Análise Crítica da Globalização Neoliberal - Seu impacto no mundo do trabalho à luz da interpretação dos conceitos de fetichização e racionalização nas obras de Karl Marx e Max Weber

Francisco Quintanilha Véras Neto

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Francisco Quintanilha Véras Neto
ISBN: 978853621637-9
Acabamento: Capa Dura + Sobrecapa
Número de Páginas: 584
Publicado em: 12/07/2007
Área(s): Direito Econômico; Direito - Filosofia do Direito; Direito - Teoria Geral do Direito; Filosofia
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

A presente obra utiliza algumas categorias marxianas e weberianas como as proposições críticas da economia política que permitem uma desconstrução decisiva de certos postulados das ideologias sociais e econômicas disseminadas nas relações sociais capitalistas. A crítica é construída pela interpretação de conceitos da filosofia político-econômica existencial marxiana, como racionalização e dominação, que surgem com o propósito de busca de uma maior inteligibilidade compreensiva do mundo do trabalho contemporâneo, através da sua adequação a critérios de segurança, previsibilidade e racionalização de expectativas.
Assim, a reflexão acerca da categoria trabalho orienta a presente obra com o intuito de captar algumas tendências básicas do capitalismo, seletivizadas por esses autores, que servem ao propósito contextualizador e não justificador do presente visando a um entendimento adequado das mudanças que atingem o mundo do trabalho, considerando a imprescindível necessidade de relativização, que se orienta pela criação de um conjunto de possíveis afinidades seletivas com critérios que orientem uma interpretação adequada do quadro contemporâneo de internacionalização econômica - denominado de globalização ou mundialização -, por meio da afirmação recontextualizadora de algumas das tendências captadas pelas conceituações efetuadas por Karl Marx e Max Weber em suas situações históricas singulares.

AUTOR(ES)

Francisco Quintanilha Véras Neto: • Graduação em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina-1996.
• Escola Superior da Magistratura de Santa Catarina-1997.
• Mestrado na área de instituições jurídico políticas na UFSC-2000.
• Doutorado na área de Direito das Relações Sociais na UFPR-2004.
• Professor Adjunto 2- titular da disciplina de História do Direito da Função - Universidade Federal do Rio Grande – FURG desde 2004.

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

CAPÍTULO 1 - O CENÁRIO HISTÓRICO - O CAPITALISMO E A GÊNESE DO PENSAMENTO MARXISTA DA SOCIEDADE DO TRABALHO

1.1 Contextualização Histórica sobre o Mundo do Trabalho em Karl Marx e o Processo de Racionalização em Max Weber

CAPÍTULO 2 - A TEORIA DE MARX COMO MÉTODO CRÍTICO DE INTERPRETAÇÃO DO MUNDO CAPITALISTA: O RESGATE DA CRÍTICA DA ECONOMIA POLÍTICA

2.1 A Crítica da Economia Política Burguesa

2.2 Karl Marx e a Percepção do Mundo Capitalista

2.3 A Oposição Marxiana ao Idealismo Metafísico Alemão

2.4 Um Debate Preliminar: a Ascensão do Individualismo no Renascimento

2.5 A Gênese do Conceito de Alienação e a sua Inter-relação com os Processos de Acumulação Capitalista

2.5.1 Alienação, reificação e consciência de classe - Lukács: um marco teó- rico para a análise da alienação/reificação do mundo do trabalho - possibilidades e críticas

2.6 Michel Foucault: O Seqüestro do Tempo

2.7 O Dilema da Consciência em Jean Paul Sartre: a Alienação e o Caráter Insuprimível da Liberdade

2.8 Alienação e a Sociedade do Espetáculo

2.9 A Reificação do Direito em Pachukanis

CAPÍTULO 3 - ANÁLISE DO PROCESSO DE RACIONALIZAÇÃO EM MAX WEBER À LUZ DO CONCEITO DE ALIENAÇÃO E DA ANARQUIA DO SISTEMA PRODUTOR DE MERCADORIAS

3.1 A Crítica do Processo deRacionalização Weberiana

3.2 Compatibilidade entre as Visões de Karl Marx e de Max Weber: Reificação e Racionalização no Capitalismo

CAPÍTULO 4 - BREVE HISTÓRICO DO MUNDO DO TRABALHO BRASILEIRO

4.1 O Enfraquecimento da Luta de Classes e o Significado da Consolidação das Leis Trabalhistas para o Mundo do Trabalho Brasileiro

4.2 Histórico da Questão Social Trabalhista e Sindical

4.3 A Conformação Histórica da Legislação Trabalhista e Sindical

CAPÍTULO 5 - O PROCESSO DE MUNDIALIZAÇÃO

5.1 A Mundialização e as Mutações queAtingem o Universo do Trabalho

5.2 O Cenário Geoeconômico Antecessor àMundialização e ao Neoliberalismo

5.3 Uma Conceitualização Atual do Processo de Mundialização

5.4 Breve Caracterização do Pensamento Sociológico da Globalização

5.5 O Eixo Geopolítico da Mundialização e sua Influência sobre a Regulação Social do Trabalho

5.6 A Geopolítica do Convite ao Desenvolvimento e o seu Papel na Constituição do Atual Cenário da Mundialização

5.7 A Virada Política Rumoao Neoliberalismo

5.8 O Desmantelamento do Estado em um Contexto de Crise Geral do Sistema Produtor de Mercadorias

5.9 As Conseqüências da Mundialização no Universo do Trabalho

5.10 A Mundialização e a Rearticulação do Mundo do Trabalho em Algumas Experiências Regionais: "A Ilusão do Desenvolvimento"

5.11 A divisão social do trabalho na sociedade capitalista

5.11.1 A divisão sexual do trabalho a partir da nova produção capitalista flexível

5.11.2 Breve caracterização da questão da divisão étnica da produção

5.11.3 A categoria dos trabalhadores intelectuais e a sua proletarização no contexto da racionalização capitalista

5.12 Divisão do trabalho e racionalização Capitalista: Crise do Fordismo x Toyotismo

5.12.1 O debate acerca da centralidade do mundo do trabalho

5.13 A Crise do Trabalho na Sociedade da Globalização Neoliberal

5.14 Desemprego, Flexibilização, Precarização no Mundo do Trabalho Globalizado e suas Raízesno Capitalismo

CAPÍTULO 6 - FLEXIBILIZAÇÃO E PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO

6.1 Precarização e Informalizaçãodo Mercado de Trabalho

6.2 Alteração no Núcleo Orgânico da Proteção Social Laboral do Direito do Trabalho pelos Processos de Flexibilização Precarizadora

6.3 As Teses Flexibilizadoras do Direito do Trabalho

6.4 A Precarização Atrelada ao Processo de Terceirização e a Subcontratação

6.5 Os Novos Modelos Jurídicos de Flexibilização Precarizadora no Brasil

CAPÍTULO 7 - REORGANIZAÇÃO DO MUNDO DO TRABALHO: TERCEIRO SETOR, ECONOMIA SOLIDÁRIA E COOPERATIVISMO

7.1 Breve Histórico sobre o Terceiro Setor

7.2 Relações entre Terceira Via e Terceiro Setor

7.2.1 Terceiro Setor: Realidade e Limites Concretos em suas Interrelações com o Estado e o Mercado

7.2.2 A Instrumentalização do Terceiro Setor como uma Estratégia Neoliberal: Diferenças em Relaçãoa Socioeconomia Solidária

7.2.3 O Novo Marco da Terceira Via e do Terceiro Setor Face à "Crise Fiscal" do Estado e os Programa s de Reforma Neoliberal

7.3 A Regulamentação Jurídica do Terceiro Setor

7.3.1 A problemática da normatização do terceiro setor e sua relação de cumplicidade com uma ordem jurídica precarizadora

7.4 Utopia Autogestionária e o Mundo do Trabalho

7.4.1 Karl Marx, Rosa Luxemburgo e a polêmica com Martin Bubber acerca do socialismo utópico e do cooperativismo

7.4.2 A crítica de Martin Bubber

7.4.3 Modelos de autogestão e de coletivismo hoje

7.4.4 Breve consideração sobre a perspectiva operária constitutiva das lutas sociais do passado, para a fixação dos novos horizontes da autogestão no panorama social contemporâneo

7.4.5 A autogestão como realidade social contemporânea: integração à ordem capitalista ou possibilidade concreta de emancipação dentro de um projeto de reconstituição da utopia

7.5 A Utopia de um Novo Mundo do Trabalho

7.6 Os Novos Horizontes e Desafios: a Questão Ecológica e a Redefinição do Mundo do Trabalho

CONSIDERAÇÕES FINAIS

REFERÊNCIAS

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • Acumulação capitalista. Gênese do conceito de alienação e a sua inter-relação com os processos de acumulação capitalista.
  • Alienação. Análise do processo deracionalização em Max Weber à luz do conceito de alienação e da anarquia do sistema produtor de mercadorias
  • Alienação. Gênese do conceito de alienação e a sua inter-relação com os processos de acumulação capitalista.
  • Alienação e a sociedadedo espetáculo
  • Alienação, reificação e consciência de classe. Lukács: um marco teórico para a análise da alienação/reificação do mundo do trabalho. Possibilidades e críticas
  • Alteração no núcleo orgânico da proteção social laboral do Direito do Trabalho pelos processos de flexibilização precarizadora.
  • Análise do processo de racionalização em Max Weber à luz do conceito de alienação e da anarquia do sistema produtor de mercadorias.
  • Autogestão. Modelos de autogestão e de coletivismo hoje.
  • Autogestão como realidade social contemporânea: integração à ordem capitalista ou possibilidade concreta de emancipação dentro de um projeto de reconstituição da utopia.

B

  • Breve caracterização da questão dadivisão étnica da produção
  • Breve caracterização do pensamentosociológico da globalização
  • Breve histórico do mundo do trabalho brasileiro
  • Breve histórico sobre oterceiro setor.

C

  • CLT. Enfraquecimento da luta de classes e o significado da consolidação das leis trabalhistas para o mundo do trabalho brasileiro
  • Capitalismo. Cenário histórico. O capitalismo e a gênese do pensamento marxista da sociedade do trabalho.
  • Capitalismo. Compatibilidade entre as visões de Karl Marx e de Max Weber: reificação e racionalização no capitalismo
  • Capitalismo. Desemprego, flexibilização, precarização no mundo do trabalho globalizado e suas raízes no capitalismo
  • Capitalismo. Divisão social do trabalho na sociedade capitalista
  • Capitalismo. Karl Marx e a percepção do Mundo Capitalista.
  • Capitalismo. Teoria de Marx como método crítico de interpretação do mundo capitalista: o resgate da crítica da economia política
  • Categoria dos trabalhadores intelectuais e a sua proletarização no contexto da racionalização capitalista.
  • Cenário geoeconômico antecessor à mundialização e ao neoliberalismo
  • Cenário histórico. O capitalismo e a gênese do pensamento marxista da sociedade do trabalho
  • Centralidade do mundo do trabalho. Debate acerca da centralidade do mundo do trabalho.
  • Coletivismo. Modelos de autogestão e de coletivismo hoje.
  • Compatibilidade entre as visões de Karl Marx e de Max Weber: reificação e racionalização no capitalismo
  • Conceito. Uma conceitualização atual do processo de mundialização.
  • Conformação histórica da legislação trabalhista e sindical
  • Consciência de classe. Alienação, reificação e consciência de classe. Lukács: um marco teórico para a análise da alienação/reificação do mundo do trabalho. Possibilidades e críticas.
  • Conseqüências da mundialização no universo do trabalho
  • Considerações finais.
  • Contextualização histórica sobre o mundodo trabalho em Karl Marx e o processo de racionalização em Max Weber.
  • Cooperativismo. Karl Marx, Rosa Luxemburgo e a polêmica com Martin Bubber acerca do socialismo utópico e do cooperativismo.
  • Cooperativismo. Reorganização do mundodo trabalho: terceiro setor, economia solidária e cooperativismo.
  • Crise do trabalho na sociedade da globalização neoliberal
  • "Crise fiscal". Novo marco da terceira via e do terceiro setor face à "crise fiscal" do Estado e os programas de reforma neoliberal
  • Crítica da EconomiaPolítica Burguesa.
  • Crítica de Martin Bubber
  • Crítica do processo de racionalização Weberiana.

D

  • Debate acerca da centralidadedo mundo do trabalho
  • Desemprego, flexibilização, precarização no mundo do trabalho globalizado e suas raízes nocapitalismo
  • Desmantelamento do Estado em um contexto de crise geral do sistema produtor de mercadorias.
  • Dilema da consciência em Jean Paul Sartre: a alienação e o caráter insuprimível da liberdade
  • Direito do Trabalho. Alteração no núcleo orgânicoda proteção social laboral do Direito do Trabalho pelos processos de flexibilização precarizadora
  • Direito do Trabalho. Teses flexibilizadoras do Direito do Trabalho.
  • Divisão do trabalho e racionalização capitalista: crise do fordismo x toyotismo
  • Divisão sexual do trabalho a partir danova produção capitalista flexível
  • Divisão social do trabalho na sociedade capitalista

E

  • Ecologia. Novos horizontes e desafios: a questão ecológica e a redefinição do mundo do trabalho
  • Economia Política Burguesa. Crítica
  • Economia política. Teoria de Marx como método crítico de interpretação do mundo capitalista: o resgate da crítica da economia política
  • Economia solidária. Reorganização do mundo do trabalho: terceiro setor, economia solidária e cooperativismo.
  • Eixo geopolítico da mundialização e suainfluência sobre a regulação social do trabalho.
  • Enfraquecimento da luta de classes e o significado da consolidação das leis trabalhistas para o mundo do trabalho brasileiro.
  • Estado. Desmantelamento do Estado em um contexto de crise geral do sistema produtor de mercadorias
  • Estado. Novo marco da terceira via e do terceiro setor face à "crise fiscal" do Estado e os programas de reforma neoliberal.
  • Estado. Terceiro setor: realidade e limites concretos em suas interrelações com o Estado e o mercado.
  • Etnia. Breve caracterização da questãoda divisão étnica da produção

F

  • Flexibilização. Alteração no núcleo orgânico da proteção social laboral do Direito do Trabalho pelos processos de flexibilização precarizadora
  • Flexibilização. Desemprego, flexibilização, precarização no mundo do trabalho globalizado e suas raízes no capitalismo
  • Flexibilização. Novos modelos jurídicos de flexibilização precarizadora no Brasil
  • Flexibilização. Teses flexibilizadoras do Direito do Trabalho.
  • Flexibilização e precarização do trabalho
  • Fordismo. Divisão do trabalho e racionalização capitalista: crise do fordismo x toyotismo.
  • Foucault. Michel Foucault: OSeqüestro do Tempo.

G

  • Gênese do conceito de alienação e a sua inter-relação com os processos de acumulação capitalista.
  • Geoeconomia. Cenário geoeconômico antecessor à mundialização e ao neoliberalismo
  • Geopolítica. Eixo geopolítico da mundialização e sua influência sobre a regulação social do trabalho
  • Geopolítica do convite ao desenvolvimento e o seu papel na constituição do atual cenário da mundialização
  • Globalização. Breve caracterização dopensamento sociológico da globalização.
  • Globalização. Desemprego, flexibilização, precarização no mundo do trabalho globalizado e suas raízes no capitalismo.
  • Globalização neoliberal. Crise do trabalho na sociedade da globalização neoliberal

H

  • Hermenêutica. Teoria de Marx comométodo crítico de interpretação do mundo capitalista: o resgate da crítica da economia política
  • Histórico. Breve histórico do mundo do trabalho brasileiro
  • Histórico. Conformação histórica da legislação trabalhista e sindical
  • Histórico. Contextualização histórica sobre o mundo do trabalho em Karl Marx e o processo de racionalização em Max Weber.
  • Histórico da questão socialtrabalhista e sindical.

I

  • Idealismo Metafísico Alemão. Oposição Marxiana ao Idealismo Metafísico Alemão.
  • Individualismo. Um debate preliminar: a ascensão do individualismo no Renascimento
  • Informalização e precarização domercado de trabalho
  • Instrumentalização do terceiro setor como uma estratégia neoliberal: diferenças em relação a socioeconomia solidária.
  • Introdução

J

  • Jean Paul Sartre. Dilema da consciência em Jean Paul Sartre: a alienação e o caráter insuprimívelda liberdade

K

  • Karl Marx. Compatibilidade entre as visões de Karl Marx e de Max Weber: reificação e racionalização no capitalismo
  • Karl Marx. Contextualização histórica sobre o mundo do trabalho em Karl Marx e o processo de racionalização em Max Weber
  • Karl Marx, Rosa Luxemburgo e a polêmica com Martin Bubber acerca do socialismo utópico e do cooperativismo
  • Karl Marx. Teoria de Marx como método crítico de interpretação do mundo capitalista: o resgate da crítica da economia política
  • Karl Marx e a percepção do Mundo Capitalista

L

  • Legislação sindical. Conformação histórica da legislação trabalhista e sindical
  • Legislação trabalhista. Conformação histórica da legislação trabalhista e sindical.
  • Liberdade. Dilema da consciência em Jean Paul Sartre: a alienação e o caráter insuprimível daliberdade
  • Lukács. Alienação, reificação e consciência de classe. Lukács: um marco teórico para a análise da alienação/reificação do mundo do trabalho. Possibilidades e críticas
  • Luta de classes. Enfraquecimento da luta de classes e o significado da consolidação das leis trabalhistas para o mundo do trabalho brasileiro.
  • Lutas sociais. Breve consideração sobre a perspectiva operária constitutiva das lutas sociais do passado, para a fixação dos novos horizontes da autogestão no panorama social contemporâneo

M

  • Martin Bubber. Crítica de Martin Bubber
  • Martin Bubber. Karl Marx, Rosa Luxemburgo e a polêmica com Martin Bubber acerca do socialismo utópico e do cooperativismo.
  • Marxismo. Cenário histórico. O capitalismo e a gênese do pensamento marxista da sociedade do trabalho.
  • Marxismo. Oposição Marxiana aoIdealismo Metafísico Alemão
  • Max Weber. Análise do processo de racionalização em Max Weber à luz do conceito de alienação e da anarquia do sistema produtor de mercadorias
  • Max Weber. Compatibilidade entre as visões de Karl Marx e de Max Weber: reificação e racionalizaçãono capitalismo.
  • Max Weber. Contextualização histórica sobre o mundo do trabalho em Karl Marx e o processo de racionalização em Max Weber.
  • Max Weber. Crítica do processo de racionalização Weberiana
  • Mercado. Terceiro setor: realidade e limites concretos em suas interrelações com o Estado e o mercado
  • Mercado de trabalho. Precarização e informalização do mercado de trabalho
  • Michel Foucault: O Seqüestro do Tempo
  • Mundialização. Cenário geoeconômicoantecessor à mundialização e ao neoliberalismo.
  • Mundialização. Conseqüências da mundialização no universo do trabalho.
  • Mundialização. Eixo geopolítico da mundialização e sua influência sobre a regulação social do trabalho.
  • Mundialização. Geopolítica do conviteao desenvolvimento e o seu papel na constituição do atual cenário da mundialização
  • Mundialização. Processode mundialização.
  • Mundialização. Uma conceitualização atualdo processo de mundialização
  • Mundialização e a rearticulação do mundo do trabalho em algumas experiências regionais: "A Ilusão do Desenvolvimento".
  • Mundialização e as mutações que atingem o universo do trabalho.

N

  • Neoliberalismo. Cenário geoeconômico antecessor à mundialização e ao neoliberalismo.
  • Neoliberalismo. Instrumentalização do terceiro setor como uma estratégia neoliberal: diferenças em relaçãoa socioeconomia solidária.
  • Neoliberalismo. Novo marco da terceira via e do terceiro setor face à "crise fiscal" do Estado e os programas de reforma neoliberal
  • Neoliberalismo.Viradapolítica rumo ao neoliberalismo.
  • Novo marco da terceira via e do terceiro setor face à "crise fiscal" do Estado e os programas de reforma neoliberal.
  • Novos horizontes e desafios: a questão ecológica e a redefinição do mundo do trabalho.
  • Novos modelos jurídicos de flexibilização precarizadora no Brasil.

O

  • Operário. Breve consideração sobre aperspectiva operária constitutiva das lutas sociais do passado, para a fixação dos novos horizontes da autogestão no panorama social contemporâneo
  • Oposição Marxiana ao Idealismo MetafísicoAlemão.
  • Ordem capitalista. Autogestão como realidade social contemporânea: integração à ordem capitalista ou possibilidade concreta de emancipação dentro de um projeto de reconstituição da utopia. .

P

  • Pachukanis. Reificação do Direito em Pachukanis
  • Precarização. Desemprego, flexibilização, precarização no mundo do trabalho globalizado e suas raízes no capitalismo
  • Precarização atrelada ao processo deterceirização e a subcontratação.
  • Precarização do trabalho. Flexibilização e precarização do trabalho
  • Precarização e informalização domercado de trabalho
  • Problemática da normatização do terceiro setor e sua relação de cumplicidade com uma ordem jurídicaprecarizadora
  • Processo de mundialização.
  • Produção. Breve caracterização da questão da divisão étnica da produção
  • Produção capitalista. Divisão sexual do trabalho a partir da nova produção capitalista flexível.
  • Produção de mercadorias. Análise do processo de racionalização em Max Weber à luz do conceito de alienação e da anarquia do sistema produtor de mercadorias
  • Produtor de mercadorias. Desmantelamento do Estado em um contexto de crise geral do sistema produtor de mercadorias.
  • Proletariado. Categoria dos trabalhadores intelectuais e a sua proletarização no contexto da racionalização capitalista
  • Proteção social laboral. Alteração nonúcleo orgânico da proteção social laboral do Direito do Trabalho pelos processos de flexibilização precarizadora

R

  • Racionalização. Análise do processo de racionalização em Max Weber à luz do conceito de alienação e da anarquia do sistema produtor de mercadorias
  • Racionalização. Contextualização histórica sobre o mundo do trabalho em Karl Marx e o processo de racionalização em Max Weber.
  • Racionalização capitalista. Categoria dos trabalhadores intelectuais e a sua proletarização no contexto da racionalização capitalista.
  • Racionalização capitalista. Divisão do trabalho e racionalização capitalista: crise do fordismo x toyotismo.
  • Referências.
  • Regulamentação jurídica do terceiro setor
  • Reificação. Alienação, reificação e consciência de classe. Lukács: um marco teórico para a análise da alienação/reificação do mundo do trabalho. Possibilidades e críticas
  • Reificação do Direito em Pachukanis
  • Relações entre terceira via e terceiro setor.
  • Reorganização do mundo do trabalho: terceiro setor, economia solidária e cooperativismo.
  • Rosa Luxemburgo. Karl Marx, Rosa Luxemburgo e a polêmica com Martin Bubber acerca do socialismo utópico e do cooperativismo.

S

  • Sartre. Jean Paul Sartre. Dilema da consciência em Jean Paul Sartre: a alienação e o caráter insuprimível da liberdade.
  • Sindicato. Conformação histórica da legislação trabalhista e sindical.
  • Sindicato. Histórico da questão social trabalhista e sindical.
  • Sistema produtor de mercadorias. Desmantelamento do Estado em um contexto de crise geral do sistema produtor de mercadorias.
  • Socialismo utópico. Karl Marx, Rosa Luxemburgo e a polêmica com Martin Bubber acerca do socialismo utópico e do cooperativismo.
  • Sociedade de trabalho. Cenário histórico. O capitalismo e a gênese do pensamento marxista da sociedade do trabalho.
  • Sociedade do espetáculo. Alienação e a sociedade do espetáculo.
  • Socioeconomia solidária. Instrumentalização do terceiro setor como uma estratégia neoliberal: diferenças em relação a socioeconomia solidária
  • Sociologia. Breve caracterização do pensamento sociológico da globalização.
  • Subcontratação. Precarização atrelada ao processo de terceirização e a subcontratação

T

  • Teoria de Marx como método crítico de interpretação do mundo capitalista: o resgate da crítica daeconomia política.
  • Terceira setor. Relações entre terceira via e terceiro setor
  • Terceira via. Relações entre terceira via e terceiro setor
  • Terceirização. Precarização atrelada aoprocesso de terceirização e a subcontratação
  • Terceiro setor. Instrumentalização do terceiro setor como uma estratégia neoliberal: diferenças em relação asocioeconomia solidária.
  • Terceiro setor. Novo marco da terceira via e do terceiro setor face à "crise fiscal" do Estado e os programas de reforma neoliberal
  • Terceiro setor. Problemática da normatização do terceiro setor e sua relação de cumplicidade com uma ordem jurídica precarizadora
  • Terceiro setor. Regulamentação jurídica do terceiro setor
  • Terceiro setor. Reorganização do mundo do trabalho: terceiro setor, economia solidária e cooperativismo.
  • Terceiro setor: realidade e limites concretos em suas interrelações com o Estado e o mercado
  • Teses flexibilizadoras do Direito do Trabalho
  • Toyotismo. Divisão do trabalho e racionalização capitalista: crise do fordismo x toyotismo.
  • Trabalhador intelectual. Categoria dos trabalhadores intelectuais e a sua proletarização no contexto da racionalização capitalista
  • Trabalho. Alienação, reificação e consciência de classe. Lukács: um marco teórico para a análise da alienação/reificação do mundo do trabalho. Possibilidades e críticas
  • Trabalho. Breve histórico do mundo do trabalho brasileiro.
  • Trabalho. Conformação histórica da legislação trabalhista e sindical.
  • Trabalho. Conseqüências da mundialização no universo do trabalho.
  • Trabalho. Crise do trabalho na sociedade da globalização neoliberal.
  • Trabalho. Divisão do trabalho e racionalização capitalista: crise do fordismo x toyotismo.
  • Trabalho. Eixo geopolítico da mundialização e sua influência sobre a regulação social do trabalho.
  • Trabalho. Enfraquecimento da luta de classes e o significado da consolidação das leis trabalhistas para o mundo do trabalho brasileiro.
  • Trabalho. Histórico da questão social trabalhista e sindical.
  • Trabalho. Mundialização e a rearticulação do mundo do trabalho em algumas experiências regionais: "A Ilusão do Desenvolvimento".
  • Trabalho. Mundialização e as mutações que atingem o universo do trabalho
  • Trabalho. Novos horizontes e desafios: a questão ecológica e a redefinição do mundo do trabalho
  • Trabalho. Reorganização do mundo do trabalho: terceiro setor, economia solidária e cooperativismo
  • Trabalho. Utopia autogestionária e o mundo do trabalho
  • Trabalho. Utopia de um novo mundo do trabalho.

U

  • Um debate preliminar: a ascensão do individualismo no Renascimento
  • Utopia autogestionária e omundo do trabalho.
  • Utopia de um novo mundo do trabalho.

V

  • Virada política rumo aoneoliberalismo
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: