Manual Sintético da Bioética - O Agir da Vida

Marculino Camargo

Leia na Biblioteca Virtual
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Marculino Camargo
ISBN: 978853624375-7
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 130
Publicado em: 30/09/2013
Área(s): Filosofia
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

A palavra "Bioética" foi cunhada pela primeira vez pelo cientista alemão Fritz (1927) significando o respeito a cada ser vivo como um fim em si mesmo; porém só começou a ser usada largamente quando em 1970, Van Potter, médico norte-americano a propôs como ciência da sobrevivência humana. A partir daí surgiram enciclopédias, mestrados e doutorados em Bioética. Existem vários conceitos a respeito do tema conforme a antropologia e a cosmologia de quem os formula. Porém sua preocupação básica é com a VIDA, com formulações de princípios, valores e normas não só para protegê-la, mas principalmente para fomentá-la numa articulação entre suas diferentes manifestações. Neste livro opta-se por uma fundamentação filosófica como razão última do comportamento diante dos desafios propostos pelas várias ciências, principalmente na área da saúde.

AUTOR(ES)

Marculino Camargo
Possui Graduação e Licenciatura em Filosofia pela Organização Mogiana de Educação e Cultura e em Teologia pela Pontífice Universidade Gregoriana de Roma, de Orientação Educacional pela Universidade Passo Fundo (RS). Foi professor de Ética durante quarenta anos em várias instituições de ensino, dentre as quais se destacam a FAE em Curitiba e a "São Camilo" em São Paulo. É autor dos seguintes livros: "Ética, Vida e Saúde"- "Valores da Existência Humana" - "Fundamentos de Ética Geral e Profissional"- "Filosofia do Conhecimento e Ensino e Aprendizagem"- "Ética na Empresa".

SUMÁRIO

PRIMEIRA PARTE CONCEITOS BÁSICOS DE BIOÉTICA

I CONCEITO DE BIOÉTICA

1 Definição

2 Estudo

3 Estudo Filosófico

4 Realização Concreta

5 A Vida

6 Dever

7 Em Função Daquilo que Ela É

8 O Conhecimento Ético

9 Outras Fontes do Conceito Ético

10 Conclusão

II OUTROS CONCEITOS DE BIOÉTICA

1 Definição Etimológica

2 Ética do Consenso

3 Ética da Dignidade

4 Ética Aplicada

5 Ética da Enciclopédia

6 Ética da Permissão e do Respeito ou Contratualista

7 Bioética Prática ou o Utilitarismo Preferencial

8 Bioética Fenomenológica

9 Bioética Feminista

10 Bioética Religiosa

11 Conclusão

III A VIDA

1 O Vitalismo

2 Mecanismo

3 Valores da Vida

IV A VIDA HUMANA

1 Noção de Vida Humana

2 O Início da Vida Humana

3 Definições de Pessoa

4 Elementos da Natureza da Pessoa Humana

V BIOÉTICA PRINCIPIALISTA

1 Autonomia

2 Beneficência

3 A Não Maleficência

4 A Justiça

5 Críticas a Estes Princípios

VI OUTROS PRINCÍPIOS DE BIOÉTICA

1 Vida, Dom divino

2 Santidade da Vida

3 Integridade da pessoa

4 A Totalidade

5 Qualidade de Vida

6 Defesa da Vida Física

7 A Liberdade e a Responsabilidade

8 A Socialidade e a Subsidiaredade

9 Sentido de Sofrimento

10 Meios Ordinários e Extraordinários

11 O Princípio de Duplo Efeito

12 A Ecologia

13 Conclusão

VII BIOÉTICA E CIÊNCIA

1 Noções de Ciência

2 Origens da Ciência

3 Características da Ciência

4 Bioética e Ciência

VIII A CONSCIÊNCIA E A BIOÉTICA

1 Noção

2 Formação do Espírito Crítico

3 As Leis da Consciência

4 Natureza da Consciência

5 A Infraestrutura da Consciência

6 Conflitos da Consciência

7 Conclusão

REFERÊNCIAS

SEGUNDA PARTE A BIOÉTICA E A MORTE

I EUTANÁSIA

1 Noção

2 A Eutanásia Positiva; Argumentos (VARGA, 1990)

3 A Eutanásia Negativa

4 Conclusões

II DISTANÁSIA

1 Noção

2 Pressupostos Mentais

3 O Conceito de Tratamento Fútil

4 O Tratamento Fútil e o Bem do Paciente

5 Critérios de Tratamento Fútil (PESSINI, 2001)

6 Diretrizes para a Definição de um Tratamento Fútil

7 Paradigmas da Medicina e Distanásia

III A MISTANÁSIA

1 Noção

2 Causas da Mistanásia

3 Situações que Produzem a Mistanásia (NOGUEIRA, 1995)

4 Estatísticas da Mistanásia

IV ORTOTANÁSIA

1 Noção

2 Pressupostos Mentais

3 Paradigmas da Medicina e Ortotanásia

4 Os Cuidados Paliativos

5 O Paradigma de Cuidar

V A MORTE

1 Definição de Morte

2 Características (MONDIN, 1980)

3 Verdades Metafísicas (MONDIN, 1980)

4 A Morte como Falecimento (ABBAGNANO, 2000)

5 A Morte como Início de um Ciclo de Vida: a Imortalidade

6 A Morte como Fim do Ciclo da Vida (ABBAGNANO, 2000)

7 A Morte como Possibilidade Sempre Presente na Vida Humana, Capaz de Determinar as Características Fundamentais Desta (ABBAGNANO, 2000)

8 A Morte no Atual Contexto Social (LEPARGNEUR, 1976)

REFERÊNCIAS

EPÍLOGO

ÍNDICE ALFABÉTICO

B

  • Bioética e ciência
  • Bioética feminista
  • Bioética fenomenológica
  • Bioética prática ou o utilitarismo preferencial
  • Bioética principialista
  • Bioética principialista. Autonomia
  • Bioética principialista. Beneficência
  • Bioética principialista. Críticas a estes princípios
  • Bioética principialista. Justiça
  • Bioética principialista. Não maleficência
  • Bioética religiosa
  • Bioética. Conceito
  • Bioética. Conclusão
  • Bioética. Conhecimento ético
  • Bioética. Consciência e a bioética
  • Bioética. Definição .
  • Bioética. Dever
  • Bioética. Em função daquilo que ela é
  • Bioética. Estudo filosófico
  • Bioética. Estudo
  • Bioética. Outras fontes do conceito ético
  • Bioética. Outros conceitos de bioética
  • Bioética. Outros conceitos. Conclusão
  • Bioética. Outros princípios de bioética
  • Bioética. Outros princípios. Conclusão
  • Bioética. Realização concreta .
  • Bioética. Vida

C

  • Ciência e bioética
  • Ciência. Bioética e ciência
  • Ciência. Características da ciência
  • Ciência. Noções de ciência
  • Ciência. Origens da ciência
  • Conceito de bioética
  • Conhecimento ético
  • Consciência e a bioética
  • Consciência e a bioética. Conclusão
  • Consciência e a bioética. Conflitos da consciência
  • Consciência e a bioética. Formação do espírito crítico
  • Consciência e a bioética. Infraestrutura da consciência
  • Consciência e a bioética. Leis da consciência
  • Consciência e a bioética. Natureza da consciência
  • Consciência e a bioética. Noção
  • Consenso. Ética do consenso .
  • Contratualista. Ética da permissão e do respeito ou contratualista

D

  • Defesa da vida física. Bioética. Outros princípios
  • Dignidade. Ética da dignidade .
  • Distanásia
  • Distanásia. Conceito de tratamento fútil
  • Distanásia. Critérios de tratamento fútil (PESSINI, 2001)
  • Distanásia. Diretrizes para a definição de um tratamento fútil
  • Distanásia. Noção
  • Distanásia. Paradigmas da medicina e distanásia
  • Distanásia. Pressupostos mentais
  • Distanásia. Tratamento fútil e o bem do paciente

E

  • Ecologia. Bioética. Outros princípios
  • Elementos da natureza da pessoa humana .
  • Enciclopédia. Ética da enciclopédia
  • Epílogo .
  • Ética aplicada .
  • Ética da dignidade .
  • Ética da enciclopédia .
  • Ética da permissão e do respeito ou contratualist a
  • Ética do consenso.
  • Ética. Conhecimento ético .
  • Etimologia. Definição etimológica .
  • Eutanásia negativa
  • Eutanásia positiva; argumentos (VARGA, 1990)
  • Eutanásia
  • Eutanásia. Conclusões
  • Eutanásia. Noção

F

  • Feminismo. Bioética feminista
  • Fenomenologia. Bioética fenomenológica

I

  • Integridade da pessoa. Bioética. Outros princípios

L

  • Liberdade e a responsabilidade. Bioética. Outrosprincípios

M

  • Meios ordinários e extraordinários. Bioética. Outros princípios
  • Mistanásia
  • Mistanásia. Causas da mistanásia
  • Mistanásia. Estatísticas da mistanásia
  • Mistanásia. Noção
  • Mistanásia. Situações que produzem a mistanásia ( NOGUEIRA, 1995)
  • Morte como falecimento (Abbagnano, 2000) .
  • Morte como fim do ciclo da vida (Abbagnani, 2000)
  • Morte como início de um ciclo de vida: a imortali dade
  • Morte como possibilidade sempre presente na vida humana, capaz de determinar as características fundamentais desta (Abbagnano, 2000)
  • Morte no atual contexto social (Lepargneur, 1976)
  • Morte .
  • Morte. Características (Mondin, 1980) .
  • Morte. Definição de morte .
  • Morte. Verdades metafísicas (Mondin, 1980) .

O

  • Ortotanásia
  • Ortotanásia. Cuidados paliativos
  • Ortotanásia. Noção
  • Ortotanásia. Paradigma de cuidar
  • Ortotanásia. Paradigmas da medicina e ortotanásia
  • Ortotanásia. Pressupostos mentais

P

  • Parte I. Referências
  • Parte II. Referências
  • Permissão. Ética da permissão e do respeito ou co ntratualista
  • Pessoa humana. Elementos da natureza da pessoa hu mana
  • Pessoa. Definições de pessoa .
  • Principialista. Bioética principialista
  • Princípio de duplo efeito. Bioética. Outros princípios
  • Princípio. Defesa da vida física .
  • Princípio. Ecologia .
  • Princípio. Integridade da pessoa .
  • Princípio. Liberdade e a responsabilidade .
  • Princípio. Meios ordinários e extraordinários
  • Princípio. Outros princípios de bioética
  • Princípio. Princípio de duplo efeito .
  • Princípio. Qualidade de vida .
  • Princípio. Santidade da vida .
  • Princípio. Sentido de sofrimento .
  • Princípio. Socialidade e a subsidiaredade .
  • Princípio. Totalidade .

Q

  • Qualidade de vida. Bioética. Outros princípios

R

  • Religião. Bioética religiosa
  • Respeito. Ética da permissão e do respeito ou con tratualista

S

  • Santidade da Vida. Bioética. Outros princípios
  • Socialidade e a subsidiariedade. Bioética. Outros princípios
  • Sofrimento. Sentido de sofrimento. Bioética. Outros princípios

T

  • Totalidade. Bioética. Outros princípios

U

  • Utilitarismo preferencial. Bioética prática ou utilitarismo preferencial

V

  • Vida humana .
  • Vida humana. Início da vida humana .
  • Vida humana. Noção .
  • Vida, Dom divino. Bioética. Outros princípios
  • Vida .
  • Vida. Mecanismo .
  • Vida. Valores da vida .
  • Vitalismo .
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: