Relações Familiares e Vulnerabilidades - Pesquisa com Mulheres Usuárias de Crack - (Re)Construindo Laços e Projetos

Marcelo de Freitas Gimba e Vanessa Ribeiro Simon Cavalcanti

Parcele em até 6x sem juros no cartão.
Parcela mínima de R$ 30,00

Versão impressa

Versão digital

Disponível para:AndroidiOSWindows Phone

Ficha técnica

Autor(es): Marcelo de Freitas Gimba e Vanessa Ribeiro Simon Cavalcanti

ISBN v. impressa: 978853626560-5

ISBN v. digital: 978853626602-2

Acabamento: Brochura

Número de páginas: 150

Publicado em: 17/02/2017

Área(s): Psicologia - Família e Adoção; Psicologia - Social

Versão Digital (e-Book)

Para leitura em aplicativo exclusivo da Juruá Editora para Smartphones e Tablets rodando iOS, Android ou Windows Phone;

Disponível para as plataformas:

  • Android Android Android 4 ou posterior
  • iOSiOS iOS 7 ou posterior
  • Windows Phone Windows Phone Windows Phone 8 ou posterior

Não compatível para leitura em computadores;
Não permite a impressão do conteúdo.

Compra apenas via site da Juruá Editora.

Sinopse

A presente obra versa sobre o uso de crack por mulheres na contemporanei­dade. O recorte histórico-geográfico está matizado pelo ano de 2013 com resi­dentes na Região Metropolitana de Salvador, Bahia, através de aproximação qualitativa com base em entrevistas em profundidade.

Sabe-se que as vulnerabilidades são agravadas com este elemento (uso de crack) e interfere de forma significativa nas relações familiares e sociais, in­cidindo diretamente nas relações intergeracionais e projetos de vida. Mães-filhas que, por influência da droga, deixam de ter capacidade para serem cui­dadoras e mantenedoras; filhos e filhas que não conhecem pais/mães e pouco convivem com suas progenitoras; avós que avocam as atividades de cuidar, prover e proteger os netos. Ademais, assumem as responsabilidades dessas usuárias, quando não as colocam para fora de casa diante ao desespero de terem seus bens dilapidados e a integridade física ameaçada. Ainda, por causa da pedra, essas mulheres, submetem-se à venda do corpo que, na vivência do crack, tem uma característica própria e cometem alguns crimes, tais como abortos e pequenos furtos.

Isto posto, a obra tem como objetivo analisar as relações familiares pertinentes e suas vulnerabilidades. Foi elaborado por meio de revisão historiográfica e de pesquisa de campo em dois Centros de Tratamento para Dependentes Quími­cos, na região metropolitana de Salvador, e participaram das entrevistas: dois profissionais que trabalham com dependentes químicos e cinco usuárias de crack, de classes média e alta.

Como instrumentos da pesquisa foram utilizados dois tipos de questionários, um para os profissionais e outro para as usuárias de crack, construídos especificamente para este trabalho, com escopo de analisar a farmacologia do crack e sua manifestação no organismo da mulher, as violências sofridas e estigmas, as relações familiares e políticas públicas desenvolvidas para esse grupo peculiar.

Os principais resultados revelam que essas mulheres estão mais sujeitas às doenças sexualmente transmissíveis (DSTS/AIDS), à gestação indesejada ou não planejada, às violências físicas e morais, a práticas de delitos, a terem seus corpos transformados em moeda de troca, a impossibilidade de criar vínculos trabalhistas, à ruptura dos laços familiares do que as mulheres não usuárias de crack.

Autor(es)

MARCELO DE FREITAS GIMBA
Doutorando e Mestre em Família na Sociedade Contemporânea pela Universidade Católica do Salvador. Master Magister In Scientia de Matrimonio et Familia pela Pontificiam Universitatem Lateranensem. Especialista em Direito Público pela Faculdade de Direito do Vale do Rio Doce – FADIVALE. Especialista em Direito Civil pelo Centro Uni­versitário Moacyr Sreder Bastos – MSB. Especialista pela Escola da Magistratura do Mato Grosso do Sul. Possui Graduação em Direito pela Universidade Gama Filho – UGF. Membro do Núcleo de Estudos sobre Governação e Instituições, da Universidade Católica do Salvador – NEIG e do Núcleo de Pesquisas e Estudos sobre Gênero, Gerações e Ci­dadania – NPEJI-UCSAL. Oficial da Reserva do Exército Brasileiro e Advogado.

VANESSA RIBEIRO SIMON CAVALCANTI
Historiadora. Doutora em Direi­tos Humanos pela Universidade de Leon, Espanha e com Está­gios Pós-Doutorais na Univer­sidade de Salamanca, Espanha (Capes e CNPq). Professora e Investigadora do Programa de Pós-Graduação em Família na Sociedade Contemporânea e Coordenadora do Núcleo de Pesquisas e Estudos sobre Ju­ventudes e Identidades (NPEJI/ UCSAL/CNPq). Integra o Insti­tuto Jurídico Portucalense (UPT, Portugal) e redes e grupos de pesquisa em Direitos Humanos e Gênero.

Sumário

Lista de siglas

1 Apresentação

1.1 A primeira impressão

2 Introdução

2.1 As primeiras pedras: das barreiras às construções de instrumentos de aproximação

2.2 Motivações pessoais

2.3 Caminho a percorrer

3 Gêneros, gerações e drogas: o crack e seus efeitos

3.1 Relações intergeracionais: família e maternidade

3.2 Reprodução e sexualidade das usuárias de crack: violências, medos e doenças

3.3 Filhos da pedra: maternidade sem maternagem

3.3.1 Gravidez e afetividade: laços ou rupturas

3.3.2 Efeitos nos organismos da mulher e do feto

3.3.3 Gravidez precoce: medo e abandono

4 Políticas Públicas e a sua dupla face: internamento como possibilidade

4.1 Percurso histórico e principais ações no Brasil

4.2 Abordagem jurídico-institucional: práticas e marco legal

4.3 Em busca de resposta: a questão do internamento

5 Redução de danos: instrumentos para uma saída

5.1 Marco inicial e aplicação da redução de danos

5.2 Programas e instituições promotoras da redução de danos em Salvador

5.3 Consultório de rua e instituições: parcerias e projetos

6 Pesquisa de campo: narrativa e realidades

6.1 Aproximações metodológicas: mapeando e ouvindo suas vozes

6.2 Para além do crack: suas vidas, suas trajetórias

6.3 Desvendando vidas: sair do lugar comum

7 Considerações finais

Referências

Apêndices

Apêndice A - Termo de Consentimento Livre e Esclarecido

Apêndice B - Entrevista com Profissionais na Área de Dependência Química (Crack)

Apêndice C - Entrevista com Pacientes na Área de Dependência Química (crack)

Índice alfabético

A

  • Afetividade. Gravidez e afetividade: laços ou rupturas
  • Apêndice A. Termo de Consentimento Livre e Esclarecido
  • Apêndice B. Entrevista com Profissionais na Área de Dependência Quími-ca (crack)
  • Apêndice C. Entrevista com Pacientes na Área de Dependência Química (crack)
  • Apêndices
  • Apresentação

B

  • Barreira. Primeiras pedras: das barreiras às construções de instrumentos de aproximação

C

  • Caminho a percorrer
  • Considerações finais
  • Crack. Gêneros, gerações e drogas: o crack e seus efeitos
  • Crack. Reprodução e sexualidade das usuárias de crack: violências, me-dos e doenças

D

  • Desenvolvimento. Gêneros, gerações e drogas: o crack e seus efeitos
  • Doença. Reprodução e sexualidade das usuárias de crack: violências, medos e doenças

F

  • Família. Relações intergeracionais: família e maternidade
  • Filhos da pedra: maternidade sem maternagem

G

  • Gêneros, gerações e drogas: o crack e seus efeitos
  • Gravidez e afetividade: laços ou rupturas
  • Gravidez precoce: medo e abandono
  • Gravidez. Efeitos nos organismos da mulher e do feto

I

  • Instrumento de aproximação. Primeiras pedras: das barreiras às constru-ções de instrumentos de aproximação
  • Introdução

L

  • Lista de siglas

M

  • Maternidade. Filhos da pedra: maternidade sem maternagem
  • Maternidade. Relações intergeracionais: família e maternidade
  • Medo. Reprodução e sexualidade das usuárias de crack: violências, me-dos e doenças
  • Motivações pessoais

P

  • Pesquisa de campo. Aproximações metodológicas: mapeando e ouvindo suas vozes
  • Pesquisa de campo. Desvendando vidas: sair do lugar comum
  • Pesquisa de campo. Para além do crack: suas vidas, suas trajetórias
  • Pesquisa de campo: narrativa e realidades
  • Políticas públicas e a sua dupla face: internamento como possibilidade
  • Políticas públicas. Abordagem jurídico-institucional: práticas e marco legal
  • Políticas públicas. Em busca de resposta: a questão do internamento
  • Políticas públicas. Percurso histórico e principais ações no Brasil
  • Primeira impressão
  • Primeiras pedras: das barreiras às construções de instrumentos de aproxi-mação

R

  • Redução de danos. Consultório de rua e instituições: parcerias e projetos
  • Redução de danos. Marco inicial e aplicação da redução de danos
  • Redução de danos. Programas e instituições promotoras da redução de danos em Salvador
  • Redução de danos: instrumentos para uma saída
  • Referências
  • Relações intergeracionais: família e maternidade
  • Reprodução e sexualidade das usuárias de crack: violências, medos e doenças

S

  • Sexualidade. Reprodução e sexualidade das usuárias de crack: violências, medos e doenças
  • Sigla. Lista de siglas

V

  • Violência. Reprodução e sexualidade das usuárias de crack: violências, medos e doenças

Recomendações

Capa do livro: Avós no Século XXI, Andréia Ribeiro Cardoso

Avós no Século XXI

 Andréia Ribeiro CardosoISBN: 978853623481-6Páginas: 254Publicado em: 19/09/2011

Versão impressa

R$ 77,70Adicionar ao
carrinho

Versão digital

R$ 54,70Adicionar eBook
ao carrinho
Capa do livro: Família e Sociedade - Passo a Passo, Coordenadoras: Amini Haddad Campos e Rosa Graciéla de Campos Lopes

Família e Sociedade - Passo a Passo

 Coordenadoras: Amini Haddad Campos e Rosa Graciéla de Campos LopesISBN: 978853625316-9Páginas: 244Publicado em: 20/08/2015

Versão impressa

R$ 69,90Adicionar ao
carrinho

Versão digital

R$ 49,90Adicionar eBook
ao carrinho
Capa do livro: Felicidade na Pobreza, Leonor Segurado Balancho

Felicidade na Pobreza

 Leonor Segurado BalanchoISBN: 978853624045-9Páginas: 262Publicado em: 13/12/2012

Versão impressa

R$ 69,90Adicionar ao
carrinho