Crime Organizado - Medidas de Controle e Infiltração

Rafael Pacheco

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Rafael Pacheco
ISBN: 978853621707-9
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 216
Publicado em: 04/10/2007
Área(s): Direito Penal; Direito Processual Penal
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

Durante muitos anos o crime organizado foi abordado exaustivamente em produções cinematográficas e, em terras brasileiras, a idéia de que pudesse por aqui existir só mudou diante das notícias diárias sobre o tráfico internacional de drogas e as redes de prostituição e imigração ilegal. Este livro foi concebido para prover ao leitor um entendimento em relação ao crime organizado como fenômeno contemporâneo à luz da legislação pátria em vigor e da reflexão de vários pensadores do Direito. Também descreve a tendência brasileira em apelar ao Direito Penal, de forma equivocada, como medida quase única de controle desta atividade criminosa sem a salutar integração do Direito com outros ramos do saber. Inclui, por fim, uma analise do mais recente instrumento de investigação e formação de prova no Brasil, à infiltração de agentes policiais, abordando problemas de ordem jurídica quanto à aplicação da norma, à responsabilidade do agente e à valoração das provas por ele obtidas.

AUTOR(ES)

Rafael Pacheco é Bacharel em Direito pela Universidade de Vila Velha/ES; pós-graduado em Direito Penal Econômico Internacional pelo IBCCRIM/Universidade de Coimbra; Mestre em Políticas Públicas e Processo pela Faculdade de Direito de Campos; lecionou Direito Penal em faculdades do Espírito Santo; proferiu palestras no Brasil e no exterior sobre organização policial e atuou na formação jurídica de policiais; dos quatorze anos dedicados à atividade policial, permaneceu doze anos na Polícia Rodoviária Federal e desde 2005 é Agente de Polícia Federal.

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

1 TRAÇOS HISTÓRICOS E EXPANSÃO

1.1 Globalização e crime organizado: o estado da arte

1.2 A soma de todos os medos

1.2.1 Mas então, o que não é crime organizado?

1.2.2 E afinal, o que é crime organizado?

1.2.3 Uma definição indefinida

1.3 Organizações criminosas: por um onceito mínimo

1.3.1 Organizações de estilo mafioso

1.4 Atividades: Drogas. rins humanos. Rembrants

1.4.1 E no Brasil, existe crime organizado?

2 O DIREITO PENAL E O CONTROLE DO CRIME ORGANIZADO

2.1 O Direito Penal de emerência: a solução já!

2.1.1 O direito de intervenção

2.1.2 As duas velocidades penais

2.1.3 O modelo garantista

2.2 Por um corpus teórico

3 MEDIDAS INOVADORAS: THE UNDERCOVER AGENT

3.1 Infiltração de agentes no Brasil: o amparo legal

3.1.1 Agentes de Inteligência?

3.2 Da aplicação da norma

3.2.1 Da proporcionalidade da medida

3.3 Da responsabilidade do agente infiltrado

3.3.1 Das possibilidades

3.4 Do valor da prova

3.4.1 L’Agent Provocateur: À sombra da árvore envenenada

3.5 Da execução da medida

CONCLUSÃO

REFERÊNCIAS

ANEXOS

Anexo A - Decreto 5.015/04

Anexo B - Lei 9.034/95

Anexo C - Lei 10.217/01

Anexo D - Lei 11.343/06

Anexo E - Substitutivo do Projeto de Lei do Senado 67/96

Anexo F - Representação por infiltração de agente

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • Agente de Inteligência.
  • Agente infiltrado (v. também Infiltração)
  • Agente infiltrado. Responsabilidade do agente infiltrado
  • Agente policial. Infiltração de agentes no Brasil: O amparo legal
  • Anexo A. Decreto 5.015/04 (íntegra). Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional
  • Anexo B. Lei 9.034/95 (íntegra). Utilização de meios operacionais para a prevenção e repressão de ações praticadas por organizações criminosas
  • Anexo C. Lei 10.217/01 (íntegra). Altera dispositivos da Lei 9.034/95
  • Anexo D. Lei 11.343/06 (íntegra). Institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas e dá outras providências
  • Anexo E. Substitutivo do Projeto de Lei do Senado 67/96 (íntegra). Dispõe sobre as organizações criminosas, meios de obtenção de prova e procedimento criminal.
  • Anexo F. Representação por infiltração de agente. Modelo.
  • Anexos

B

  • Brasil. E no Brasil, existe crime organizado?

C

  • Conceito. Organização criminosa: por um conceito mínimo
  • Conclusão.
  • Crime organizado. As duas velocidades penais
  • Crime organizado. Drogas. rins humanos. Rembrandts
  • Crime organizado. E afinal, o que é crime organizado?.
  • Crime organizado. E no Brasil, existe crime organizado?
  • Crime organizado. Globalização e crime organizado: o Estado da Arte.
  • Crime organizado. Mas então, oque não é crime organizado?.
  • Crime organizado. Medidas inovadoras: The Undercover Agent
  • Crime organizado. Traços históricos e expansão.
  • Crime organizado. Uma definição indefinida
  • Criminalidade. Soma de todos os medos

D

  • Decreto 5.015/04 (íntegra). Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional. Anexo A
  • Definição. Crime organizado.Uma definição indefinida
  • Direito Penal de emergência: A solução já!.
  • Direito Penal e o controle do crime organizado.
  • Direito de intervenção.
  • Drogas. rins humanos. Rembrandts

E

  • Eficiência processual. Medidas inovadoras:The Undercover Agent
  • Emergência. Direito Penal deemergência: A solução já!.
  • Estado da Arte. Globalização e crime organizado: o Estado da Arte.

G

  • Garantismo. Modelo garantista.
  • Globalização e crime organizado: o Estado da Arte

H

  • Histórico. Crime organizado. Traços históricos e expansão

I

  • Infiltração. Aplicação da norma.
  • Infiltração. Execuçãoda medida.
  • Infiltração.L´ Agent Provocateur: À sombra da árvore envenenada.
  • Infiltração. Responsabilidade. Possibilidades.
  • Infiltração. Responsabilidade do agente infiltrado.
  • Infiltração de agentes noBrasil: O amparo legal.
  • Intervenção. Direitode intervenção.
  • Introdução.
  • Investigação. Prova. Proporcionalidade da medida

L

  • L´ Agent Provocateur: À sombra da árvore envenenada
  • Lei 9.034/95 (íntegra). Utilização de meios operacionais para a prevenção e repressão de ações praticadas por organizações criminosas. Anexo B.
  • Lei 10.217/01 (íntegra). Altera dispositivos da Lei 9.034/95. Anexo C
  • Lei 11.343/06 (íntegra). Institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas e dá outras providências. Anexo D

M

  • Máfia. Organizaçõesde estilo mafioso
  • Medidas inovadoras: The Undercover Agent
  • Medo. Soma de todos os medos.
  • Modelo garantista.

O

  • Organização criminosa: porum conceito mínimo.
  • Organização de estilo mafioso
  • Órgãos humano. Crime organizado. Drogas. rins humanos. Rembrandts.

P

  • Política criminal. Direito Penal de emergência: A solução já!.
  • Prova. Valor da prova

R

  • Referências.
  • Rembrandts. Crime organizado. Drogas. rins humanos. Rembrandts.
  • Representação por infiltração de agente. Modelo. Anexo F.
  • Responsabilidade do agente infiltrado

S

  • Segurança pública. Por umcorpus teórico.
  • Soma de todos os medos
  • Substitutivo do Projeto de Lei do Senado 67/96 (íntegra). Dispõe sobre as organizações criminosas, meios de obtenção de prova e procedimento criminal. Anexo E

T

  • The Undercover Agent. Medidas inovadoras: The Undercover Agent

V

  • Valor da prova.
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: