Normas Internacionais e Fraudes em Contabilidade - Análise Crítica Introdutiva Geral e Específica - 2ª Edição

Antônio Lopes de Sá - Revista e Atualizada por Wilson Alberto Zappa Hogg

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Antônio Lopes de Sá - Revista e Atualizada por Wilson Alberto Zappa Hogg
ISBN: 978853624655-0
Edição/Tiragem: 2ª Edição
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 258
Publicado em: 08/05/2014
Área(s): Contabilidade Geral Aplicada
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

“Esta obra oferece primeiras considerações críticas ao que se tem denominado como ‘Normas Internacionais de Contabilidade’, ou seja, as regras de escrituração e demonstração emitidas por entidades privadas alienígenas e oficialmente reconhecidas pelo poder público.

(...) Trata-se de obra de caráter introdutivo, visando a expor opiniões próprias e de terceiros sobre efeitos causados pelas normas internacionais citando importantes autoridades intelectuais, reconhecidas como expoentes em todo o mundo, com indicação das fontes pertinentes.

Evoca este livro questões contraditórias contidas nas nominadas ‘Normas Internacionais de Contabilidade’, lesões à ciência, transgressões à lei, debilidades didáticas.

Visa o livro, ainda, destacar riscos ao exercício eficaz da profissão contábil em razão da adoção das referidas regras naquilo em que ferem o princípio da prudência”.

O Autor

“Nesta atualização da importante e elevada doutrina estão sendo preservados todos os ensinamentos da mais importante corrente doutrinária, o “neopatrimonialismo”, e as sólidas e clássicas fundamentações do Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá, portanto, as atualizações decorrem apenas de mudanças na legislação, jurisprudência ou semântica”.

Wilson Alberto Zappa Hoog
Atualizador

AUTOR(ES)

Antônio Lopes de Sá
Doutor em Ciências Contábeis pela Universidade do Brasil; doutor em Letras Honoris Causa pela Samuel Benjamin Thomas University, Londres, Inglaterra. Foi administrador, economista e professor universitário. Publicou 176 livros no Brasil e no exterior, bem como mais de 13.000 artigos. Foi vice-presidente da Academia Nacional de Economia e presidente da Academia Brasileira de Ciências Contábeis. Tinha a maior titulação contábil que se atribui a um profissional, oficialmente, no Brasil, a Medalha de Ouro João Lyra, conferida pelo órgão governamental de fiscalização do exercício da profissão, Conselho Federal de Contabilidade. Foi líder da Corrente Científica do Neopatrimonialismo Contábil. Era detentor de diversos prêmios nacionais e internacionais de mérito profissional e literatura científica.

ATUALIZADOR

Wilson Alberto Zappa Hoog
Mestre em Ciência Jurídica; especialista em Avaliação de Sociedades Empresárias; bacharel em Ciências Contábeis. É Perito-contador, auditor, consultor empresarial e palestrante. Professor doutrinador de Perícia Contábil, Direito Contábil e de Empresas em cursos de pós-graduação de várias instituições de ensino. Escritor e pesquisador de matéria contábil. Mentor intelectual do Método Zappa de Avaliação da Carteira de Clientes e do Método Holístico de Avaliação do Fundo Empresarial, antigo Fundo de Comércio, e do Método de Amortização a Juros Simples – MAJS. Sócio-fundador e administrador da Zappa Hoog e Cia SS. Membro da ACIN – Associação Científica Internacional Neopatrimonialista.

SUMÁRIO

PRINCIPAIS ABREVIATURAS USADAS NESTA OBRA

1ª PARTE CRÍTICAS GERAIS ÀS NOMINADAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE

1 - Informação como Instrumento de Poder .

2 - Limite da Obrigatoriedade do Modelo das Normas Internacionais

3 - Questionável Legalidade da Aplicação das IFRS

4 - Regime Legalista e Informação Contábil .

5 - Diferenças de Qualidade entre as Disposições N ormativas no Direito em Relação às Contábeis .

6 - Deturpações Decorrentes de Normas como Pervers o uso da Contabilidade

7 - Regime Bursátil de Informação Contábil

8 - Regime Bursátil e Informação Contábil no Brasil

9 - Inexistência de "Nova Contabilidade" e Riscos D erivados do Regime Normativo

10 - Empirismo Normativo .

11 - Instrumentalismo, Realidade Contábil e Fraudes em Contas

12 - Múltiplas Críticas às Normas do IASB no Eclodir da Catastrófica Crise de 2008

2ª PARTE CRÍTICAS OBJETIVAS AOS TEXTOS DAS NOMINADAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE

13 - Valor Justo e o Princípio da Prudência

14 - Valor Justo e Infidelidade Informativa .

15 - Justiça de Valor, Valor Justo e Crises Financ eiras

16 - Alterações de Valor e Manipulações de Resultados

17 - Normas Contábeis Denominadas Internacionais - Efeitos Políticos e Crise Financeira

18 - Conflitos Conceituais e Essência Patrimonial

19 - Conceitos Questionáveis, Híbridos, Textos Confusos e Falta de Universalidade nas Normas Contábeis (IFRS)

20 - Imperfeições Idiomáticas e Normas Sobre Resultados Abrangentes

21 - Equívoco Conceitual Entre Econômico e Contábil

22 - Controle de Empresas e Questões Normativas Denominadas "Combinação de Negócios" .

23 - Complexa e Discutível Questão do Arrendamento Mercantil

24 - Alisamento de Resultados, Falseamento de Informações e Normas Internacionais de Contabilidade

25 - Ajustes de Valores por Imparidade

26 - Intangíveis e Erros Conceituais nas Normas

27 - O Vultoso Problema dos Derivativos, Calotes e as Nominadas Normas Internacionais

28 - Científico Contábil e o Normativo em Face da Essência e da Forma dos Fatos Patrimoniais

29 - Enfoque Normativo das Imobilizações

REFERÊNCIAS

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • Abreviaturas. Principais abreviaturas usadas nest a obra.
  • Ajustes de valores por imparidade. .
  • Alisamento de resultados, falseamento de informaç ões e normas internacionais de contabilidade.
  • Alterações de valor e manipulações de resultados.
  • Arrendamento mercantil. Complexa e discutível que stão do arrendamento mercantil.

C

  • Calotes. Vultoso problema dos derivativos, calote s e as nominadas normas internacionais.
  • Científico contábil e o normativo em face da essência e da forma dos fatos patrimoniais.
  • Complexa e discutível questão do arrendamento mer cantil.
  • Conceito. Conflitos conceituais e essência patrimonial.
  • Conceito. Equívoco conceitual entre econômico e c ontábil.
  • Conceito. Intangíveis e erros conceituais nas nor mas.
  • Conceitos questionáveis, híbridos, textos confusos e falta de universalidade nas normas contábeis (IFRS).
  • Conflitos conceituais e essência patrimonial.
  • Controle de empresas e questões normativas denomi nadas "combinação de negócios". .
  • Crise financeira. Justiça de valor, valor justo e crises financeiras.
  • Crise financeira. Normas contábeis denominadas internacionais. Efeitos políticos e crise financeira.
  • Críticas gerais às nominadas normas internacionai s de contabilidade.
  • Críticas objetivas aos textos das nominadas norma s internacionais de contabilidade

D

  • Derivativos. Vultoso problema dos derivativos, ca lotes e as nominadas normas internacionais.
  • Deturpações decorrentes de normas como perverso u so da contabilidade.
  • Diferenças de qualidade entre as disposições norm ativas no direito em relação às contábeis. .
  • Direito. Diferenças de qualidade entre as disposi ções normativas no direito em relação às contábeis. .

E

  • Efeitos políticos. Normas contábeis denominadas nternacionais. Efeitos políticos e crise financeira.
  • Empirismo normativo. .
  • Enfoque normativo das imobilizações. .
  • Equívoco conceitual entre econômico e contábil.
  • Essência patrimonial. Conflitos conceituais e essência patrimonial.

F

  • Fatos patrimoniais. Científico contábil e o normativo em face da essência e da forma dos fatos patrimoniais.
  • Forma. Científico contábil e o normativo em faceda essência e da forma dos fatos patrimoniais.
  • Fraude em contas. Instrumentalismo, realidade contábil e fraudes em contas.

I

  • IASB. Múltiplas críticas às normas do IASB no ecl odir da catastrófica crise de 2008.
  • IFRS. Conceitos questionáveis, híbridos, textos confusos e falta de universalidade nas normas contábeis (IFRS).
  • IFRSs. Questionável legalidade da aplicação das IFRSs.
  • Imobilizações. Enfoque normativo das imobilizaçõe s.
  • Imperfeições idiomáticas e normas sobre resultados abrangentes.
  • Inexistência de "Nova Contabilidade" e riscos derivados do regime normativo.
  • Infidelidade normativa. Valor justo e infidelidad e informativa.
  • Informação como instrumento de poder. .
  • Informação contábil. Regime bursátil de informação contábil.
  • Informação contábil. Regime bursátil e informação contábil no Brasil.
  • Informação contábil. Regime legalista e informaçã o contábil.
  • Informação. Alisamento de resultados, falseamento de informações e normas internacionais de contabilidade.
  • Instrumentalismo, realidade contábil e fraudes em contas.
  • Intangíveis e erros conceituais nas normas. .

J

  • Justiça de valor, valor justo e crises financeira s.

L

  • Limite da obrigatoriedade do modelo das normas internacionais.

M

  • Manipulação de resultados. Alterações de valor e manipulações de resultados.
  • Múltiplas críticas às normas do IASB no eclodir d a catastrófica crise de 2008.

N

  • Negócios. Controle de empresas e questões normati vas denominadas "combinação de negócios". .
  • Normas contábeis denominadas internacionais. Efeitos políticos e crise financeira.
  • Normas contábeis. Conceitos questionáveis, híbridos, textos confusos e falta de universalidade nas normas contábeis (IFRS) .
  • Normas internacionais. Alisamento de resultados, falseamento de informações e normas internacionais de contabilidade. .
  • Normas internacionais. Críticas gerais às nominad as normas internacionais de contabilidade.
  • Normas internacionais. Críticas objetivas aos tex tos das nominadas normas internacionais de contabilidade
  • Normas internacionais. Limite da obrigatoriedade do modelo das normas internacionais.
  • Normas internacionais. Vultoso problema dos derivativos, calotes e as nominadas normas internacionais.
  • Normas. Controle de empresas e questões normativa s denominadas "combinação de negócios". .
  • Normas. Deturpações decorrentes de normas como pe rverso uso da contabilidade.
  • Normas. Imperfeições idiomáticas e normas sobre resultados abrangentes.
  • Normas. Intangíveis e erros conceituais nas norma s.
  • Nova contabilidade. Inexistência de "Nova Contabilidade" e riscos derivados do regime normativo.

P

  • Poder. Informação como instrumento de poder. .
  • Principais abreviaturas usadas nesta obra. .
  • Princípio da prudência. Valor justo e o princípio da prudência.

Q

  • Questionável legalidade da aplicação das IFRSs.

R

  • Referências.
  • Regime bursátil de informação contábil.
  • Regime bursátil e informação contábil no Brasil.
  • Regime legalista e informação contábil.
  • Resultado. Alisamento de resultados, falseamento de informações e normas internacionais de contabilidade.
  • Resultados. Alterações de valor e manipulações de resultados.

V

  • Valor justo e infidelidade informativa. .
  • Valor justo e o princípio da prudência.
  • Valores por imparidade. Ajuste. .
  • Vultoso problema dos derivativos, calotes e as no minadas normas internacionais.
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: