Direito Natural e Direitos Humanos - Fundamentação e Efetivação Universal

Inácio Cappellari

Parcele em até 6x sem juros no cartão.
Parcela mínima de R$ 20,00

Versão impressa

Ficha técnica

Autor(es): Inácio Cappellari

ISBN: 978853624034-3

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 158

Publicado em: 10/12/2012

Área(s): Direito Constitucional; Direito - Filosofia do Direito

Sinopse

As questões que envolvem a discussão sobre a efetividade na atualidade relacionam-se diretamente à temática dos direitos humanos, englobando as perspectivas e desafios encontrados na contemporaneidade, visando-se contemplar um caráter efetivo de conscientização, implantação e manutenção destes direitos. Este livro visa refletir sobre os direitos humanos na ótica da conscientização, implantação e manutenção destes, utilizando como referencial teórico a filosofia e o direito natural. O estudo tem como base o pensamento de filósofos renomados e grandes pensadores, desde o período clássico até o atual, dando-se destaque à obra de Thomas Hobbes acerca de sua ênfase à necessidade da legislação como meio coercitivo da convivência entre os homens, ao pensamento de Michel Foucault sobre uma nova ordem na governamentalidade e as técnicas de governo biopolíticas, bem como a uma ampla reflexão jurídico-filosófica sobre a base na qual se encontra o fundamento da questão dos direitos humanos. Obra enriquecedora e atual sobre a temática da efetividade e direitos humanos essencial à sua biblioteca.

Autor(es)

Inácio Cappellari é Doutorando em Direito pela Universidad de León - Espanha. Mestre em Filosofia pela UNISINOS. Advogado com atuação na área empresarial. Graduado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), RS. Especialista em Teoria Geral do Processo pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), RS e em Administração e Marketing pela UCS. Aperfeiçoamento em Direito Previdenciário pela UNISINOS e em Direito de Energia pela Fundação Dom Cabral (FDC), Belo Horizonte, Minas Gerais - Brasil. ProfessorUniversitário. Coordenador de Estágios e de Práticas Jurídicas do curso de Direito da UCS.

Sumário

1 INTRODUÇÃO

2 UMA PRIMEIRA APROXIMAÇÃO CONCEITUAL

2.1 Breve relato histórico da evolução do pensamento sobre lei e direito

2.2 Lei natural e direito

2.3 Os direitos invioláveis do homem

2.4 Direitos humanos e direitos fundamentais

3 FUNDAMENTAÇÃO POSITIVISTA DO DIREITO DE THOMAS HOBBES

3.1 O homem, a visão do ser humano na concepção de Hobbes, e seu status inicial no Estado de Natureza

3.2 A necessidade da formação do Estado para a convivência em sociedade, dada a natureza humana

3.3 O dever de obediência às leis positivas

3.4 O dever do súdito de obedecer cegamente às leis positivas, sem a possibilidade de fazer juízo de certo ou errado, do bem e do mal

3.5 Consequências desta ótica positivista para com a efetividade dos direitos humanos contemporâneos

4 GOVERNAMENTALIDADE BIOPOLÍTICA E O DISCURSO DE ESCLARECIMENTO DOS DIREITOS HUMANOS

4.1 A (falsa) evolução do valor da vida de Hobbes até a atualidade

4.2 O governo dos outros

4.3 Poder, verdade e governamentalidade

4.4 O valor da vida humana da modernidade à contemporaneidade

4.5 Governamentalidade de populações e o biopoder

4.6 Poder pastoral como o embrião da governamentalidade biopolítica

4.7 Segurança biopolítica e biopoder: afalsa sensação de liberdade diante do governo das vontades

4.8 O estado de sujeição do indivíduo e a prática da ética do cuidado de si como alternativa

5 FUNDAMENTAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS

5.1 Iniciando-se a reflexão acerca dos direitos humanos: os sujeitos do direito, direitos e o humano sob um ponto de vista jurídico

5.2 Uma análise contemporânea dos direitos humanos

5.3 A imposição de direitos humanos e suas consequências

5.3.1 Consequências de imposições de direitos humanos por meio do direito positivo

5.4 Importância/necessidade de uma fundamentação

5.5 A necessidade de se refletir o direito natural para se dar efetividade o direito positivo

5.6 Direitos humanos como direitos morais

5.6.1 O direito e sua relação com a moral a partir de Carlos Santiago Nino

5.6.2 Os direitos humanos como direitos morais

5.7 Reflexões sobre a ótica dos direitos humanos como direitos morais

6 DIREITOS HUMANOS COMO DIREITOS HISTÓRICOS E A TEORIA GERACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS

6.1 O reconhecimento da existência de direitos para todos e a luta por reconhecimento como construção da comunidade política

6.2 Os direitos humanos como direitos históricos

6.3 A necessidade de uma construção lenta e progressiva dos direitos humanos

6.4 As chamadas gerações de direitos humanos

6.4.1 A primeira geração dos direitos humanos

6.4.2 A segunda geração dos direitos humanos

6.4.3 A terceira geração dos direitos humanos

6.4.4 A quarta geração dos direitos humanos

6.4.5 A quinta geração dos direitos humanos.

6.5 Comentários acerca dos direitos humanos como direitos históricos

7 CONCLUSÃO

REFERÊNCIAS

Índice alfabético

B

  • Bem. Dever do súdito de obedecer cegamente às leis positivas, sem a possibilidade de fazer juízo de certoou errado, do bem e do mal
  • Biopoder. Governamentalidade de Populações e o Biopoder
  • Biopoder. Segurança Biopolítica e Biopoder: a falsa sensação de liberdade diante do governo das vontades
  • Biopolítica. Governamentalidade biopolítica e o discurso de esclarecimento dos direitos humanos
  • Biopolítica. Poder Pastoral como o embrião da governamentalidade biopolítica
  • Biopolítica. Segurança Biopolítica e Biopoder: a falsa sensação de liberdade diante do governo das vontades
  • Breve relato histórico da evoluçãodo pensamento sobre lei e direito

C

  • Carlos Santiago Nino. Direito e sua relação com a moral a partir de Carlos Santiago Nino
  • Chamadas gerações dedireitos humanos
  • Comentários acerca dos direitos humanos como direitos históricos
  • Comunidade política. Reconhecimento da existência de direitos para todos e a luta por reconhecimento como construção da comunidade política
  • Conceito. Uma primeira aproximação conceitual
  • Conclusão
  • Consequências desta ótica positivista para com a efetividade dos direitos humanos contemporâneos
  • Consequências de imposições de direitos humanos por meio do direito positivo
  • Contemporaneidade. Valor da vida humana da modernidade à contemporaneidade
  • Convivência. Necessidade da formação do Estado para a convivência em sociedade, dada a natureza humana
  • Cuidado de si. Estado de sujeição do indivíduo e a prática da ética do cuidado de si como alternativa

D

  • Dever de obediênciaàs leis positivas
  • Dever do súdito de obedecer cegamente às leis positivas, sem a possibilidade de fazer juízo de certo ouerrado, do bem e do mal
  • Direito e sua relação com a moral a partir de Carlos Santiago Nino
  • Direito natural. Necessidade de se refletir o direito natural para se dar efetividade ao direito positivo
  • Direito positivo. Consequências de imposições de direitos humanos por meio do direito positivo
  • Direito positivo. Necessidade de se refletir o direito natural para se dar efetividade ao direito positivo
  • Direito. Breve relato histórico da evolução do pensamento sobre lei e direito
  • Direito. Lei Natural e Direito
  • Direitos fundamentais. Direitos humanos e direitos fundamentais
  • Direitos históricos. Comentários acerca dos direitos humanos como direitos históricos
  • Direitos históricos. Direitos humanos como direitos históricos
  • Direitos humanos como direitos históricos e a teoria geracional dos direitos humanos
  • Direitos humanos como direitos históricos
  • Direitos humanos como direitos morais
  • Direitos humanos como direitos morais
  • Direitos humanos contemporâneos. Consequências desta ótica positivista para com a efetividade dos direitos humanos contemporâneos
  • Direitos humanos e direitos fundamentais
  • Direitos humanos. Chamadas gerações de direitos humanos
  • Direitos humanos. Comentários acerca dos direitos humanos como direitos históricos
  • Direitos humanos. Consequências de imposições de direitos humanos por meio do direito positivo
  • Direitos humanos. Fundamentação
  • Direitos humanos. Governamentalidade biopolítica e o discurso de esclarecimento dos direitos humanos
  • Direitos humanos. Imposição de direitos humanos e suas consequências
  • Direitos humanos. Iniciando-se a reflexão acerca dos Direitos Humanos: Os sujeitos do direito, direitos e o humano sob um ponto de vista jurídico
  • Direitos humanos. Necessidade de uma construção lenta e progressiva dos direitos humanos
  • Direitos humanos. Primeira geração dos direitos humanos
  • Direitos humanos. Quarta geração dos direitos humanos
  • Direitos humanos. Quinta geração dos direitos humanos
  • Direitos humanos. Reflexões sobre a ótica dos direitos humanos como direitos morais
  • Direitos humanos. Segunda geração dos direitos humanos
  • Direitos humanos. Terceira geração dos direitos humanos
  • Direitos humanos. Uma análise contemporânea dos Direitos Humanos
  • Direitos invioláveis do homem
  • Direitos morais. Direitos humanos como direitos morais
  • Direitos morais. Direitos humanos como direitos morais
  • Direitos morais. Reflexões sobre a ótica dos direitos humanos como direitos morais
  • Direitos para todos. Reconhecimento da existência de direitos para todos e a luta por reconhecimento como construção da comunidade política

E

  • Efetividade. Consequências desta ótica positivista para com a efetividade dos direitos humanos contemporâneos
  • Efetividade. Necessidade de se refletir o direito natural para se dar efetividade ao direito positivo
  • Esclarecimento. Governamentalidade biopolítica e o discurso de esclarecimento dos direitos humanos
  • Estado de natureza. Homem, a visão do ser humano na concepção de Hobbes, e seu status inicial no Estado de Natureza
  • Estado de sujeição do indivíduo e a prática da ética do cuidado de si como alternativa
  • Estado. Necessidade da formação do Estado para a convivência em sociedade, dada a natureza humana
  • Ética. Estado de sujeição do indivíduo e a prática da ética do cuidado de si como alternativa

F

  • Fundamentação dosdireitos humanos
  • Fundamentação Positivista doDireito de Thomas Hobbes
  • Fundamentação. Importância/necessidade de uma fundamentação

G

  • Governamentalidade biopolítica e o discurso de esclarecimento dos direitos humanos
  • Governamentalidade de Populações e o Biopoder
  • Governamentalidade. Poder Pastoral como o embrião da governamentalidade biopolítica
  • Governamentalidade. Poder, Verdade e Governamentalidade
  • Governo das vontades. Segurança Biopolítica e Biopoder: a falsa sensação de liberdade diante do governo das vontades
  • Governo dos outros

H

  • Hobbes. A (falsa) evolução do valor davida de Hobbes até a atualidade
  • Hobbes. Homem, a visão do ser humano na concepção de Hobbes, e seustatus inicial no Estado de Natureza
  • Homem, a visão do ser humano na concepção de Hobbes, e seustatus inicial no Estado de Natureza
  • Humano. Iniciando-se a reflexão acerca dos Direitos Humanos: Os sujeitos do direito, direitos e o humano sob um ponto de vista jurídico

I

  • Importância/necessidade de uma fundamentação
  • Imposição de direitos humanos e suas consequências
  • Iniciando-se a reflexão acerca dos Direitos Humanos: Os sujeitos do direito, direitos e o humano sob um ponto de vista jurídico
  • Introdução
  • Inviolabilidade. Direitos invioláveis do homem

J

  • Juízo de certeza. Dever do súdito deobedecer cegamente às leis positivas, sem a possibilidade de fazer juízo decerto ou errado, do bem e do mal

L

  • Lei Natural e Direito
  • Lei positiva. Dever de obediência às leis positivas
  • Lei. Breve relato histórico da evolução do pensamento sobre lei e direito
  • Leis positivas. Dever do súdito de obedecer cegamente às leis positivas, sem a possibilidade de fazer juízo de certo ou errado, do bem e do mal

M

  • Mal. Dever do súdito de obedecer cegamente às leis positivas, sem a possibilidade de fazer juízo de certoou errado, do bem e do mal
  • Modernidade. Valor da vida humana da modernidade à contemporaneidade
  • Moral. Direito e sua relação com a morala partir de Carlos Santiago Nino

N

  • Natureza humana. Necessidade da formação do Estado para a convivência em sociedade, dada a natureza humana
  • Necessidade da formação do Estado para a convivência em sociedade, dada a natureza humana
  • Necessidade de se refletir o direito natural para se dar efetividade ao direito positivo
  • Necessidade de uma construção lentae progressiva dos direitos humanos
  • Necessidade/Importância de uma fundamentação

O

  • Obediência. Dever de obediência às leis positivas

P

  • Pensamento. Breve relato histórico da evolução do pensamento sobre lei e direito
  • Poder Pastoral como o embriãoda governamentalidade biopolítica
  • Poder, Verdade e Governamentalidade
  • Populações. Governamentalidadede Populações e o Biopoder
  • Positivismo. Consequências desta ótica positivista para com a efetividade dos direitos humanos contemporâneos
  • Positivismo. Fundamentação Positivista do Direito de Thomas Hobbes

R

  • Reconhecimento da existência de direitos para todos e a luta por reconhecimento como construção da comunidade política
  • Referências
  • Reflexões sobre a ótica dos direitoshumanos como direitos morais

S

  • Segurança Biopolítica e Biopoder: a falsa sensação de liberdade diante do governo das vontades
  • Ser humano. Homem, a visão do ser humano na concepção de Hobbes, e seu status inicial no Estado de Natureza
  • Sujeição do indivíduo. Estado de sujeição do indivíduo e a prática da ética do cuidado de si como alternativa
  • Sujeito de direito. Iniciando-se a reflexão acerca dos Direitos Humanos: Os sujeitos do direito, direitos e o humano sob um ponto de vista jurídico

T

  • Thomas Hobbes. Fundamentação Positivista do Direito de Thomas Hobbes

U

  • Uma análise contemporânea dos Direitos Humanos
  • Uma primeira aproximação conceitual

V

  • Valor da vida humana da modernidade à contemporaneidade
  • Verdade. Poder, Verdade e Governamentalidade

Recomendações

Capa do livro: Coleção Direito Internacional Multifacetado - Volume III - Direitos Humanos, Guerra e Paz - Prefácio de Caroline Proner, Coordenadoras: Larissa Ramina e Tatyana Scheila Friedrich

Coleção Direito Internacional Multifacetado - Volume III - Direitos Humanos, Guerra e Paz - Prefácio de Caroline Proner

 Coordenadoras: Larissa Ramina e Tatyana Scheila FriedrichISBN: 978853624801-1Páginas: 338Publicado em: 19/09/2014

Versão impressa

R$ 99,90Adicionar ao
carrinho
Versão impressa
+ eBook grátis

Na compra da versão impressa, a versão digital é brinde!


Versão digital

R$ 69,90Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Cotas Raciais no Ensino Superior - Entre o Jurídico e o Político, Coords.: Evandro C. P. Duarte, Dora L. L. Bertúlio e Paulo V. B. Silva

Cotas Raciais no Ensino Superior - Entre o Jurídico e o Político

 Coords.: Evandro C. P. Duarte, Dora L. L. Bertúlio e Paulo V. B. SilvaISBN: 978853621537-2Páginas: 240Publicado em: 21/02/2008

Versão impressa

R$ 69,90Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Jurisdição e Processo III - Estudos em Homenagem ao Prof. Ovídio Baptista da Silva, Coordenador: Jeferson Dytz Marin

Jurisdição e Processo III - Estudos em Homenagem ao Prof. Ovídio Baptista da Silva

 Coordenador: Jeferson Dytz MarinISBN: 978853622747-4Páginas: 250Publicado em: 16/12/2009

Versão impressa

R$ 74,70Adicionar ao
carrinho