Avessos do Direito - Ensaios de Crítica da Razão Jurídica

Paulo Ferreira da Cunha

Parcele em até 6x sem juros no cartão.
Parcela mínima de R$ 20,00

Versão impressa

Ficha técnica

Autor(es): Paulo Ferreira da Cunha

ISBN: 978853623648-3

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 238

Publicado em: 16/02/2012

Área(s): Direito - Filosofia do Direito; Direito Internacional; Direito - Outros; Juruá Internacional

Sinopse

“Este é o livro de Paulo Ferreira da Cunha, que me encantou profundamente. Paulo é uma espécie de Warat lusitano. Sensível como o mestre argentino; arguto, crítico implacável com a pasteurização do direito."
Lenio Luiz Streck

“Neste livro, a rutilante inteligência e a vasta cultura do Professor Paulo Ferreira da Cunha revelam-se de modo peculiar, porque se expressam verticalmente, ao aprofundar a análise crítica da razão jurídica; e horizontalmente, ao tecer-lhe os liames interdisciplinares com a sociedade, a academia e a vida."
Maria Francisca Carneiro

Autor(es)

Paulo Ferreira da Cunha é Constitucionalista, politólogo e filósofo do Direito e da Política, é Doutor em Direito da Univ. Paris II e da Faculdade de Direito da Univ. de Coimbra, e Agregado em Direito, Ciências Jurídicas Públicas. Professor Catedrático da Faculdade de Direito da Universidade do Porto, aí fundou o Instituto Jurídico Interdisciplinar de que é Director. Professor Honorário, Associado, ou colaborador das Laurentian Univ./Univ. Laurentienne, Paris XIII, Univ. Mackenzie, Escola Superior de Direito Constitucional etc. Director de Relações Internacionais do CEMOrOc da Univ. de São Paulo, e membro, entre outras sociedades científicas, da Academia Paulista de Letras Jurídicas, da Académie européenne de théorie du droit, das Associações Portuguesa e Internacional de Direito Constitucional, e dos Fundadores da Associação Portuguesa de Ciência Política. Co-Director de International Studies on Law and Education, Cadernos Interdisciplinares Luso-Brasileiros, Mirandum e Notandum. Publicou mais de 500 artigos e de 80 livros, em várias línguas, em 12 países. Prêmio Jabuti de Direito, com o livro Direito Constitucional Geral.

Sumário

PALIMPSESTOS

Livro I LEITURAS E RELEITURAS

Parte I - LER A HISTÓRIA. O AVESSO DOS DIREITOS HUMANOS. PARA UMA HISTÓRIA PENSADA DA ESCRAVATURA

Capítulo I - O AVESSO DO DIREITO, O DIREITO DO AVESSO

Capítulo II - ESCRAVATURA, PENA E MORTE

Capítulo III - GLOBALIZAÇÃO, ECONOMIA E ANTROPOLOGIA

Capítulo IV - A IDEOLOGIA LEGITIMADORA

Capítulo V - DAS REAÇÕES

Capítulo VI - NORMA E REALIDADE

Capítulo VII - EPÍLOGO (?)

Parte II - LER OS LIVROS. DIÁLOGOS COM OS AUTORES

Capítulo I - DOS MESTRES

Capítulo II - JACQUES MARITAIN E O DIREITO NATURAL

1 O Problema do Direito Natural, Hoje

2 Modalidades do Pensar

3 Elementos Ontológicos e Epistemológicos do Direito Natural

4 Lei divina

5 Direitos

6 Referências

Capítulo III - O PENSAMENTO NEO-HELÊNICO VISTO DO BRASIL: A OBRA DE EVANGHÉLOS MOUTSOPOULOS

Capítulo IV - NÃO PREFÁCIO A UM DISCURSO ÉTICO-JUDAICO CONTEMPORÂNEO

Capítulo V - VIDA ATIVA E VIDA CONTEMPLATIVA

1 O Direito e os Outros

2 O Choque do Texto "Não Ativo"

3 Um Livro de um Monge

4 O Desafio do Despojamento

5 Um Propósito

Capítulo VI - O PREFÁCIO COMO SINAL

1 A Crítica aosPrefácios

2 Função dos Prefácios

3 Os Prefácios no Direito

Parte III - RELER O MUNDO. LIÇÕES DO QUOTIDIANO AO DIREITO

Capítulo I - O MUNDO VISTO PELO DIREITO

Capítulo II - DESCUBRA AS DIFERENÇAS

Capítulo III - FUTEBOL COMO METÁFORA

Capítulo IV - LIÇÕES DO KIWI

Parte IV - LER O VIRTUAL E O REAL

Capítulo I - VIDA E MORTE VIRTUAIS

Capítulo II - SETE (HIPÓ)TESES SOBRE REDES SOCIAIS

1 As Redes Sociais, o Tempo e o Modo

2 As Hipóteses

2.1 Há mais mundo

2.2 A complexidade e a banalização

2.3 Liderança, carisma e legalidade

2.4 Memória

2.5 Mentira, propaganda, verdade e verosimilhança

2.6 Leis da atração

2.7 Liberdade de expressão?

3 O Virtual e o Real

Capítulo III - O CÉU NO BOLSO

Livro II PASSADO, PRESENTE E FUTURO(S)

Parte V - IDENTIDADE E ATRASO

Capítulo I - QUESTÃO EDITORIAL E PREOCUPAÇÕES NACIONAIS

Capítulo II - OS DIÁLOGOS

Capítulo III - ETHOS OU HABITUS?

Capítulo IV - O PLANO E O DESENVOLVIMENTO

Capítulo V - ALGUMAS (HIPÓ)TESES

Capítulo VI - O LIVRO, OS LIVROS E A PRÁTICA

Parte VI - FERNANDO PESSOA E A DES-RAZÃO JURÍDICA

Capítulo I - ROSTO SEM MÁSCARA?

Capítulo II - ALGUMAS INTUIÇÕES

Capítulo III - LIMITAÇÃO DO OBJETO

Capítulo IV - UM TEXTO "JURÍDICO" DE FERNANDO PESSOA, A HERMENÊUTICA JURÍDICA E A RETÓRICA

Parte VII - DIREITO E TECNOLOGIA

Capítulo I - PÃO E JUSTIÇA

Capítulo II - MAL-ENTENDIDOS JURÍDICO-TECNOLÓGICOS

Capítulo III - LIÇÕES JURÍDICAS E TECNOLÓGICAS DE DOIS CLÁSSICOS

Capítulo IV - ARQUEOLOGIA DOS SENTIDOS

Capítulo V - TÉCNICAS E TECNOLOGIAS

Parte VIII - DIREITO, UTOPIA E INSULARIDADE

Capítulo I - INSULARIDADE, CONTINENTALIDADE E OUTRAS METÁFORAS, NÃO APENAS GEOGRÁFICAS

Capítulo II - DIREITO E UTOPIA NAS UTOPIAS INSULARES

Capítulo III - CONSTITUIÇÃO E UTOPIA, HOJE

Capítulo IV - CONCLUSÃO

Livro III DIREITO, UNIVERSIDADE E SOCIEDADE

Parte IX - SEMIÓTICA DOS TÍTULOS ACADÊMICOS

Capítulo I - CULTURAS E ACADEMIAS

Capítulo II - VOCATIVOS E RITUAIS

Capítulo III - TÍTULOS ACADÊMICOS OU TÍTULOS NOBILIÁRQUICOS?

Capítulo IV - APARÊNCIAS E REALIDADES

Parte X - PENSADA LEI, PENSADA MALÍCIA

Capítulo I - TEMÁTICA E METODOLOGIA

Capítulo II - DOS AVALIADORES

Capítulo III - DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

Capítulo IV - DA FALIBILIDADE DA AVALIAÇÃO E DAS GARANTIAS DO AVALIADO

Capítulo V - DOS FALSOS CRITÉRIOS AVALIADORES E DE ALGUNS ANTÍDOTOS

Capítulo VI - DO DIREITO À AUTOCONFORMAÇÃO DO CURRÍCULO

Capítulo VII - DO DIREITO À AVALIAÇÃO TEMPORALMENTE COERENTE E HOLÍSTICA

Capítulo VIII - AVALIANDO OS AVALIADORES

Capítulo IX - POR UMA AVALIAÇÃO OBJETIVA

Parte XI - UNIVERSIDADE, DIREITO(S) E PESSOA(S)

Capítulo I - UNIVERSIDADE, ESPAÇO DE DIREITO E DIREITOS

Capítulo II - PRINCÍPIOS E DIREITOS DOS DOCENTES E INVESTIGADORES UNIVERSITÁRIOS

Capítulo III - UNIVERSIDADES CONTRA AS PESSOAS?

Parte XII - IDENTIDADES & ALTERIDADES. PEDAGOGIA E ORGANIZAÇÃO UNIVERSITÁRIAS NO BRASIL E EM PORTUGAL

Capítulo I - A DÚVIDA DO ETNOCENTRISMO

Capítulo II - AUTOGNOSE LUSO-BRASILEIRA

Capítulo III - IDENTIDADES NACIONAIS E CULTURA

Capítulo IV - PERIGOS E PRECONCEITOS

Capítulo V - A PONTE DOS JURISTAS

Capítulo VI - UM EXEMPLO DE DIVERSA MENTALIDADE: AS CLASSIFICAÇÕES ACADÊMICAS

Capítulo VII - LIÇÕES BRASILEIRAS DE PEDAGOGIA E ORGANIZAÇÃO

Livro IV PERFIS DE DOUTRINA CONTEMPORÂNEA

Parte XIII - L. A. WARAT, UM CRÍTICO DA RAZÃO JURÍDICA

Capítulo I - DIREITO PENSADO, SENTIDO E VIVIDO

Capítulo II - CRÍTICADA RAZÃO JURÍDICA

Parte XIV - RETRATO DE UM CONSTITUCIONALISTA SEMPRE JOVEM. PAULO BONAVIDES

Capítulo I - PESSOAS, MESTRES E ESCOLAS

Capítulo II - CIÊNCIA & POLÍTICA

Parte XV - UMA TEORIA CLÁSSICA MODERNA: TRIDIMENSIONALISMO EM MIGUEL REALE

Capítulo I - QUESTÕES GERAIS DE TEORIA E DA TEORIA REALEANA

Capítulo II - UMA APLICAÇÃO DA TRIFUNCIONALIDADE REALEANA

Capítulo III - TEORIA TRIDIMENSIONAL E TIPOS E FORTUNA DAS TEORIAS

REFERÊNCIAS

Índice alfabético

A

  • Academia. Culturase academias
  • Academia. Títulos acadêmicosou títulos nobiliárquicos?
  • Academia. Vocativos e rituais
  • Alteridades. Identidades & alteridades. Pedagogia e organização universitárias no Brasil e em Portugal
  • Antropologia. Globalização,economia e antropologia
  • Aparências e realidades
  • Arqueologia dossentidos
  • Atividade. Vida ativa evida contemplativa
  • Atraso. Identidade e atraso
  • Atualidade. Problema doDireito Natural, hoje
  • Autognose luso-brasileira
  • Autor. Ler os livros. Diálogos com os autores
  • Avaliação. Critériosde avaliação
  • Avaliação. Direito à avaliação temporalmente coerente e holística
  • Avaliação. Falibilidade da avaliaçãoe das garantias do avaliado
  • Avaliação. Por uma avaliação objetiva
  • Avaliando os avaliadores.
  • Avesso do direito, odireito do avesso
  • Avesso do direito, odireito do avesso
  • Avesso dos direitos humanos. Ler a história. Para uma história pensada da escravatura

B

  • Brasil. Autognose luso-brasileira
  • Brasil. Identidades & alteridades. Pedagogia e organização universitárias no Brasil e em Portugal
  • Brasil. Pensamento neo-helênico visto do Brasil: a obra de Evanghélos Moutsopoulos

C

  • Céu no bolso
  • Choque do texto "não ativo"
  • Ciência &política
  • Clássicos. Lições jurídicas e tecnológicas de dois clássicos
  • Classificação acadêmica. Um exemplo dediversa mentalidade: as classificações acadêmicas
  • Complexidade e a banalização. Redes sociais
  • Constitucionalista. Retrato de um constitucionalista sempre jovem. Paulo Bonavides
  • Constituição e utopia, hoje
  • Contemplação. Vida ativa evida contemplativa
  • Contemporaneidade. Não prefácio a um discurso ético-judaico contemporâneo
  • Continentalidade. Insularidade, continentalidade e outras metáforas, não apenas geográficas
  • Crítica aos prefácios
  • Crítica da razão jurídica
  • Cultura. Identidades nacionais e cultura
  • Culturas e academias
  • Currículo. Direito à autoconformação do currículo

D

  • Des-razão jurídica. Fernando Pessoa e a des-razão jurídica
  • Desafio do despojamento
  • Descubra as diferenças
  • Despojamento. Desafiodo despojamento
  • Diálogos com os autores. Ler os livros
  • Diálogos
  • Diferença. Descubra as diferenças
  • Direito Natural. Elementos ontológicose epistemológicos do Direito Natural
  • Direito Natural. Jacques Maritain e o Direito Natural
  • Direito Natural. Lei divina
  • Direito Natural. Problemado Direito Natural, hoje
  • Direito e os outros
  • Direito e tecnologia
  • Direito e utopia nas utopias insulares
  • Direito pensado, sentido e vivido
  • Direito, universidade e sociedade
  • Direito, utopia e insularidade
  • Direito. Avesso do direito, o direito do avesso
  • Direito. Mal-entendidos jurídico-tecnológicos
  • Direito. Mundo visto pelo Direito
  • Direito. Prefácios no Direito
  • Direito. Reler o mundo. Lições do quotidiano ao Direito
  • Direito. Universidade, direito(s) e pessoa(s)
  • Direitos Humanos. Ler a história. O avesso dos direitos humanos. Para uma história pensada da escravatura
  • Direitos
  • Direitos. Universidade, espaço de direito e direitos
  • Docência. Avaliadores
  • Docência. Critérios de avaliação
  • Docência. Direito à autoconformação do currículo
  • Docência. Direito à avaliação temporalmente coerente e holística
  • Docência. Falibilidade da avaliaçãoe das garantias do avaliado
  • Docência. Falsos critérios avaliadores e de alguns antídotos
  • Docência. Pensada lei, pensada malícia
  • Docência. Princípios e direitos dos docentes e investigadores universitários
  • Docência. Temáticae metodologia
  • Doutrina contemporânea. Perfis
  • Dúvida do etnocentrismo

E

  • Economia. Globalização, economia e antropologia
  • Editora. Questão editorial epreocupações nacionais
  • Elementos ontológicos e epistemológicos do Direito Natural
  • Ensino. Universidade, espaço de direito e direitos
  • Epílogo (?)
  • Epistemologia. Elementos ontológicos eepistemológicos do Direito Natural
  • Escola. Pessoas, mestres e escolas
  • Escravatura, pena e morte
  • Escravatura. Ler a história. O avesso dos direitos humanos. Para uma história pensada da escravatura
  • Espaço. Universidade, espaço de direito e direitos
  • Ethos ou habitus?
  • Ética judaica. Não prefácio a um discurso ético-judaico contemporâneo
  • Etnocentrismo. Dúvidado etnocentrismo
  • Evanghélos Moutsopoulos. Pensamento neo-helênico visto do Brasil: a obra de Evanghélos Moutsopoulos

F

  • Fernando Pessoa e a des-razão jurídica
  • Fernando Pessoa. Algumas intuições
  • Fernando Pessoa. Limitação do objeto
  • Fernando Pessoa. Rosto sem máscara?
  • Fernando Pessoa. Um texto "jurídico" de Fernando Pessoa, a hermenêutica jurídica e a retórica
  • Função dos prefácios
  • Futebol como metáfora
  • Futuro. Passado, presente e futuro(s)

G

  • Geografia. Insularidade, continentalidade e outras metáforas, não apenas geográficas
  • Globalização, economiae antropologia

H

  • Habitus ou ethos?
  • Helenismo. Pensamento neo-helênico visto do Brasil: a obra de Evanghélos Moutsopoulos
  • Hermenêutica jurídica. Um texto "jurídico" de Fernando Pessoa, a hermenêutica jurídica e aretórica
  • História. Ler a história. O avesso dos direitos humanos. Para uma história pensada da escravatura

I

  • Identidade e atraso
  • Identidades & alteridades. Pedagogia e organização universitárias no Brasil e em Portugal
  • Identidades nacionais e cultura
  • Ideologia legitimadora
  • Insalubridade e continentalidade. Conclusão
  • Insalubridade. Direito, utopia e insularidade
  • Insularidade, continentalidade e outrasmetáforas, não apenas geográficas
  • Investigador universitário. Princípios e direitos dos docentes e investigadores universitários

J

  • Jacques Maritain e oDireito Natural
  • Jurista. Ponte dos juristas
  • Justiça. Pão e justiça

L

  • L. A. Warat, um críticoda razão jurídica
  • Legitimidade. Ideologia legitimadora
  • Lei divina
  • Lei. Pensada lei,pensada malícia
  • Leis da atração.Redes sociais
  • Leituras e releituras
  • Ler a história. O avesso dos direitos humanos. Para uma história pensada da escravatura
  • Ler o virtual e o real
  • Ler os livros. Diálogos com os autores
  • Liberdade de expressão? Redes sociais
  • Lições brasileiras de pedagogia e organização
  • Lições do kiwi
  • Lições jurídicas e tecnológicas de dois clássicos
  • Liderança, carisma e legalidade. Redes sociais
  • Literatura. Fernando Pessoae a des-razão jurídica
  • Livro, os livros,e a prática
  • Livro. Algumas (hipó)teses
  • Livros. Ler os livros. Diálogos com os autores

M

  • Mal-entendidos jurídico-tecnológicos
  • Malícia. Pensada lei,pensada malícia
  • Memória. Redes sociais
  • Mentira, propaganda, verdade e verossimilhança. Redes sociais
  • Mercado editorial. Questão editorial e preocupações nacionais
  • Mestre. Pessoas, mestres e escolas
  • Mestres
  • Metáfora. Futebol como metáfora
  • Metáfora. Insularidade, continentalidade e outras metáforas, não apenas geográficas
  • Miguel Reale. Questões gerais deteoria e da teoria realeana
  • Miguel Reale. Uma teoria clássica moderna: tridimensionalismo em Miguel Reale
  • Modalidades do pensar
  • Modo. Redes sociais, o tempo e o modo
  • Monge. Um livro de um monge
  • Morte e vida virtuais
  • Morte. Escravatura, pena e morte
  • Mundo visto pelo Direito

N

  • Não prefácio a um discursoético-judaico contemporâneo
  • Nobiliarquia. Títulos acadêmicos ou títulos nobiliárquicos?
  • Norma e realidade

O

  • Ontologia. Elementos ontológicos e epistemológicos do Direito Natural
  • Organização universitária. Identidades& alteridades. Pedagogia e organização universitárias no Brasil e em Portugal
  • Organização. Lições brasileirasde pedagogia e organização

P

  • Palimpsestos
  • Pão e justiça
  • Passado, presente e futuro(s)
  • Paulo Bonavides. Retrato de um constitucionalista sempre jovem. Paulo Bonavides
  • Pedagogia. Identidades & alteridades. Pedagogia e organização universitárias no Brasil e em Portugal
  • Pedagogia. Lições brasileirasde pedagogia e organização
  • Pena. Escravatura, pena e morte
  • Pensada lei, pensada malícia
  • Pensamento neo-helênico visto do Brasil: a obra de Evanghélos Moutsopoulos
  • Pensamento. Modalidades do pensar
  • Perfis de doutrinacontemporânea
  • Perigos e preconceitos
  • Pessoa. Universidade, direito(s) e pessoa(s)
  • Pessoas, mestrese escolas
  • Pessoas. Universidades contra as pessoas?
  • Plano e o desenvolvimento
  • Política. Ciência & política
  • Ponte dos juristas
  • Por uma avaliação objetiva
  • Portugal. Autognoseluso-brasileira
  • Portugal. Identidades & alteridades. Pedagogia e organização universitárias no Brasil e em Portugal
  • Prática. Livro, os livros, e a prática
  • Preconceito. Perigose preconceitos
  • Prefácio como sinal
  • Prefácio. Críticaaos prefácios
  • Prefácio. Função dos prefácios
  • Prefácios no Direito
  • Preocupações nacionais. Questão editorial e preocupações nacionais
  • Presente. Passado, presente e futuro(s)
  • Princípios e direitos dos docentes einvestigadores universitários
  • Problema do DireitoNatural, hoje
  • Propaganda. Mentira, propaganda, verdade e verossimilhança. Redes sociais
  • Propósito. Um propósito

Q

  • Questão editorial e preocupações nacionais
  • Questionamentos. Lições do kiwi
  • Questões gerais de teoriae da teoria realeana
  • Quotidiano ao Direito. Reler o mundo.Lições do quotidiano ao Direito

R

  • Razão jurídica. Crítica da razão jurídica
  • Razão jurídica. Fernando Pessoa e a des-razão jurídica
  • Razão jurídica. L. A. Warat, um crítico da razão jurídica
  • Reações
  • Real. Redes sociais.Virtual e o real
  • Realidade e aparências
  • Realidade e norma
  • Realidade. Ler o virtual e o real
  • Redes sociais, otempo e o modo
  • Redes sociais. Complexidade e a banalização
  • Redes sociais. Há mais mundo
  • Redes sociais. Hipóteses
  • Redes sociais. Leis da atração
  • Redes sociais. Liberdade de expressão?
  • Redes sociais. Liderança, carisma e legalidade
  • Redes sociais. Memória
  • Redes sociais. Mentira, propaganda, verdade e verosimilhança
  • Redes sociais. Sete (hipó)teses sobre redes sociais
  • Redes sociais. Virtual e o real
  • Referências
  • Referências. Parte II
  • Releituras eleituras
  • Reler o mundo. Lições do quotidiano ao Direito
  • Retórica. Um texto "jurídico" de Fernando Pessoa, a hermenêutica jurídica e a retórica
  • Retrato de um constitucionalista sempre jovem. Paulo Bonavides
  • Ritual. Vocativose rituais

S

  • Semiótica dos títulos acadêmicos
  • Sentidos. Arqueologia dos sentidos
  • Sete (hipó)teses sobre redes sociais
  • Sinal. Prefácio como sinal
  • Sociedade. Direito, universidade e sociedade

T

  • Técnicas e tecnologias
  • Tecnologia eDireito
  • Tecnologia etécnicas
  • Tecnologia. Lições jurídicas e tecnológicas de dois clássicos
  • Tecnologia. Mal-entendidosjurídico-tecnológicos
  • Tempo. Redes sociais, o tempo e o modo
  • Teoria realeana. Questões gerais de teoria e da teoria realeana
  • Teoria realeana. Uma aplicação datrifuncionalidade realeana
  • Teoria tridimensional e tipose fortuna das teorias
  • Texto "não ativo". Choque do texto "não ativo"
  • Título acadêmico. Semióticados títulos acadêmicos
  • Títulos acadêmicos ou títulos nobiliárquicos?
  • Tridimensionalismo. Teoria tridimensional e tipos e fortuna das teorias
  • Tridimensionalismo. Uma teoria clássica moderna: tridimensionalismo em Miguel Reale

U

  • Um exemplo de diversa mentalidade: as classificações acadêmicas
  • Um livro de um monge
  • Um texto "jurídico" de Fernando Pessoa, a hermenêutica jurídica e a retórica
  • Uma aplicação da trifuncionalidade realeana
  • Uma teoria clássica moderna: tridimensionalismo em Miguel Reale
  • Universidade, direito(s) e pessoa(s)
  • Universidade, espaço de direito e direitos
  • Universidade. Direito, universidade e sociedade
  • Universidade. Organização universitária. Identidades & alteridades. Pedagogia e organização universitáriasno Brasil e em Portugal
  • Universidades contra as pessoas?
  • Utopia. Constituiçãoe utopia, hoje
  • Utopia. Direito e utopia nas utopias insulares
  • Utopia. Direito, utopia e insularidade

V

  • Verdade. Mentira, propaganda, verdade e verossimilhança. Redes sociais
  • Verossimilhança. Mentira, propaganda,verdade e verossimilhança. Redes sociais
  • Vida ativa e vidacontemplativa
  • Vida e morte virtuais
  • Virtual. Redes sociais. Virtual e o real
  • Virtualidade. Ler ovirtual e o real
  • Virtualidade. Vidae morte virtuais
  • Vocativos erituais

Recomendações

Capa do livro: Vulnerabilidade e Direitos Humanos – Promoção e Prevenção da Saúde – Livro III, Vera Paiva, Lígia Rivero Pupo e Fernando Seffner

Vulnerabilidade e Direitos Humanos – Promoção e Prevenção da Saúde – Livro III

 Vera Paiva, Lígia Rivero Pupo e Fernando SeffnerISBN: 978853623969-9Páginas: 328Publicado em: 10/10/2012

Versão impressa

R$ 99,90Adicionar ao
carrinho

Versão digital

** GRÁTIS **Eu quero o
eBook GRÁTIS!
Capa do livro: Sanção na Teoria do Direito de Norberto Bobbio, Gisele Mascarelli Salgado

Sanção na Teoria do Direito de Norberto Bobbio

 Gisele Mascarelli SalgadoISBN: 978853622833-4Páginas: 290Publicado em: 11/02/2010

Versão impressa

R$ 87,70Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Competitividade Industrial Chinesa, Gilmar Masiero, Guilherme Ary Plonski, Isak Kruglianskas, Mario Henrique Ogasavara, Moacir de M. Oliveira Junior

Competitividade Industrial Chinesa

 Gilmar Masiero, Guilherme Ary Plonski, Isak Kruglianskas, Mario Henrique Ogasavara, Moacir de M. Oliveira JuniorISBN: 978853623924-8Páginas: 490Publicado em: 05/09/2012

Versão impressa

R$ 147,70Adicionar ao
carrinho