Sobre a Hipérbole Humana - ou O Homem Este Desconhecido

Rogério Moreira Orrutea

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Rogério Moreira Orrutea
ISBN: 978853623172-3
Acabamento: Capa Dura + Sobrecapa
Número de Páginas: 384
Publicado em: 29/10/2010
Área(s): Filosofia
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

Trata-se de uma obra oportuna para ser consultada neste início do século XXI – sobretudo neste período –, na medida em que aponta um reclamo para um existencialismo ético, e ao mesmo tempo retrata como o pensamento filosófico enxerga a condição humana – em todas as dimensões possíveis como ela é – e também a atual forma de atuação do homem – com ênfase não só no quê e como ele se conduz, mas principalmente no quê e como ele pode e deve conduzir as suas realizações.

Nunca o homem experimentou uma explosão tão intensa no campo da Tecnologia e da ciência, conforme se verifica nos tempos hodiernos. Em contrapartida também este mesmo homem nunca tornou-se tão deficitário no campo da Humanística e da Ética. É neste contexto em que o Autor de Sobre a Hipérbole Humana procura refletir sobre as raízes desta problemática e que envolve a natureza humana em geral, focalizando-a em três dimensões fenomênicas básicas: o homem como fenômeno natural, com destaque a sua imprevisibilidade cromossômica, sobretudo no campo da predisposição (moral, intelectual e física), com sua plurivalência; o homem como fenômeno volitivo, com destaque a sua estrutura dualística e a sua faculdade de querer; e finalmente, como consectário disto, necessariamente o homem como fenômeno ético, com destaque o processo da sua construção na parte essencial (natureza alta).

AUTOR(ES)

Rogério Moreira Orrutea - O Autor é Professor de Filosofia do Direito no curso de Direito da Universidade Estadual de Londrina – UEL e é Pós-graduado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUCSP. É Procurador de Justiça no Estado do Paraná.

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

PARTE 1 DA COMBINATÓRIA CROMOSSÔMICA

1 Sobre o Problema do Enigma Humano

1.1 Enigma Humano e Ideologia

1.1.1 Ideologia e Sistema

1.1.2 A Ideologia e os Condicionantes da Lógica do Paradoxo e da Teoria da Interação

2 As Consequências do Enigma Humano e o Papel da Linguagem

2.1 Linguagem Humana e Cultura

2.1.1 O Conceito de Cultura do Sentido Subjetivo e no Sentido Objetivo

3 Da Combinatória Cromossômica

3.1 A Combinatória Cromossômica e o Enigma da Imprevisibilidade

4 Síntese Conclusiva

PARTE 2 O HOMEM E A SUA ESTRUTURA DUALÍSTICA

1 Pressupostos Iniciais da Compreensão Filosófica

2 O Homem na sua Estrutura Dual (Dualismo)

2.1 A Vida e a Morte na Visão da Ciência

2.2 A Vida e a Morte na Visão da Filosofia (Sob uma Visão Filosófica)

2.2.1 A Intuição como Método da Estrutura Dualística

3 Síntese Conclusiva

PARTE 3 DA RENÚNCIA AO CORPO

Capítulo 1 - À Guisa de Fundamentação e Advertência Inicial

1.1 Uma Questão de Teleologia Humanista

1.2 Da Proposição Filosófica na Investigação

Capítulo 2 - Das Faculdades Superiores no Homem e as Predisposições Moral, Intelectual e Física

2.1 As Predisposições como Faculdades Naturais do Homem

2.2 O Homem e a sua Estrutura Dialética Funcionalista

Capítulo 3 - O Homem e a sua Transcendentalidade

3.1 A Questão da Transcendentalidade

3.2 A Transcendentalidade do Homem pela sua Disposição Moral

3.3 A Transcendentalidade do Homem pela sua Disposição Intelectual

3.3.1 A Transcendentalidade pela Disposição Intelectual e o Papel da Inteligência

3.4 A Transcendentalidade na Disposição Intelectual e a Dialética pela Interação

3.5 A Transcendentalidade do Homem e o Caráter-função da Sublimação

3.6 A Transcendentalidade do Homem e o Processo da Superação

3.6.1 A Questão da Superação e da Liberdade Humana

3.6.2 A Questão da Liberdade e a Mnemônica da Humanidade (Coletiva)

3.7 A Implicação Funcional Recíproca da Sublimação e da Superação

Capítulo 4 - O Homem e a sua Degenerescência Progressiva

4.1 A Questão da Degenerescência Progressiva

4.2 A Degenerescência Progressiva pela Ótica da sua Estrutura Dialética

4.3 Juízo de Valor, Juízo de Realidade e Degenerescência Progressiva

4.3.1 Juízo de Valor, Juízo de Realidade, Degenerescência Progressiva e a Relação com a Mente Consciente e a Mente Inconsciente

Capítulo 5 - Da Renúncia ao Corpo

5.1 A Ideia de Renúncia ao Corpo como Fenômeno Dialético

5.2 A Noção de Vida como Entidade Paralela ao Corpo

5.3 Formas Lógicas Condicionantes do Prestígio à Vida

5.4 A Existência do Homem e a Ideia do Paralelismo Essência-Circunstância

5.4.1 O Homem e os Seus Princípios. Os Chamados Valores Permanentes

5.4.2 A Lógica da Interação Essência-Circunstância

5.5 Homem e a sua Individualidade

5.5.1 A Individualidade do Homem e a Dialética da Diversidade ao Lado da Dialética da Adversidade

5.5.2 A Individualidade do Homem, a Vida em Sociedade e a Vida Comunal

5.5.2.1 O Homem e a sua Cidadania

5.5.2.2 O Homem e a sua Solidão

5.5.3 A Individualidade do Homem e as Formas Avaliativas pela Própria Consciência

5.5.4 Individualidade e Inteligência

5.5.5 Individualidade e Essência

5.5.6 Individualidade e Liberdade

Capítulo 6 - O Homem, a sua Essência e a sua Natureza: Um Mundo de Conflito e de Contrariedade

6.1 O Plano da Essência Humana (Função Superior) e o Plano da Natureza Humana (Função Inferior)

6.2 O Homem, o seu Desejo e o seu Crescimento

6.3 O Desejo do Homem nas Formas Matrizes e nas Formas Desdobradas

6.4 O Desejo Matriz na Espécie Humana e os Consectários Poligamia e Monogamia

6.5 O Homem e os Sistemas Matriarcal e Patriarcal

6.6 Sobre a Natureza Humana e a Desigualdade entre os Homens

6.6.1 A Hipocrisia Humana como Sintoma da Desigualdade

6.6.2 A Desigualdade Humana e o Binômio Homem-Poder

6.6.3 Desigualdade e Interdisciplinaridade Entre os Homens

6.7 O Homem como um Ser Ético

6.7.1 O Conceito de Ética pelas suas Condições Objetivas

6.7.2 Normas e Valores

6.7.3 O Fenômeno Jurídico

6.7.4 Sobre a Ética na Política

6.7.5 Ética na Vida Profissional

6.7.5.1 Sobre a Ética do Trabalho

6.7.6 Ética no Convívio e nas Relações Sociais

6.7.7 Ética na Educação

6.7.8 Ética na Economia

6.7.8.1 Economia e Cultura

6.7.8.2 A Propriedade Privada e a Natureza Humana

6.7.9 Natureza Humana e Racionalidade Ética

6.8 Razão e Plenitude

Capítulo 7 - Homem e os seus Universos Básicos: O Universo da Sensibilidade, o Universo da Racionalidade e o Universo da Intuição

7.1 O Homem como um Ser Gnosiológico

7.2 O Homem e o seu Universo da Sensibilidade ou Universo de Primeiro Grau

7.3 O Homem e o seu Universo da Racionalidade ou Universo de Segundo Grau

7.4 O Homem e o seu Universo da Intuição ou Universo de Terceiro Grau

7.5 O Homem no Mundo e o Mundo no Homem (Sobre as Significações, os Conceitos e as Definições)

7.6 O Homem e os seus Talentos

7.7 O Homem e a sua Religiosidade

7.7.1 A Religiosidade na Forma Politeísta

7.7.2 A Religiosidade na Forma Monoteísta

7.7.3 O Homem de Religião, o Homem de Ciência e o Homem de Filosofia

7.8 O Homem e as suas Dimensões e Renúncias

7.9 Sobre o Construtivismo e o Desconstrutivismo Humano

7.9.1 A Crítica Construtivista e a Crítica Desconstrutivista

7.9.2 Construtivismo e Desconstrutivismo: Civilização e Barbárie

7.9.3 Construtivismo e Desconstrutivismo: Estereótipo Sociológico

7.9.4 Construtivismo e Desconstrutivismo na Arte

7.9.5 O Papel das Escolas Oficiais

CONCLUSÕES

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • Adversidade. Individualidade do homem e a dialética da diversidade ao lado da dialética da adversidade.
  • Arte. Construtivismo e desconstrutivismo na arte.

B

  • Barbárie. Construtivismo e desconstrutivismo: civilização e barbárie.
  • Binômio homem-poder. Desigualdade humana e o binômio homem-poder.

C

  • Caráter-função da sublimação. Transcendentalidade do homem e o caráter-função da sublimação.
  • Cidadania. Homem e a sua cidadania.
  • Ciência. Homem de religião, o homem de ciência e o homem de filosofia
  • Ciência. Vida e a mortena visão da ciência.
  • Civilização. Construtivismo e desconstrutivismo: civilização e barbárie
  • Coletividade. Questão da liberdade e a mnemônica da humanidade (coletiva)
  • Combinatória cromossômica.
  • Combinatória cromossômica. Considerações.
  • Combinatória cromossômica. Síntese conclusiva
  • Combinatória cromossômica e o enigma da imprevisibilidade
  • Compreensão filosófica. Pressupostos iniciais
  • Conceito. Homem no mundo e o mundo no homem (sobre as significações, os conceitos e as definições).
  • Conceito de cultura do sentidosubjetivo e no sentido objetivo
  • Conceito de ética pelas suas condições objetivas
  • Conclusões
  • Condicionante da lógica. Ideologia e os condicionantes da lógica do paradoxo e da teoria da interação
  • Conflito. Homem, a sua essência e a sua natureza: um mundo de conflito e de contrariedade
  • Consciência. Individualidade do homem e as formas avaliativas pela própria consciência
  • Consciência. Juízo de valor, juízo de realidade, degenerescência progressiva e a relação com a mente consciente e a mente inconsciente
  • Consectários. Desejo matriz na espécie humana e os consectários poligamia e monogamia
  • Consequências do enigma humano e o papel da linguagem.
  • Construtivismo. Crítica construtivista e a crítica desconstrutivista
  • Construtivismo. Sobre o construtivismo e o desconstrutivismo humano
  • Construtivismo e desconstrutivismo: civilização e barbárie.
  • Construtivismo e desconstrutivismo: estereótipo sociológico.
  • Construtivismo e desconstrutivismo na arte
  • Contrariedade. Homem, a sua essência e a sua natureza: um mundo de conflito e de contrariedade
  • Convívio. Ética no convívio e nas relações sociais
  • Corpo. Noção de vida como entidade paralela ao corpo
  • Corpo. Renúncia ao corpo
  • Corpo. Renúncia ao corpo
  • Corpo. Renúncia ao corpo. À guisa de fundamentação e advertência inicial
  • Corpo e alma. Vida e morte.
  • Crescimento. Homem, o seu desejo e o seu crescimento
  • Crítica construtivista e a crítica desconstrutivista.
  • Cultura. Economia e cultura
  • Cultura. Linguagem humana e cultura
  • Cultura objetiva. Conceito de cultura do sentido subjetivo e no sentido objetivo.
  • Cultura subjetiva. Conceito de cultura do sentido subjetivo e no sentido objetivo.

D

  • Definição. Homem no mundo e o mundo no homem (sobre as significações, os conceitos e as definições)
  • Degenerescência progressiva. Dialética sobre a degenerescência progressiva e a transcendentalidade
  • Degenerescência progressiva. Homem.
  • Degenerescência progressiva. Juízo de valor, juízo de realidade, degenerescência progressiva e a relação com a mente consciente e a mente inconsciente.
  • Degenerescência progressiva. Juízo de valor, juízo de realidade e degenerescência progressiva.
  • Degenerescência progressiva. Questão
  • Degenerescência progressiva pela ótica da sua estrutura dialética.
  • Desconstrutivismo e construtivismo: estereótipo sociológico.
  • Desejo. Homem, o seu desejo e o seu crescimento
  • Desejo do homem nas formas matrizes e nas formas desdobradas
  • Desejo matriz na espécie humana e os consectários poligamia e monogamia.
  • Desigualdade. Hipocrisia humana como sintoma da desigualdade
  • Desigualdade e interdisciplinaridade entre os homens.
  • Desigualdade entre os homens. Sobre a natureza humana e a desigualdade entre os homens.
  • Desigualdade humana e o binômio homem-poder
  • Destrutivismo. Crítica construtivista e a crítica desconstrutivista.
  • Destrutivismo. Sobre o construtivismo e o desconstrutivismo humano.
  • Destrutivismo e construtivismo na arte
  • Dialética. Degenerescência progressiva pela ótica da sua estrutura dialética
  • Dialética. Ideia de renúncia aocorpo como fenômeno dialético
  • Dialética. Transcendentalidade na disposição intelectual e a dialética pela interação
  • Dialética da diversidade. Individualidade do homem e a dialética da diversidade ao lado da dialética da adversidade
  • Dialética dos genes. Ensaio sobre a dialética dos genes.
  • Dialética funcionalista. Homem e a suaestrutura dialética funcionalista.
  • Dialética sobre a degenerescência progressiva e a transcendentalidade.
  • Dimensões. Homem e as suasdimensões e renúncias.
  • Disposição intelectual. Transcendentalidade do homem pela sua disposição intelectual.
  • Disposição intelectual. Transcendentalidade na disposição intelectual e a dialética pela interação
  • Disposição intelectual. Transcendentalidade pela disposição intelectual e o papel da inteligência.
  • Disposição moral. Transcendentalidade do homem pela sua disposição moral.
  • Diversidade. Individualidade do homem e a dialética da diversidade ao lado da dialética da adversidade
  • Dualismo. Homem e a sua estrutura dualística.
  • Dualismo. Homem e a sua estrutura dualística. Síntese conclusiva
  • Dualismo. Homem na sua estrutura dual (dualismo).
  • Dualismo. Intuição como método da estrutura dualística.

E

  • Economia. Ética na economia
  • Economia e cultura.
  • Educação. Ética na educação.
  • Enigma da imprevisibilidade. Combinatória cromossômica e o enigma da imprevisibilidade
  • Enigma humano. Consequências do enigma humano e o papel da linguagem.
  • Enigma humano. Sobre o problema
  • Enigma humano e ideologia
  • Ensaio sobre a dialética dos genes.
  • Ensaio sobre a existência humana
  • Entidade paralela ao corpo. Noção de vida como entidade paralela ao corpo.
  • Escola. Papel das escolas oficiais.
  • Essência. Homem, a sua essência e a sua natureza: um mundo de conflito e de contrariedade.
  • Essência e individualidade
  • Essência-circunstância. Existência do homem e a ideia do paralelismo essência-circunstância
  • Essência-circunstância. Lógica da interação essência-circunstância.
  • Estereótipo sociológico. Construtivismo e desconstrutivismo: estereótipo sociológico
  • Estrutura dialética. Degenerescênciaprogressiva pela ótica da sua estrutura dialética
  • Ética. Conceito de ética pelas suas condições objetivas.
  • Ética. Homem como um ser ético.
  • Ética. Natureza humana e racionalidade ética
  • Ética do trabalho.
  • Ética na economia
  • Ética na educação
  • Ética na política.
  • Ética na vida profissional
  • Ética no convívio e nasrelações sociais.
  • Existência do homem e a ideia do paralelismo essência-circunstância
  • Existência humana. Combinatória cromossômica.
  • Existência humana.Ensaio sobre

F

  • Faculdades superiores no homem e as predisposições moral, intelectual e física
  • Fenômeno dialético. Ideia de renúncia ao corpo como fenômeno dialético.
  • Fenômeno jurídico.
  • Filosofia. Compreensão filosófica. Pressupostos iniciais.
  • Filosofia. Homem de religião, o homem de ciência e o homem de filosofia
  • Filosofia. Proposição filosófica na investigação
  • Filosofia. Vida e a morte na visão dafilosofia (sob uma visão filosófica).
  • Forma desdobrada. Desejo do homem nas formas matrizes e nas formas desdobradas
  • Forma matriz. Desejo do homem nas formas matrizes e nas formas desdobradas
  • Formas lógicas condicionantes do prestígio à vida
  • Funcionalidade. Implicação funcional recíproca da sublimação e da superação
  • Fundamentação. Renúncia ao corpo.À guisa de fundamentação e advertência inicial

G

  • Gnosiologia. Homem como um ser gnosiológico.

H

  • Hipocrisia humana como sintoma da desigualdade.
  • Homem. Combinatória cromossômica
  • Homem. Desejo matriz na espécie humana e os consectários poligamia e monogamia
  • Homem. Desigualdade e interdisciplinaridade entre os homens
  • Homem. Existência do homem e a ideia do paralelismo essência-circunstância
  • Homem. Faculdades superiores no homem e as predisposições moral, intelectual e física
  • Homem. Individualidade do homem, a vida em sociedade e a vida comunal
  • Homem. Individualidade do homem e as formas avaliativas pela própria consciência
  • Homem. Transcendentalidade do homem e o caráter-função da sublimação
  • Homem. Transcendentalidade do homem e o processo da superação.
  • Homem. Transcendentalidade do homem pela sua disposição intelectual
  • Homem. Transcendentalidade do homem pela sua disposição moral
  • Homem, a sua essência e a sua natureza: um mundo de conflito e de contrariedade.
  • Homem como um ser ético.
  • Homem como um sergnosiológico.
  • Homem de religião, o homem de ciência e o homem de filosofia.
  • Homem e a sua cidadania.
  • Homem e a sua estrutura dialética funcionalista
  • Homem e a sua estrutura dualística
  • Homem e a sua estrutura dualística. Síntese conclusiva.
  • Homem e a sua individualidade
  • Homem e a sua religiosidade.
  • Homem e a sua solidão.
  • Homem e as suas dimensões e renúncias
  • Homem e o seu universo da intuição ou universo de terceiro grau
  • Homem e o seu universo da racionalidade ou universo de segundo grau
  • Homem e o seu universo da sensibilidade ou universo de primeiro grau.
  • Homem e os seus princípios. Oschamados valores permanentes
  • Homem e os seus talentos
  • Homem e os seus universos básicos: o universo da sensibilidade, o universo da racionalidade e o universo da intuição
  • Homem e os sistemas matriarcal e patriarcal
  • Homem e sua degenerescência progressiva.
  • Homem e sua transcendentalidade
  • Homem na sua estrutura dual (dualismo).
  • Homem no mundo e o mundo no homem (sobre as significações, os conceitos e as definições).
  • Homem, o seu desejo e o seu crescimento
  • Homem-poder. Desigualdade humana e o binômio homem-poder
  • Humanidade. Questão da liberdade e a mnemônica da humanidade (coletiva)
  • Humanidade. Sobre o construtivismo e o desconstrutivismo humano
  • Humanidade. Sobre o problema do enigma humano.

I

  • Ideia de renúncia ao corpocomo fenômeno dialético
  • Ideologia e enigma humano.
  • Ideologia e os condicionantes da lógica do paradoxo e da teoria da interação
  • Ideologia e sistema
  • Implicação funcional recíproca dasublimação e da superação
  • Imprevisibilidade. Combinatória cromossômica e o enigma da imprevisibilidade.
  • Inconsciência. Juízo de valor, juízo de realidade, degenerescência progressiva e a relação com a mente consciente e a mente inconsciente
  • Individualidade. Homem e a sua individualidade.
  • Individualidade do homem, a vida em sociedade e a vida comunal.
  • Individualidade do homem e a dialética da diversidade ao lado da dialética da adversidade
  • Individualidade do homem e as formas avaliativas pela própria consciência.
  • Individualidade e essência.
  • Individualidade e inteligência.
  • Individualidade e liberdade
  • Inteligência. Transcendentalidade pela disposição intelectual e o papel da inteligência
  • Inteligência e individualidade.
  • Interação essência-circunstância. Lógica.
  • Interação. Transcendentalidade na disposição intelectual e a dialética pela interação
  • Interdisciplinaridade. Desigualdade e interdisciplinaridade entre os homens
  • Introdução
  • Intuição. Homem e o seu universo da intuição ou universo de terceiro grau.
  • Intuição como método da estrutura dualística
  • Intuição. Homem e os seus universos básicos: o universo da sensibilidade, o universo da racionalidade e o universo da intuição.
  • Investigação. Proposição ilosófica na investigação

J

  • Juízo de valor, juízo de realidade, degenerescência progressiva e a relação com a mente consciente e a mente inconsciente.
  • Juízo de valor, juízo de realidade e degenerescência progressiva

L

  • Liberdade. Questão da liberdade e a mnemônica da humanidade (coletiva).
  • Liberdade e individualidade
  • Liberdade humana. Questão da superação e da liberdade humana.
  • Linguagem. Consequências do enigma humano e o papel da linguagem.
  • Linguagem humana e cultura
  • Lógica da interação essência-circunstância.
  • Lógica do paradoxo. Ideologia e os condicionantes da lógica do paradoxo e da teoria da interação.

M

  • Mente. Juízo de valor, juízo de realidade, degenerescência progressiva e a relação com a mente consciente e a mente inconsciente
  • Método. Intuição como método da estrutura dualística.
  • Mnemônica da humanidade. Questão da liberdade e a mnemônica da humanidade (coletiva)
  • Monogamia. Desejo matriz na espécie humana e os consectários poligamia e monogamia
  • Monoteísmo. Religiosidadena forma monoteísta
  • Moralidade. Transcendentalidade do homem pela sua disposição moral.
  • Morte. Vida e a morte na visão da ciência.
  • Morte. Vida e a morte na visão da ilosofia (sob uma visão filosófica)
  • Mundo. Homem no mundo e o mundo no homem (sobre as significações, os conceitos e as definições).

N

  • Natureza. Homem, a sua essência e a sua natureza: um mundo de conflito e de contrariedade.
  • Natureza humana. Propriedade privada e a natureza humana
  • Natureza humana e a desigualdade entre os homens.
  • Natureza humana e racionalidade ética
  • Noção de vida como entidade paralela ao corpo
  • Normas e valores

P

  • Papel das escolas oficiais.
  • Paradoxo. Ideologia e os condicionantes da lógica do paradoxo e da teoria da interação
  • Paralelismo essência-circunstância. Existência do homem e a ideia do paralelismo essência-circunstância.
  • Plano da essência humana (função superior) e o plano da natureza humana (função inferior)
  • Plenitude e razão
  • Poligamia. Desejo matriz na espécie humana e os consectários poligamia e monogamia
  • Politeísmo. Religiosidadena forma politeísta
  • Política. Sobre a ética na política
  • Predisposição física. Faculdades superiores no homem e as predisposições moral, intelectual e física.
  • Predisposição intelectual. Faculdades superiores no homem e as predisposições moral, intelectual e física.
  • Predisposição moral. Faculdades superiores no homem e as predisposições moral, intelectual e física.
  • Predisposições como faculdades naturais do homem.
  • Pressupostos iniciais da compreensão filosófica
  • Princípios. Homem e os seus princípios . Os chamados valores permanentes.
  • Profissão. Ética na vida profissional
  • Proposição filosóficana investigação
  • Propriedade privada e a natureza humana

Q

  • Questão da degenerescência progressiva.
  • Questão da liberdade e a mnemônicada humanidade (coletiva).
  • Questão da superação e da liberdade humana
  • Questão da transcendentalidade

R

  • Racionalidade. Homem e o seu universo da racionalidade ou universo de segundo grau
  • Racionalidade. Homem e os seus universos básicos: o universo da sensibilidade, o universo da racionalidade e o universo da intuição
  • Racionalidade ética. Natureza humana e racionalidade ética
  • Razão e plenitude
  • Realidade. Juízo de valor, juízo de realidade, degenerescência progressiva e a relação com a mente consciente e a mente inconsciente.
  • Realidade. Juízo de valor, juízo de realidade e degenerescência progressiva.
  • Relação social. Ética no convívio e nas relações sociais.
  • Religião. Homem de religião, o homem de ciência e o homem de filosofia.
  • Religiosidade. Homem e a sua religiosidade.
  • Religiosidade na forma monoteísta
  • Religiosidade na forma politeísta
  • Renúncia ao corpo
  • Renúncia ao corpo
  • Renúncia ao corpo. Ideia de renúnciaao corpo como fenômeno dialético.
  • Renúncia ao corpo. À guisa de fundamentação e advertência inicial.
  • Renúncias. Homem e as suasdimensões e renúncias.

S

  • Sensibilidade. Homem e o seu universo da sensibilidade ou universo de primeiro grau
  • Sensibilidade. Homem e os seus universos básicos: o universo da sensibilidade, o universo da racionalidade e o universo da intuição
  • Ser ético. Homem como um ser ético.
  • Ser gnosiológico. Homem como um ser gnosiológico
  • Significação. Homem no mundo e o mundo no homem (sobre as significações, os conceitos e as definições).
  • Sistema e ideologia.
  • Sistema matriarcal. Homem e os sistemas matriarcal e patriarcal.
  • Sistema patriarcal. Homem e os sistemas matriarcal e patriarcal.
  • Sobre a ética do trabalho
  • Sobre a éticana política.
  • Sobre a natureza humana e a desigualdade entre os homens.
  • Sobre o construtivismo e o desconstrutivismo humano.
  • Sobre o problema do enigma humano
  • Solidão. Homem e asua solidão.
  • Sublimação. Implicação funcional recíproca da sublimação e da superação.
  • Superação. Implicação funcional recíproca da sublimação e da superação.
  • Superação. Questão da superação e da liberdade humana.
  • Superação. Transcendentalidade do homem e o processo da superação

T

  • Talento. Homem e os seus talentos
  • Teleologia humanista. Uma questão de teleologia humanista.
  • Teoria da interação. Ideologia e os condicionantes da lógica do paradoxo e da teoria da interação.
  • Trabalho. Sobre a ética do trabalho.
  • Transcendentalidade. Dialética sobre a degenerescência progressiva e a transcendentalidade
  • Transcendentalidade. Homem e sua transcendentalidade
  • Transcendentalidade do homem e ocaráter-função da sublimação.
  • Transcendentalidade do homem e o processo da superação.
  • Transcendentalidade do homem pelasua disposição intelectual.
  • Transcendentalidade do homem pela sua disposição moral
  • Transcendentalidade na disposição intelectual e a dialética pela interação.
  • Transcendentalidade pela disposição intelectual e o papel da inteligência

U

  • Uma questão de teleologia humanista
  • Universo da intuição. Homem e o seu universo da intuição ou universo de terceiro grau
  • Universo da racionalidade. Homem e o seu universo da racionalidade ou universo de segundo grau.
  • Universo da sensibilidade. Homem e o seu universo da sensibilidade ou universo de primeiro grau.
  • Universo de primeiro grau. Homem e o seu universo da sensibilidade ou universo de primeiro grau.
  • Universo de segundo grau. Homem e o seu universo da racionalidade ou universo de segundo grau.
  • Universo de terceiro grau. Homem e o seu universo da intuição ou universo de terceiro grau
  • Universos básicos. Homem e os seus universos básicos: o universo da sensibilidade, o universo da racionalidade e o universo da intuição.

V

  • Valor. Juízo de valor, juízo de realidade, degenerescência progressiva e a relação com a mente consciente e a mente inconsciente
  • Valor. Juízo de valor, juízo de realidade e degenerescência progressiva
  • Valor. Normas e valores.
  • Valores permanentes. Homem e os seus princípios. Os chamados valores permanentes.
  • Vida. Formas lógicas condicionantes do prestígio à vida.
  • Vida. Noção de vida como entidade paralela ao corpo.
  • Vida comunal. Individualidade do homem, a vida em sociedade e a vida comunal
  • Vida e a morte na visão da ciência
  • Vida e a morte na visão da filosofia (sob uma visão filosófica).
  • Vida em sociedade. Individualidade do homem, a vida em sociedade e a vida comunal
  • Vida profissional. Ética na vida profissional.
  • Visão filosófica. Vida e a morte na visão da filosofia (sob uma visão filosófica).
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: