Depressão e Lógica do Desespero na Contemporaneidade - Uma Visão Psicanalítica

Issa Damous

Veja o vídeo da obraLeia na Biblioteca Virtual
de: R$ 77,70 * por
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
* Desconto não cumulativo com outras promoções, incluindo P.A.P. e Cliente Fiel
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Issa Damous
ISBN: 978853624006-0
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 252
Publicado em: 21/11/2012
Área(s): Psicologia - Psicanálise
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

O tema que se apresenta ao público leitor nesta obra é a da mais alta relevância para a sociedade atual e para os profissionais envolvidos com a sistemática de compreensão deste fenômeno desafiador - a Depressão. Na medida em que a diversidade de informações populariza o saber, produz igualmente a necessidade de nomear psicopatologicamente o que poderiam ser considerados apenas sofrimentos da vida cotidiana. Desse modo, as pessoas não ficam mais tristes porque perderam um emprego, ou vivenciam um luto porque alguém muito amado faleceu, ou porque se separaram de seus companheiros. Elas ficam deprimidas. E a depressão assim diagnosticada, seja pelas próprias pessoas ou pelos profissionais de saúde de diferentes especialidades que as acompanham, é o passaporte para o ingresso no universo da saúde mental, e, muito provavelmente, para a medicalização do sofrimento psíquico. Este trabalho relaciona depressão e casos-limite na sociedade contemporânea, oferecendo uma visão positiva sob o enfoque psicanalítico para o qual, a depressão assume diferentes aspectos, inclusive benéficos. Sem dúvida, este se apresenta como o mais preciso estudo sobre a depressão considerada positivamente na contemporaneidade e fonte de conhecimento imprescindível acadêmico-profissional.

 

AUTOR(ES)

Issa Damous é Doutora e Mestre em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Graduada em Psicologia pela mesma instituição. Especialização em Saúde Mental em nível de residência médica na Juliano Moreira, em convênio com IPUB/ UFRJ. Exerce atividade em clínica privada, atua em dispositivos ambulatoriais como psicóloga concursada pela Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro e pela Secretaria Municipal de Saúde de Maricá/RJ. Atuação com ênfase em Psicanálise e Saúde Mental.

SUMÁRIO

1 - INTRODUÇÃO

2 - DEPRESSÃO: UMA FACE DO MAL-ESTAR CONTEMPORÂNEO?

2.1 Desamparo, trauma e temporalidade em relação ao processo de civilização

2.2 A hipótese da depressão como epidemia na sociedade contemporânea

2.3 Depressão/melancolia: uma discussão em curso

2.4 Depressão/melancolia/casos-limite: é possível delimitar os campos?

3 - DOS LIMITES NA CLÍNICA AOS CASOS-LIMITE

3.1 Limites da analisabilidade: uma questão nosográfica?

3.2 O enquadre em questão

3.3 Dificuldades quanto à regra fundamental e à interpretação

3.4 A conjuntura transferencial

3.5 A reação terapêutica negativa

4 - A CONSTITUIÇÃO DOS LIMITES PSÍQUICOS E OS CASOS-LIMITE

4.1 O conceito de limite em suas dimensões espaço-temporais

4.2 A questão dos limites psíquicos e os casos-limite

4.3 Uma teoria sobre o pensamento e o trabalho do negativo

4.4 Do trabalho do negativo patológico aos transtornos do pensamento

5 - DA DEPRESSÃO À LÓGICA DO DESESPERO NOS CASOS-LIMITE

5.1 O luto impossível nos casos-limite e o complexo da mãe morta

5.2 Duas faces da lógica do desespero nos casos-limite

5.3 Narcisismo ferido, narcisismo de morte

5.4 A lógica do desespero como uma faceta da depressão

5.5 Uma esperança possível para a lógica do desespero

6 - CONCLUSÃO

7 - REFERÊNCIAS

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • Analisabilidade. Limites da analisabilidade: uma questão nosográfica?

C

  • Casos-limite. Constituição dos limites psíquicos e os casos-limite
  • Casos-limite. Depressão à lógica do desespero nos casos-limite
  • Casos-limite. Duas faces da lógica do desespero nos casos-limite
  • Casos-limite. Limites na clínica aos casos-limite
  • Casos-limite. Questão dos limites psíquicos e oscasos-limite
  • Casos-limites. Depressão/melancolia/casos-limite: é possível delimitar os campos?
  • Civilização. Desamparo, trauma e temporalidade em relação ao processo de civilização
  • Conceito de limite em suas dimensões espaço-temporais
  • Conclusão
  • Conjuntura transferencial
  • Constituição dos limites psíquicos e os casos-limite

D

  • Depressão à lógica do desespero nos casos-limite
  • Depressão. Hipótese da depressão comoepidemia na sociedade contemporânea
  • Depressão. Lógica do desespero como uma faceta da depressão
  • Depressão/melancolia/casos-limite:é possível delimitar os campos?
  • Depressão/melancolia: umadiscussão em curso
  • Depressão: uma face do mal-estar contemporâneo?
  • Desamparo, trauma e temporalidade em relação ao processo de civilização
  • Desespero. Depressão à lógica do desespero nos casos-limite
  • Desespero. Duas faces da lógica do desespero nos casos-limite
  • Desespero. Lógica do desespero como uma faceta da depressão
  • Desespero. Uma esperança possívelpara a lógica do desespero
  • Dificuldades quanto à regra fundamental e à interpretação
  • Duas faces da lógica do desespero nos casos-limite

E

  • Enquadre em questão
  • Epidemia. Hipótese da depressão como epidemia na sociedade contemporânea
  • Espaço temporal. Conceito de limite em suas dimensões espaço-temporais
  • Esperança. Uma esperança possívelpara a lógica do desespero

F

  • Ferimento. Narcisismo ferido, narcisismo de morte

H

  • Hipótese da depressão como epidemia na sociedade contemporânea

I

  • Interpretação. Dificuldades quanto à regra fundamental e à interpretação
  • Introdução

L

  • Limite psíquico. Constituição dos limites psíquicos e os casos-limite
  • Limite psíquico. Questão dos limites psíquicos e oscasos-limite
  • Limite. Conceito de limite em suas dimensões espaço-temporais
  • Limites da analisabilidade: uma questão nosográfica?
  • Limites na clínicaaos casos-limite
  • Lógica do desespero como uma faceta da depressão
  • Lógica do desespero. Depressão à lógica do desespero nos casos-limite
  • Lógica do desespero. Duas faces da lógica do desespero nos casos-limite
  • Lógica do desespero. Uma esperança possível para a lógica do desespero
  • Luto impossível nos casos-limitee o complexo da mãe morta

M

  • Mal-estar contemporâneo. Depressão: uma face do mal-estar contemporâneo?
  • Melancolia. Depressão/melancolia/casos-limite: é possível delimitar os campos?
  • Melancolia. Depressão/melancolia: uma discussão em curso
  • Morte. Narcisismo ferido, narcisismo de morte

N

  • Narcisismo ferido, narcisismo de morte
  • Negativo patológico. Trabalho do negativo patológico aos transtornos do pensamento
  • Nosografia. Limites da analisabilidade: uma questão nosográfica?

P

  • Pensamento. Uma teoria sobre o pensamento e o trabalho do negativo

R

  • Reação terapêutica negativa
  • Referências

S

  • Sociedade contemporânea. Depressão: uma face do mal-estar contemporâneo?
  • Sociedade contemporânea. Hipótese da depressão como epidemia na sociedade contemporânea

T

  • Temporalidade. Desamparo, trauma e temporalidade em relação ao processo de civilização
  • Terapia. Reação terapêutica negativa
  • Trabalho do negativo patológico aos transtornos do pensamento
  • Trabalho negativo. Uma teoria sobre o pensamento e o trabalho do negativo
  • Transferência. Conjuntura transferencial
  • Transtorno de pensamento. Trabalho do negativo patológico aos transtornos do pensamento
  • Trauma. Desamparo, trauma e temporalidade em relação ao processo de civilização

U

  • Uma esperança possível paraa lógica do desespero
  • Uma teoria sobre o pensamento e o trabalho do negativo
VÍDEO
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: