Opinião Pública e Política Exterior do Brasil – 1961-1964 - Coleção Relações Internacionais

Tânia Maria Pechir Gomes Manzur

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Tânia Maria Pechir Gomes Manzur
ISBN: 978853622549-4
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 306
Publicado em: 20/07/2009
Área(s): Direito Internacional; Direito - Outros
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

Neste Livro:

Capítulo I
A Opinião Pública e a Política Externa do Brasil do Império a Jânio Quadros – Um Balanço Historiográfico
• A opinião pública e a política exterior do Império
• A Política exterior na república
• Política Externa para o desenvolvimento: novos interesses e participação das massas

Capítulo II
A Política Externa no Governo de Jânio Quadros: Soberania, Independência e Desenvolvimento Econômico
• Antecedentes imediatos da política externa independente
• O Brasil e seu lugar no contexto internacional do pós-guerra
• A política externa e o envolvimento popular no governo de Jânio Quadros
• Opinião pública e política exterior no governo de Jânio Quadros: categorias de análise

Capítulo III
As Relações entre Brasil e Estados Unidos e as Relações Interamericanas
• A opinião brasileira e as relações com os Estados Unidos: aspectos gerais
• A questão das empresas estrangeiras no Brasil e as remessas de lucros para o exterior
• Relações com Cuba e o sistema interamericano

Capítulo IV
Movimentos da Opinião Pública Brasileira em Face das Relações com a União Soviética e outros Países Socialistas
• As relações com a União Soviética e os países do Leste Europeu e as manifestações da opinião nacional
• A opinião pública brasileira e as relações com a China continental

Capítulo V
A Polarização da Opinião Pública Acerca da Política Externa no Governo de João Goulart
• A posse de Goulart e a paulatina radicalização das tendências: o florescimento e ascensão do liberal-ocidentalismo e do nacional-revisionismo
• Embates de opinião em face das relações com os Estados Unidos e o sistema interamericano
• Relações com a África e os debates entre as correntes de opinião
• Os movimentos da opinião pública e as relações com a França
• Relações com a União Soviética e os países socialistas: outros fundamentos para a radicalização das tendências
• A política externa universalista, a polarização das tendências da opinião nacional e o golpe liberal-ocidentalista

Coleção Relações Internacionais

A expansão do ensino de relações internacionais, nos níveis de graduação e pós-graduação, tem sido exponencial nos últimos anos.
A Coleção Relações Internacionais, lançamento da Juruá Editora, tem o propósito de prover estudantes, professores e profissionais da área com o conhecimento que resulta da expansão das pesquisas nas Universidades brasileiras.
O apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico-CNPq, por meio do projeto integrado de pesquisa
“Parcerias Estratégicas do Brasil: a construção do conceito e as experiências em curso”, financiado com recursos do Edital Renato Archer de fomento do estudo das relações internacionais e sediado na Universidade de Brasília, encontra-se na origem dessa iniciativa.
A Coleção Relações Internacionais reúne estudos originais resultantes de dissertações e teses selecionadas, em razão de sua originalidade e relevância, nas Universidades que mantêm programas de pós-graduação, bem como obras coletivas ou individuais especialmente focadas nas parcerias operadas pelo Brasil junto a países europeus e emergentes, objetos a que se volta o Renato Archer da UnB.
Em razão do elevado número de lançamentos que a Coleção programou, pretende ser ela instrumento indispensável a todos os que manuseiam o conhecimento atualizado das relações internacionais, seja com o propósito acadêmico, seja com o fim de tomar decisões nas esferas política e social, pública e privada, que engendram o modelo brasileiro de inserção internacional e sua dinâmica operacional.
O espírito que norteia as publicações da Coleção coincide com o espírito de isenção, objetividade, clareza e funcionalidade que preside os estudos nas Universidades. Desse modo, põe-se o conhecimento a serviço dos atores que dele fazem uso para equipar-se de expertise com que possam alcançar interesses externos da nação ou de seus segmentos sociais, bem como reagir e equilibrar-se diante de interesses que outros países buscam realizar no Brasil.

AUTOR(ES)

Tânia Maria Pechir Gomes Manzur é Professora de História das Relações Internacionais do Brasil, dentre outras disciplinas, na Universidade Católica de Brasília (UCB); Diretora do Curso de Relações Internacionais na UCB; membro do Instituto Brasileiro de Relações Internacionais (IBRI); Fundadora do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Relações Internacionais (IBOPRI).
 

SUMÁRIO

LISTA DE TABELAS E FIGURAS

ABREVIATURAS E SIGLAS

INTRODUÇÃO

Capítulo I - A OPINIÃO PÚBLICA E A POLÍTICA EXTERNA DO BRASIL DO IMPÉRIO A JÂNIO QUADROS - UM BALANÇO HISTORIOGRÁFICO

1 A opinião pública e a política exterior do Império

2 A política exteriorna república

2.1 O rompimento com as diretrizes do império. Monarquistas contra republicanos.

2.2 Em busca de amizades pragmáticas e de prestígio internacional

2.3 A I Guerra e a opinião

3 Política externa para o desenvolvimento: novos interesses e participação das massas

3.1 O jogo de Vargas com as correntes de opinião

3.2 O embate entre nacionalistas e liberais

3.3 A política externa e o crescente envolvimento popular

Capítulo II - A POLÍTICA EXTERNA NO GOVERNO DE JÂNIO QUADROS: SOBERANIA, INDEPENDÊNCIA E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

1 Antecedentes imediatos da política externa independente

2 O Brasil e seu lugar no contexto internacional do pós-guerra

3 A política externa e o envolvimento popular no governo de Jânio Quadros

4 Opinião pública e política exterior no governo de Jânio Quadros: categorias de análise

4.1 A corrente liberal-associacionista

4.2 A corrente liberal-nacionalista

4.3 A corrente universal-independentista

4.4 A corrente radical-nacionalista

4.5 Correntes de opinião e relações com Portugal e África

Capítulo III - AS RELAÇÕES ENTRE BRASIL E ESTADOS UNIDOS E AS RELAÇÕES INTERAMERICANAS

1 A opinião brasileira e as relações com os Estados Unidos: aspectos gerais

2 A questão das empresas estrangeiras no Brasil e as remessas de lucros para o exterior

3 Relações com Cuba e o sistema interamericano

Capítulo IV - MOVIMENTOS DA OPINIÃO PÚBLICA BRASILEIRA EM FACE DAS RELAÇÕES COM A UNIÃO SOVIÉTICA E OUTROS PAÍSES SOCIALISTAS

1 As relações com a União Soviética e os países do Leste Europeu e as manifestações da opinião nacional

2 A opinião pública brasileira e as relações com a China continental

Capítulo V - A POLARIZAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA ACERCA DA POLÍTICA EXTERNA NO GOVERNO DE JOÃO GOULART

1 A posse de Goulart e a paulatina radicalização das tendências: o florescimento e ascensão do liberal-ocidentalismo e do nacional-revisionismo

2 Embates de opinião em face das relações com os Estados Unidos e o sistema interamericano

2.1 A opinião brasileira, as relações com os Estados Unidos e a Crise dos mísseis em Cuba

2.2 Empresas estrangeiras e a Lei de Remessa de Lucros

2.2.1 As encampações da Bond & Share e da ITT e o caso da Amforp

2.2.2 A Lei de Remessa de Lucros

3 Relações com a África e os debates entre as correntes de opinião

4 Os movimentos da opinião pública e as relações com a França

5 Relações com a União Soviética e os países socialistas: outros fundamentos para a radicalização das tendências

6 A política externa universalista, a polarização das tendências da opinião nacional e o golpe liberal-ocidentalista

CONCLUSÃO

REFERÊNCIAS

LISTA DE ARQUIVOS E CENTROS DE DOCUMENTAÇÃO

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • A questão das empresas estrangeiras no Brasil e as remessas de lucros para o exterior
  • Abreviaturase siglas
  • África. Correntes de opinião e relações com Portugal e África
  • África. Relações com a África e os debates entre as correntes de opinião.
  • Amizades pragmáticas. Em busca de amizades pragmáticas e de prestígio internacional.
  • Antecedentes imediatos da política externa independente
  • Arquivos. Lista de arquivos ecentros de documentação
  • Associacionismo. Corrente liberal-associacionista

B

  • Bond & Share. Encampações da Bond & Share e da ITT e o caso da Amforp.
  • Brasil. Opinião pública e política externa do Brasil do império a Jânio Quadros. Um balanço historiográfico
  • Brasil. Relações entre Brasil e Estados Unidos e as relações interamericanas.

C

  • Caso "Amforp". Encampações da Bond & Share e da ITT e o caso da Amforp
  • Centros de documentação. Lista de arquivos e centros de documentação.
  • China continental. Opinião pública brasileira e as relações com a China continental
  • Conclusão
  • Contexto internacional. O Brasil e seu lugar no contexto internacional do pós-guerra
  • Corrente liberal-associacionista.
  • Corrente liberal-nacionalista.
  • Corrente radical-nacionalista
  • Corrente universal-independentista
  • Correntes de opinião e relações com Portugal e África
  • "Crise dos mísseis". Opinião brasileira, as relações com os Estados Unidos e a crise dos mísseis em Cuba
  • Cuba. Opinião brasileira, as relaçõescom os Estados Unidos e a crise dos mísseis em Cuba
  • Cuba. Relações com Cuba e osistema interamericano.

D

  • Desenvolvimento. Política Externa para o desenvolvimento: novos interesses e participação das massas.
  • Desenvolvimento econômico. Política externa no governo de Jânio Quadros: soberania, independência e desenvolvimento econômico.

E

  • Embate entre nacionalistas e liberais
  • Embates de opinião em face das relações com os Estados Unidos e o sistema interamericano.
  • Empresa estrangeira. A questão das empresas estrangeiras no Brasil e as remessas de lucros para o exterior
  • Empresas estrangeiras e a leide remessa de lucros.
  • Encampações daBond & Share e da ITT e o caso da Amforp
  • Envolvimento popular. Política externa e o crescente envolvimento popular
  • Envolvimento popular. Política externa e o envolvimento popular no governo de Jânio Quadros.
  • Estados Unidos. Embates de opinião em face das relações com os Estados Unidos e o sistema interamericano
  • Estados Unidos. Opinião brasileira, as relações com os Estados Unidos e a crise dos mísseis em Cuba
  • Estados Unidos. Opinião brasileira e as relações com os Estados Unidos: aspectos gerais
  • Estados Unidos. Relações entre Brasile Estados Unidos e as relações interamericanas

F

  • Figura. Lista de tabelas e figuras.
  • França. Movimentos da opinião pública e as relações com a França.

G

  • Golpe liberal-ocidentalista. Política externa universalista, a polarização das tendências da opinião nacional e o golpe liberal-ocidentalista
  • Governo Jânio Quadros. Opinião pública e política exterior no governo de Jânio Quadros: categorias de análise.
  • Governo Jânio Quadros. Política externa e o envolvimento popular no governo de Jânio Quadros.
  • Governo João Goulart. Polarizaçãoda opinião pública acerca da política externa no governo de João Goulart.

H

  • Historiografia. I Guerra e a opinião
  • Historiografia. Opinião públicae política exteriordo Império.
  • Historiografia. Opinião pública e política externa do Brasil do império a Jânio Quadros. Um balanço historiográfico.
  • Historiografia. Política externa e o envolvimento popular no governo de Jânio Quadros

I

  • I Guerra e a opinião
  • Império. Opinião pública e política exterior do Império.
  • Independência. Política externa no governo de Jânio Quadros: soberania, independência e desenvolvimento econômico.
  • Independentista. Corrente universal-independentista
  • Introdução.

J

  • Jânio Quadros. Opinião pública e política exterior no governo de Jânio Quadros: categorias de análise.
  • Jânio Quadros. Opinião pública e política externa do Brasil do império a Jânio Quadros. Um balanço historiográfico.
  • Jânio Quadros. Política externa e o envolvimento popular no governo de Jânio Quadros
  • Jânio Quadros. Política externa no governo de Jânio Quadros: soberania, independência e desenvolvimento econômico.
  • Jogo de Vargas com as correntes de opinião

L

  • Lei de Remessa de Lucros
  • Lei de remessa de lucros. Empresas estrangeiras e a lei de remessa de lucros.
  • Liberal. Embate entre nacionalistas e liberais.
  • Liberalismo. Corrente liberal-associacionista
  • Liberalismo. Correnteliberal-nacionalista.
  • Lista de arquivos e centros de documentação
  • Lista de tabelas e figuras.
  • Lucro. A questão das empresas estrangeiras no Brasil e as remessas de lucros para o exterior.

M

  • Movimentos da opinião pública brasileira em face das relações com a União Soviética e outros países socialistas
  • Movimentos da opinião pública eas relações com a França.

N

  • Nacionalismo. Correnteliberal-nacionalista
  • Nacionalismo. Corrente radical-nacionalista
  • Nacionalista. Embate entrenacionalistas e liberais.

O

  • O Brasil e seu lugar no contexto internacional do pós-guerra.
  • Opinião. Correntes de opinião e relações com Portugal e África.
  • Opinião Pública. Correntes de opinião e relações com Portugal e África.
  • Opinião brasileira, as relações comos Estados Unidos e a Crise dos mísseis em Cuba
  • Opinião brasileira e as relações com os Estados Unidos: aspectos gerais.
  • Opinião nacional. Política externa universalista, a polarização das tendências da opinião nacional e o golpe liberal-ocidentalista.
  • Opinião pública. I Guerra e a opinião.
  • Opinião pública. Movimentos da opinião pública brasileira em face das relações com a União Soviética eoutros países socialistas
  • Opinião pública. Movimentos da opinião pública e as relações com a França
  • Opinião pública. Polarização da opinião pública acerca da política externa no governo de João Goulart.
  • Opinião pública. Relações com a União Soviética e os países do Leste Europeu e as manifestações da opinião nacional.
  • Opinião pública. Relações com a África e os debates entre as correntes de opinião
  • Opinião pública brasileira e as relações com a China continental
  • Opinião pública e política exterior.Corrente liberal-associacionista
  • Opinião pública e política exterior . Corrente liberal-nacionalista
  • Opinião pública e política exterior.Corrente radical-nacionalista.
  • Opinião pública e política exterior. Corrente universal-independentista.
  • Opinião pública e políticaexterior do Império
  • Opinião pública e política exterior no governo de Jânio Quadros: categorias de análise.
  • Opinião pública e política externa do Brasil do império a Jânio Quadros. Um balanço historiográfico

P

  • Países socialistas. Movimentos daopinião pública brasileira em face das relações com a União Soviética eoutros países socialistas
  • Países socialistas. Relações com a União Soviética e os países socialistas: outros fundamentos para a radicalização das tendências
  • Participação de massas. Política Externa para o desenvolvimento: novos interesses e participação das massas.
  • Polarização da opinião pública acercada política externa no governo de João Goulart.
  • Polarização das tendências. Políticaexterna universalista, a polarização das tendências da opinião nacional e o golpe liberal-ocidentalista
  • Política Externa para o desenvolvimento: novos interesses e participação das massas.
  • Política exterior. Opinião públicae política exterior do Império.
  • Política exterior. Opinião pública e política exterior no governo de Jânio Quadros: categorias de análise
  • Política exteriorna República
  • Política externa. Antecedentes imediatos da política externa independente
  • Política externa. Opinião pública e política externa do Brasil do império a Jânio Quadros. Um balanço historiográfico.
  • Política externa. Polarização da opinião públicaacerca da política externa no governo de João Goulart
  • Política externa e o crescente envolvimento popular
  • Política externa e o envolvimento popular no governo de Jânio Quadros
  • Política externa no governo de Jânio Quadros: soberania, independência e desenvolvimento econômico.
  • Política externa universalista, a polarização das tendências da opinião nacional e o golpe liberal-ocidentalista.
  • Portugal. Correntes de opinião e relações com Portugal e África
  • Pós-guerra. O Brasil e seu lugar no contexto internacional do pós-guerra
  • Posse de Goulart e a paulatina radicalização das tendências: o florescimento e ascensão do liberal-ocidentalismo e do nacional-revisionismo.
  • Prestígio internacional. Em busca deamizades pragmáticas e de prestígio internacional.

R

  • Radicalismo. Corrente radical-nacionalista.
  • Radicalização das tendências. Relações com a União Soviética e os países socialistas: outros fundamentos para a radicalização das tendências
  • Referências.
  • Relações com Cuba e o sistema interamericano
  • Relações com a União Soviética e ospaíses do Leste Europeu e as manifestações da opinião nacional
  • Relações com a União Soviética e os países socialistas: outros fundamentos para a radicalização das tendências.
  • Relações com a África e os debates entre as correntes de opinião
  • Relações entre Brasil e Estados Unidos e as relações interamericanas.
  • Relações interamericanas. Relações entre Brasil e Estados Unidos e as relações interamericanas
  • Relações internacionais. Movimentos da opinião pública brasileira em face das relações com a União Soviética e outros países socialistas
  • Relações internacionais. Movimentos da opinião pública e as relações com a França
  • Relações internacionais. O Brasil e seu lugar no contexto internacional do pós-guerra
  • Relações internacionais. Opinião brasileira e as relações com os Estados Unidos: aspectos gerais.
  • Relações internacionais. Opinião pública brasileira e as relações com a China continental.
  • Remessa de lucro para o exterior. A questão das empresas estrangeiras no Brasil e as remessas de lucros para o exterior.
  • Remessa de lucros. Lei de Remessa de Lucros.
  • República. Política exterior na República.
  • Rompimento com as diretrizes do império. Monarquistas contra republicanos.

S

  • Sigla. Abreviaturas e siglas.
  • Sistema interamericano. Embates de opinião em face das relações com os Estados Unidos e o sistema interamericano.
  • Sistema interamericano. Relações comCuba e o sistema interamericano.
  • Soberania. Política externa no governo de Jânio Quadros: soberania, independência e desenvolvimento econômico.

T

  • Tabela. Lista de tabelas e figuras

U

  • União Soviética. Movimentos da opinião pública brasileira em face das relações com a União Soviética eoutros países socialistas.
  • União Soviética. Relações com a União Soviética e os países do Leste Europeu e as manifestações da opinião nacional
  • União Soviética. Relações com a União Soviética e os países socialistas: outros fundamentos para a radicalização das tendências
  • Universalismo. Corrente universal-independentista.
  • Universalismo. Política externa universalista, a polarização das tendências da opinião nacional e o golpe liberal-ocidentalista
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: