Preservação da Empresa no Código Civil Brasileiro

Carlos Alberto Farracha de Castro

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Carlos Alberto Farracha de Castro
ISBN: 978853621570-9
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 220
Publicado em: 17/05/2007
Área(s): Administração; Direito Comercial e Empresarial; Economia
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

A presente investigação envolve a preservação da empresa (elevada a princípio constitucional não escrito), que não só se constitui na linha-mestra do Direito da Empresa no Código Civil Brasileiro (Lei 11.406/2002), como também consubstancia instrumental indispensável para que a atividade econômica auxilie na proteção e concretização dos direitos fundamentais, ao invés de reduzir o indivíduo a simples sujeito proprietário, sem identidade e direcionado exclusivamente ao consumo.
Outro motivo, pois, que impulsiona esse estudo, é justamente resgatar o papel do homem (como sujeito concreto de direitos) nessa nova sociedade globalizada e qual a possibilidade de o mercado e o direito trabalharem em seu favor.

AUTOR(ES)

Carlos Alberto Farracha de Castro é Advogado; Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Curitiba; Mestre e Doutor em Direito pela UFPR; membro integrante do projeto de pesquisa Virada de Copérnico do núcleo de Estudos de Direito Civil do Programa de Pós-Graduação em Direito da UFPR; membro do Instituto dos Advogados do Paraná. Autor dos livros: Falências e Concordatas – A recuperação da empresa em crise e Fundamentos do Direito Falimentar. Tem artigos publicados em revistas especializadas.

ENTREVISTA COM O AUTOR

Título: Preserve sua Empresa
Resumo: Deseja preservar sua empresa? Então confira a substancial entrevista com Dr. Carlos Alberto Farracha!

Clique aqui e leia a íntegra da entrevista.

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

PARTE I - A EVOLUÇÃO DO DIREITO CIVIL E A PRESERVAÇÃO DA EMPRESA A PARTIR DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

1 O PRINCÍPIO CONSTITUCIONAL DA PRESERVAÇÃO DA EMPRESA

1.1 Constituição Federal - A Bússola do Sistema

1.1 Constituição Federal - A Bússola do Sistema

1.2 Concretização da Constituição

1.3 A Ordem Econômica na Constituição Federal de 1988

1.4 Princípio Constitucional da Preservação da Empresa

2 O DIREITO CIVIL POSITIVADO NO CC DE 1916 E O FENÔMENO DA "CONSTITUCIONALIZAÇÃO DO DIREITO CIVIL"

2.1 Modelo Clássico

2.2 Superação da Teoria Tradicional do Direito Civil

2.3 Novos Paradigmas do Direito Civil Contemporâneo

2.4 A Caminho da "Despatrimonialização" do Direito Civil

3 A ATIVIDADE ORGANIZADA

3.1 O Exercício da Profissão

3.2 Sujeito Comerciante

3.3 A Problemática Envolvendo a Empresa

3.4 O Empresário

3.5 A Despersonificação da Figura do Empresário

PARTE II - DO DIREITO DE EMPRESA E AS LINHAS MESTRAS DO CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO

1 OBSERVAÇÕES SOBRE O DIREITO DE EMPRESA NO CÓDIGO CIVIL

1.1 Idéias Inspiradoras do Código Civil

1.2 Estrutura do Direito de Empresa na Ótica da Comissão Elaboradora do Código Civil

1.3 Rigidez do Texto de Lei - Necessidade de Superação

1.4 A (Re)leitura do Código Civil - A Inexorável Unidade

2 A FUNÇÃO SOCIAL DA EMPRESA E O IMPERATIVO DA SOLIDARIEDADE

2.1 A Função Social da Empresa

2.2 Deveres Sociais do Administrador da Sociedade

2.3 O Papel da Empresa no Novo Milênio

PARTE III - A PRESERVAÇÃO DA EMPRESA E O IMPERATIVO DE SOLIDARIEDADE NO CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO

1 A OBRIGATORIEDADE DE PROTEÇÃO DA PESSOA HUMANA

1.1 A Dignidade da Pessoa Humana - O Alicerce do Sistema

1.2 O Relacionamento entre o Direito e a Economia

1.3 A Possibilidade de Convivência Harmônica entre o Lucro e a Dignidade da Pessoa Humana - Uma Proposta para Reflexão

2 A REUMANIZAÇÃO DA EMPRESA E A SUPERAÇÃO DOS PARADIGMAS CLÁSSICOS

2.1 Implicações Jurídicas da Globalização Econômica

2.2 A Busca de um Sentido Comum Solidário e Participativo

2.3 A Preservação da Empresa - A Construção de uma Teoria Emancipatória

CONCLUSÕES

REFERÊNCIAS

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • Administrador. Deveres sociais doadministrador da sociedade.
  • Atividade organizada.

C

  • Caminho da "despatrimonialização" do Direito Civil
  • Código Civil. (Re)leitura do Código Civil. A inexorável unidade.
  • Código Civil. Direito de empresa e as linhas mestras do Código Civil brasileiro
  • Código Civil. Idéias inspiradoras do Código Civil
  • Código Civil. Observaçãosobre o direito de empresa no Código Civil
  • Código Civil de 1916. Direito Civil positivado no CC de 1916 e o fenômeno da "constitucionalização do Direito Civil"
  • Comissão Elaboradora do Código Civil. Estrutura do direito de empresa na ótica da Comissão Elaboradora do Código Civil
  • Conclusões.
  • Concretização daConstituição.
  • Constitucional. Princípio constitucional da preservação da empresa
  • Constitucional. Princípio constitucional da preservação da empresa
  • Constitucionalização do Direito Civil. Direito Civil positivado no CC de 1916 e o fenômeno da "constitucionalização do Direito Civil".
  • Constituição. Concretização da Constituição
  • Constituição Federal. Abússola do sistema
  • Constituição Federal. Evolução do Direito Civil e a preservação da empresa a partir da Constituição Federal.
  • Constituição Federal. Ordem Econômica na Constituição Federal de 1988.

D

  • Despatrimonialização. Caminho da "despatrimonialização" do Direito Civil
  • Despersonificação da figura do empresário.
  • Deveres sociais do administrador da sociedade.
  • Dignidade da pessoa humana.O alicerce do sistema
  • Dignidade da pessoa humana. Possibilidade de convivência harmônica entre o lucro e a dignidade da pessoa humana. Uma proposta para reflexão
  • Direito Civil. Caminho da "despatrimonialização" do Direito Civil.
  • Direito Civil. Direito Civil positivado no CC de 1916 e o fenômeno da "constitucionalização do Direito Civil".
  • Direito Civil. Evolução e a preservação da empresa a partir da Constituição Federal.
  • Direito Civil. Superação da teoria tradicional do Direito Civil
  • Direito Civil contemporâneo. Novos paradigmas do Direito Civil contemporâneo.
  • Direito Civil positivado no CC de 1916 e o fenômeno da "constitucionalização do Direito Civil".
  • Direito. Relacionamento entreo Direito e a Economia
  • Direito de empresa. Estrutura do direito de empresa na ótica da Comissão Elaboradora do Código Civil.
  • Direito de empresa. Observação sobre o direito de empresa no Código Civil.
  • Direito de empresa. Rigidez do textode lei. Necessidade de superação
  • Direito de empresa e as linhas mestras do Código Civil brasileiro

E

  • Economia. Relacionamento entreo Direito e a Economia
  • Empresa. Atividade organizada.
  • Empresa. Direito de empresa e as linhas mestras do Código Civil brasileiro
  • Empresa. Exercícioda profissão.
  • Empresa. Função social da empresa
  • Empresa. Função social da empresa e o imperativo da solidariedade
  • Empresa. Idéias inspiradoras do Código Civil.
  • Empresa. Papel da empresa no novo milênio
  • Empresa. Preservação da empresa. Aconstrução de uma teoria emancipatória.
  • Empresa. Preservação da empresa e o imperativo de solidariedade no Código Civil brasileiro
  • Empresa. Problemática envolvendo a empresa.
  • Empresa. Reumanização da empresa ea superação dos paradigmas clássicos.
  • Empresário.
  • Empresário. Despersonificação da figura do empresário.
  • Estrutura do direito de empresa na ótica da Comissão Elaboradora do Código Civil
  • Evolução do Direito Civil e a preservação da empresa a partir da Constituição Federal.
  • Exercício da profissão.

F

  • Função social da empresa
  • Função social da empresa e o imperativo da solidariedade

G

  • Globalização econômica. Implicações jurídicas da globalização econômica

I

  • Idéias inspiradoras do Código Civil.
  • Imperativo da solidariedade. Função social da empresa e o imperativo da solidariedade.
  • Implicações jurídicas daglobalização econômica
  • Introdução.

L

  • Lucro. Possibilidade de convivência harmônica entre o lucro e a dignidade da pessoa humana. Uma proposta para reflexão.

M

  • Modelo Clássico.

N

  • Novo milênio. Papel da empresa no novo milênio
  • Novos paradigmas do Direito Civil contemporâneo

O

  • Obrigatoriedade de proteção da pessoa humana.
  • Observação sobre o direito deempresa no Código Civil.
  • Ordem Econômica na Constituição Federal de 1988

P

  • Papel da empresa no novo milênio.
  • Possibilidade de convivência harmônica entre o lucro e a dignidade da pessoa humana. Uma proposta para reflexão.
  • Preservação da empresa. A construção de uma teoria emancipatória
  • Preservação da empresa e o imperativo de solidariedade no Código Civil brasileiro.
  • Preservação da empresa. Evolução doDireito Civil e a preservação da empresa a partir da Constituição Federal
  • Preservação da empresa. Princípio constitucional da preservação da empresa
  • Preservação da empresa. Princípio constitucional da preservação da empresa
  • Princípio constitucional da preservação da empresa
  • Princípio constitucional da preservação da empresa
  • Problemática envolvendo a empresa
  • Profissão. Exercício da profissão
  • Proteção da pessoa humana. Obrigatoriedade de proteção da pessoa humana

R

  • Referências
  • Relacionamento entre o Direito e a Economia.
  • (Re)leitura do Código Civil. A inexorável unidade
  • Reumanização da empresa. Busca de um sentido comum solidário e participativo
  • Reumanização da empresa e a superação dos paradigmas clássicos

S

  • Sociedade. Deveres sociais do administrador da sociedade.
  • Solidariedade. Função social da empresa e o imperativo da solidariedade.
  • Solidariedade. Preservação da empresa e o imperativo de solidariedade no Código Civil brasileiro
  • Sujeito comerciante
  • Superação da teoria tradicional do Direito Civil.

T

  • Teoria emancipatória. Preservação da empresa. A construção de uma teoria emancipatória.
  • Teoria tradicional. Superação da teoria tradicional do Direito Civil
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: