Um Motim Há Cem Anos - Crônica Portuense do Século XVIII - Semeando Livros

Arnaldo Gama - Transcrição e Livre Adaptação: Valton Sergio Von Tempski-Silka

Versão impressa

de R$ 149,90*
por R$ 112,43em 4x de R$ 28,11Adicionar ao carrinho

Versão digital

Disponível para:AndroidiOS
de R$ 104,70*
por R$ 78,53em 3x de R$ 26,18Adicionar ao carrinho

* Desconto não cumulativo com outras promoções, incluindo P.A.P. e Cliente Fiel

Ficha técnica

Autor(es): Arnaldo Gama - Transcrição e Livre Adaptação: Valton Sergio Von Tempski-Silka

ISBN v. impressa: 978853624727-4

ISBN v. digital: 978853627043-2

Acabamento: Brochura

Formato: 15,0x21,0 cm

Peso: 610grs.

Número de páginas: 492

Publicado em: 10/07/2014

Área(s): Literatura e Cultura - Diversos

Versão Digital (eBook)

Para leitura em aplicativo exclusivo da Juruá Editora para Smartphones e Tablets rodando iOS e Android. Não compatível KINDLE, LEV, KOBO e outros e-Readers.

Disponível para as plataformas:

  • AndroidAndroid 4 ou posterior
  • iOSiOS 7 ou posterior

Em computadores a leitura é apenas online e sem recursos de favoritos e anotações;
Não permite a impressão e cópia do conteúdo.

Compra apenas via site da Juruá Editora.

Sinopse

Na transcrição de um texto arcaico, a diacronia na evolução de uma língua nos conduz inevitavelmente a introduzir ou suprimir certo número de palavras. A cada frase, parágrafo ou à simples palavra em si, analogias de toda sorte são exigidas, haja  vista que da fonte decorrem a pesquisa das etimologias, assim como os termos de definição e os encadeamentos de sintaxe, as ligações de sinonímia e antonímia, as abreviações ou os neologismos múltiplos com que a simples lógica entrelaça as palavras - transformando a sua ortografia e o seu sentido atual.

Com efeito, distúrbios sociais com movimentação de pessoas reivindicantes de algo que lhes desperta ou lhes dá impulso para saírem às ruas, são atualmente chamados de "protestos", "tumultos" (relativo à lei jurídica no Brasil), "passeatas", "carreatas", "manifestações de rua", "revoltas populares" ou, quando envolvem a depredação de bens públicos ou privados recebem a denominação de "quebra-quebras". Dizemos  atualmente", uma vez que independentemente da época em que estas manifestações sociais explodem, a forma, os meios e os fins permanecem inalterados, a não ser aquelas transformações causadas pelo avanço de tecnologias distintas, como as atuais redes sociais - que tomam o lugar dos encontros, dos movimentos, até mesmo dos protestos, mas que por outro lado, também os geram. Um protesto pode começar numa rede social e transformar-se numa manifestação de rua, criando uma ambiguidade a ser compreendida e enfrentada.

Por outro lado, Um motim há cem anos também nos remete ao romance, às intrigas palacianas das cortes monárquicas e imperiais, aos episódios romanescos no gênero de capa e espada, daí resultando, portanto, a intenção de manter no título original o anacrônico "motim".

Este romance histórico trata exatamente de um movimento popular - também referido como "motim dos taberneiros" - ocorrido na cidade do Porto, Portugal, em 1757 e, ainda que tenha sido um evento  localizado e de muito menor vulto, poderia ter servido como precursor da Revolução Americana iniciada em 1776 pela independência daquele país, que inspirou a ulterior Revolução Francesa, iniciada em 1789.

Autor(es)

Arnaldo de Sousa Dantas da Gama (1828-1869), romancista português, conhecido por Arnaldo Gama, nasceu e morreu na cidade do Porto, Portugal. Formou-se em Direito na Universidade de Coimbra e distinguiu-se, entre os escritores da sua geração, pelo impulso que deu ao romance histórico. Conhecedor da maioria das crônicas e livros antigos, tendo pesquisado em arquivos, com paciência e denodo documentação relevante acerca da vida, usos e costumes do seu país, produzindo uma série de romances históricos. Em 1857 publicou obra em quatro volumes: O Gênio do Mal, extraordinariamente romanesco; em 1861 Um Motim Há Cem Anos, tendo por assunto a revolta contra a Companhia dos Vinhos, enriquecido com uma introdução valiosíssima a respeito do Porto antigo. A este se seguiram outros, como O Segredo do Abade, A Última Dona de S. Nicolau, O Sargento-Mor de Vilar, O Filho do Baldaia, A Caldeira de Pero Botelho, no qual aparece Luiz de Camões nos seus tempos de escolar, e o Balio de Leça. Logo depois da morte do escritor foi publicado o romance O Rei Dinheiro. Publicou também um livro de versos, poesias e contos e outro volume denominado Verdades e Ficções. Como jornalista político, foi, sem dúvida, um dos mais notáveis do seu tempo; fundou o "Jornal do Norte", tendo colaborado, entre outros periódicos, em "A Península", "O Nacional", "O Porto" e a "Carta".

 

Valton Sergio von Tempski-Silka

Desde muito cedo se dedicou ao estudo da música, à leitura e ao estudo de História, Filosofia e Biografias de homens e mulheres representativos. Seu interesse pela História impeliu-o no sentido do  profundamento do estudo e da pesquisa sobre as origens de povos e pessoas. Especializando-se em Genealogia e Heráldica, realizou pesquisas na Europa e Estados Unidos, tendo desenvolvido habilidade na ilustração de escudos de armas e interpretação dos símbolos heráldicos. Complementou seu estudo universitário na universidade de Paris, Panthéon-Sorbonne, nas áreas de História Medieval e Política e Análise Econômica. Diplomado em Francês pela Fundação Pós-universitária Internacional de Paris e Aliança Francesa, traduziu obras sobre Filosofia e História. Publicou através da Juruá o livro Historial da Franco Maçonaria e História & Ancestralidade, e através da Secretaria de Estado da Cultura a obra Histórico dos Brasões e Bandeiras do Estado do Paraná.

Sumário

VOLUME I, p. 13

INTRODUÇÃO, p. 15

CAPÍTULO I, p. 49

CAPÍTULO II, p. 71

CAPÍTULO III, p. 89

CAPÍTULO IV, p. 101

CAPÍTULO V, p. 127

CAPÍTULO VI, p. 155

CAPÍTULO VII, p. 173

CAPÍTULO VIII, p. 185

CAPÍTULO IX, p. 203

CAPÍTULO X, p. 215

CAPÍTULO XI, p. 229

VOLUME II, p. 259

CAPÍTULO XII, p. 261

CAPÍTULO XIII, p. 277

CAPÍTULO XIV, p. 295

CAPÍTULO XV, p. 313

CAPÍTULO XVI, p. 325

CAPÍTULO XVII, p. 345

CAPÍTULO XVIII, p. 367

CAPÍTULO XIX, p. 381

CAPÍTULO XX, p. 395

CAPÍTULO XXI, p. 407

CAPÍTULO XXII, p. 417

CAPÍTULO XXIII, p. 429

CAPÍTULO XXIV, p. 445

FONTES DE CONSULTA, p. 453

NOTAS DO AUTOR, p. 455

SOBRE O AUTOR, p. 491

Recomendações

Capa do livro: Vozes Poéticas do Mundo do Trabalho, Juarez Poletto

Vozes Poéticas do Mundo do Trabalho

 Juarez PolettoISBN: 978853623502-8Páginas: 202Publicado em: 28/09/2011

Versão impressa

de R$ 59,90* porR$ 44,93 Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 40,90* porR$ 30,68 Adicionar eBook
ao carrinho
Capa do livro: Manual Anti-Seqüestro e Assalto, Wilson dos Santos

Manual Anti-Seqüestro e Assalto

 Wilson dos SantosISBN: 853620475-3Páginas: 79Publicado em: 24/07/2003

Versão impressa

de R$ 24,70* porR$ 18,53 Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Entre a Corda e o Nó, Juarez Poletto

Entre a Corda e o Nó

 Juarez PolettoISBN: 978853623149-5Páginas: 130Publicado em: 26/10/2010

Versão impressa

de R$ 39,90* porR$ 29,93 Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Carriola das Flores, Pedro Henrique Leite

Carriola das Flores

 Pedro Henrique LeiteISBN: 978853621742-0Páginas: 164Publicado em: 26/10/2007

Versão impressa

de R$ 49,90* porR$ 37,43 Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 34,70* porR$ 26,03 Adicionar eBook
ao carrinho