Problema do Direito em Michel Foucault, O - Entre Imagens Jurídicas e a Proposta de um Direito Novo

João Chaves

Leia na Biblioteca Virtual
Preço:
Parcele em até 6x sem juros no cartão. Parcela mínima de R$ 20,00
FICHA TÉCNICA
Autor(es): João Chaves
ISBN: 978853622829-7
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 184
Publicado em: 15/02/2010
Área(s): Direito - Filosofia do Direito; Direito - Teoria Geral do Direito
CONFIRA TAMBÉM
SINOPSE

Neste volume:

“QUERO SER A FACA E O CORTE”
Do Direito ao Direito Novo

Capítulo 1
O DIREITO NA OBRA DE MICHEL FOUCAULT ENTRE 1961 E 1975: DAS IMAGENS À CRÍTICA
• Da História da loucura a Os anormais, o percurso inicial
• A consolidação da imagem do jurídico em vigiar e punir
• O Foucault que se conta no direito: visões gerais e usos específicos

Capítulo 2
O DIREITO NOVO COMO PROPOSTA E PROBLEMA EM MICHEL FOUCAULT
• Em defesa da sociedade: ruptura e perspectiva
• O direito no Foucault pós-76 entre o poder e a governamentalidade
• A crítica à proposta do direito novo

Capítulo 3
O DIREITO NOVO ENTRE A RESISTÊNCIA E O FORA:
Estratégias de Michel Foucault no Deserto do Saber
• Direito novo e resistência em Foucault: uma relação problemática
• Para fora, para o Fora

“A BRIGA ENTRE A LUZ E O ESPELHO”:
Do Direito Novo ao Não-Direito

AUTOR(ES)

João Chaves é Mestre em Direito pela UFPE (Universidade Federal de Pernambuco); Professor de Teoria do Direito da Unicap (Universidade Católica de Pernambuco).
 

SUMÁRIO

Introdução "QUERO SER A FACA E O CORTE": DO DIREITO AO DIREITO NOVO

Capítulo 1 O DIREITO NA OBRA DE MICHEL FOUCAULT ENTRE 1961 E 1975: DAS IMAGENS À CRÍTICA

1.1 Da História da loucura a Os anormais, o percurso inicial

1.2 A consolidação da imagem do jurídico em Vigiar e punir

1.3 O Foucault que se conta no direito: visões gerais e usos especificos

Capítulo 2 O DIREITO NOVO COMO PROPOSTA E PROBLEMA EM MICHEL FOUCAULT

2.1 Em defesa da sociedade: ruptura e perspectiva

2.1.1 A situação do curso dentro do projeto genealógico de Foucault

2.1.2 Para uma nova imagem do direito face ao discurso histórico de perspectiva

2.1.3 A proposta do direito novo: entre soberania e disciplina

2.2 O direito no Foucault pós-76 entre o poder e a governamentalidade

2.2.1 Direito e hipótese repressiva em A vontade de saber

2.2.2 A emergência do biopoder: biopolítica e a crise do poder soberano

2.2.3 Foucault e os direitos humanos

2.3 A crítica à proposta do direito novo

Capítulo 3 O DIREITO NOVO ENTRE A RESISTÊNCIA E O FORA: ESTRATÉGIAS DE MICHEL FOUCAULT NO DESERTO DO SABER

3.1 Direito novo e resistência em Foucault: uma relação problemática

3.1.1 A noção de resistência a partir da genealogia

3.1.2 O paradoxo da resistência: como escapar das malhas do poder?

3.1.3 O direito novo como saber e a esperança em resistir - variação do mesmo tema

3.2 Para fora, para o Fora

3.2.1 A dimensão foucaultiana do problema do Fora

3.2.2 O Fora como resistência e dobra da subjetividade: a torção deleuziana para além de Foucault

3.2.3 Novamente, o direito novo: o apelo ao Fora como última inviabilidade

Conclusões "A BRIGA ENTRE A LUZ E O ESPELHO": DO DIREITO NOVO AO NÃO-DIREITO

REFERÊNCIAS

ÍNDICE ALFABÉTICO

A

  • A briga entre a luz e o espelho: do direito novo ao não-direito.
  • A consolidação da imagem do jurídico em Vigiar e punir
  • A crítica à proposta do direito novo.
  • A dimensão foucaultiana do problema do Fora.
  • A emergência do biopoder: biopolítica e a crise do poder soberano.
  • A noção de resistência a partir da genealogia.
  • A proposta do direito novo: entre soberania e disciplina.
  • A situação do curso dentro do projeto genealógico de Foucault.

B

  • Biopoder. A emergência do biopoder: biopolítica e a crise do poder soberano.
  • Biopolítica. A emergência do biopoder: biopolítica e a crise do poder soberano

C

  • Consolidação da imagem do jurídico em Vigiar e punir.
  • Crítica. O direito na obra de Michel Foucault entre 1961 e 1975: das imagens à crítica.
  • Crítica à proposta do direito novo

D

  • Da História da loucura a Os anormais, o percurso inicial.
  • Deleuze. O Fora como resistência e dobra da subjetividade: a torção deleuziana para além de Foucault
  • Direito. Foucault que se conta no direito: visoes gerais e usos especificos
  • Direito. Para uma nova imagem do direito face ao discurso histórico de perspectiva.
  • Direito e hipótese repressiva em A vontade de saber.
  • Direito na obra de Michel Foucault entre 1961 e 1975: das imagens à crítica.
  • Direito no Foucault pós-76 entre o poder e a governamentalidade.
  • Direito novo. A briga entre a luz e o espelho: do direito novo ao não-direito
  • Direito novo. A crítica à proposta do direito novo
  • Direito novo. A proposta do direito novo: entre soberania e disciplina
  • Direito novo. Introdução. Quero ser a faca e o corte.Do direito ao direito novo
  • Direito novo. Novamente, o direito novo: o apelo ao Fora como última inviabilidade
  • Direito novo como proposta e problema em Michel Foucault.
  • Direito novo como saber e a esperança em resistir. Variação do mesmo tema
  • Direito novo e resistência em Foucault: uma relação problemática.
  • Direito novo entre a resistência e o Fora: estratégias de Michel Foucault no deserto do saber
  • Direitos humanos. Foucault e os direitos humanos.
  • Disciplina. A proposta do direito novo: entre soberania e disciplina
  • Discurso histórico. Para uma nova imagem do direito face ao discurso histórico de perspectiva.

E

  • Em defesa da sociedade: ruptura e perspectiva
  • Emergência do biopoder: biopolítica e a crise do poder soberano.
  • Exterioridade. O direito novo entre a resistência e o Fora: estratégias de Michel Foucault no deserto do saber.
  • Exterioridade. Para fora, para o Fora.

F

  • Filosofia. Introducao. áQuero ser a faca e o corteâ. Do direito ao direito novo
  • Fora. Novamente, o direito novo: o apelo ao Fora como ultima inviabilidade
  • Fora. O Fora como resistência e dobra da subjetividade: a torção deleuziana para além de Foucault.
  • Fora. O direito novo entre a resistência e o Fora: estratégias de Michel Foucault no deserto do saber
  • Fora. Para fora, para o Fora
  • Foucault e os direitos humanos
  • Foucault que se conta no direito: visoes gerais e usos especificos

G

  • Genealogia. A noção de resistência a partir da genealogia.

H

  • Hermenêutica. Foucault que se conta no direito: visões gerais e usos específicos

I

  • Imagem. A consolidação da imagem do jurídico em Vigiar e punir
  • Imagem. O direito na obra de Michel Foucault entre 1961 e 1975: das imagens à crítica.
  • Interpretacao. Foucault que se conta no direito: visoes gerais e usos especifi - cos.
  • Introdução. Quero ser a faca e o corte. Do direito ao direito novo

J

  • Jurídico. A consolidação da imagem do jurídico em Vigiar e punir.

M

  • Michel Foucault. Direito novo e resistência em Foucault: uma relação problemática.
  • Michel Foucault. Introdução. Quero ser a faca e o corte. Do direito ao direito novo.
  • Michel Foucault. O Fora como resistência e dobra da subjetividade: a torção deleuziana para além de Foucault.
  • Michel Foucault. O direito na obra de Michel Foucault entre 1961 e 1975: das imagens à crítica.
  • Michel Foucault. O direito novo como proposta e problema em Michel Foucault.
  • Michel Foucault. O direito novo entre a resistência e o Fora: estratégias de Michel Foucault no deserto do saber.

N

  • Novamente, o direito novo: o apelo ao Fora como última inviabilidade
  • Não-direito. A briga entre a luz e o espelho: do direito novo ao não-direito.

O

  • O Fora como resistência e dobra da subjetividade: a torção deleuziana para além de Foucault.
  • O direito na obra de Michel Foucault entre 1961 e 1975: das imagens à crítica.
  • O direito novo como proposta e problema em Michel Foucault.
  • O direito novo como saber e a esperança em resistir. Variação do mesmo tema
  • O direito novo entre a resistência e o Fora: estratégias de Michel Foucault no deserto do saber
  • O paradoxo da resistência: como escapar das malhas do poder?
  • Os anormais. Da História da loucura a Os anormais, o percurso inicial.

P

  • Para fora, para o Fora
  • Para uma nova imagem do direito face ao discurso histórico de perspectiva
  • Paradoxo da resistência: como escapar das malhas do poder?
  • Pensamento jurídico. Introdução. Quero ser a faca e o corte. Do direito ao direito novo.
  • Perspectiva. Para uma nova imagem do direito face ao discurso histórico de perspectiva.
  • Poder. O paradoxo da resistência: como escapar das malhas do poder?
  • Poder soberano. A emergência do biopoder: biopolítica e a crise do poder soberano.
  • Problema. O direito novo como proposta e problema em Michel Foucault.
  • Proposta. O direito novo como proposta e problema em Michel Foucault.

R

  • Referências
  • Resistência. A noção de resistência a partir da genealogia.
  • Resistência. Direito novo e resistência em Foucault: uma relação problemática
  • Resistência. Novamente, o direito novo: o apelo ao Fora como última inviabilidade
  • Resistência. O Fora como resistência e dobra da subjetividade: a torção deleuziana para além de Foucault
  • Resistência. O direito novo como saber e a esperança em resistir. Variação do mesmo tema.

S

  • Saber. O direito novo como saber e a esperança em resistir. Variação do mesmo tema
  • Saber. O direito novo entre a resistência e o Fora: estratégias de Michel Foucault no deserto do saber
  • Soberania. A proposta do direito novo: entre soberania e disciplina.
  • Subjetividade. O Fora como resistência e dobra da subjetividade: a torção deleuziana para além de Foucault.

T

  • Teoria deleuziana. O Fora como resistência e dobra da subjetividade: a torção deleuziana para além de Foucault.

V

  • Vigiar e punir. A consolidação da imagem do jurídico em Vigiar e punir
INDIQUE ESSA OBRA

Indique essa obra para um amigo:

De:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez

Para:

Nome:

E-mail:

Informe apenas 1 email por vez


Mensagem: