. Utilização de suplementos alimentares biocorretores, antioxidantes, ergogênios e propriedades alcalógenas

B

  • Bicarbonato de sódio.
  • Bíceps. Rosca "Scott" com pesos livres (rosca bíceps no banco)
  • Biocorretor. Processo de adaptação a curto prazo no organismo do atleta durante a utilização na alimentação de suplementos alimentares biocorretores, antioxidantes, ergogênios e propriedades alcalógenas.
  • Biocorretor. Processo de adaptação a longo prazo. Atleta. Organismo. Utilização de suplementos alimentares biocorretores, antioxidantes, ergogênios e propriedades alcalógenas.
  • Biocorretor. Técnicas de ingestão de biocorretores como componente necessário do processo de treinamento
  • Bioenergética celular.
  • Biomecânica da contração muscular.
  • Biomecânica qualitativa aplicada à musculação

C

  • Carboidrato. Utilização de carboidratos durante a execução de exercícios físicos
  • Carboidratos e atividade física
  • Cardíaco. Métodos de Treino do Músculo Cardíaco
  • Cardiovascular. Modelo cardiovascular e da circulação sanguínea.
  • Célula. Bioenergética celular.
  • Célula e suas organelas.
  • Circulação sanguínea. Modelo cardiovascular e da circulação sanguínea
  • Citrato de sódio
  • Coenzima-q10
  • Conceitos básicos: força e torque
  • Considerações finais
  • Construção de uma sessão de treino
  • Contração muscular. Biomecânica da contração muscular
  • Creatina

D

  • Digestivo. Sistema digestivo.
  • Direção Adaptativa das Glândulas do Sistema Endócrino. Método
  • Direção da Atividade do Tecido Adiposo. Métodos
  • Direção das Adaptações dos Órgãos Imunocompetentes. Métodos

E

  • Endócrino. Método de Direção Adaptativa das Glândulas do Sistema Endócrino.
  • Endócrino. Sistema endócrino.
  • Energia. Necessidade de gordura como fonte de energia
  • Ergogênio. Processo de adaptação a curto prazo no organismo do atleta durante a utilização na alimentação de suplementos alimentares biocorretores, antioxidantes, ergogênios e propriedades alcalógenas
  • Ergogênio. Processo de adaptação a longo prazo. Atleta. Organismo. Utilização de suplementos alimentares biocorretores, antioxidantes, ergogênios e propriedades alcalógenas.
  • Esporte. Necessidade de proteínas no decorrer das sessões esportivas
  • Esporte. Nutrição no treinamento esportivo
  • Exercício. Abdução de braços.
  • Exercício. Análise qualitativa dos exercícios de musculação
  • Exercício. Rosca "Scott" com pesos li vres (rosca bíceps no banco)
  • Exercício. Rosca "Scott" na máquina com polia variável.
  • Exercício. Rosca tríceps nobanco (tríceps testa)
  • Exercício. Utilização de carboidratosdurante a execução de exercícios físicos
  • Exercícios commáquinas
  • Exercícios com pesos livres.

F

  • Fibra muscular. Hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares glicolíticas.
  • Fibra muscular. Hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares oxidativas (Isoton).
  • Fibra muscular. Novos métodos de hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares
  • Fonte de energia. Necessidade de gordura como fonte de energia.
  • Força. Conceitos básicos: força e torque.
  • Força. Princípios "tradicionais" do treinamento de força
  • Foto. Galeria de fotos.

G

  • Galeria de fotos
  • Glândulas do Sistema Endócrino. Método de Direção Adaptativa das Glândulas do Sistema Endócrino
  • Glicogênio. Ressíntese de glicogênio
  • Glicolítica. Hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares glicolíticas.
  • Gordura. Necessidade de gordura como fonte de energia

H

  • HMB.
  • Hiperplasia. Métodos da Hiperplasia das Mitocôndrias Miofibrilares.
  • Hiperplasia. Novos métodos de hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares.
  • Hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares glicolíticas.
  • Hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares oxidativas (Isoton).

I

  • Imunológico. Sistema imunológico.
  • Introdução.
  • Isoton. Hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares oxidativas (Isoton)

L

  • Leg-press 45º
  • Limiar aeróbico. Teoria do limiar aeróbico e anaeróbico.
  • Limiar anaeróbico. Teoria do limiar aeróbico e anaeróbico.
  • Lipólise. Tecido adiposo e particularidades da lipólise

M

  • Máquina. Exercícios com máquinas.
  • Máquina com polia variável. Rosca "Scott" na máquina com polia variável.
  • Método de Direção Adaptativa das Glândulas do Sistema Endócrino.
  • Métodos da Hiperplasia das Mitocôndrias Miofibrilares
  • Métodos de Direção da Atividade do Tecido Adiposo.
  • Métodos de Direção das Adaptações dos Órgãos Imunocompetentes
  • Métodos de Treino do Músculo Cardíaco.
  • Minerais como suplementação alimentar na preparação de atletas.
  • Miofibrila. Hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares glicolíticas.
  • Miofibrila. Hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares oxidativas (Isoton).
  • Miofibrila. Novos métodos de hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares.
  • Mitocôndrias miofibrilares. Métodos da Hiperplasia das Mitocôndrias Miofibrilares
  • Modelo cardiovascular e da circulação sanguínea
  • Montagem de séries (exemplo)
  • Musculação. Análise qualitativa dos exercícios de musculação
  • Músculo. Aparelho neuromuscular.
  • Músculo. Biomecânica da contração muscular
  • Músculo. Métodos de Treino do Músculo Cardíaco
  • Musculação. Biomecânica qualitativa aplicada à musculação

N

  • Necessidade de gordura como fonte de energia.
  • Necessidade de proteínas no decorrer das sessões esportivas.
  • Neuromuscular. Aparelho neuromuscular
  • Nova concepção russa de treinamento.
  • Novos métodos de hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares
  • Nutrição no treinamento esportivo

O

  • Organela. Célula e suas organelas
  • Órgão Imunocompetente. Métodos de Direção das Adaptações dos Órgãos Imunocompetentes
  • Órgão humano. Sistemas e órgãos hu manos (características e particularidades)
  • Oxidativo. Hiperplasia das miofibrilas nas fibras musculares oxidativas (Isoton).

P

  • Papel das vitaminas na preparação física de atletas.
  • Partes de uma sessão de treino
  • Periodização do treinamento.
  • Periodização moderna do treinamento.
  • Peso. Exercícioscom pesos livres.
  • Peso livre. Rosca "Scott" com pesos livres (rosca bíceps no banco)
  • Preparação. Minerais como suplementação alimentar na preparação de atletas
  • Preparação física. Papel das vitaminasna preparação física de atletas
  • Princípios "tradicionais" do treinamento de força
  • Processo de adaptação a curto prazo no organismo do atleta durante a utilização na alimentação de suplementos alimentares biocorretores, antioxidantes, ergogênios e propriedades alcalógenas
  • Processo de adaptação a longo prazo. Atleta. Organismo. Utilização de suplementos alimentares biocorretores, antioxidantes, ergogênios e propriedades alcalógenas.
  • Proteína. Necessidade de proteínas no decorrer das sessões esportivas

R

  • Recursos ergogênicos.
  • Referências
  • Ressíntese deglicogênio.
  • Rosca "Scott" com pesos livres (rosca bícepsno banco)
  • Rosca "Scott" na máquin a com polia variável.
  • Rosca tríceps no banco (trícepstesta)
  • Rússia. Nova concepção russa de treinamento

S

  • "Scott". Rosca "Scott" com pesos livr es (rosca bíceps no banco).
  • "Scott". Rosca "Scott" na má quina com polia variável
  • Sessão esportiva. Necessidade de proteínas no decorrer das sessões esportivas.
  • Sistema Endócrino. Método de Direção Adaptativa das Glândulas do Sistema Endócrino
  • Sistema digestivo.
  • Sistema endócrino
  • Sistema imunológico.
  • Sistemas e órgãos humanos (características e particularidades).
  • Sódio. Bicarbonato de sódio.
  • Sódio. Citrato de sódio
  • Suplemento alimentar. Minerais como suplementação alimentar na preparação de atletas

T

  • Tecido adiposo. Métodos de Direção da Atividade do Tecido Adiposo
  • Tecido adiposo e particularidades da lipólise.
  • Técnicas de ingestão de biocorretores como componente necessário do processo de treinamento
  • Teoria do limiar aeróbico e anaeróbico
  • Torque. Conceitos básicos: força e torque.
  • Treinamento. Métodos de Treino do Músculo Cardíaco
  • Treinamento. Nova concepção russa de treinamento
  • Treinamento. Nutrição no treinamento esportivo.
  • Treinamento. Princípios "tradicionais" do treiname nto de força.
  • Treinamento. Técnicas de ingestão de biocorretores como componente necessário do processo de treinamento.
  • Treino. Construção de uma sessão de treino.
  • Treino. Montagem de séries (exemplo).
  • Treino. Partes de uma sessão de treino
  • Treino. Periodização do treinamento
  • Treino. Periodização moderna do treinamento
  • Treino do Músculo Cardíaco. Métodos.
  • Tríceps. Rosca tríceps nobanco (tríceps testa)

U

  • Utilização de carboidratos durante a execução de exercícios físicos.

V

  • Vitamina. Papel das vitaminas na preparação física de atletas.

Recomendações

Capa do livro: Doença, Poder e Direito - O Controle de Patentes de Medicamentos, Walter Guandalini Jr.

Doença, Poder e Direito - O Controle de Patentes de Medicamentos

 Walter Guandalini Jr.ISBN: 978853623011-5Páginas: 214Publicado em: 21/06/2010

Versão impressa

R$ 64,70Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Administração de Medicamentos, Paulo Celso Prado Telles Filho e Silvia Helena De Bortoli Cassiani

Administração de Medicamentos

 Paulo Celso Prado Telles Filho e Silvia Helena De Bortoli CassianiISBN: 853620216-5Páginas: 128Publicado em: 24/12/1999

Versão impressa

R$ 39,90Adicionar ao
carrinho