Contabilidade Contemporânea - NBC TG e Legislação Societária - Casos Práticos - Exercícios Resolvidos

Coordenador: Mariano Yoshitake - Coautores: Luis Martins de Oliveira e Adilson de Barros

Parcele em até 6x sem juros no cartão.
Parcela mínima de R$ 20,00

Versão impressa

Ficha técnica

Autor(es): Coordenador: Mariano Yoshitake - Coautores: Luis Martins de Oliveira e Adilson de Barros

ISBN: 978853624279-8

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 440

Publicado em: 18/06/2013

Área(s): Contabilidade Geral Aplicada; Contabilidade - Legislação Societária

Sinopse

A presente obra Contabilidade Contemporânea: NBC TG  e Legislação Societária, alia conteúdo e prática de forma dinâmica e didática, visando oferecer ao público leitor um instrumento de pesquisa e trabalho, contribuindo assim para a efetiva compreensão das normas relacionadas à Contabilidade.

Na elaboração deste livro, os autores seguiram principalmente as orientações contidas nos pronunciamentos do CPC - Comitê de Pronunciamentos Contábeis. Tais pronunciamentos foram homologados por meio de atos próprios dos órgãos reguladores, com vista à implantação, no Brasil, das Normas Internacionais de Contabilidade. No esforço para adaptar a contabilidade praticada em nosso país aos padrões internacionais, é importante ressaltar a criação do CPC, pela Resolução do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) nº 1055, de 2005.
 

Os principais objetivos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis estão voltados ao estudo, ao preparo e à emissão de pronunciamentos técnicos sobre os procedimentos de contabilidade e a divulgação de informações dessa natureza, levando em consideração a necessidade de convergência, o mais rápido possível, da contabilidade brasileira aos padrões internacionais.

Autor(es)

MARIANO YOSHITAKE

Doutor em Controladoria e Contabilidade, pela FEA/USP. Professor do Programa de Mestrado em Administração das Faculdades Alves Faria - ALFA. Atuou como Auditor, Contador e Controller de empresas nacionais e multinacionais. Autor de livros e capítulos de livros nas áreas de Contabilidade e Administração. Participa ativamente das atividades acadêmicas, com publicações de artigos em periódicos e congressos. E-mail: kimimarinamariano@gmail.com


LUIS MARTINS DE OLIVEIRA

Mestre em Contabilidade pela Universidade de São Paulo FEA/USP. Pós-graduado em Administração Financeira pela Fundação Getúlio Vargas/SP. Contador e Economista pela PUC/SP. Professor da Uni-FMU - Faculdade Metropolitana Unida (pós-graduação) de São Paulo. Palestrante de diversos temas: Custos, Controladoria Estratégica, Contabilidade Gerencial, Contabilidade Internacional e Auditoria. Foi gerente de auditoria e consultoria da Price Waterhouse e Coopers, supervisor de auditoria do Banco Itaú e suas coligadas no exterior e Controller de multinacional japonesa. Autor e coautor de diversos livros publicados. E-mail: Luis_Martins07@hotmail.com 


ADILSON DE BARROS

Mestre em Administração de Empresas (Administração Estratégica, 2003 UniFECAP - Centro Universitário Álvares Penteado). Pós-graduado em Administração de Empresas - Núcleo de Concentração: Finanças - 1994 - FECAP - Fundação Escola Comércio ÁlvaresPentedado. Ocupou cargos de Controller na Marc Mil Ind. Com. de Artigos Hospitalares Ltda e Marc Belle Ind. Com. de Artigos Odontológicos Ltda.; Diretor Comercial e Financeiro da Pina& Alves Arquitetos Associados e Construtora Ltda. É professor da Faculdade de Tecnologia de Mauá - FATEC: Curso de Informática para Negócios. Leciona na Org. Sul Sancaetanense de Ed. e Cultura - FATI. E-mail: adibarros@hotmail.com

 

 

 

 

 

 

 

 

Sumário

Capítulo 1 - Aspectos Introdutórios

1 Introdução

2 Dispositivos Legais, Tributários e Societários

3 Definição de Contabilidade

4 Orgãos Reguladores e Normatizadores da Contabilidade no Brasil

5 Orgão Regulador da Contabilidade Internacional - IASC

6 Objetivo da Contabilidade

7 Conjunto das Demonstrações Contábeis Obrigatórias

7.1 Identificação das demonstrações contábeis

7.2 Demonstrações contábeis obrigatórias e notas explicativas

7.3 Relatórios e comentários da diretoria

7.4 Responsabilidade pela preparação e apresentação das demonstrações contábeis

7.5 Utilização de livros auxiliares para a apuração do imposto de renda e da contribuição social sobre o lucro

8 Formalidades da Escrituração Contábil de Acordo com o Conselho Federal de Contabilidade

9 Campo de Aplicação da Contabilidade

10 Processo de Informação Contábil, Geração de Relatórios e Prestação de Contas

11 Usuários das Informações Contábeis

12 Testes

Capítulo 2 - Balancetes e Balanço Patrimonial - CPC 00

1 Balancetes

1.1 Introdução

1.2 Caso prático de apuração de balancete

2 Balanço Patrimonial

2.1 Definição

2.2 Caso prático de um balanço patrimonial, apresentado em milhares de reais em forma comparativa

2.3 Capital circulante ou capital de giro

3 Aspectos do Pronunciamento CPC 00 Relacionados com o Balanço Patrimonial e Caracteristicas dos Ativos e Passivos

3.1 Benefício futuro de um ativo

3.2 Características de um item do passivo

3.3 Patrimônio líquido

3.4 Probabilidade de realização de benefício econômico futuro

3.5 Confiabilidade da mensuração

4 Características dosItens do Ativo

4.1 Condições para o reconhecimento contábil

4.2 Bens

4.2.1 Bens tangíveis e intangíveis

4.2.2 Ativos móveis e imóveis

4.2.3 Direitos

5 Característicasdos Passivos

5.1 Dívidas ou exigibilidades com vencimento determinado

5.2 Dívidas ou exigibilidades com vencimento indeterminado

6 Contas do Patrimônio Líquido

7 Testes

Capítulo 3 - Avaliação das Contas do Ativo, Passivo e do Patrimônio Líquido - CPC 26 R1

1 Informações a Serem Apresentadas no Próprio Balanço Patrimonial

2 Valor Justo ou Fair Value

3 Detalhes da Composição de Alguns Itens do Ativo

4 Detalhes da Composição de Alguns Itens do Patrimônio Líquido

5 Passivo a Descoberto

6 Mensuração dos Elementos das Demonstrações Contábeis

7 Segregação Entre Circulante e Não Circulante

8 Capital Circulante ou Capital de Giro

9 Critérios para Classificação deItens do Ativo e Passivo Circulante e Não Circulante

9.1 Ativo circulante e não circulante

9.2 Passivo circulante e não circulante

10 Notas Explicativas

11 Testes

Capítulo 4 - DRE: Demonstração do Resultado do Exercício - CPC 30

1 Introdução

2 Finalidade da DRE

3 Fatos Modificativos do Patrimônio Líquido: Receitas e Despesas

3.1 Definição do CPC 30 para as Receitas

3.2 Receitas operacionais

3.2.1 Momento de reconhecimento das receitas com vendas

3.2.2 Outras receitas operacionais e não-operacionais

3.3 Despesas

4 Receitas Brutas, Receitas Líquidas, Custo das Mercadorias Vendidas e Apuração do Lucro Bruto

4.1 Receitas brutas

4.2 Receitas líquidas

4.3 Vendas canceladas

4.4 Descontos incondicionais concedidos

5 Custo das Mercadorias Vendidas

5.1 Sistema de inventários permanentes

5.2 Apuração do custo das mercadorias vendidas através de inventários periódicos

5.3 Apuração do custo das mercadorias vendidas através de inventários permanentes

6 Apuração do Lucro Bruto

7 Apuração do Custo das Mercadorias Vendidas e do Lucro Bruto nas Empresas Comerciais

7.1 Casos práticos de apuração do lucro bruto em uma empresa comercial

8 Apuração do Custo das Mercadorias Vendidas e do Lucro Bruto nas Empresas Industriais

9 Modelo de Demonstração do Resultado do Exercício em uma Empresa Industrial

10 Divulgação das Práticas Contábeis Adotadas para Reconhecimento das Receitas

11 Testes

Capítulo 5 - Práticas Contábeis Brasileiras - CPC 00, 23 e 26

1 Introdução

2 Práticas Contábeis Brasileiras

3 Leis Societárias e Tributárias e seus Efeitos na Contabilidade

4 Pressupostos Básicos e Características Qualitativas das Demonstrações Contábeis

4.1 Pressupostos básicos

4.1.1 Regime de competência

4.1.2 Continuidade

4.2 Características qualitativas das demonstrações contábeis

4.2.1 Compreensibilidade

4.2.2 Relevância

4.2.3 Confiabilidade

4.2.4 Comparabilidade

5 Testes

Capítulo 6 - Valor Justo(Fair Value) e Valor Recuperável dos Ativos (Impairment) - CPC 01R1

1 Introdução

2 Valor Justo (Fair Value)

3 Método para Determinação do Valor Justo

4 Valor Recuperável dos Ativos (Impairment)

5 CPC 01: Pronunciamento do Comitê Contábil - Redução ao Valor Recuperável de Ativos

6 Ativos que Estão Sujeitos ao Teste do Valor Recuperável

7 Definições do CPC 01: Pronunciamento do Comitê Contábil - Redução ao Valor Recuperável de Ativos

8 Outros Aspectos Relevantes do CPC 01: Pronunciamento do Comitê Contábil - Redução ao Valor Recuperável de Ativos

9 Divulgações Exigidas sobre a Aplicação do Teste deImpairment pelo CPC 01

10 Periodicidade e Identificação de um Ativo que Pode Estar Desvalorizado

11 Determinação dos Fluxos de Caixa Futuros

12 Quando os Ativos Devem Ser Testados para Fins de Impairment: Fontes Externas e Internas de Informações

13 Procedimentos para os Testes do Impairment

14 Testes

Capítulo 7 - Estoques: Empresas Comerciais - CPC 16R1

1 Introdução

2 Exigências da Legislação Societária e do Imposto de Renda

3 Definições do CPC 16 - Estoques

3.1 Estoques

3.2 Valor realizável líquido

3.3 Valor justo

4 Valorização e Contabilização das Compras de Mercadorias para Revenda

4.1 Gastos que integram o custo das compras de mercadorias

4.2 Momento da transmissão da propriedade

4.3 Contabilização dos juros sobre compras a prazo

5 Contabilização dos Adiantamentos Efetuados para os Fornecedores para a Futura Entrega de Mercadorias

6 Inventário Físicodos Estoques

6.1 Tipos de inventários

6.1.1 Inventário permanente

6.1.2 Inventário periódico

6.2 Exigências da legislação tributária

7 Apuração do Custo das Mercadorias Vendidas

7.1 Supondo a existência do inventário permanente

7.2 Supondo a inexistência do inventário permanente

8 Controles Internos Relacionados com as Compras, Estocagem e Movimentação das Mercadorias

9 Impostos Recuperáveis: ICMS nas Empresas Comerciais

10 Critérios de Avaliação dos Estoques: Preço Médio Ponderado, PEPS, UEPS e o Método do Varejo

10.1 Preço (custo) médio ponderado utilizando o método: preço (custo) médio ponderado

10.2 Primeiro a entrar, primeiro a sair - PEPS

10.3 Último a entrar, primeiro a sair - UEPS

10.4 Método do preço de venda a varejo

11 Ajustes ao Valor Realizável Líquido e as Normas Internacionais de Contabilidade

11.1 Valor do preço de aquisição (custo) ou valor de realização, dos dois o menor e a contabilização da provisão retificadora

11.2 Valoração de estoques

11.3 Reconhecimento como despesa no resultado

12 Divulgação em Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis das Informações Relacionadas com os Estoques

13 Testes

Capítulo 8 - Custeio dos Estoques, Apuração do Custo dos Produtos Vendidos e Demonstração dos Saldos do IPI e ICMS a Recolher nas Empresas Industriais - CPC 16R1

1 Introdução

2 Empresas Industriais

3 Definições do CPC 16 - Estoques

4 Normas Tributárias e Societárias para a Avaliação dos Estoques e Inventário Físico

4.1 Avaliação dos estoques

4.2 Inventário físico

4.3 Sistema de custos integrado e coordenado com a contabilidade

4.4 Custeio por absorção

5 Contabilização das Compras de Matérias-Primas, Materiais de Embalagem e Materiais Auxiliares da Produção: Impostos Recuperáveis ICMS e IPI

5.1 Composição dos custos das compras: CPC 16

5.2 Impostos recuperáveis - IPI e ICMS

5.3 Contabilização das despesas financeiras na compra de matérias-primas, materiais de embalagem e auxiliares da produção

6 Caso Prático de Contabilização do Fluxo da Movimentação dos Estoques

6.1 Fases da movimentação dos estoques em uma empresa industrial

6.2 Produtos em elaboração, produção em andamento ou produtos semi-elaborados

6.3 Caso prático de contabilização dos gastos com a produção

6.3.1 Compra de matérias-primas

6.3.2 Contabilização das transferências de matérias-primas para a produção

6.3.3 Contabilização dos gastos com a mão-de-obra e encargos sociais durante o mês

6.3.4 Contabilização da depreciação das bens utilizados pela fábrica

6.3.5 Contabilização dos demais gastos da fábrica

6.3.6 Transferência para a conta de Produtos Acabados

7 Caso Prático de Apuração do Custo dos Produtos Vendidos e Contabilização das Vendas

7.1 Apuração do custo dos produtos vendidos

7.2 Contabilização das vendas a prazo e dos impostos (IPI e ICMS)

8 Apuração do Lucro Bruto nas Vendas das Mercadorias e dos Saldos dos Impostos a Recolher

8.1 Apuração do lucro bruto

8.2 Apuração dos saldos dos impostos a recolher

9 Custos Fixos, Custos Variáveis e Margem de Contribuição de Cada Produto

9.1 Custos indiretos fixos

9.2 Rateio dos custos indiretos fixos

9.3 Custos indiretos variáveis

9.4 Custos totais de produção

9.5 Margem de contribuição

10 Custos de Transformação Conforme Item 12 do CPC 16

10.1 Conceito de custos de transformação

10.2 Produção simultânea de mais de um produto

10.3 Custos de produção que devem ser reconhecidos como despesa

11 Custo-Padrão

12 Contabilização dos Adiantamentos Recebidos de Clientes para Futura Entrega de Mercadorias

13 Testes

Capítulo 9 - Ativo Imobilizado - CPC 27

1 Introdução

2 Definições do Pronunciamento CPC 27

3 O Que Intrega o Custo de Aquisição do Imobilizado

3.1 Gastos atribuíveis ao custo do ativo que devem ser ativados

3.2 Contabilização das despesas financeiras na compra do imobilizado

4 Reconhecimento dos Ativos Imobilizados

5 Custo-Benefícios para Manter o Controle dos Ativos

6 Depreciação

6.1 O que é depreciação

6.2 Contabilização da depreciação

6.3 Valor depreciável e período de depreciação

6.4 Métodos de depreciação

6.5 Taxas de depreciação acelerada

7 Taxas de Depreciação

8 Provisão para Perdas para Desvalorização de Ativos

9 Custos de Empréstimos para a Construção de Ativo Imobilizado

10 Divulgação em Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis

11 Testes

Capítulo 10 - Ativo Intangível - CPC 04R1

1 Introdução

2 CPC 04 - Ativos Intangíveis: Orientações e Interpretações do Comitê de Pronunciamentos Contábeis

3 Normas Internacionais Contábeis sobre Ativos Intangíveis

4 Definições Contidas no CPC 04 do Comitê de Pronunciamentos Contábeis

5 Exemplos de Gastos com a Aquisição, o Desenvolvimento, a Manutenção e o Aprimoramento de Recursos Intangíveis

6 Controle do Ativo Intangível e Avaliação da Probabilidade de Geração de Benefícios Econômicos Futuros

7 Vida Útil e Amortização do Ativo Intangível

8 Exemplos de Ativos Intangíveis

8.1 Concessões de serviços públicos

8.2 Lista de clientes adquirida

8.3 Copyright adquirido que tem vida legal remanescente de 30 anos

8.4 Licença de transmissão (broadcasting) adquirida que expira após cinco anos

8.5 Marca comercial adquirida usada para identificar e distinguir um produto de consumo que tem sido líder de mercado nos últimos oito anos

9 Aspectos Relevantes na Divulgação de Ativos Intangíveis nas Demonstrações Contábeis

9.1 Informações que devem ser divulgadas

9.2 Exemplo de nota explicativa

10 Testes

Capítulo 11 - Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes - CPC 25

1 Introdução

2 Definições de Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes

3 Diferença entre Provisões e Contas a Pagar Derivadas de Apropriações por Competência

3.1 Diferenças entre provisões e contas a pagar

3.2 Diferenças entre provisões e contas retificadoras de ativos

4 Avaliação do Fator de Risco das Provisões e Passivos Contingentes e o Tratamento Contábil

4.1 Perda provável

4.2 Perda possível

4.3 Perda remota

5 Uso de Estimativas para a Mensuração

6 Contingência Ativa

7 Exemplos de Tratamento a Ser Dado Envolvendo Contingências Passivas

7.1 Garantias

7.2 Danos ambientais

7.3 Tributos

7.4 Contratos onerosos

8 Processo de Decisão Quanto à Contabilização ou não da Contingência

9 Divulgação das Provisões em Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis

10 Testes

Capítulo 12 - Demonstração dos Fluxos de Caixa - CPC 03R2

1 Introdução

2 Obrigatoriedade

3 O Que se Entende por Fluxos de Caixa, Conforme o CPC 03

4 Integração e Relação Entre o Balanço Patrimonial, a Demonstração do Resultado e o Fluxo de Caixa

5 Métodos para a Elaboraçãodo Fluxo de Caixa

6 Vantagens do Uso do Fluxo de Caixa Como Instrumento de Controle Gerencial

7 Estrutura da Demonstração dos Fluxos de Caixa

8 Equivalentes ao Caixa

9 Atividades Operacionais de Investimentos e de Financiamentos

10 Elaboração do Fluxo de Caixa pelo Método Indireto

11 Caso Prático de Demonstração do Fluxo de Caixa - Método Direto e Indireto

12 Transações que Não Envolvem Caixa ou Equivalente de Caixa

13 Divulgações, Conforme o CPC 03

14 Testes

Gabarito de Respostas

Índice alfabético

A

  • Apuração do custo dos produtos vendidos e contabilização das vendas. Caso prático
  • Apuração do custo dos produtos vendidos e contabilização das vendas. Caso prático. Apuração do custo dos produtos vendidos
  • Apuração do custo dos produtos vendidos e contabilização das vendas. Caso prático. Contabilização das vendas a prazo e dos impostos (IPI e ICMS)
  • Apuração do lucro bruto nas vendasdas mercadorias e dos saldos dos impostos a recolher
  • Apuração do lucro bruto
  • Apuração dos saldos dosimpostos a recolher
  • Aspectos do pronunciamento CPC 00 relacionados com o balanço patrimonial e características dos ativos e passivos
  • Aspectos introdutórios
  • Aspectos introdutórios. Testes
  • Ativo imobilizado. CPC 27
  • Ativo imobilizado. CPC 27. Contabilização das despesas financeiras na compra do imobilizado
  • Ativo imobilizado. CPC 27. Custo-benefício para manter o controle dos ativos
  • Ativo imobilizado. CPC 27. Custos de empréstimos para a construção de ativo imobilizado
  • Ativo imobilizado. CPC 27. Definições do pronunciamento CPC 27
  • Ativo imobilizado. CPC 27. Divulgaçãoem notas explicativas às demonstrações contábeis
  • Ativo imobilizado. CPC 27. Gastos atribuíveis ao custo do ativo que devem ser ativados
  • Ativo imobilizado. CPC 27. Introdução
  • Ativo imobilizado. CPC 27. O que integra o custo de aquisição do imobilizado
  • Ativo imobilizado. CPC 27. Provisão para perdas para desvalorização de ativos
  • Ativo imobilizado. CPC 27. Reconhecimento dos ativos imobilizados
  • Ativo imobilizado. CPC 27. Testes
  • Ativo intangível. CPC 04R1
  • Ativo intangível. CPC 04R1. Aspectos relevantes na divulgação de ativos intangíveis nas demonstrações contábeis
  • Ativo intangível. CPC 04R1. Controle do ativo intangível e avaliação da probabilidade de geração de benefícios econômicos futuros
  • Ativo intangível. CPC 04R1. Definições contidas no CPC 04 do comitê de pronunciamentos contábeis
  • Ativo intangível. CPC 04R1. Exemplo de nota explicativa
  • Ativo intangível. CPC 04R1. Exemplos de gastos com a aquisição, o desenvolvimento, a manutenção e o aprimoramento de recursos intangíveis
  • Ativo intangível. CPC 04R1. Informações que devem ser divulgadas
  • Ativo intangível. CPC04R1. Introdução
  • Ativo intangível. CPC 04R1. Normasinternacionais contábeis sobre ativos intangíveis
  • Ativo intangível. CPC 04R1. Testes
  • Ativo intangível. CPC 04R1. Vida útil e amortização do ativo intangível
  • Ativo intangível. Exemplosde ativos intangíveis
  • Ativo intangível. Exemplos de ativos intangíveis. Concessões de serviços públicos
  • Ativo intangível. Exemplos de ativos intangíveis.Copyright adquirido que tem vida legal remanescente de 30 anos
  • Ativo intangível. Exemplos de ativos intangíveis. Licença de transmissão (broadcasting) adquirida que expira após cinco anos
  • Ativo intangível. Exemplos de ativos intangíveis. Lista de clientes adquirida
  • Ativo intangível. Exemplos de ativos intangíveis. Marca comercial adquirida usada para identificar e distinguir um produto de consumo que tem sido líder de mercado nos últimos oito anos
  • Avaliação das contas do ativo, passivo e do patrimônio líquido. CPC 26 R1

B

  • Balancetes e balançopatrimonial. CPC 00
  • Balancetes
  • Balancetes. Caso prático de apuração de balancete
  • Balancetes. Introdução
  • Balanço patrimonial
  • Balanço patrimonial. Balancetese balanço patrimonial. CPC 00
  • Balanço patrimonial. Capital circulante ou capital de giro
  • Balanço patrimonial. Caso prático de um balanço patrimonial, apresentado em milhares de reais em forma comparativa
  • Balanço patrimonial. Definição

C

  • Campo de aplicação da contabilidade
  • Caso prático de apuração do custodos produtos vendidos e contabilização das vendas
  • Caso prático de contabilização do fluxo da movimentação dos estoques
  • Conceito de custos de transformação
  • Conjunto das demonstraçõescontábeis obrigatórias
  • Conselho Federal de Contabilidade. Formalidades da escrituração contábil de acordo com o Conselho Federal de Contabilidade
  • Contabilidade internacional. Órgão regulador da contabilidade internacional. IASC
  • Contabilidade no Brasil. Órgãos reguladores e normatizadores da contabilidade no Brasil
  • Contabilidade. Campo de aplicação da contabilidade
  • Contabilidade. Definição de contabilidade
  • Contabilidade.Objetivo
  • Contabilização das compras de matérias-primas, materiais de embalagem e materiais auxiliares da produção: impostos recuperáveis ICMS e IPI
  • Contabilização das compras de matérias-primas, materiais de embalagem e materiais auxiliares da produção: impostos recuperáveis ICMS e IPI. Composição dos custos das compras: CPC 16
  • Contabilização das compras de matérias-primas, materiais de embalagem e materiais auxiliares da produção: impostos recuperáveis ICMS e IPI. Impostos recuperáveis. IPI e ICMS
  • Contabilização das despesas financeiras na compra de matérias-primas, materiais de embalagem e auxiliares da produção
  • Contabilização do fluxo da movimentação dos estoques. Caso prático
  • Contabilização do fluxo da movimentação dos estoques. Caso prático. Caso prático de contabilização dos gastos com a produção
  • Contabilização do fluxo da movimentação dos estoques. Caso prático. Compra de matérias-primas
  • Contabilização do fluxo da movimentação dos estoques. Caso prático. Contabilização da depreciação dos bens utilizados pela fábrica
  • Contabilização do fluxo da movimentação dos estoques. Caso prático. Contabilização das transferências de matérias-primas para a produção
  • Contabilização do fluxo da movimentação dos estoques. Caso prático. Contabilização dos demais gastos da fábrica
  • Contabilização do fluxo da movimentação dos estoques. Caso prático. Contabilização dos gastos com a mão-de-obra e encargos sociais durante o mês
  • Contabilização do fluxo da movimentação dos estoques. Caso prático. Fases da movimentação dos estoques em uma empresa industrial
  • Contabilização do fluxo da movimentação dos estoques. Caso prático. Produtos em elaboração, produção em andamento ou produtos semielaborados
  • Contabilização do fluxo da movimentação dos estoques. Caso prático. Transferência para a conta de produtos acabados
  • Contabilização dos adiantamentos recebidos de clientes para futura entrega de mercadorias
  • Contribuição social. Utilização de livros auxiliares para a apuração do imposto de renda e da contribuição social sobre o lucro
  • Contribuição. Margemde contribuição
  • CPC 00. Aspectos do pronunciamento CPC 00 relacionados com o balanço patrimonial e características dos ativos e passivos
  • CPC 00. Aspectos do pronunciamento CPC 00. Benefício futuro de um ativo
  • CPC 00. Aspectos do pronunciamento CPC 00. Características de um item do passivo
  • CPC 00. Aspectos do pronunciamento CPC 00. Confiabilidade da mensuração
  • CPC 00. Aspectos do pronunciamento CPC 00. Patrimônio líquido
  • CPC 00. Aspectos do pronunciamento CPC 00. Probabilidade de realização de benefício econômico futuro
  • CPC 00. Balancetes e balanço patrimonial. Ativos móveis e imóveis
  • CPC 00. Balancetes e balanço patrimonial. Bens tangíveis e intangíveis
  • CPC 00. Balancetes e balanço patrimonial. Bens
  • CPC 00. Balancetes e balanço patrimonial. Características dos itens do ativo
  • CPC 00. Balancetes e balanço patrimonial. Características dos passivos
  • CPC 00. Balancetes e balanço patrimonial. Condições para o reconhecimento contábil
  • CPC 00. Balancetes e balanço patrimonial. Contas do patrimônio líquido
  • CPC 00. Balancetes e balanço patrimonial. Direitos
  • CPC 00. Balancetes e balanço patrimonial. Dívidas ou exigibilidades com vencimento determinado
  • CPC 00. Balancetes e balanço patrimonial. Dívidas ou exigibilidades com vencimento indeterminado
  • CPC 00. Balancetes e balanço patrimonial. Testes
  • CPC 00. Balancetes ebalanço patrimonial.
  • CPC 01R1.Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment)
  • CPC 03R2. Demonstraçãodos fluxos de caixa
  • CPC 04. Ativos intangíveis: orientações e interpretações do comitê de pronunciamentos contábeis
  • CPC 04R1. Ativointangível
  • CPC 16. Custos de transformação conforme item 12 do CPC 16
  • CPC 16R1. Custeio dos estoques, apuração do custo dos produtos vendidos e demonstração dos saldos do IPI e ICMS a recolher nas empresas industriais
  • CPC 16R1. Estoques: Empresas Comerciais.
  • CPC 25. Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas doativo, passivo e do patrimônio líquido. Ativo circulante e não circulante
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas doativo, passivo e do patrimônio líquido. Capital circulante ou capital de giro
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas doativo, passivo e do patrimônio líquido. Critérios para classificação de itens do ativo e passivo circulante e não circulante
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas doativo, passivo e do patrimônio líquido. Detalhes da composição de alguns itens do ativo
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas doativo, passivo e do patrimônio líquido. Detalhes da composição de alguns itens do patrimônio líquido
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas doativo, passivo e do patrimônio líquido. Informações a serem apresentadas no próprio balanço patrimonial
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas doativo, passivo e do patrimônio líquido. Mensuração dos elementos das demonstrações contábeis
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas doativo, passivo e do patrimônio líquido. Notas explicativas
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas doativo, passivo e do patrimônio líquido. Passivo a descoberto
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas doativo, passivo e do patrimônio líquido. Passivo circulante e não circulante
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas doativo, passivo e do patrimônio líquido. Segregação entre circulante e não circulante
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas doativo, passivo e do patrimônio líquido. Testes
  • CPC 26 R1. Avaliação das contas do ativo, passivo e do patrimônio líquido.
  • CPC 27. Ativoimobilizado
  • CPC 30. DRE: Demonstração doResultado do Exercício
  • Custeio dos estoques, apuração do custo dos produtos vendidos e demonstração dos saldos do IPI e ICMS a recolher nas empresas industriais. CPC 16R1
  • Custeio dos estoques, apuração do custo dos produtos vendidos e demonstração dos saldos do IPI e ICMS a recolher nas empresas industriais. CPC 16R1. Introdução
  • Custeio dos estoques, apuração do custo dos produtos vendidos e demonstração dos saldos do IPI e ICMS a recolher nas empresas industriais. CPC 16R1. Testes
  • Custo-padrão
  • Custo. Custeio dos estoques, apuração do custo dos produtos vendidos e demonstração dos saldos do IPI e ICMS a recolher nas empresas industriais. CPC 16R1
  • Custos de produção que devem ser reconhecidos como despesa
  • Custos de transformação conforme item 12 do CPC 16
  • Custos de transformação. Conceito
  • Custos fixos, custos variáveis e margem de contribuição de cada produto
  • Custos indiretos fixos
  • Custos indiretos fixos. Rateio
  • Custos indiretos variáveis
  • Custos totais de produção

D

  • Definição decontabilidade
  • Definições do CPC16. Estoques
  • Demonstrações contábeis. Responsabilidade pela preparação e apresentação das demonstrações contábeis
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC 03R2
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC03R2. Atividades operacionais de investimentos e de financiamentos
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC 03R2. Caso prático de demonstração do fluxo de caixa. Método direto e indireto
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC 03R2. Divulgações, conforme o CPC 03
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC 03R2. Elaboração do fluxo de caixa pelo método indireto
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC03R2. Equivalentes ao caixa
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC 03R2. Estrutura da demonstração dos fluxos de caixa
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC 03R2. Integração e relação entre o balanço patrimonial, a demonstração do resultado e o fluxo de caixa
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC 03R2. Introdução
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC 03R2. Métodos para a elaboração do fluxo de caixa
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC 03R2. O que se entende por fluxos de caixa, conforme o CPC 03
  • Demonstração dos fluxos de caixa.CPC 03R2. Obrigatoriedade
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC 03R2. Testes
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC 03R2. Transações que não envolvem caixa ou equivalente de caixa
  • Demonstração dos fluxos de caixa. CPC 03R2. Vantagens do uso do fluxo de caixa como instrumento de controle gerencial
  • Demonstrações contábeis obrigatórias e notas explicativas
  • Demonstrações contábeis. Conjunto das demonstrações contábeis obrigatórias
  • Demonstrações contábeis. Identificação
  • Depreciação
  • Depreciação. Contabilização da depreciação
  • Depreciação. Métodosde depreciação
  • Depreciação. O queé depreciação
  • Depreciação. Taxas de depreciação acelerada
  • Depreciação. Taxas de depreciação
  • Depreciação. Valor depreciávele período dedepreciação
  • Diretoria. Relatórios e comentários da diretoria
  • Dispositivos legais, tributários e societários
  • DRE. Finalidadeda DRE
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Apuração do custo das mercadorias vendidas e do lucro bruto nas empresas comerciais
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Apuração do custo das mercadorias vendidas através de inventários periódicos
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Apuração do custo das mercadorias vendidas através de inventários permanentes
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Apuração do custo das mercadorias vendidas e do lucro bruto nas empresas industriais
  • DRE: Demonstração do Resultado doExercício. CPC 30. Apuração do lucro Bruto
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Casos práticos de apuração do lucro bruto em uma empresa comercial
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Custo das mercadorias vendidas
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Definição do CPC 30 para as receitas
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Descontos incondicionais concedidos
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Despesas
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Divulgação das práticas contábeis adotadas para reconhecimento das receitas
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Fatos modificativos do patrimônio líquido: receitas e despesas
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Introdução
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Modelo de demonstração do resultado do exercício em uma empresa industrial
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Momento de reconhecimento das receitas com vendas
  • DRE: Demonstração do Resultado doExercício. CPC 30. Outras receitas operacionais e não-operacionais
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Receitas brutas
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Receitas líquidas
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Receitas operacionais
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Sistema de inventários permanentes
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Testes
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Vendas canceladas
  • DRE: Demonstração do Resultado do Exercício. CPC 30. Vendidas e apuração do lucro bruto

E

  • Empresas industriais
  • Escrituração contábil. Formalidades da escrituração contábil de acordo com o Conselho Federal de Contabilidade
  • Estoque. Custeio dos estoques, apuração do custo dos produtos vendidos e demonstração dos saldos do IPI e ICMS a recolher nas empresas industriais. CPC 16R1
  • Estoque. Normas tributárias e societárias para a avaliação dos estoques e inventário físico
  • Estoques: empresas comerciais. CPC 16R1
  • Estoques: empresas comerciais. CPC 16R1. Exigências da legislação societária e do imposto de renda
  • Estoques: empresas comerciais. CPC 16R1. Introdução
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Ajustes ao valor realizável líquido e as normas internacionais de contabilidade
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Apuração do custo das mercadorias vendidas
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Contabilização dos juros sobre compras a prazo
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Controles internos relacionados com as compras, estocagem e movimentação das mercadorias
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Critérios de avaliação dos estoques: preço médio ponderado, PEPS, UEPS e o método do varejo
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Divulgação em notas explicativas às demonstrações contábeis das informações relacionadas com os estoques
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Fornecedores para a futura entrega de mercadorias
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Gastos que integram o custo das compras de mercadorias
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Impostos recuperáveis: ICMS nas empresas comerciais
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Preço (custo) médio ponderado utilizando o método: preço (custo) médio ponderado
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Supondo a existência do inventário permanente
  • Estoques: Empresas Comerciais. Definições do CPC 16. Supondo a inexistência do inventário permanente
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Valor do preço de aquisição (custo) ou valor de realização, dos dois o menor e a contabilização da provisãoretificadora
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Valorização e contabilização das compras de mercadorias para revenda
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Estoques
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Exigências da legislação tributária
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Inventário físico dos estoques
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Inventário periódico
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Inventário permanente
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Método do preço de venda a varejo
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Momento da transmissão da propriedade
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Primeiro a entrar, primeiro a sair. PEPS
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Reconhecimento como despesa no resultado
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Testes
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Tipos de inventários
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Último a entrar, primeiro a sair. UEPS
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Valor justo
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Valor realizável líquido
  • Estoques: empresas comerciais. Definições do CPC 16. Valoração de estoques

F

  • Fair value. Valor justo ou fair value
  • Finalidade da DRE
  • Formalidades da escrituração contábil de acordo com o Conselho Federal de Contabilidade

G

  • Gabarito de respostas
  • Geração de relatórios. Processo de informação contábil, geração de relatórios e prestação de contas

I

  • IASC. Órgão regulador da contabilidade internacional
  • Identificação das demonstrações contábeis
  • Impairment. Valor recuperável dos ativos (impairment)
  • Imposto de renda. Utilização de livros auxiliares para a apuração do imposto de renda e da contribuição social sobre o lucro
  • Informação contábil. Processo de informação contábil, geração de relatórios e prestação de contas
  • Informação contábil. Usuáriosdas informações contábeis
  • Introdução
  • Introdução. Aspectos introdutórios
  • Inventário físico. Normastributárias e societárias para a avaliação dos estoques e inventário físico

L

  • Lei. Dispositivos legais, tributários e societários
  • Livros auxiliares. Utilização de livros auxiliares para a apuração do imposto de renda e da contribuição social sobre o lucro
  • Lucro bruto. Apuração do lucro bruto nas vendas das mercadorias e dos saldos dos impostos a recolher
  • Lucro bruto. Apuração do lucro bruto

M

  • Margem de contribuição

N

  • Norma. Órgãos reguladores e normatizadores da contabilidade no Brasil
  • Normas tributárias e societárias paraa avaliação dos estoques e inventário físico
  • Normas tributárias e societárias paraa avaliação dos estoques e inventário físico. Avaliaçãodos estoques
  • Normas tributárias e societárias paraa avaliação dos estoques e inventário físico. Custeio por absorção
  • Normas tributárias e societárias paraa avaliação dos estoques e inventário físico. Inventário físico
  • Normas tributárias e societárias paraa avaliação dos estoques e inventário físico. Sistema de custos integradoe coordenado com a contabilidade
  • Notas explicativas. Demonstrações contábeis obrigatórias e notas explicativas

O

  • Objetivo da contabilidade
  • Órgão regulador da contabilidade internacional. IASC
  • Órgãos reguladores e normatizadores da contabilidade no Brasil

P

  • Práticas contábeis brasileiras
  • Práticas contábeis brasileiras. CPC 00, 23 e 26
  • Práticas contábeis brasileiras. CPC 00, 23 e 26. Características qualitativas das demonstrações contábeis
  • Práticas contábeis brasileiras. CPC00, 23 e 26. Comparabilidade
  • Práticas contábeis brasileiras. CPC 00, 23 e 26. Compreensibilidade
  • Práticas contábeis brasileiras. CPC00, 23 e 26. Confiabilidade
  • Práticas contábeis brasileiras. CPC 00, 23 e 26. Continuidade
  • Práticas contábeis brasileiras. CPC 00, 23 e 26. Introdução
  • Práticas contábeis brasileiras. CPC 00,23 e 26. Leis societárias e tributárias e seus efeitos na contabilidade
  • Práticas contábeis brasileiras. CPC 00, 23 e 26. Pressupostos básicos e características qualitativas dasdemonstrações contábeis
  • Práticas contábeis brasileiras. CPC 00,23 e 26. Pressupostos básicos
  • Práticas contábeis brasileiras. CPC 00,23 e 26. Regime de competência
  • Práticas contábeis brasileiras. CPC 00, 23 e 26. Relevância
  • Práticas contábeis brasileiras.CPC 00, 23 e 26. Testes
  • Prestação de contas. Processo de informação contábil, geração de relatórios e prestação de contas
  • Processo de informação contábil, geração de relatórios e prestação de contas
  • Produção simultânea de mais de um produto
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Avaliação do fator de risco das provisões e passivos contingentes e o tratamento contábil
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Diferença entre provisões e contas a pagar derivadas de apropriações por competência
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Diferenças entre provisões e contas a pagar
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Diferenças entre provisões e contas retificadoras de ativos
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Divulgação das provisões em notas explicativas às demonstrações contábeis
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Exemplos de tratamento a ser dado envolvendo contingências passivas
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Exemplos de tratamento a ser dado envolvendo contingências passivas. Garantias
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Exemplos de tratamento a ser dado envolvendo contingências passivas. Danos ambientais
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Exemplos de tratamento a ser dado envolvendo contingências passivas. Tributos
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Exemplos de tratamento a ser dado envolvendo contingências passivas. Contratos onerosos
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Processo de decisão quanto à contabilização ou não da contingência
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Uso de estimativas para a mensuração
  • Provisões, passivos contingentes eativos contingentes. CPC 25
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Contingência ativa
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Introdução
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Perda possível
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Perda provável
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Perda remota
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. CPC 25. Testes
  • Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes. Definições

R

  • Rateio dos custos indiretos fixos
  • Regulação. Órgãos reguladores e normatizadores da contabilidade no Brasil
  • Relatórios e comentários da diretoria
  • Responsabilidade pela preparação eapresentação das demonstrações contábeis
  • Respostas. Gabarito de respostas

S

  • Sociedade. Dispositivos legais,tributários e societários

T

  • Tributo. Dispositivos legais,tributários e societários
  • Tributos. Custeio dos estoques, apuração do custo dos produtos vendidos e demonstração dos saldos do IPI e ICMS a recolher nas empresas industriais. CPC 16R1

U

  • Usuários das informações contábeis
  • Utilização de livros auxiliares para a apuração do imposto de renda e da contribuição social sobre o lucro

V

  • Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment). CPC 01R1
  • Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment). CPC 01R1. Ativos que estão sujeitos ao teste do valor recuperável
  • Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment). CPC 01R1. CPC 01: pronunciamento do comitê contábil. Redução ao valor recuperável de ativos
  • Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment). CPC 01R1. Definições do CPC 01: pronunciamento do comitê contábil. Redução ao valor recuperável de ativos
  • Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment). CPC 01R1. Determinação dos fluxos de caixa futuros
  • Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment). CPC 01R1. Divulgações exigidas sobre a aplicação do teste deimpairment Pelo CPC 01
  • Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment). CPC 01R1. Introdução
  • Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment). CPC 01R1. Outros aspectos relevantes do CPC 01: pronunciamento do comitê contábil. Redução ao valorrecuperável de ativos
  • Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment). CPC 01R1. Periodicidade e identificação de um ativo que pode estar desvalorizado
  • Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment). CPC 01R1. Procedimentos para os testes do impairment
  • Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment). CPC 01R1. Quando os ativos devem ser testados para fins de impairment: fontes externas e internas de informações
  • Valor justo (fair value) e valor recuperável dos ativos (impairment). CPC 01R1. Testes
  • Valor justo (fair value)
  • Valor justo ou fair value
  • Valor justo. Método para determinação do valor justo
  • Valor recuperável dos ativos (impairment)

Recomendações

Capa do livro: História da Contabilidade & Finanças, Rodrigo Antonio Chaves da Silva

História da Contabilidade & Finanças

 Rodrigo Antonio Chaves da SilvaISBN: 978853624762-5Páginas: 194Publicado em: 04/08/2014

Versão impressa

R$ 59,90Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Demonstrações Contábeis e Financeiras - Aspectos Essenciais à Luz dos Novos Padrões de Contabilidade, Wilson Alberto Zappa Hoog

Demonstrações Contábeis e Financeiras - Aspectos Essenciais à Luz dos Novos Padrões de Contabilidade

4ª Edição - Revista e AtualizadaWilson Alberto Zappa HoogISBN: 978853625209-4Páginas: 158Publicado em: 16/06/2015

Versão impressa

R$ 49,90Adicionar ao
carrinho
Versão impressa
+ eBook grátis

Na compra da versão impressa, a versão digital é brinde!


Versão digital

R$ 34,70Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Moderno Dicionário Contábil da Retaguarda à Vanguarda - Contém os Conceitos das IFRS, Organizador: Wilson Alberto Zappa Hoog

Moderno Dicionário Contábil da Retaguarda à Vanguarda - Contém os Conceitos das IFRS

9ª Edição - Revista e Atualizada de Acordo com o Novo CPCOrganizador: Wilson Alberto Zappa HoogISBN: 978853625945-1Páginas: 498Publicado em: 01/07/2016

Versão impressa

R$ 149,90Adicionar ao
carrinho
Versão impressa
+ eBook grátis

Na compra da versão impressa, a versão digital é brinde!


Versão digital

R$ 104,70Adicionar ao
carrinho