Elementos de Política Internacional - Redefinições e Perspectivas

Thales Castro

Parcele em até 6x sem juros no cartão.
Parcela mínima de R$ 20,00

Versão impressa

Ficha técnica

Autor(es): Thales Castro

ISBN: 853621028-1

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 260

Publicado em: 26/07/2005

Área(s): Direito Internacional

Sinopse

Esta obra é a compilação simples, mas não simplificada, das principais tradições teóricas das Relações Internacionais.
O livro apresenta uma coletânea de textos sobre temas atuais. Oferece assim, em um formato pedagógico, empírico e teorico. A leitura crítico-analítica desses episódios contemporâneos oferece reflexões que ora privilegiam a análise da inserção do Brasil no contexto internacional do Mercosul e Alca, ora pondera sobre investigações metodológicas como a Teoria dos Jogos e a Teoria Democrática.
Elementos de Política Internacional traz, portanto, a contribuição de ser uma das respostas à tendência mundial de produzir, localmente, ferramentas teóricas para o desenvolvimento da análise de uma nova realidade globalizada.
Este livro é, por si só, um indício de vitalidade, de engajamento ao processo de organização e decodificação de nosso mundo, através de análises em Ciência Política.
Considerando o aumento substantivo dos cursos de Relações Internacionais, o livro Elementos de Política Internacional torna-se uma leitura pedagógica tão importante, quanto interessante.

Autor(es)

Thales Castro é Professor adjunto da Universidade Católica de Pernambuco – Unicap. É Coordenador e Professor da pós-graduação lato sensu em Relações Internacionais da Unicap (3ª turma). É Professor da Faculdade Integrada do Recife – FIR. Tem bacharelado em Relações Internacionais pela Indiana University of Pennsylvania, EUA. É Mestre em Ciência Política (Public Affairs) também pela Indiana University of Pennsylvania, EUA. Concluiu doutorado em Ciência Política na UFPE com tese defendida sobre o Conselho de Segurança da ONU na pós-bipolaridade. Sua área de interesse e pesquisa versa sobre teoria das relações internacionais, política externa brasileira, diplomacia multilateral e segurança internacional com ênfase no papel da ONU. É Pesquisador no Núcleo de Estudos sobre Política Internacional – NEPI, da UFPE e integrante do Núcleo de Estudo Instituições Coercitivas – NIC, da UFPE. Foi aprovado para o Doutorado em Direito (JD – Juris Doctor) pela Texas Tech University School of Law, nos EUA. É autor de artigos sobre política internacional, incluindo capítulo do livro "Brasil e EUA no Novo Milênio" organizado por Marcos Guedes e editado pela UFPE/NEA. É autor do livro Segurança internacional, diplomacia e política externa brasileira, que se encontra no prelo. Foi condecorado, em maio de 2004, com a Medalha do Mérito dos Guararapes. Realizou conferências do Comando Militar do Nordeste, em Recife, e no Comando de Operações Terrestres – Coter, do Ministério da Defesa em Brasília/DF.
E-mails para contatos com o autor: tccastro@hotmail.com; thales.castro@ttu.edu
 

Sumário

Parte I UMA CONSTRUÇÃO EPISTÊMICA DA POLÍTICA INTERNACIONAL

I - O AMBIENTE POLÍTICO PÓS-BIPOLAR

1 Novas idéias, antigas estruturas

2 Políticanternacional e dialética: em busca de uma pós-síntese

3 Transição pós-bipolar: por uma orto-ontopraxia

II - O SISTEMA ESTATOCÊNTRICO INTERNACIONAL

1 Fundamentos do estatocentrismo de Westphalia

2 Da fragilidade do conceito de "comunidade internacional"

3 Cenário externo pós-westphalia? Macroestados pós-nacionais?

III - ORDEM MUNDIAL, HEGEMONIA, POLARIDADE E LATERALIDADE

1 Ordem mundial, hegemonia e os conceitos de sistemia e subsistemia

2 Poder, polaridade e lateralidade

3 Os ciclos hegemônicos

4 Eixos de conexão (linkages ): política interna e política externa

5 Digressões sobre um possível sistema tripolar

IV - ATORES E NÍVEIS DE ANÁLISE

1 Considerações introdutórias

2 Tipologia dos atores internacionais

V - PARADIGMAS DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

1 Dos discursos axiomáticos

2 O idealismo: a escola isonômico-legalista

3 O realismo: a perspectiva hierárquico-hegemônica

4 A interdependência pragmática: diversificação globalizante

VI - A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS: HISTÓRIA TEORIA E POLÍTICA

1 O sistema onusiano

1.1 Conferencização e multilateralismo

1.2 O institucionalismo liberal-internacionalista

2 Propósitos e princípios

3 Organograma, processo político-decisório e assimetria de responsabilidade

4 Análise dos órgãos internos

4.1 A Assembléia Geral (AGNU):Low politics e a isonomia principista

4.2 O Conselho de Segurança (CSNU): High Politics e a trisseccio- nalidade

4.3 O ECOSOC e o desenvolvimento social integrado

4.4 O Conselho de Tutela (CT): confinamento e esvaziamento político

4.5 O Secretariado e a práxis da diplomacia multilateral

4.6 A esfera simbólica da Corte Internacional de Justiça

VII - DA SEGURANÇA INTERNACIONAL e Coletiva

1 Insegurança externa e volatilidade política

2 Dos conceitos de segurança internacional e segurança coletiva

3 Fontes e meios da segurança coletiva

4 Operações de paz da onu: investigação de sua eficácia relativa

VIII - CONFLITOS ARMADOS: UM ESTUDO SOBRE A PATOLOGIA DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

1 Tipologia dos conflitos armados

2 Princípio da rejeição da monocausalidade dos conflitos armados

3 Politicidade e casus belli

3.1 Nacionalismo e a natureza humana: instinto agressiv o nato?

3.2 Desequilíbrios estratégicos mundiais: antinomia e disparidade

3.3 Interesses privados e razão de Estado: o keynesianismo bélico

3.4 O Conselho de Segurança e os conflitos armados: estudos de caso

IX - DA RESPONSABILIDADE INTERNACIONAL DOS ESTADOS

X - ASPECTOS DE TEORIA DOS JOGOS NA POLÍTICA INTERNACIONAL

Parte II OLHAR INTERNACIONAL

XI - ONU, IRAQUE E BRASIL: AS MUITAS GUERRAS

XII - PAPEL E DILEMAS DO CONSELHO DE SEGURANÇA

XIII - CRIMES DE GUERRA

XIV - SANGUE EM MADRI: NOVO VERSUS VELHO TERRORISMO

XV - A FALSA POLÊMICA NUCLEAR

XVI - NÓS, O HAITI E AS OLIMPÍADAS

XVII - ÀS AVESSAS

XVIII - O PRESIDENTE LULA E A AGENDA SUL-AMERICANA

XIX - O MERCOSUL NO IMAGINÁRIO COLETIVO

XX - ACERCA DO PROCESSO GLOBALIZANTE

XXI - POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA: EIXOS DIRETIVOS E EXECUÇÃO DIANTE DA ALCA

XXII - TEORIA DEMOCRÁTICA E POLÍTICA: BREVES NOTAS

XXIII - ESTADO E DIREITO NA POLÍTICA INTERNACIONAL

EPÍLOGO: ENTRE O CÓDIGO DE BARRAS E A MISÉRIA HUMANA: UMA CRÍTICA À RAZÃO ANTIILUMINISTA PÓS-11 DE SETEMBRO

ANEXOS

REFERÊNCIAS

ÍNDICE ALFABÉTICO

Índice alfabético

A

  • ACNUR. Quantidade de refugiados protegidos pelo ACNUR (Alto Comissariado da ONU para Refugiados). Tabela 4
  • AGNU. Assembléia geral (AGNU):Low politics e a isonomia principista
  • ALCA. Política externa brasileira: eixos diretivos e execução diante da ALCA.
  • Abreviatura. Lista de abreviaturas
  • Acerca do processo globalizante
  • Agenda Sul-Americana. Presidente Lula e a Agenda Sul-Americana.
  • Agressividade. Nacionalismo e a natureza humana: instinto agressivo nato?.
  • Ambiente político pós-bipolar
  • Anexos
  • Antinomia. Desequilíbrios estratégicos mundiais: antinomia e disparidade.
  • Arma. Conflito armado. Conselho de segurança e os conflitos armados: estudos de caso.
  • Arma. Conflito armado. Princípio da rejeição da monocausalidade dos conflitos armados.
  • Arma. Conflitos armados mundiais e o número de mortos (incluindo população civil) entre os séculos XVI e XX. Tabela 5
  • Arma nuclear. Falsa polêmica nuclear
  • Aspectos de teoria dos jogos na política internacional
  • Assembléia geral (AGNU):Low politics e a isonomia principista
  • Atores e níveis de análise
  • Atores e níveis de análise. Considerações introdutórias
  • Atores internacionais. Tipologia dos atores internacionais

B

  • Brasil. ONU, Iraque e Brasil. As muitas guerras

C

  • CSNU. Conselho de segurança (CSNU): High politics e a trisseccionalidade.
  • CSNU. Quantidade de vetos no CSNU por parte dos P-5 (1945-2004). Ta- bela 3
  • CSNU. Trisseccionalidade do CSNU. Figura 4
  • CT. Conselho de tutela (CT): confinamento e esvaziamento político
  • Carta das Nações Unidas e o Estatuto da Corte Internacional de Justiça. Anexo
  • Casus belli. Politicidade e casus belli
  • Cenário externo Pós-Westphalia. Macroestados pós-nacionais
  • Ciclos hegemônicos
  • Comparação entre as escolas de pensamento em RI. Tabela 1.
  • Comunidade internacional. Fragilidade do conceito de «comunidade internacional».
  • Conceito. Comunidade internacional. Fragilidade do conceito de «comunidade internacional»
  • Conceitos de segurança internacional e segurança coletiva
  • Conferencização e multilateralismo
  • Confinamento. Conselho de tutela (CT): confinamento e esvaziamento político
  • Conflito armado. Conselho de segurança e os conflitos armados: estudos de caso
  • Conflito armado. Princípio da rejeição da monocausalidade dos conflitos armados.
  • Conflitos armados mundiais e o número de mortos (incluindo população civil) entre os séculos XVI e XX. Tabela 5
  • Conflitos armados: um estudo sobre a patologia das relações internacionais.
  • Conselho de segurança (CSNU):High politics e a trisseccionalidade
  • Conselho de segurança. Papel e dilemas
  • Conselho de segurança da ONU. Estrutura orgânica. Figura 3
  • Conselho de segurança e os conflitos armados: estudos de caso.
  • Conselho de tutela (CT): confinamento e esvazia mento político
  • Contribuições por países para orçamento regular da ONU 1997-2001. Tabela 2
  • Correlação entre globalização, grau de volatilidade e estabilidade do Estado. Tabela 7.
  • Corte Internacional de Justiça. Esfera simbólica da Corte Internacional de Justiça
  • Crimes de guerra

D

  • Dados e perfil das missões políticas pós-conflito de construção da paz. Anexo
  • Dados gerais e aspectos financeiros e orçamentários das manissões de ma- nutenção da paz na ONU. Anexo
  • Democracia. Teoria democrática e política: breves notas
  • Desenvolvimento social integrado e o ECOSOC
  • Desequilíbrios estratégicos mundiais: antinomia e disparidade
  • Dialética. Política internacional e dialética: em busca de uma pós-síntese.
  • Digressões sobre um possível sistema tripolar
  • Diplomacia multilateral. Secretariado e a práxis da diplomacia multilateral
  • Discursos axiomáticos
  • Disparidade. Desequilíbrios estratégicos mundiais: antinomia e disparidade.

E

  • ECOSOC e o desenvolvimento social integrado.
  • Eixos de conexão ( linkages): política interna e política externa.
  • Epílogo: entre o código de barras e a miséria humana: uma crítica à razão antiiluminista pós-11 de setembro
  • Escola isonômico-legalista. Idealismo: a escola isonômico-legalista
  • Esfera simbólica da Corte Internacional de Justiça
  • Estabilidade. Correlação entre globalização, grau de volatilidade e estabilidade do Estado. Tabela 7.
  • Estado. Correlação entre globalização, grau de volatilidade e estabilidade do Estado. Tabela 7.
  • Estado. Interesses privados e razão de Estado: o keynesianismo bélico
  • Estado. Responsabilidade internacional dos Estados
  • Estado e direito na política internacional
  • Estatocentrismo. Sistema estatocêntrico internacional
  • Estatocentrismo de Westphalia. Fundamentos do estatocentrismo de Westphalia
  • Estatuto da Corte Internacional de Justiça. Anexo
  • Estrutura orgânica do Conselho de Segurança da ONU. Figura 3
  • Estrutura orgânico-funcional da ONU com a base jurídica da Carta. Figura 2
  • Esvaziamento político. Conselho de tutela (CT): confinamento e esvaziamento político
  • Expansão do quadro de países-membros da ONU 1945-2004. Figura 4

F

  • Falsa polêmica nuclear
  • Figura 1. Relação da hegemonia e ordem mundial nas Relações Internacionais (Os ciclos hegemônicos da política internacional)
  • Figura 2. Estrutura orgânico-funcional da ONU com a base jurídica da Carta.
  • Figura 3. Estrutura orgânica do Conselho de Segurança da ONU
  • Figura 4. A trisseccionalidade do CSNU
  • Figura 4. Expansão do quadro de países-membros da ONU 1945-2004
  • Fontes e meios da segurança coletiva
  • Fundamentos do estatocentrismo de Westphalia

G

  • Globalização. Acerca do processo globalizante
  • Globalização. Correlação entre globalização, grau de volatilidade e estabilidade do Estado. Tabela 7
  • Globalização. Interdependência pragmática: diversificação globalizante
  • Guerra. Crimes de guerra
  • Guerra. ONU, Iraque e Brasil. As muitas guerras

H

  • Haiti. Nós, o Haiti e as Olimpíadas
  • Hegemonia. Ciclos hegemônicos
  • Hegemonia. Ordem mundial, hegemonia e os conceitos de sistemia e subsistemia
  • Hegemonia. Ordem mundial, hegemonia, polaridade e lateralidade
  • Hierarquia-hegemônica. Realismo: a perspectiva hierárquico-hegemônica
  • High politics. Conselho de segurança (CSNU):High politics e a trisseccionalidade.
  • História. Organização das Nações Unidas: história teoria e política

I

  • Idealismo: a escola isonômico-legalista
  • Imaginário coletivo. Mercosul no imaginário coletivo
  • Insegurança externa e volatilidade política
  • Institucionalismo liberal-internacionalista. ONU
  • Interdependência pragmática: diversificação globalizante
  • Interesses privados e razão de Estado: o keynesianismo bélico
  • Iraque. ONU, Iraque e Brasil. As muitas guerras
  • Isonomia principista. Assembléia geral (AGNU): Low politics e a isonomia principista

K

  • Keynesianismo» bélico. Interesses privados e razão de Estado: o keyne- sianismo bélico

L

  • Lateralidade. Ordem mundial, hegemonia, polaridade e lateralidade.
  • Lateralidade. Poder, polaridade e lateralidade
  • Linkages. Eixos de conexão ( linkages): política interna e política externa
  • Lista de abreviaturas
  • Low politics. Assembléia geral (AGNU):Low politics e a isonomia principista

M

  • Macroestados pós-nacionais. Cenário externo Pós-Westphalia. Macroestados pós-nacionais
  • Madri. Sangue em Madri: novo versus velho terrorismo
  • Meios e fontes da segurança coletiva
  • Mercosul no imaginário coletivo
  • Multilateralismo. ONU. Conferencização e multilateralismo

N

  • Nacionalismo e a natureza humana: instinto agressivo nato?
  • Níveis de análise e atores
  • Nós, o Haiti e as Olimpíadas

O

  • ONU. Análise dos órgãos internos
  • ONU. Conferencização e multilateralismo
  • ONU. Institucionalismo liberal-internacionalista
  • ONU, Iraque e Brasil. As muitas guerras
  • ONU. Operações de paz da ONU: investigação de sua eficácia relativa
  • ONU. Organização das Nações Unidas: história teoria e política
  • ONU. Organograma, processo político-decisório e assimetria de responsabilidade.
  • ONU. Propósitos e princípios
  • ONU. Sistema Onusiano.
  • Olhar internacional
  • Olimpíada. Nós, o Haiti e as Olimpíadas
  • Onze de setembro. Epílogo: entre o código de barras e a miséria humana: uma crítica à razão antiiluminista pós-11 de setembro
  • Operações de Paz autorizadas pelo CSNU no contexto da segurança coletiva. Tabela 4
  • Operações de paz da ONU: investigação de sua eficácia relativa
  • Ordem mundial, hegemonia e os conceitos de sistemia e subsistemia
  • Ordem mundial, hegemonia, polaridade e lateralidade
  • Organização das Nações Unidas: história teoria e política

P

  • Papel e dilemas do Conselho de Segurança
  • Paradigmas das relações internacionais
  • Poder, polaridade e lateralidade
  • Polaridade. Ordem mundial, hegemonia, polaridade e lateralidade.
  • Polaridade. Poder, polaridade e lateralidade
  • Política. Organização das Nações Unidas: história teoria e política
  • Política. Teoria democrática e política: breves notas
  • Política externa. Eixos de conexão ( linkages): política interna e política externa.
  • Política externa brasileira: eixos diretivos e execução diante da ALCA
  • Política interna. Eixos de conexão ( linkages): política interna e política externa.
  • Política internacional. Ambiente político pós-bipolar
  • Política internacional. Aspectos de teoria d os jogos na política internacional
  • Política internacional. Atores e níveis de análise
  • Política internacional. Estado e direito na política internacional
  • Política internacional. Nós, o Haiti e as Olimpíadas
  • Política internacional. Presidente Lula e a Agenda Sul-Americana.
  • Política internacional. Transição pós-bipolar: por uma orto-ontopraxia
  • Política internacional. Uma construção epistêmica da política internacional
  • Política internacional e dialética: em busca deuma pós-síntese
  • Política internacional. Às avessas
  • Política pós-bipolar. Novas idéias, antigas estruturas
  • Politicidade e casus belli
  • Pós-Westphalia. Cenário externo Pós-Westphalia. Macroestados pós- nacionais.
  • Pragmatismo. Interdependência pragmática: diversificação globalizante
  • Práxis. Secretariado e a práxis da diplomacia multilateral
  • Presidente Lula e a Agenda Sul-Americana
  • Princípio da rejeição da monocausalidade dos conflitos armados
  • Prisioneiros X e Z com opções de confessar e não confessar com a valoração cooperar (+) «c» e obstruir (-) «o» respectivamente. Tabela 6

Q

  • Quantidade de refugiados protegidos pelo ACNUR (Alto Comissariado da ONU para Refugiados). Tabela 4
  • Quantidade de vetos no CSNU por parte dos P-5 (1945-2004). Tabela 3

R

  • Realismo: a perspectiva hierárquico-hegemônica
  • Referências
  • Refugiado. Quantidade de refugiados protegidos pelo ACNUR (Alto Comissariado da ONU para Refugiados). Tabela 4.
  • Relação Presidência, Vice-Presidência e Grupos de Negociação da ALCA. Tabela 8.
  • Relação da hegemonia e ordem mundial nas Relações Internacionais (Os ciclos hegemônicos da política internacional). Figura 1.
  • Relação internacional. Conflitos armados: um estudo sobre a patologia das relações internacionais
  • Relação internacional. Discursos axiomáticos
  • Relação internacional. Paradigmas das relações internacionais
  • Responsabilidade internacional dos Estados.

S

  • Sangue em Madri: novo versus velho terrorismo
  • Secretariado e a práxis da diplomacia multilateral
  • Segurança coletiva. Conceitos de segurança internacional e segurança coletiva
  • Segurança coletiva. Fontes e meios da segurança coletiva
  • Segurança internacional. Conceitos de segurança internacional e segurança coletiva
  • Segurança internacional e coletiva
  • Sistema Onusiano.
  • Sistema estatocêntrico internacional
  • Sistema tripolar. Digressões sobre um possível sistema tripolar
  • Sistemia. Ordem mundial, hegemonia e os conceitos de sistemia e subsistemia
  • Subsistemia. Ordem mundial, hegemonia e os conceitos de sistemia e subsistemia.
  • Sumário

T

  • Tabela 1. Comparação entre as escolas de pensamento em RI.
  • Tabela 2. Contribuições por países para orçamento regular da ONU 1997- 2001
  • Tabela 3. Quantidade de vetos no CSNU por parte dos P-5 (1945-2004)
  • Tabela 4. Operações de Paz autorizadas pelo CSNU no contexto da segu- rança coletiva
  • Tabela 4. Quantidade de refugiados protegidos pelo ACNUR (Alto Co - missariado da ONU para Refugiados).
  • Tabela 5. Conflitos armados mundiais e o número de mortos (incluindo população civil) entre os séculos XVI e XX
  • Tabela 6. Prisioneiros X e Z com opções de confessar e não confessar com a valoração cooperar (+) «c» e obstruir (-) «o» respectivamente
  • Tabela 7. Correlação entre globalização, grau de volatilidade e estabilidade do Estado
  • Tabela 8. Relação Presidência, Vice-Presidência e Grupos de Negociação da ALCA
  • Teoria democrática e política: breves notas
  • Terrorismo. Epílogo: entre o código de barras e a miséria humana: uma crítica à razão antiiluminista pós-11 de s etembro
  • Terrorismo. Sangue em Madri: novo versus velho terrorismo
  • Tipologia dos atores internacionais
  • Trisseccionalidade. Conselho de segurança (CSNU):High politics e a tris- seccionalidade
  • Trisseccionalidade do CSNU. Figura 4

U

  • Uma construção epistêmica da política internacional

V

  • Volatilidade. Correlação entre globalização, grau de volatilidade e estabilidade do Estado. Tabela 7.
  • Volatilidade política. Insegurança externa e volatilidade política

Recomendações

Capa do livro: Estudos de Arbitragem, Clávio de Mello Valença Filho e João Bosco Lee

Estudos de Arbitragem

 Clávio de Mello Valença Filho e João Bosco LeeISBN: 978853622186-1Páginas: 470Publicado em: 17/09/2008

Versão impressa

R$ 139,90Adicionar ao
carrinho