Igreja em Minas Gerais na República Velha, A

Sílvio Firmo do Nascimento

Leia na Biblioteca Virtual
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Sílvio Firmo do Nascimento
ISBN: 978853622040-6
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 132
Publicado em: 20/06/2008
Área(s): Literatura e Cultura - Educação; Literatura e Cultura - Política, História e Filosofia
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

Apresentamos ao público interessado em literatura religiosa, histórica e filosófica o livro intitulado A Igreja em Minas Gerais na República Velha. Encontraremos marcas históricas da Igreja, como o ensino da filosofia, a organização dos seminários, a divulgação dos periódicos católicos, a organização administrativa das paróquias, o confronto de estilo entre a escola confessional e a escola laica etc.
A escola tradicionalista prevalece na formação da mentalidade reinante da sociedade mineira. No final do Império a discussão tradicionalista prepara a sociedade mineira para o debate que viria a ocorrer na República, focando a independência da Instituição em relação ao Estado. Trata-se de um movimento que ganhou significado na República porque durante o Império os principais representantes da Igreja Católica apostavam na estruturação do sistema representativo e apoiavam o padroado.
O presente livro particulariza o caso de Minas Gerais, como o havia feito Tiago Adão Lara com o tradicionalismo pernambucano estudado em sua obra O tradicionalismo católico em Pernambuco (1988). Dá continuidade à investigação sobre as principais teses filosóficas do tradicionalismo em Teses morais do tradicionalismo do século XIX (2004) e as filosofias admitidas pela Igreja Católica nas últimas décadas em A religião após o Concílio Vaticano II (2005). Enfim, as referências gerais ao tradicionalismo brasileiro foram retiradas da clássica obra de Antônio Paim, História das idéias filosóficas no Brasil (1997). Portanto, há um exame da presença da Igreja Católica em Minas e os impactos da mentalidade tradicionalista na sociedade mineira na Velha República. A escola tradicionalista tem como questão nuclear o entendimento da revelação como fonte primordial do conhecimento. Esse aspecto foi também marcante no tradicionalismo mineiro.
Além das teses tradicionalistas, temos outros aspectos do pensamento católico. O livro apresenta uma historiografia das idéias que mergulha também nas idéias educacionais da República Velha, tanto as guiavam a prática educativa nos seminários quanto as que orientavam as escolas leigas. Por isso é interessante aos filósofos, educadores, historiadores e estudiosos da cultura brasileira em geral.

AUTOR(ES)

Sílvio Firmo do Nascimento nasceu em Nazareno/MG em 1956; filho de José Antônio do Nascimento e Terezinha Cândida do Nascimento. Curso o ensino fundamental em Nazareno/MG e o ensino médio em Lavras/MG; graduado em Estudos Sociais e Filosofia pela Fundação Educacional de Brusque/SC e Bacharelado em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica/RJ; Doutorado em Filosofia na Universidade Gama Filho/RJ; Mestre em Filosofia pela UFJF/MG.
Vida religiosa:
Seminarista da Congregação dos Padres Dehonianos, S.C.J. (1977-1986) e Diocesano 1987. Sacerdote (1987-...) da Diocese de São João del Rei/MG. Administrador Paroquial de Ritápolis/MG (1989-1993); Administrador Paroquial de São Sebastião da Vitória/MG (1993-...); Capelão da Arquiconfraria de São Gonçalo Garcia – São João del Rei/MG (1989-...).
Vínculo:
Membro da Academia de Letras de São João del Rei/MG (2004-...); Membro correspondente da Academia Mantiqueira de Estudos Filosóficos – Amef – Barbacena/MG (1997-...); Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos e Outros Seres Vivos – CEP – Unipac (2004-...).
Títulos:
Profissional de Sucesso de São João del Rei/MG (2007); personalidade de destaque de São João del Rei/MG (2004); cidadão honorário de Ritápolis/MG (1996).
Vida acadêmica:
Professor titular na Universidade Presidente Antônio Carlos – Unipac), Barbacena/MG (1992-...) e no Instituto de Ensino Superior Presidente Tancredo Almeida Neves – IPTAN, São João del Rei/MG (2006-...); Professor no Mestrado em Educação e Sociedade na Unipac (2004-2007); Pesquisador sobre A religião em Barbacena após o Vaticano II (2002-2004), sobre A propriedade liberal segundo André Vachet e suas conseqüências na educação (2004-2007), sobre A importância da Teoria Tridimensional do Direito em Miguel Reale e sua aplicabilidade nos cursos de direito: um estudo bibliográfico sobre Reale de 1986 a 2006. Autor dos livros: O homem diante do Sagrado: uma abordagem sobre alguns elementos de antropologia religiosa, Londrina: Instituto de Humanidades (no prelo); A religião no Brasil após o Vaticano II: uma concepção democrática da religião, Barbacena: Unipac, 2005; Teses morais do século XIX, Londrina: Edições Humanidades, 2004. Autor dos artigos: A educação na perspectiva de André Vachet e Moacir Gadotti: uma concepção democrática da educação in Atas da IX Semana de Filosofia: Conhecimento e Cultura – 23 a 27.10.07, p. 423-436; A propriedade segundo André Vachet: suas conseqüências na educação in Atas da VIII Semanda de Filosofia: Desafios da Ética na Tradição Filosófica do Ocidente, de 21 a 25.11.05, p. 355-370; As questões religiosas na América Latina in Anais de Filosofia. Revista da Fundação de Ensino Superior de São João del Rei, n. 1, jul. 1994, p. 91-96.

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

1 - A IGREJA EM MINAS GERAIS NA REPÚBLICA VELHA

1.1 A Igreja em Minas Gerais no fim do Império

1.2 A Igreja em Minas Gerais e a Campanha Republicana (1870-1889)

1.3 A separação da Igreja do Estado

1.4 A vitalidade da Igreja Católica em Minas Gerais na República Velha

1.4.1 Dom Silvério Pimenta (1840-1922)

1.4.2 Dom Helvécio Gomes de Oliveira (1876-1960)

1.4.3 Dom Antônio dos Santos Cabral (1884-1967)

2 - O TRADICIONALISMO EM MINAS GERAIS NA REPÚBLICA VELHA

2.1 A questão teórica da filosofia católica e a compreensão do tradicionalismo mineiro

2.2 O tradicionalismo brasileiro como ponto de partida para o entendimento do pensamento mineiro

2.2.1 O tradicionalismo em Minas Gerais e a imprensa

2.2.2 O tradicionalismo mineiro e a política.

2.2.3 O tradicionalismo da Igreja mineira

3 - O ENSINO DA FILOSOFIA NOS SEMINÁRIOS DE MINAS GERAIS NA REPÚBLICA VELHA

3.1 O ensino filosófico nos seminários mineiros

3.1.1 O Seminário sob Dom Viçoso

3.1.2 O Seminário sob Dom Benevides

3.1.3 O Seminário sob Dom Helvécio

3.2 A filosofia ensinada nos seminários de Minas

4 - O ENSINO DA FILOSOFIA NAS ESCOLAS LEIGAS DE MINAS GERAIS NA REPÚBLICA VELHA

4.1 A realidade socioeconômica como base educacional

4.2 O caráter enciclopédico do ensino no Brasil e sua influência em Minas Gerais

4.3 O ensino filosófico em Minas Gerais na República Velha

4.3.1 Principais teóricos da Filosofia mineira

4.3.1.1 Lúcio José dos Santos (1875-1944)

4.3.1.2 Joaquim Furtado de Menezes (Nasc. 1875)

4.3.1.3 José Severiano de Resende (1871-1931)

4.3.2 O caráter enciclopédico do ensino primário e normal na República Velha

4.4 O ensino superior em Minas

CONSIDERAÇÕES FINAIS

REFERÊNCIAS

INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: