O Canto do Uirapuru - Retratos da Vida em Poesia - Semeando Livros

Roseles Bittencourt

Leia na Biblioteca Virtual
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Roseles Bittencourt
ISBN: 978853624792-2
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 108
Publicado em: 28/08/2014
Área(s): Literatura e Cultura - Diversos
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

O CANTO DO UIRAPURU é o terceiro livro de Roseles Bittencourt. Ele completa uma trilogia de crônicas e poesias de ode às aves, grande paixão da autora.

Ela relata algumas passagens de sua vivência, sempre escritas ao som de músicas inspiradoras.

Ao ler o livro o leitor se deliciará nas descrições de locais e situações, especialidade da autora, podendo se inserir dentro do ambiente das histórias e situações contadas. Ao todo são 48 crônicas e 17 poesias.

AUTOR(ES)

Roseles Bittencourt

É uma poeta e cronista curitibana, que depois de se aposentar como professora teve a coragem de se lançar no mundo literário. Começou a publicar seus textos na internet em 2006 e em 2010 criou seu site intitulado A GRALHA AZUL: www.agralhaazul.com. br. Publicou seu primeiro livro Gorjeios de uma Gralha Azul em 2006, o segundo Beijos de um Colibri em 2012, e agora está no seu terceiro livro, O Canto do Uirapuru.

SUMÁRIO

CRÔNICASICAS

Uirapuru

Aquele abraço .

As flores e o tempo

Assobios

A voz que não cantou .

Bateu uma grande saudade

Belas palavras dizem tudo

Com a música

Como a eternidade

Conflitos da alma

Contempla a ti mesmo

Despedida

Diga-me. Quem é você?

E disse o poeta

E ele voltou

Ela

E foi sempre assim

Estar entre as estrelas

Estar longe

Falar das mãos .

Medito na madrugada

Meu até logo

Minhas reflexões .

Misterioso querer bem

Nada sabemos

Nas dobras do tempo

Nossa oração .

Observando o mar

O encontro

Quanta doçura.

Quem somos?

Quero sentir

Reflexões .

Repensando

Roguemos aos céus

Sabe o que é sentir saudades?

Se apagar a luz

Sempre no meu coração.

Se não fossem os telhados .

Ser mulher

Sinos ao longe

Trago na alma

Triste despedida

Um dia escrevi assim

Um sonho que ficou

Vem, pequena guardiã .

Quando tiver vontade

Sim, aprendemos

Se todos fossem iguais

POESIAS

Apenas uma mulher

Ave. Ave. Maria

Bate um coração .

Como uma luz

Divina claridade

Dor silenciosa

Em cada olhar

Em nenhum lugar

Falta de amor

O pensar

Ouça .

Saudades eternas

Ter você

Uma canção .

Voem voem avezinhas

Voo para o infinito

INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: