Espaço de Vida do Agente de Segurança Penitenciária no Cárcere, O - Entre Gaiolas, Ratoeiras e Aquários

Arlindo da Silva Lourenço

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Arlindo da Silva Lourenço
ISBN: 978853623529-5
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 198
Publicado em: 28/10/2011
Área(s): Psicologia - Jurídica
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

A pesquisa de Arlindo da Silva Lourenço, experiente psicólogo do sistema penitenciário, teve como foco o espaço de vida dos Agentes de Segurança Penitenciária. Interessou-lhe examinar, por meio de acurada observação do ambiente de trabalho dos agentes e de depoimentos por eles prestados, a dinâmica psicossocial desses profissionais no local de sua função, a saber, o cárcere. Valeu-se para isso das luminosas análises oferecidas por Kurt Lewin para o entendimento psicológico das relações grupais, e chegou a descobertas relevantes para a compreensão da atual situação desses funcionários e para o aperfeiçoamento de suas condições de vida e trabalho. Ambiente físico das prisões, estado das instalações, relações pessoais com os colegas e com os presos foram os principais tópicos da pesquisa. Importante conclusão do estudo foi a confirmação do papel paradoxal do Agente de Segurança Penitenciária: repressor e ressocializador. Esse papel, que na verdade são dois, põe em causa todo o sistema penitenciário e social. A prisão, com efeito, com seus internos, apenados e vigias, é um lugar sintomático da vida em sociedade e, em particular, da vida em nossa sociedade. Como em todo estudo psicológico, a dimensão psicossocial não é dissociada da dimensão individual. Os depoimentos obtidos dos agentes permitem acompanhar a diversidade de motivações, expectativas, planos de futuro, preocupações e emoções dos profissionais estudados. Toda essa diversidade, contudo, toma corpo nas relações de interdependência do espaço de vida da prisão. Psicólogos, sociólogos, políticos e administradores encontrarão na pesquisa de Arlindo Lourenço dados, análises e proposições pertinentes para aprimorar e, mais do que isso, transformar a realidade prisional e social.

Geraldo José de Paiva
Professor Titular do Departamento de Psicologia Social e do Trabalho, do Instituto de Psicologia da USP.

AUTOR(ES)

 

Arlindo da Silva Lourenço é Doutor em Ciências: Psicologia Social pela Universidade de São Paulo – USP; Mestre em Educação: História, Política, Sociedade, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP; Psicólogo da Penitenciária “José Parada Neto”, de Guarulhos; Membro do Conselho Penitenciário do Estado de São Paulo; Membro da Associação Brasileira de Psicologia Social – Abrapso; Diretor Sindical (SinPsi-SP e CNTSS/CUT) e Professor universitário.

SUMÁRIO

Introdução

I - O Agente de Segurança Penitenciária e sua Atividade Profissional no Interior do Cárcere

II - As Pesquisas Sobre o Processo Saúde-Doença do ASP no Interior do Cárcere

III - O Espaço de Vida dos Agentes de Segurança Penitenciária

IV - Procedimentos Metodológicos

V - A Entrada na Prisão Enquanto Pesquisador: As Primeiras (ou Segundas) Impressões

VI - Análise e Discussão das Observações

Considerações Finais, ou Pensando Saídas Possíveis

Referências

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • Agente de segurança penitenciária esua atividade profissional no interior do cárcere
  • Agente penitenciário. Espaço de vida dos agentes de segurança penitenciária
  • Agente penitenciário. Pesquisa. Metodologia. Procedimentos metodológicos
  • Análise e discussãodas observações
  • ASP. Pesquisas sobre o processo saúde-doença do ASP no interior do cárcere
  • ASP. Pesquisas sobre o processo saúde-doença do ASP no interior do cárcere
  • Atividade profissional. Agente de segurança penitenciária e sua atividade profissional no interior do cárcere

C

  • Cárcere. Agente de segurança penitenciária e sua atividade profissional no interior do cárcere
  • Cárcere. Pesquisas sobre o processo saúde-doença do ASP no interior do cárcere
  • Conclusão. Considerações finais, ou pensando saídas possíveis
  • Considerações finais, ou pensando saídas possíveis

D

  • Discussão e análisedas observações
  • Doença. Pesquisas sobre o processo saúde-doença do ASP no interior do cárcere

E

  • Entrada na prisão enquanto pesquisador: as primeiras (ou segundas) impressões
  • Espaço de vida do agente penitenciário. Entrada na prisão enquanto pesquisador: as primeiras (ou segundas) impressões
  • Espaço de vida dos agentes de segurança penitenciária

I

  • Introdução

M

  • Metodologia. Procedimentos metodológicos

O

  • Observações. Análise e discussão das observações

P

  • Penitenciária. Agente de segurança penitenciária e sua atividade profissional no interior do cárcere
  • Penitenciária. Espaço de vida dos agentes de segurança penitenciária
  • Pesquisa. Procedimentos metodológicos
  • Pesquisador. Entrada na prisão enquanto pesquisador: as primeiras (ou segundas) impressões
  • Pesquisas sobre o processo saúde-doençado ASP no interior do cárcere
  • Prisão. Entrada na prisão enquanto pesquisador: as primeiras (ou segundas) impressões
  • Procedimentos metodológicos
  • Processo saúde-doença. Pesquisassobre o processo saúde-doença do ASP no interior do cárcere
  • Profissão. Agente de segurança penitenciária e sua atividade profissional no interior do cárcere
  • Profissão. Entrada na prisão enquanto pesquisador: as primeiras (ou segundas) impressões

R

  • Realidade psicossocial. Procedimentos metodológicos
  • Referências

S

  • Saídas possíveis. Considerações finais, ou pensando saídas possíveis
  • Saúde. Pesquisas sobre o processo saúde-doença do ASP no interior do cárcere
  • Segurança penitenciária. Agente desegurança penitenciária e sua atividade profissional no interior do cárcere
  • Segurança penitenciária. Espaço de vida dos agentes de segurança penitenciária

V

  • Vida dos agentes. Espaço de vida dosagentes de segurança penitenciária
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: