Regulação Trabalhista na Sociedade Informacional

Ariel Salete de Moraes Junior

Versão impressa

por R$ 67,70em 2x de R$ 33,85Adicionar ao carrinho

Versão digital

Disponível para:AndroidiOS
de R$ 49,90*

* Desconto não cumulativo com outras promoções, incluindo P.A.P. e Cliente Fiel

Ficha técnica

Autor(es): Ariel Salete de Moraes Junior

ISBN v. impressa: 978655605422-3

ISBN v. digital: 978655605550-3

Acabamento: Brochura

Formato: 15,0x21,0 cm

Peso: 186grs.

Número de páginas: 150

Publicado em: 23/03/2021

Área(s): Direito - Trabalho; Internacional

Versão Digital (eBook)

Para leitura em aplicativo exclusivo da Juruá Editora para Smartphones e Tablets rodando iOS e Android. Não compatível KINDLE, LEV, KOBO e outros e-Readers.

Disponível para as plataformas:

  • AndroidAndroid 4 ou posterior
  • iOSiOS 7 ou posterior

Em computadores a leitura é apenas online e sem recursos de favoritos e anotações;
Não permite a impressão e cópia do conteúdo.

Compra apenas via site da Juruá Editora.

Sinopse

A presente obra tem como objetivo geral analisar a regulação trabalhista, investigando o universo que leva à sua construção na sociedade informacional. A sociedade informacional é o modelo de sociedade no qual hoje ocorrem as relações entre capital e trabalho.

Para compreender a sociedade informacional é preciso ter em conta a tecnologia e a informação, pois são ingredientes relevantes para a caracterização desse tipo de sociedade. Nela, o processamento da informação é focado na melhoria da tecnologia, tendo como suporte um novo paradigma tecnológico sustentado na tecnologia da informação. É significativo também que a informação e as novas tecnologias percorram todas as áreas do conhecimento humano, marcando todo o tecido social, de modo que importam na estruturação da regulação trabalhista. Nessa perspectiva, as tecnologias precisam ser consideradas em virtude do ritmo de surgimento, de sorte que, no caminho de concretizar a regulação trabalhista, é necessário ter em conta a velocidade com que as novas tecnologias físicas aparecem.

As novas tecnologias são de duas ordens: as físicas (os inventos: motores etc.) e as sociais (a lei, instituições etc.). O tempo das tecnologias físicas é bem mais rápido do que das tecnologias sociais. Isso resulta num constante desafio quando se pensa em regulação. A velocidade no surgimento de novas tecnologias físicas vai sempre além da capacidade de absorção e adaptação das pessoas, da sociedade e dos Estados. A regulação referente aos dados sensíveis (informação genética) no escopo de uma relação de emprego é exemplo a ser considerado. Por outro lado, a teoria econômica é fator substancial nas escolhas do conteúdo da regulação. A implementação da teoria econômica e as escolhas estão ligadas a questões políticas (de poder), pois é o grupo predominante no aparelho estatal o responsável por elas.

Na sociedade informacional, a teoria econômica que predomina é a neoliberal, sendo esta a forma contemporânea básica do capitalismo. Em razão disso, a regulação trabalhista segue um padrão, o de precarizar. A precarização é o tom encontrado pelo grupo dominante para firmar o princípio da concorrência em toda a sociedade, buscando o efeito da redução dos custos. Essa lógica virou um padrão, um receituário que passou a ser concretizado na regulação interna de vários países, inclusive no Brasil, pois é justamente a lógica da reforma trabalhista recente através das Leis 13.429 e 13.467 de 2017.

A regulação trabalhista, com o neoliberalismo, segue a direção de desconstruir a legislação estabelecida durante o novo liberalismo, cuja melhor elaboração teórica foi conduzida por Keynes. O novo liberalismo praticava o reformismo social, daí a regulação firmando a proteção social. Nessa linha, a legislação foi erguida sob a compreensão de que era necessário regular uma relação assimétrica, e isso permitia a estruturação dessa legislação sob o signo da proteção do trabalhador. Esse cenário conduz à conclusão de que a economia adquiriu um status qualificador. A economia sujeitou o jurídico e a política. Como solução, deve ser considerado retomar o juízo de que a economia serve às pessoas, recuperando o sentido da política, além de proceder-se a um retorno para viabilizar a legislação trabalhista, sob o entendimento de que se deve considerar o coletivo, formas de proteção da sociedade e do trabalhador, como foi observado na época do novo liberalismo.

Autor(es)

ARIEL SALETE DE MORAES JUNIOR

Doutor em Direito Político e Econômico pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP). Mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUC/PR. Especialista em Direito Civil e Processo Civil pelo Centro Universitário – CESMAC/ AL. Juiz do Trabalho. Professor Universitário. Publicou pela Juruá Editora Acesso às Informações Genéticas do Trabalhador: Discriminação genética e o livre consentimento esclarecido.

Sumário

INTRODUÇÃO, p. 11

1 O UNIVERSO DA SOCIEDADE INFORMACIONAL, p. 19

1.1 REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. A CONVERGÊNCIA TECNOLÓGICA, p. 19

1.2 SOCIEDADE INFORMACIONAL, SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E SOCIEDADE EM REDE, p. 21

1.2.1 A Sociedade Informacional Pós-Moderna, p. 26

1.2.2 A Sociedade Informacional como Sociedade de Risco, p. 31

1.3 O INFORMACIONALISMO INTERAGE COM O CAPITALISMO, p. 36

1.3.1 Capitalismo Histórico e Regulação, p. 40

1.3.2 A Forma do Capitalismo Contemporâneo: o Neoliberalismo, p. 45

1.3.3 A Soma de Todos os Medos: o Precariado, p. 53

1.3.4 Argumentar em Desfavor do Princípio da Proteção é Preciso, p. 58

1.3.5 Aqueles sem Trabalho: os Mercados Humanos, p. 61

1.3.6 O Emprego num Mundo Cada Vez mais Tecnológico, p. 64

1.4 O MERCADO DE TRABALHO NA SOCIEDADE INFORMACIONAL, p. 69

1.4.1 A Acumulação Flexível, p. 69

1.4.2 A Estrutura Ocupacional na Sociedade Informacional, p. 74

2 CONSTRUINDO A REGULAÇÃO NA SOCIEDADE INFORMACIONAL, p. 81

2.1 A LEI É NECESSÁRIA?, p. 81

2.2 A REGULAÇÃO TRABALHISTA NA SOCIEDADE INFORMACIONAL: COMO ELA SE IMPÔS, p. 84

2.2.1 A Força das Representações na Consecução das Leis: o Status Quo, p. 84

2.2.2 A Lei como Uma das Formas de Controle Social, p. 87

2.2.3 A Especificidade do Direito no Sistema Capitalista: uma Visão Não Juspositivista, p. 90

2.2.4 A Questão Trabalhista: a História da Cooptação de uma Teoria Econômica, p. 102

2.2.5 Como Proteger Evitando o Protecionismo?, p. 112

2.3 A IMPERFEIÇÃO DA LEI, p. 116

2.3.1 A Imperfeição da Lei, a Lei de Moore e as Acelerações, p. 120

CONSIDERAÇÕES FINAIS, p. 129

REFERÊNCIAS, p. 135

Índice alfabético

A

  • Aceleração. Imperfeição da lei, a Lei de Moore e as acelerações, p. 120
  • Acumulação flexível, p. 69
  • Aqueles sem trabalho: os mercados humanos, p. 61
  • Argumentar em desfavor do princípio da proteção é preciso, p. 58

C

  • Capitalismo contemporâneo. Forma do capitalismo contemporâneo: o neoliberalismo, p. 45
  • Capitalismo histórico e regulação, p. 40
  • Capitalismo. Informacionalismo interage com o capitalismo, p. 36
  • Como proteger evitando o protecionismo?, p. 112
  • Consecução das leis. Força das representações na consecução das leis: o status quo, p. 84
  • Considerações finais, p. 129
  • Construindo a regulação na sociedade informacional, p. 81
  • Controle social. Lei como uma das formas de controle social, p. 87
  • Convergência tecnológica. Revolução tecnológica e a tecnologia da informação, p. 19
  • Cooptação. Questão trabalhista: a história da cooptação de uma teoria econômica, p. 102

D

  • Direito. Especificidade do direito no sistema capitalista: uma visão não juspositivista, p. 90

E

  • Emprego num mundo cada vez mais tecnológico, p. 64
  • Especificidade do direito no sistema capitalista: uma visão não juspositivista, p. 90
  • Estrutura ocupacional na sociedade informacional, p. 74

F

  • Flexibilidade. Acumulação flexível, p. 69
  • Força das representações na consecução das leis: o status quo, p. 84
  • Forma do capitalismo contemporâneo: o neoliberalismo, p. 45

H

  • Histórico. Capitalismo histórico e regulação, p. 40

I

  • Imperfeição da lei, p. 116
  • Imperfeição da lei, a Lei de Moore e as acelerações, p. 120
  • Informação. Revolução tecnológica e a tecnologia da informação. A convergência tecnológica, p. 19
  • Informação. Sociedade informacional como sociedade de risco, p. 31
  • Informação. Sociedade informacional pós-moderna, p. 26
  • Informação. Sociedade informacional, sociedade da informação e sociedade em rede, p. 21
  • Informacionalismo interage com o capitalismo, p. 36
  • Introdução, p. 11

J

  • Juspositivismo. Especificidade do direito no sistema capitalista: uma visão não juspositivista, p. 90

L

  • Lei como uma das formas de controle social, p. 87
  • Lei de Moore. Imperfeição da lei, a Lei de Moore e as acelerações, p. 120
  • Lei. A lei é necessária?, p. 81

M

  • Medo. Soma de todos os medos: o precariado, p. 53
  • Mercado de trabalho na sociedade informacional, p. 69
  • Mercado humano. Aqueles sem trabalho: os mercados humanos, p. 61

N

  • Neoliberalismo. Forma do capitalismo contemporâneo, p. 45

P

  • Pós-modernidade. Sociedade informacional pós-moderna, p. 26
  • Precariado. Soma de todos os medos: o precariado, p. 53
  • Princípio da proteção. Argumentar em desfavor do princípio da proteção é preciso, p. 58
  • Proteção. Argumentar em desfavor do princípio da proteção é preciso, p. 58
  • Protecionismo. Como proteger evitando o protecionismo?, p. 112

Q

  • Questão trabalhista: a história da cooptação de uma teoria econômica, p. 102

R

  • Referências, p. 135
  • Regulação trabalhista na sociedade informacional: como ela se impôs, p. 84
  • Regulação. Capitalismo histórico e regulação, p. 40
  • Regulação. Construindo a regulação na sociedade informacional, p. 81
  • Representação. Força das representações na consecução das leis: o status quo, p. 84
  • Revolução tecnológica e a tecnologia da informação. A convergência tecnológica, p. 19

S

  • Sistema capitalista. Especificidade do direito no sistema capitalista: uma visão não juspositivista, p. 90
  • Sociedade de risco. Sociedade informacional como sociedade de risco, p. 31
  • Sociedade em sede. Sociedade informacional, sociedade da informação e sociedade em rede, p. 21
  • Sociedade informacional como sociedade de risco, p. 31
  • Sociedade informacional pós-moderna, p. 26
  • Sociedade informacional, sociedade da informação e sociedade em rede, p. 21
  • Sociedade informacional. Construindo a regulação na sociedade informacional, p. 81
  • Sociedade informacional. Estrutura ocupacional, p. 74
  • Sociedade informacional. Mercado de trabalho na sociedade informacional, p. 69
  • Sociedade informacional. Regulação trabalhista na sociedade informacional: como ela se impôs, p. 84
  • Sociedade informacional. Universo, p. 19
  • Soma de todos os medos: o precariado, p. 53

T

  • Tecnologia. Emprego num mundo cada vez mais tecnológico, p. 64
  • Tecnologia. Revolução tecnológica e a tecnologia da informação. A convergência tecnológica, p. 19
  • Teoria econômica. Questão trabalhista: a história da cooptação de uma teoria econômica, p. 102
  • Trabalho. Aqueles sem trabalho: os mercados humanos, p. 61
  • Trabalho. Mercado de trabalho na sociedade informacional, p. 69
  • Trabalho. Regulação trabalhista na sociedade informacional: como ela se impôs, p. 84

U

  • Universo da sociedade informacional, p. 19

Recomendações

Capa do livro: Justiça & Política com Tempero - Crónicas no Diário do Minho, Gonçalo S. de Melo Bandeira
Doutrina Estrangeira

Justiça & Política com Tempero - Crónicas no Diário do Minho

 Gonçalo S. de Melo BandeiraISBN: 978853626277-2Páginas: 132Publicado em: 18/10/2016

Versão impressa

R$ 49,90 Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 34,70* porR$ 29,50 Adicionar eBook
ao carrinho
Capa do livro: Direito Regulatório, Governança e Licenciamento Ambiental, Romilson de Almeida Volotão

Direito Regulatório, Governança e Licenciamento Ambiental

 Romilson de Almeida VolotãoISBN: 978853626740-1Páginas: 322Publicado em: 26/04/2017

Versão impressa

R$ 119,90em 4x de R$ 29,98Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 84,70* porR$ 72,00em 2x de R$ 36,00Adicionar eBook
ao carrinho
Capa do livro: Impuesto de Salida Español, Belén García Carretero
Doutrina Estrangeira

Impuesto de Salida Español

 Belén García CarreteroISBN: 978853627287-0Páginas: 170Publicado em: 02/10/2017

Versão impressa

R$ 64,70em 2x de R$ 32,35Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 47,70* porR$ 40,55 Adicionar eBook
ao carrinho
Capa do livro: Dumping Social no Direito do Trabalho, Lincoln Zub Dutra

Dumping Social no Direito do Trabalho

 Lincoln Zub DutraISBN: 978853626962-7Páginas: 256Publicado em: 13/06/2017

Versão impressa

R$ 99,90em 3x de R$ 33,30Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 69,90* porR$ 59,42em 2x de R$ 29,71Adicionar eBook
ao carrinho