Adicção - Um Estudo sobre Passividade e Violência Psíquica

Vanuza Monteiro Campos Postigo

Parcele em até 6x sem juros no cartão.
Parcela mínima de R$ 20,00

Versão impressa

Ficha técnica

Autor(es): Vanuza Monteiro Campos Postigo

ISBN: 978853622793-1

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 138

Publicado em: 29/01/2010

Área(s): Psicologia - Psicanálise

Sinopse

A psicanálise vem sendo convocada a investigar o significativo incremento de quadros clínicos que apresentam uma problemática marcada por atuações e passagens ao ato que convocam principalmente a utilização do corpo em detrimento da representação psíquica e da simbolização, bem como um predominante esvaziamento de sua interioridade e de seu discurso.
Os chamados “casos difíceis” ou “limites” apresentam diversas configurações: somatizações e adicções são exemplos de quadros que envolvem uma dimensão compulsiva e disruptiva.
A questão do incremento dessas formas de sofrimento nos incita a refletir na relação entre e a exacerbação dessas “novas” patologias e o contexto contemporâneo. Afinal, a psicanálise considera a constituição da subjetividade em seu entrelaçamento com a cultura e indissocia o sujeito humano das influências e exigências que a cultura lhe faz.
Determinados elementos da atualidade vêm se destacando neste contexto como a cultura do narcisismo, a difusão do individualismo, a valorização da imagem, do externo - característica da sociedade do espetáculo -, uma cultura do consumo marcada pela efemeridade dos objetos, do hedonismo. De alguma maneira, poderia estes elementos ensejar a transformação do próprio sujeito e de suas relações em objeto?
Levando em conta esta contextualização e os novos parâmetros estabelecidos pelo contemporâneo, a autora se dedica a um estudo intrapsíquico dessas questões, privilegiando uma análise sobre as adicções, de como um modo de relacionamento compulsivo com um determinado objeto que assume lugar de prevalência na vida do sujeito. Qual o estatuto que este modo de relacionamento escravizante – addictu – assume para o sujeito?
Trata-se aí de uma relação sujeito/objeto comprometida, de difícil de manejo, onde a dificuldade é centrada, principalmente, na delimitação e sustentação dos limites entre o sujeito e o objeto. Através o estudo da adicção e dos modos compulsivos de relacionamento com os objetos, o livro nos insere no modo de funcionamento de uma relação marcada pelo traumático e convida o leitor a problematizar os impasses que esses casos trazem para a clínica, bem como a reinterrogar o manejo destas situações no setting.

Autor(es)

Vanuza Monteiro Campos Postigo é Doutora em Teoria Psicanalítica; Mestra em Psicologia (UFRJ); Especialista em Psicologia Clínica (PUC/RJ); Professora de Psicologia (Instituto Brasileiro de Medicina e Reabilitação – Uni-IBMR; Psicóloga Clínica (PUC/RJ).
 

Sumário

INTRODUÇÃO

1 A ADICÇÃO E O PADECIMENTO PSÍQUICO

1.1 A adicção no campo das psicopatologias

1.2 A adicção: terminologia e definição

1.3 A adicção no campo dos estados limites

2 TRAUMÁTICO E PASSIVIDADE ANTE A PULSÃO NA ADICÇÃO

2.1 A primeira concepção do trauma: da gênese à "latência" na teoria

2.1.1 Os estudos sobre a histeria: o trauma e o "corpo estranho"

2.1.2 O projeto para uma psicologia científica: o esboço do pulsional traumático

2.2 A segunda teoria pulsional e o ressurgimento do trauma na teoria

2.2.1 Nos limites da representação

2.2.2 Contribuições de Sándor Ferenczi ao estudo do trauma

2.2.3 Jean Laplanche: o trauma na "situação originária"

2.3 A compulsão à repetição como a expressão do traumático

2.3.1 Wiederholung: a noção de repetição em Freud e a dupla vertente na teoria

2.3.2 A força imperativa de Zwang

2.3.3 O caráter de resposta na compulsão à repetição

2.3.4 O papel da pulsão de dominação

3 O EU E O OUTRO NA ADICÇÃO: A RELAÇÃO DE PAIXÃO

3.1 A adicção e a questão da passividade

3.1.1 O termo "paixão" e suas conotações

3.2 Freud, paixão e adicção

3.2.1 Da hipnose à sugestão: o poder do outro e a sombra da paixão

3.2.2 O fascínio do líder e a servidão ao outro

3.3 A contribuição de Sándor Ferenczi à temática da paixão

3.4 A face mortífera da paixão: a tirania do objeto

3.5 O objeto da paixão e o fracasso do trabalho do negativo

3.5.1 O trabalho do negativo

3.5.2 Função objetalizante versus função desobjetalizante

4 ADICÇÃO: DESEJO, NECESSIDADE E AUTOCONSERVAÇÃO DE SI

4.1 Desejo, necessidade e a questão do apoio

4.1.1 O retorno à necessidade e o "desapoio" da pulsão na adicção

4.1.2 Freud e a primeira teoria pulsional

4.1.3 A noção de apoio

4.1.4 A metamorfose pulsional: uma nova perversão da pulsão

4.2 A neonecessidade e a autoconservação de si: o paradoxo da adicção

4.2.1 A autoconservação narcísica e a montagem psíquica da adicção

4.2.2 O objeto necessário e a dependência materna

4.2.3 O objeto transitório e o fracasso da separação sujeito/objeto

4.3 A adicção e a falha na função do objeto

4.3.1 O objeto da adicção e a criação de uma alteridade interna

4.3.2 O objeto transformacional: uma possível resposta àsangústias de intrusão

4.3.3 A adicção e o objeto único

CONSIDERAÇÕES FINAIS

REFERÊNCIAS

Índice alfabético

A

  • Adicção. Autoconservação narcísica e a montagem psíquica da adicção
  • Adicção. Eu e o outro na adicção: a relação de paixão
  • Adicção. Freud, paixão e adicção.
  • Adicção. Traumático e passividade ante a pulsão na adicção
  • Adicção: desejo, necessidade e autoconservação de si.
  • Adicção e a falha na função do objeto.
  • Adicção e a questão da passividade.
  • Adicção e o objeto único
  • Adicção e o padecimento psíquico.
  • Adicção no campo daspsicopatologias.
  • Adicção no campo dos estados limites.
  • Adicção: terminologia e definição.
  • Angústia. Objeto transformacional: uma possível resposta às angústias de intrusão
  • Apoio. Desejo, necessidade e a questão do apoio
  • Apoio. Noção de apoio.
  • Autoconservação de si. Adicção: desejo, necessidade e autoconservação de si.
  • Autoconservação de si. Neonecessidade e a autoconservação de si: o paradoxo da adicção
  • Autoconservação narcísica e a montagem psíquica da adicção.

C

  • Caráter de resposta na compulsão à repetição
  • Compulsão. Caráter de resposta na compulsão à repetição
  • Compulsão à repetição como a expressão do traumático
  • Conceito. Termo "paixão"e suas conotações.
  • Considerações finais
  • Contribuição de Sándor Ferenczi à temática da paixão
  • Contribuições de Sándor Ferenczi ao estudo do trauma

D

  • Definição. Adicção: terminologia e definição
  • Dependência materna. Objeto necessário e a dependência materna
  • Desejo. Adicção: desejo, necessidade e autoconservação de si.
  • Desejo, necessidade e a questão do apoio.
  • Dominação. Papel da pulsão de dominação.

E

  • Estado limite. Adicção no campo dos estados limites
  • Estudo do trauma. Contribuições de Sándor Ferenczi ao estudo do trauma
  • Estudos sobre a histeria: o trauma e o "corpo estranho".
  • Eu e o outro na adicção: a relação de paixão
  • Expressão do traumático. Compulsão à repetição como a expressão do traumático

F

  • Face mortífera da paixão: a tirania do objeto
  • Fascínio do líder e a servidão ao outro.
  • Força imperativa deZwang
  • Fracasso da separação sujeito/objeto e objeto transitório.
  • Freud. Wiederholung: a noção de repetição em Freud e a dupla vertente na teoria
  • Freud e a primeira teoria pulsional.
  • Freud, paixão e adicção
  • Função desobjetalizante. Função objetalizanteversus função desobjetalizante
  • Função do objeto. Adicção e a falha na função do objeto.
  • Função objetalizanteversus função desobjetalizante

G

  • Gênese. Primeira concepção do trauma: da gênese à "latência" na teoria

H

  • Hipnose. Poder do outro e a sombra da paixão. Da hipnose à sugestão.
  • Hipnose à sugestão: o poder do outro e a sombra da paixão.

I

  • Imperatividade. Força imperativa de Zwang.
  • Introdução.
  • Intrusão. Objeto transformacional: uma possível resposta às angústias de intrusão

J

  • Jean Laplanche: o trauma na "situação originária".

L

  • Latência. Primeira concepção do trauma: da gênese à "latência" na teoria
  • Líder. Fascínio do líder e a servidão ao outro.
  • Limites da representação

M

  • Metamorfose pulsional: uma nova perversão da pulsão
  • Montagem psíquica. Autoconservação narcísica e a montagem psíquica da adicção.

N

  • Necessidade. Adicção: desejo, necessidade e autoconservação de si
  • Necessidade. Desejo, necessidade e a questão do apoio.
  • Negativo. Trabalho do negativo.
  • Negativo. Trabalho do negativo. Objeto da paixão e o fracasso do trabalho do negativo.
  • Neonecessidade e a autoconservação de si: o paradoxo da adicção

O

  • Objeto da adicção e a criação de uma alteridade interna
  • Objeto da paixão e o fracasso do trabalho do negativo.
  • Objeto necessário e a dependência materna
  • Objeto transformacional: uma possível resposta às angústias de intrusão
  • Objeto transitório e o fracasso da separação sujeito/objeto.
  • Objeto único. Adicçãoe o objeto único
  • Outro. Eu e o outro na adicção: a relação de paixão
  • Outro. Fascínio do líder e a servidão ao outro.
  • Outro. Poder do outro e a sombra da paixão. Da hipnose à sugestão.

P

  • Padecimento psíquico. Adicção e o padecimento psíquico.
  • Paixão. Contribuição de Sándor Ferenczi à temática da paixão.
  • Paixão. Eu e o outro na adicção: a relação de paixão.
  • Paixão. Face mortífera da paixão: a tirania do objeto
  • Paixão. Freud, paixão e adicção
  • Paixão. Objeto da paixão e o fracasso do trabalho do negativo
  • Paixão. Poder do outro e a sombra da paixão. Da hipnose à sugestão
  • Papel da pulsão de dominação.
  • Paradoxo da adicção. Neonecessidade e a autoconservação de si: o paradoxo da adicção.
  • Passividade. Adicção e a questão da passividade.
  • Passividade. Traumático e passividade ante a pulsão na adicção.
  • Perversão da pulsão. Metamorfose pulsional: uma nova perversão da pulsão
  • Poder do outro e a sombra da paixão. Da hipnose à sugestão
  • Primeira concepção do trauma: dagênese à "latência" na teoria
  • Projeto para uma psicologia científica: esboço do pulsional traumático.
  • Psicanálise. Adicção e o padecimento psíquico
  • Psicanálise. Adicção no campo dos estados limites
  • Psicopatologia. Adicção nocampo das psicopatologias
  • Psicopatologia. Projeto para uma psicologia científica: esboço do pulsional traumático.
  • Pulsão. Papel da pulsão de dominação
  • Pulsão na adicção. Traumático e passividade ante a pulsão na adicção
  • Pulsional traumático. Projeto para uma psicologia científica: esboço do pulsional traumático.
  • Pulsional traumático. Segunda teoria pulsional e o ressurgimento do trauma na teoria

R

  • Referências
  • Repetição. Caráter de resposta na compulsão à repetição
  • Repetição. Compulsão à repetição como a expressão do traumático.
  • Repetição. Wiederholung: a noção de repetição em Freud e a dupla vertente na teoria.
  • Representação. Nos limites da representação
  • Retorno à necessidade e o "desapoio" da pulsão na adicção

S

  • Sándor Ferenczi. Contribuição de Sándor Ferenczi à temática da paixão.
  • Sándor Ferenczi. Contribuições de Sándor Ferenczi ao estudo do trauma
  • Segunda teoria pulsional e o ressurgimento do trauma na teoria.
  • Servidão. Fascínio do líder e a servidão ao outro
  • "Situação originária". Jean Laplanche: o trauma na "situação originária"

T

  • Teoria pulsional. Freud e a primeira teoria pulsional.
  • Teoria pulsional. Segunda teoria pulsional e o ressurgimento do trauma na teoria.
  • Terminologia. Adicção e o padecimento psíquico
  • Terminologia. Adicção: terminologia e definição.
  • Termo "paixão" e suas conotações.
  • Tirania do objeto. Face mortífera da paixão: a tirania do objeto.
  • Trabalho do negativo.
  • Trabalho do negativo. Objeto da paixão e o fracasso do trabalho do negativo
  • Trauma. Compulsão à repetição como a expressão do traumático.
  • Trauma. Contribuições de Sándor Ferenczi ao estudo do trauma
  • Trauma. Jean Laplanche: o trauma na "situação originária".
  • Trauma. Primeira concepção do trauma: da gênese à "latência" na teoria.
  • Traumático e passividade ante a pulsão na adicção

W

  • Wiederholung: a noção de repetição em Freud e a dupla vertente na teoria.

Z

  • Zwang. Força imperativa de Zwang.

Recomendações

Capa do livro: Autismo e Psicanálise - O Lugar Possível do Analista na Direção do Tratamento, Flávia Chiapetta de Azevedo

Autismo e Psicanálise - O Lugar Possível do Analista na Direção do Tratamento

 Flávia Chiapetta de AzevedoISBN: 978853622357-5Páginas: 166Publicado em: 04/08/2009

Versão impressa

R$ 49,90Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Psicoses - Da Teoria à Clínica - Uma Perspectiva Freudiano-Lacaniana, Francis Juliana Fontana

Psicoses - Da Teoria à Clínica - Uma Perspectiva Freudiano-Lacaniana

 Francis Juliana FontanaISBN: 978853625119-6Páginas: 142Publicado em: 07/05/2015

Versão impressa

R$ 44,70Adicionar ao
carrinho
Versão impressa
+ eBook grátis

Na compra da versão impressa, a versão digital é brinde!


Versão digital

R$ 30,90Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Da Razão ao Delírio - Por uma Abordagem Interdisciplinar do Conceito de Loucura, Fabrício Junio Rocha Ribeiro

Da Razão ao Delírio - Por uma Abordagem Interdisciplinar do Conceito de Loucura

 Fabrício Junio Rocha RibeiroISBN: 978853623032-0Páginas: 174Publicado em: 30/03/2011

Versão impressa

R$ 49,90Adicionar ao
carrinho