Política Pública Criminal - Um Modelo de Aferição da Idoneidade da Incidência Penal e dos Institutos Jurídicos Criminais

José Carlos Abissamra Filho

Versão impressa

de R$ 89,90*
por R$ 85,41em 3x de R$ 28,47Adicionar ao carrinho

Versão digital

Disponível para:AndroidiOS
de R$ 64,70*
por R$ 61,47em 2x de R$ 30,73Adicionar ao carrinho

* Desconto não cumulativo com outras promoções, incluindo P.A.P. e Cliente Fiel

Ficha técnica

Autor(es): José Carlos Abissamra Filho

ISBN v. impressa: 978652630841-7

ISBN v. digital: 978652630784-7

Acabamento: Brochura

Formato: 15,0x21,0 cm

Peso: 213grs.

Número de páginas: 172

Publicado em: 16/08/2023

Área(s): Direito - Penal

Versão Digital (eBook)

Para leitura em aplicativo exclusivo da Juruá Editora - Juruá eBooks - para Smartphones e Tablets rodando iOS e Android. Não compatível KINDLE, LEV, KOBO e outros e-Readers.

Disponível para as plataformas:

  • AndroidAndroid 5 ou posterior
  • iOSiOS 8 ou posterior

Em computadores a leitura é apenas online e sem recursos de favoritos e anotações;
Não permite download do livro em formato PDF;
Não permite a impressão e cópia do conteúdo.

Compra apenas via site da Juruá Editora.

Sinopse

O termo política pode assumir dois sentidos diferentes: política em sentido amplo (em inglês, politics); ou, em sentido estrito (em inglês, policy), no sentido de decisões e ações concretas, como as complexas ações governamentais, as políticas públicas. Partindo do ferramental teórico da política pública, separamos esta da política em sentido amplo e, assim, pudemos separar as incidências penais que estão inseridas no contexto de uma política pública idônea daquelas que são mero exercício de poder simbólico. Ao analisarmos o Direito Penal enquanto ferramental da política pública, chegamos à formulação básica do trabalho, que se constitui no modelo, ora proposto, de aferição da idoneidade da política pública criminal, da incidência penal e dos institutos jurídicos criminais de uma forma geral, cuja redação é a seguinte: a política pública criminal, a incidência penal e os institutos jurídicos criminais de uma forma geral serão considerados idôneos se estiverem em conformidade, formal e materialmente, com o ordenamento jurídico e se forem eficientes, ou seja, se deles resultarem os objetivos em razão dos quais foram desenvolvidos e instalados.

Autor(es)

JOSÉ CARLOS ABISSAMRA FILHO

Doutor e Mestre em Direito Penal – PUC-SP. Pós-graduado em Direito Penal Econômico pela Fundação Getulio Vargas – FGV Law, e pelo Instituto de Direito Penal Económico e Europeu da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra em parceria com o Instituto Brasileiro de Ciências Criminais. Professor da Escola Paulista de Direito – EPD (Pós-graduação lato sensu Direito Penal e Processual Penal). Coordenador da Comissão Permanente de Direitos e Prerrogativas da OAB/SP. Coordenador Adjunto da Escola de Assistência Judiciária da OAB/SP. Diretor do Instituto de Defesa do Direito de Defesa – IDDD (2013 - 2022). Autor de livros e artigos.

Sumário

INTRODUÇÃO, p. 13

1 DESTRINCHANDO A POLÍTICA, p. 17

1.1 APRESENTANDO O MODELO, p. 17

1.2 O QUE NÃO É POLÍTICA PÚBLICA CRIMINAL, p. 23

2 O DIREITO PENAL COMO INSTRUMENTO DA POLÍTICA PÚBLICA CRIMINAL, p. 37

2.1 UM SISTEMA TELEOLOGICAMENTE ORIENTADO, p. 37

2.2 DIREITO PENAL COMO MAIS UM FERRAMENTAL DA POLÍTICA PÚBLICA CRIMINAL, p. 41

2.3 A NOVA CATEGORIA DA TEORIA DO DELITO DESENVOLVIDA POR ROXIN E CHAMADA PELO AUTOR DE "RESPONSABILIDADE", p. 42

2.4 TESTANDO O MODELO DE AFERIÇÃO DE IDONEIDADE TENDO COMO INSTRUMENTO A CATEGORIA FUNCIONALISTA CHAMADA POR ROXIN DE "RESPONSABILIDADE", p. 49

3 ÓRGÃOS DE PERSECUÇÃO PENAL, p. 55

3.1 POLÍCIA MILITAR, p. 55

3.2 POLÍCIA CIVIL OU FEDERAL, p. 63

3.3 MINISTÉRIO PÚBLICO, p. 78

4 O CONTRADITÓRIO - FASE PROCESSUAL, p. 93

5 EXECUÇÃO DA PENA, p. 103

5.1 O SURGIMENTO DAS PRISÕES COMO INSTITUIÇÕES DE FATO QUASE SEM JUSTIFICAÇÃO TEÓRICA, p. 103

5.2 MAIS OU MENOS TEMPO DE CUMPRIMENTO DE PENA DE PRISÃO, p. 104

5.3 A REALIDADE: O RESULTADO DA INCIDÊNCIA PENAL NO DIA A DIA DA JUSTIÇA CRIMINAL, p. 105

5.4 ENTÃO, CONSTATADA A DISFUNCIONALIDADE E A ABSOLUTA DICOTOMIA ENTRE A LEGISLAÇÃO E A REALIDADE, QUAL É O SIGNIFICADO DESSAS PENAS?, p. 110

6 APLICANDO O MODELO DE AFERIÇÃO DA IDONEIDADE DA POLÍTICA PÚBLICA CRIMINAL, p. 113

6.1 SEGUNDA METADE DO SÉCULO XX E A GUERRA ÀS DROGAS: UMA NOVA ORDEM JURÍDICA INSTALA-SE, p. 114

6.2 TRÊS CASOS EM CONFORMIDADE COM A ORDEM JURÍDICA E COM PARÂMETROS MENSURÁVEIS QUE OS FUNDAMENTAM, p. 133

6.2.1 Reconhecimento - Art. 226 do Código de Processo Penal, p. 135

6.2.2 A Casa é Asilo Inviolável do Indivíduo, p. 138

6.2.3 Guarda Municipal, p. 142

CONCLUSÃO, p. 149

REFERÊNCIAS, p. 153

Índice alfabético

A

  • Apresentando o modelo, p. 17

C

  • Casa é asilo inviolável do indivíduo, p. 138
  • Conclusão, p. 149
  • Contraditório. Fase processual, p. 93
  • CPP. Reconhecimento. Art. 226 do Código de Processo Penal, p. 135

D

  • Destrinchando a política, p. 17
  • Direito penal como instrumento da política pública criminal, p. 37
  • Direito penal como instrumento da política pública criminal. Um sistema teleologicamente orientado, p. 37
  • Direito penal como mais um ferramental da política pública criminal, p. 41
  • Disfuncionalidade. Então, constatada a disfuncionalidade e a absoluta dicotomia entre a legislação e a realidade, qual é o significado dessas penas?, p. 110

E

  • Então, constatada a disfuncionalidade e a absoluta dicotomia entre a legislação e a realidade, qual é o significado dessas penas?, p. 110
  • Execução da pena, p. 103

G

  • Guarda municipal, p. 142
  • Guerra às drogas. Segunda metade do século XX e a guerra às drogas: uma nova ordem jurídica instala-se, p. 114

I

  • Idoneidade. Aplicando o modelo de aferição da idoneidade da política pública criminal, p. 113
  • Idoneidade. Testando o modelo de aferição de idoneidade tendo como instrumento a categoria funcionalista chamada por Roxin de "responsabilidade", p. 49
  • Introdução, p. 13
  • Inviolabilidade. Casa é asilo inviolável do indivíduo, p. 138

J

  • Justiça criminal. Realidade: o resultado da incidência penal no dia a dia da justiça criminal, p. 105

L

  • Legislação. Então, constatada a disfuncionalidade e a absoluta dicotomia entre a legislação e a realidade, qual é o significado dessas penas?, p. 110

M

  • Ministério Público, p. 78
  • Modelo. Apresentando o modelo, p. 17

O

  • Ordem jurídica. Segunda metade do século XX e a guerra às drogas: uma nova ordem jurídica instala-se, p. 114
  • Ordem jurídica. Três casos em conformidade com a ordem jurídica e com parâmetros mensuráveis que os fundamentam, p. 133
  • Órgãos de persecução penal, p. 55

P

  • Pena. Execução da pena, p. 103
  • Pena. Mais ou menos tempo de cumprimento de pena de prisão, p. 104
  • Persecução penal. Órgãos, p. 55
  • Polícia civil ou federal, p. 63
  • Polícia militar, p. 55
  • Política pública criminal. Aplicando o modelo de aferição da idoneidade da política pública criminal, p. 113
  • Política pública criminal. Direito penal como instrumento da política pública criminal, p. 37
  • Política pública criminal. Direito penal como mais um ferramental da política pública criminal, p. 41
  • Política pública criminal. O que não é, p. 23
  • Política. Destrinchando a política, p. 17
  • Prisão. Mais ou menos tempo de cumprimento de pena de prisão, p. 104

R

  • Realidade. Então, constatada a disfuncionalidade e a absoluta dicotomia entre a legislação e a realidade, qual é o significado dessas penas?, p. 110
  • Realidade: o resultado da incidência penal no dia a dia da justiça criminal, p. 105
  • Reconhecimento. Art. 226 do Código de Processo Penal, p. 135
  • Referências, p. 153
  • Responsabilidade. Testando o modelo de aferição de idoneidade tendo como instrumento a categoria funcionalista chamada por Roxin de "responsabilidade", p. 49
  • Roxin. Nova categoria da teoria do delito desenvolvida por Roxin e chamada pelo autor de "responsabilidade", p. 42
  • Roxin. Testando o modelo de aferição de idoneidade tendo como instrumento a categoria funcionalista chamada por Roxin de "responsabilidade", p. 49

S

  • Surgimento das prisões como instituições de fato quase sem justificação teórica, p. 103

T

  • Teoria do delito. Nova categoria da teoria do delito desenvolvida por Roxin e chamada pelo autor de "responsabilidade", p. 42
  • Testando o modelo de aferição de idoneidade tendo como instrumento a categoria funcionalista chamada por Roxin de "responsabilidade", p. 49

Recomendações

Capa do livro: Penas Alternativas à Prisão, Mônica Louise de Azevedo

Penas Alternativas à Prisão

 Mônica Louise de AzevedoISBN: 853620944-5Páginas: 234Publicado em: 01/04/2005

Versão impressa

de R$ 119,90* porR$ 113,91em 4x de R$ 28,48Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Vigilância Policial em Meio Digital - Entre o Garantismo e a Eficiência, Gianluca Martins Smanio

Vigilância Policial em Meio Digital - Entre o Garantismo e a Eficiência

 Gianluca Martins SmanioISBN: 978853629532-9Páginas: 254Publicado em: 28/03/2022

Versão impressa

de R$ 119,90* porR$ 113,91em 4x de R$ 28,48Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 84,70* porR$ 80,47em 3x de R$ 26,82Adicionar eBook
ao carrinho
Capa do livro: Crime Falencial e Competência Material, Rodolfo Soares dos Reis

Crime Falencial e Competência Material

 Rodolfo Soares dos ReisISBN: 978853624047-3Páginas: 220Publicado em: 18/12/2012

Versão impressa

de R$ 99,90* porR$ 79,92em 3x de R$ 26,64Adicionar ao
carrinho
Capa do livro: Uso de Drogas e Ofensividade em Direito Penal, Gustavo Tozzi Coelho

Uso de Drogas e Ofensividade em Direito Penal

 Gustavo Tozzi CoelhoISBN: 978853627159-0Páginas: 244Publicado em: 16/08/2017

Versão impressa

de R$ 119,90* porR$ 113,91em 4x de R$ 28,48Adicionar ao
carrinho

Versão digital

de R$ 84,70* porR$ 80,47em 3x de R$ 26,82Adicionar eBook
ao carrinho