Contrato Como Transferência de Direitos em Thomas Hobbes

Gisele Mascarelli Salgado

Versão impressa

de R$ 69,90*
por R$ 59,42em 2x de R$ 29,71Adicionar ao carrinho

Versão digital

Disponível para:AndroidiOS
de R$ 49,90*

* Desconto não cumulativo com outras promoções, incluindo P.A.P. e Cliente Fiel

Ficha técnica

Autor(es): Gisele Mascarelli Salgado

ISBN v. impressa: 978853622031-4

ISBN v. digital: 978853626448-6

Acabamento: Brochura

Formato: 15,0x21,0 cm

Peso: 300grs.

Número de páginas: 226

Publicado em: 12/06/2008

Área(s): Direito - Civil - Contratos; Direito - Filosofia do Direito; Filosofia

Versão Digital (eBook)

Para leitura em aplicativo exclusivo da Juruá Editora para Smartphones e Tablets rodando iOS e Android. Não compatível KINDLE, LEV, KOBO e outros e-Readers.

Disponível para as plataformas:

  • AndroidAndroid 4 ou posterior
  • iOSiOS 7 ou posterior

Em computadores a leitura é apenas online e sem recursos de favoritos e anotações;
Não permite a impressão e cópia do conteúdo.

Compra apenas via site da Juruá Editora.

Sinopse

O contrato social é um conceito importante na filosofia de Hobbes, pois garante a passagem do Estado de natureza para o Estado civil. O contrato é o formador do Estado, sendo definido como transferência de direitos. A proposta apresentada é que o conceito de contrato, utilizado por Hobbes, para a construção do contrato social, tem forte conotação jurídica. Hobbes faz com que um conceito da área do Direito, migre para sua filosofia política. O contrato entendido dessa maneira, ajuda a esclarecer alguns pontos obscuros da filosofia hobbesiana. A associação dos homens para a construção do Estado é um contrato para Hobbes e não um pacto. A diferença entre esses termos marca a mudança de uma teoria contratualista anterior a Hobbes, para outra, que terá a definição de contrato social hobbesiano, como base para a construção de uma filosofia que critica, modifica ou adere esse modelo.

Autor(es)

Gisele Mascarelli Salgado é Mestra e Doutoranda em Filosofia do Direito pela PUCSP; Bacharela em Direito, História e Filosofia; Pós-graduação stricto sensu em Direito pela PUCSP na área de Filosofia do Direito.

Sumário

INTRODUÇÃO, p. 15

1 Tema, p. 16

2 Objetivo, p. 17

3 Limites, p. 17

4 Plano da obra, p. 18

5 Referências bibliográficas, p. 19

1 CONTEXTO E O TEXTO, p. 21

1.1 Contexto e o texto: aspectos da Inglaterra do século XVII e a filosofia de Thomas Hobbes, p. 22

1.2 Alguns aspectos do Direito da common law no século XVII, p. 33

1.3 Possível gênese da teoria contratualista, p. 40

2 HOBBES E O DIREITO, p. 53

2.1 Hobbes Conhecedor de Direito, p. 53

2.2 Discussão sobre a postura jurídica de Hobbes, p. 68

2.3 Apropriação de termos jurídicos para uma teoria política, p. 80

3 CONTRATOS NA OBRA POLÍTICA DE THOMAS HOBBES, p. 87

3.1 Diferença de contrato, pacto e covenant, p. 90

3.2 Definições de contrato, p. 98

3.2.1 Transferir direitos, p. 100

3.3 Definição de Contrato Social, p. 103

3.3.1 Objetivo, p. 107

3.3.2 Partes, p. 108

3.3.3 Caráter racional dos contratos, p. 114

3.3.4 Obrigatoriedade e necessidade, p. 115

3.4 Problemas do argumento do contrato social, p. 121

3.5 Contrato e contrato social: legitimidade da passagem, p. 126

4 CONTRATO SOCIAL E A FILOSOFIA POLÍTICA DE HOBBES, p. 131

4.1 Contrato social como marca da passagem do estado de natureza para a sociedade civil, p. 132

4.2 O contrato social e o problema da soberania, p. 139

4.3 O contrato social na construção Estado-Leviatã, p. 144

4.4 A liberdade e o contrato, p. 150

4.5 Relação do contrato social e o poder, p. 154

5 REFLEXOS DA TEORIA DO CONTRATO HOBBESIANO, p. 161

5.1 Teorias contratualistas, p. 162

5.1.1 Pufendorf: uma teoria com dois contratos e um acordo, p. 163

5.1.2 Locke: contrato sem perda da liberdade, p. 166

5.1.3 Rousseau: contrato social em diferentes registros, p. 170

5.1.4 Kant: contrato visando à manutenção da liberdade e a República, p. 176

5.1.5 Rawls: teoria contratualista como base da teoria da justiça, p. 183

5.2 Críticos à Teoria Contratualista, p. 188

5.2.1 Espinosa: uma explicação não contratualista, p. 188

5.2.2 Hume: crítica à existência real de um contrato social, p. 191

5.2.3 Hegel: a inconsistência racional do contrato social, p. 196

5.2.4 Marx: teoria do contrato social como ficção, p. 200

5.3 Contrato social como topos, p. 202

CONSIDERAÇÕES FINAIS, p. 209

REFERÊNCIAS, p. 211

1 Referências - obras de Hobbes e traduções, p. 211

2 Referências - obras de comentadores, p. 212

3 Referências - outras obras, p. 216

4 Referências - metodológica, p. 219

Índice alfabético

A

  • Acordo. Pufendorf: uma teoria com dois contratos e um acordo, p. 163
  • Alguns aspectos do Direito da common law no século XVII, p. 33
  • Apropriação de termos jurídicos para uma teoria política, p. 80

C

  • Caráter racional dos contratos, p. 114
  • Common law. Alguns aspectos do Direito da common law no século XVII, p. 33
  • Considerações finais, p. 209
  • Contexto e o texto, p. 21
  • Contexto e o texto: aspectos da Inglaterra do século XVII e a filosofia de Thomas Hobbes, p. 22
  • Contrato. Caráter racional dos contratos, p. 114
  • Contrato. Definições de contrato, p. 98
  • Contrato. Diferença de contrato, pacto e covenant, p. 90
  • Contrato. Liberdade e o contrato, p. 150
  • Contrato. Locke: contrato sem perda da liberdade, p. 166
  • Contrato. Obrigatoriedade e necessidade, p. 115
  • Contrato. Pufendorf: uma teoria com dois contratos e um acordo, p. 163
  • Contrato. Teorias contratualistas, p. 162
  • Contrato e contrato social: legitimidade da passagem, p. 126
  • Contrato hobbesiano. Reflexos da teoria do contrato hobbesiano, p. 161
  • Contrato social.Definição, p. 103
  • Contrato social. Hegel: a inconsistência racional do contrato social, p. 196
  • Contrato social. Hume: crítica à existência real de um contrato social, p. 191
  • Contrato social. Objetivo, p. 107
  • Contrato social. Partes, p. 108
  • Contrato social. Problemas do argumento, p. 121
  • Contrato social. Relação do contrato social e o poder, p. 154
  • Contrato social. Rousseau: contrato social em diferentes registros, p. 170
  • Contrato social como marca da passagem do estado de natureza para a sociedade civil, p. 132
  • Contrato social como topos, p. 202
  • Contrato social e a filosofia política de Hobbes, p. 131
  • Contrato social e o problema da soberania, p. 139
  • Contrato social na construção Estado-Leviatã, p. 144
  • Contratos na obra política de Thomas Hobbes, p. 87
  • Covenant. Diferença de contrato, pacto e covenant, p. 90
  • Críticos à teoria contratualista, p. 188

D

  • Definição de contrato social, p. 103
  • Diferença de contrato, pacto ecovenant, p. 90
  • Direito. Alguns aspectos do Direito da common law no século XVII, p. 33
  • Direito. Hobbes conhecedor de Direito, p. 53
  • Direito. Hobbes e o Direito, p. 53
  • Direitos. Transferir direitos, p. 100
  • Discussão sobre a postura jurídica de Hobbes, p. 68

E

  • Espinosa: uma explicação não contratualista, p. 188
  • Estado de natureza. Contrato social como marca da passagem do estado de natureza para a sociedade civil, p. 132
  • Estado-Leviatã. Contrato social na construção Estado-Leviatã, p. 144
  • Existência real. Hume: crítica à existência real de um contrato social, p. 191

F

  • Filosofia de Thomas Hobbes. Contexto e o texto: aspectos da Inglaterra do século XVII e a filosofia de Thomas Hobbes, p. 22
  • Filosofia política. Contrato social e a filosofia política de Hobbes, p. 131

H

  • Hegel: a inconsistência racional do contrato social, p. 196
  • Hobbes conhecedor de Direito, p. 53
  • Hobbes e o Direito, p. 53
  • Hume: crítica à existência real de um contrato social, p. 191

I

  • Inconsistência racional. Hegel: a inconsistência racional do contrato social, p. 196
  • Inglaterra do século XVII. Contexto e o texto: aspectos da Inglaterra do século XVII e a filosofia de Thomas Hobbes, p. 22
  • Introdução, p. 15

K

  • Kant: contrato visando à manutenção da liberdade e a República, p. 176

L

  • Legitimidade. Contrato e contrato social: legitimidade da passagem, p. 126
  • Leviatã. Contrato social na construção Estado-Leviatã, p. 144
  • Liberdade. Kant: contrato visando à manutenção da liberdade e a República, p. 176
  • Liberdade. Locke: contratosem perda da liberdade, p. 166
  • Liberdade e o contrato, p. 150
  • Limites, p. 17
  • Locke: contrato sem perda da liberdade, p. 166

M

  • Marx: teoria do contrato social como ficção, p. 200

O

  • Objetivo, p. 17
  • Obra. Plano da obra, p. 18
  • Obra. Plano da obra. Referências bibliográficas, p. 19

P

  • Pacto. Diferença de contrato, pacto ecovenant, p. 90
  • Plano da obra, p. 18
  • Poder. Relação do contrato social e o poder, p. 154
  • Possível gênese da teoria contratualista, p. 40
  • Problemas do argumento do contrato social, p. 121
  • Pufendorf: uma teoria com dois contratos e um acordo, p. 163

R

  • Rawls: teoria contratualista como base da teoria da justiça, p. 183
  • Referências, p. 211
  • Referências. Metodológica, p. 219
  • Referências. Obras de Hobbes e traduções, p. 211
  • Referências. Obras de comentadores, p. 212
  • Referências. Outras obras, p. 216
  • Reflexos da teoria do contrato hobbesiano, p. 161
  • Registro. Rousseau: contrato social em diferentes registros, p. 170
  • Relação do contrato social e o poder, p. 154
  • República. Kant: contrato visando à manutenção da liberdade e a República, p. 176
  • Rousseau: contrato social em diferentes registros, p. 170

S

  • Século XVII. Alguns aspectos do Direito da common law no século XVII, p. 33
  • Soberania. Contrato social e o problema da soberania, p. 139
  • Sociedade civil. Contrato social como marca da passagem do estado de natureza para a sociedade civil, p. 132

T

  • Tema, p. 16
  • Teoria contratualista. Críticos, p. 188
  • Teoria contratualista. Possível gênese da teoria contratualista, p. 40
  • Teoria contratualista. Rawls: teoria contratualista como base da teoria da justiça, p. 183
  • Teoria da Justiça. Rawls: teoria contratualista como base da teoria da justiça, p. 183
  • Teoria do contrato social como ficção. Marx, p. 200
  • Teoria jurídica. Discussão sobre a postura jurídica de Hobbes, p. 68
  • Teoria política. Apropriação de termos jurídicos para uma teoria política, p. 80
  • Teoria política. Contratos na obra política de Thomas Hobbes, p. 87
  • Teorias contratualistas, p. 162
  • Termo jurídico. Apropriação de termos jurídicos para uma teoria política, p. 80
  • Texto. Contexto e o texto, p. 21
  • Thomas Hobbes. Contexto e o texto: aspectos da Inglaterra do século XVII e a filosofia de Thomas Hobbes, p. 22
  • Thomas Hobbes. Contrato social e a filosofia política de Hobbes, p. 131
  • Thomas Hobbes. Contratos na obra política de Thomas Hobbes, p. 87
  • Thomas Hobbes. Discussão sobre a postura jurídica de Hobbes, p. 68
  • Topos. Contrato social como topos, p. 202
  • Transferir direitos, p. 100

Recomendações

Capa do livro: Ministério Público, Bruno Amaral Machado

Ministério Público

 Bruno Amaral MachadoISBN: 978853621658-4Páginas: 380Publicado em: 26/07/2007

Versão impressa

de R$ 99,90* porR$ 84,92em 3x de R$ 28,31Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Função Social do Processo no Estado Democrático de Direito, A, Roberto Antônio Darós Malaquias

Função Social do Processo no Estado Democrático de Direito, A

2ª Edição – Revista e AtualizadaRoberto Antônio Darós MalaquiasISBN: 978853625405-0Páginas: 286Publicado em: 16/09/2015

Versão impressa

de R$ 99,70* porR$ 84,75em 3x de R$ 28,25Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 69,90* porR$ 59,42em 2x de R$ 29,71Adicionar eBook
ao carrinho
Capa do livro: Hermenêutica & Direito, Ivone Fernandes Morcilo Lixa

Hermenêutica & Direito

 Ivone Fernandes Morcilo LixaISBN: 853620274-2Páginas: 198Publicado em: 22/01/2003

Versão impressa

de R$ 59,90* porR$ 50,92em 2x de R$ 25,46Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Frases Jurídicas, Séfora Schubert Gelbcke e Karen Francis Schubert Canali

Frases Jurídicas

 Séfora Schubert Gelbcke e Karen Francis Schubert CanaliISBN: 857394265-7Páginas: 200Publicado em: 26/07/1999

Versão impressa

de R$ 49,90* porR$ 42,42 Adicionar ao
carrinho