Defesa e Viver Criativo - Um Estudo sobre a Criatividade nas Obras de S. Freud e D. W. Winnicott

Vera Cristina Chagas Corrêa de Souza

Leia na Biblioteca Virtual
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Vera Cristina Chagas Corrêa de Souza
ISBN: 978853623357-4
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 128
Publicado em: 21/07/2011
Área(s): Psicologia - Psicanálise
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

“Houve um tempo em que os artistas, bem como a parcela mais questionadora da intelectualidade, corriam para longe dos divãs dos psicanalistas como o diabo foge da cruz. Naquele tempo, predominava o entendimento de que o tratamento psicanalítico acabaria por conformá-los ao way of life da burguesia mal pensante acarretando, como efeito maior, o embotamento da sua criatividade. Entre uma vida adaptada - e insossa - e o indômito gênio criador, a preferência pelo último era evidente. É triste constatar que esse conceito não foi o fruto bichado de alguma imaginação desapegada, mas responsabilidade dos próprios psicanalistas que, ao abusar do instrumento interpretativo, terminavam por confundir obra com defesa maníaca e excentricidade com perversão, inibindo as manifestações mais apaixonadas dos seus analisandos. Mais triste ainda é admitir que não faz muito tempo...
O percurso tecido por Vera Cristina Chagas Corrêa de Souza entre as obras de Freud e de Winnicott integra o conjunto recente das pesquisas produzidas na Universidade que vêm contribuindo para libertar a psicanálise desse imerecido imaginário. Nele descobrimos que o viver criativo não é privilégio de estetas que cultivam o lado sombrio do pensamento, e que o espaço potencial que se constitui entre o divã e a poltrona do psicanalista é habitado, assim como um ateliê, tanto pelas pulsões sublimadas quanto pelas paixões corpóreas que tornam vibrante a nossa existência”.
 

Daniel Kupermann
Psicanalista e Professor
Doutor do Departamento de Psicologia
Clínica do Instituto de Psicologia
da Universidade de São Paulo (USP). 

AUTOR(ES)

Vera Cristina Chagas Corrêa de Souza é Mestre em Psicologia Clínica na linha de pesquisa em psicanálise pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, onde, sob a orientação de Octavio Almeida de Souza, defendeu a tese “Defesa e ‘viver criativo’: Um estudo sobre a criatividade nas obras de S. Freud e D.W. Winnicott”; Especialização em Psicologia Clínica – psicanálise – pela Coordenação Central de Extensão-CCE-PUC/RJ; Psicóloga clínica, Psicanalista e Professora. Lecionou, dentre outros lugares, como professora substituta da Universidade Federal do Rio de Janeiro no departamento de Fundamentos da Educação; é membro do ICF – Instituto Cultural Freud e associada ao IEC – Instituto dos Estudos da Complexidade; graduada em psicologia pela PUC/RJ.
 

SUMÁRIO

Introdução

1 Contextualizando a defesa como processo criativo

1.1 Sobre o processo de pensamento

1.2 A incerteza entre recalque e defesa: uma apreensão mais detalhada

1.3 Da defesa à modalidade defensiva: sublimação

2 O processo criativo em termos de sublimação

2.1 Sublimação: primeiras acepções

2.2 Sublimação: nem perversão nem recalcamento

2.3 A incerteza entre sublimação e formação reativa

2.4 Sublimação em seu viés destrutivo

3 Por outra perspectiva da criatividade

3.1 Um breve histórico

3.2 O "berço" da criatividade: distinção entre ilusão, fantasia e criatividade primária

3.3 Preocupação materna primária e experiência de mutualidade: construindo a continuidade do ser

3.4 A criatividade como proposição universal

3.5 O brincar, os objetos e o espaço transicional

Conclusão

Referências

ÍNDICE ALFABÉTICO

B

  • "Berço" da criatividade: distinção entre ilusão, fantasia e criatividade primária
  • Brincar, os objetos e o espaço transicional

C

  • Conclusão
  • Contextualizando a defesa como processo criativo
  • Continuidade do ser. Preocupação materna primária e experiência de mutualidade: construindo a continuidade do ser
  • Criatividade como proposição universal
  • Criatividade primária. O "berço" da criatividade: distinção entre ilusão, fantasia e criatividade primária
  • Criatividade. Contextualizando a defesa como processo criativo
  • Criatividade. Processo criativo em termos de sublimação
  • Criatividade. Sublimação. Por outra perspectiva da criatividade

D

  • Defesa à modalidade defensiva: sublimação
  • Defesa. Contextualizando a defesa como processo criativo
  • Defesa. Incerteza entre recalque e defesa: uma apreensão mais detalhada
  • Destrutividade. Sublimação em seu viés destrutivo

E

  • Espaço transacional. Brincar, osobjetos e o espaço transicional

F

  • Fantasia. O "berço" da criatividade: distinção entre ilusão, fantasia e criatividade primária
  • Formação reativa. Incerteza entresublimação e formação reativa

I

  • Ilusão. O "berço" da criatividade: distinção entre ilusão, fantasia e criatividade primária
  • Incerteza entre recalque e defesa: uma apreensão mais detalhada
  • Incerteza entre sublimaçãoe formação reativa
  • Introdução

M

  • Maternidade. Preocupação materna primária e experiência de mutualidade: construindo a continuidade do ser
  • Mutualidade. Preocupação materna primária e experiência de mutualidade: construindo a continuidade do ser

O

  • Objeto. Brincar, os objetos e o espaço transicional

P

  • Pensamento. Sobre o processo de pensamento
  • Perversão. Sublimação: nem perversão nem recalcamento
  • Preocupação materna primária e experiência de mutualidade: construindo a continuidade do ser
  • Processo criativo em termos de sublimação
  • Processo criativo. Contextualizando a defesa como processo criativo
  • Proposição universal.Criatividade como proposição universal

R

  • Recalque. Incerteza entre recalque e defesa: uma apreensão mais detalhada
  • Recalque. Sublimação: nem perversão nem recalcamento
  • Referências
  • Representação. Sobre o processo de pensamento

S

  • Satisfação pulsional. Incerteza entre recalque e defesa: uma apreensão mais detalhada
  • Ser. Preocupação materna primáriae experiência de mutualidade: construindo a continuidade do ser
  • Sobre o processo de pensamento
  • Sublimação em seu viés destrutivo
  • Sublimação. Defesa à modalidade defensiva: sublimação
  • Sublimação. Incerteza entre sublimação e formaçãoreativa
  • Sublimação. Processo criativo em termos de sublimação
  • Sublimação: nem perversão nem recalcamento
  • Sublimação: primeiras acepções

V

  • Viver criativo. Brincar, os objetos e o espaço transicional

W

  • Winnicott. Criatividade. Um breve histórico
  • Winnicott. Por outra perspectiva da criatividade
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: