Mitla - Uma Narrativa de Incidentes e Aventuras Pessoais em Uma Viagem pelo México, Guatemala e Salvador

Gustav Ferdinand von Tempsky - Tradução: Nélia Maria Pinheiro Padilha von Tempski-Silka - Prefácio: Valton Sergio von Tempski-Silka

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): Gustav Ferdinand von Tempsky - Tradução: Nélia Maria Pinheiro Padilha von Tempski-Silka - Prefácio: Valton Sergio von Tempski-Silka
ISBN: 978853624546-1
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 270
Publicado em: 05/02/2014
Área(s): Literatura e Cultura - Diversos
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

Uma Narrativa de Incidentes e Aventuras Pessoais em Uma Viagem pelo México, Guatemala e Salvador, nos anos de 1853 a 1855, com Observações sobre os Estilos de Vida Daqueles Países.

Nos dias atuais, Mitla é o segundo mais importante sítio arqueológico no estado de Oaxaca, no México, o mais importante da cultura zapoteca. O sítio está localizado a 44 km a partir da cidade de Oaxaca, no ângulo superior final do Vale de Tlacolula, um dos três que formam os Vales da Região Central do estado. O sítio arqueológico: Mitla - que foi habitada pelo menos desde o período clássico (100-650 d.C.) e, talvez mais cedo, por volta de 900 a.C. - encontra-se atualmente incluída no interior do município da moderna San Pablo Villa de Mitla. Apesar de Monte Albán (Danipaguache "montanha sagrada da vida") ser uma das mais antigas cidades pré-hispânicas e capital dos zapotecas - cujo apogeu se verificou entre os anos 500 e 800 a.C. Mitla era o principal centro religioso.

O nome Mitla é derivado do dialeto Náhuatl, significando Mictlán, o lugar dos mortos ou "mundo inferior". No dialeto zapoteca leva o nome de Lyobaa, que significa "lugar de descanso". O nome Mictlán foi espanholado para Mitla a partir da aproximação com os costumes dos conquistadores ibéricos. No entanto, o que faz Mitla única entre os sítios mesoamericanos é o mosaico elaborado com intricados arabescos e desenhos geométricos que cobrem os túmulos, painéis, frisos e até mesmo paredes inteiras. Estes mosaicos são feitos com pequenos pedaços de pedra, finamente cortados e polidos, montados e encaixados em conjunto, sem o uso de qualquer tipo de argamassa. Dentre todos os sítios arqueológicos do México, nenhum outro possui esta intrigante característica.

AUTOR(ES)

TRADUTORA

Nélia Maria Pinheiro Padilha von Tempski-Silka

Graduada em Ciências Econômicas na Universidade Federal da Bahia, cursos complementares na Université de Genève, Suíça. Diplomas de Francês pela Aliança Francesa e escola de línguas na Suíça, High School nos Estados Unidos e Diploma de Cambridge em inglês. Mestrado em Economia Agrícola e Internacional pela Universidade de Paris I, Panthéon-Sorbonne, cursos de Doutorado completados. Há 15 anos vem traduzindo obras clássicas completas para a Juruá Editora: O Príncipe, O Conde de Monte Cristo, A Cidade Antiga, O Homem Medíocre, O Cão dos Baskerville, A Cabana do Pai Tomás entre outras obras. É atualmente Tradutora Pública e Intérprete Comercial de Francês pela Jucepar - Junta Comercial do Estado do Paraná, e realiza traduções livres de línguas francesa, inglesa e espanhola nas áreas da filosofia, literatura, história, ciência, tecnologia, comércio e indústria.

 

SUMÁRIO

LISTA DE ILUSTRAÇÕES

LISTA DE XILOGRAVURAS

Capítulo I - DE SÃO FRANCISCO A MAZATLAN

Capítulo II - DE MAZATLAN A DURANGO

Capítulo III - DURANGO

Capítulo IV - DE DURANGO AO MÉXICO

Capítulo V - CIDADE DO MÉXICO

Capítulo VI - DE PUEBLA A TEHUANTEPEC

Capítulo VII - TEHUANTEPEC

Capítulo VIII - DE TEHUANTEPEC À GUATEMALA

Capítulo IX - GUATEMALA

Capítulo X - SANTA CATARINA

Capítulo XI - SAN SALVADOR

ITINERÁRIO DE MITLA DE G. F. VON TEMPSKY

INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: